domingo, 27 de julho de 2014

O SÓCIO DO MEU MARIDO ME CHANTAGEOU


O SÓCIO DO MEU MARIDO

Sou ou casada há 11 anos, meu marido é um pequeno empresário no ramo de representações comerciais  e tem um sócio, o Antonio que é encarregado da parte burocrática e das compras externas enquanto meu marido ficava no escritório e cuidava dos pedidos, empregados dos fornecedores e isso lhe ocupa o dia todo raramente saia durante o expediente, ao contrário do Antonio que cuidava dos contatos externos, visitar clientes, resolver problemas de fornecedores em outras cidades ou estados, os dois tinham tarefas distintas, mas o Antonio tinha mais liberdade por estar a maior parte do tempo na rua, e meu marido só vinha pra casa depois do expediente e muitas vezes principalmente em fins de meses nos fechamentos só tarde da noite porque tinha que finalizar relatórios e outras coisas que eu nem sei o que é. 

Eu me chamo Mara tenho 1, 65m de altura, cabelos  longos, olhos azuis, e acho que tenho um corpo bonito, porque percebo que  os homens discretamente sempre me olham principalmente para meus seios que se destacam principalmente quando uso uma roupa mais decotada, eles não são grandes mas também não são pequenos e são firmes  gosto de usar roupa justa e com isso o destaque é meus quadris que são curvilíneos. não foram poucas as vezes que fui elogiada pelas amigas e por alguns amigos mais ousados.


Como eu disse, meu marido Sandro é um empresário em São Paulo, dono de uma rede de três restaurantes e o sócio dele  é encarregado da parte burocrática chama-se Antonio que também é casado e são amigos de longa data, desde a faculdade, e juntos começaram o empreendimento que estão até hoje.

Não era comum nos encontrarmos com frequência, apesar de sócios rara as vezes nos encontrávamos os 4, eu meu marido o Antonio e a esposa, mas mesmo assim tínhamos uma boa amizade  mas sempre que nos encontrávamos eu reparava o jeito do Antonio me olhar, mesmo quando ele estava com a esposa,   ele me olhava,  fixando seu olhar em mim, em meu corpo, o que de certa forma me deixava até constrangida, mas meu marido nunca  percebeu nada, e eu não queria fazer disso uma tragédia alias até me sentia envaidecida.

Antonio era um homem alto forte atlético,  porte físico avantajado,  usava cavanhaque e cabelo curto sempre bem aparado... era uma pessoa vaidosa que cuidava muito bem de sua aparência  mas eu nunca olhei pra ele com algum interesse por mais velado que fosse apesar dele ser como espécime de macho mais bonito que meu próprio marido., mas  apesar disto eu só tinha olhos para o meu marido.

Mesmo na frente de meu marido Antonio a me elogiava sempre que tinha chance, elogiava meus vestido, meu cabelo, percebia quando eu usava um esmalte ou batom diferente, não perdia a chance de dizer  como estava bonita ou que meu vestido era sensual, que ficava muito bem em mim, etc. sempre jogava um verde. Eu discretamente agradecia achava que era por ele ser gentil, e  nunca dei chance para que ele passasse disto, eu sempre desconversava e cortava o papo.

Um dia em uma confraternização da empresa, meu marido promoveu um churrasco em nosso sitio, e depois do almoço   eu e várias outras pessoas estávamos a beira da piscina tomando banho de sol,  quando o Antonio sentou-se bem próximo a mim, disse-me que nunca me viu de biquíni e que nunca tinha reparado o quanto eu era bem feita de corpo, isso dizia “com todo respeito”, mas voce tem um corpo escultural, alem de um belo sorriso ... Eu sorri discretamente sem cerimônias ele pegou o protetor solar que estava a meu lado e disse posso passar? mesmo sem eu falar nada  ele derramou um pouco em minhas costas e começou a esfregar, na hora fiquei muito sem graça, ele continuou a massagear minhas costas, primeiro em movimentos suaves depois mais avidamente... me surpreendi quando ele atrevidamente desamarrou o laço da parte superior  do meu biquíni falou.. é pra anão deixar marquinha, derramou mais e continuou passando  nas minhas costas, quando ele tentou passar em minhas nádegas..., mais do que depressa levantei-me amarrei meu biquíni agradeci e sai dali na verdade eu estava detestando aquele modo ousado dele para comigo, imagina o que meu marido ou outras pessoas iriam pensar.

No final da tarde a maioria do pessoal já tinha ido embora, estava quase escurecendo, eu sai para andar um pouco, meu marido tinha ficado dormindo por causa  que tinha bebido um pouco demais comecei a caminhar me afastei entrei por uma trilha num pequeno bosque, eu estava olhando a natureza distraída observando os pássaros que revoavam ao fim da tarde todos pousavam em uma só arvore fazendo o maior barulho, nem percebi quando o Antonio se aproximou furtivamente... chegou perto de mim e começamos a conversar.. perguntei-lhe da mulher dele ele respondeu que ela tinha pego o carro e ido até a cidade pra telefonar porque no sitio não pegava sinal de celular, entre uma conversa e outra ele elogiou-me dizendo que a tarde eu estava linda a beira da piscina, que sabia que eu era uma mulher desejável só não imaginava o quanto, eu tentei desconversar então ele declarou que me desejava muito a muito tempo, não sabia se era paixão ou tesão e  que ele já não  conseguia mais se conter, tentei encerrar a conversa por ali e tentei me afastar mas ele segurando minha cintura, me puxou para junto dele, senti um enorme volume que se formava dentro de seu calção tentou me beijar eu esquivei... fiquei espantada com sua ousadia afinal era sócio do meu marido... tentou me beijar novamente me desvencilhei dele e saí dali rapidamente

eu disse-lhe  que isso não ia acontecer  porque amava meu marido, e que eu iria esquecer aquele episodio pra evitar maiores consequências, mas  mas que não se repetisse senão eu teria que contar pro meu marido e isso poderia causar muitos problemas!  Enfatizei novamente que isso não se repetisse.

Mesmo depois desse episodio, toda vez que me via, seus olhares  eram de uma fera faminta querendo devorar a presa e sempre me dizia que eu era linda que tinha muitas fantasias comigo. e que eu o deixava maluco, para evitar maiores consequências eu  me afastava  e o evitava sempre que podia, eu  evitava ficar perto dele sozinha sempre que possível, mas às vezes era inevitável.

Por essas contingencias do destino um dia cheguei ao escritório meu marido não estava e ele estava só no escritório que era do meu marido... fiquei meio receosa mas entrei e ele gentilmente me ofereceu um suco, sentei me num sofá de espera na sala, e justo nesse dia estava com um vestido com um decote generoso e uma abertura lateral de forma que ao sentar ela mostrava minha perna um pouco mais notei que ele descaradamente não desviava os olhos das minhas pernas ...ele sentou-se ao meu lado, passou o braço por trás de minha cabeça, e começou a elogiar-me e dizia ...que ele perdia o controle quando eu estava perto, e tentou me tocar disfarçadamente ...  levantei, e fui embora...

Mas Antonio sempre investia cada vez mais e eu sempre evitando até de falar com meu marido para não criar um clima entre eles afinal eram sócios... certa vez meu marido teve que fazer uma viagem de dois dias Antonio ligou para o meu celular me convidando para almoçar com ele, e argumentou que podíamos almoçar depois  ir um cinema, ou simplesmente passear claro que não aceitei... percebi que ele ficou chateado com minha recusa  e apareceu la em casa,, como ele me assediava constantemente  eu achei melhor não abrir a porta, dizendo que meu marido não estava então eu não iria recebe-lo, percebi que ele saiu muito desapontado, de certa forma me excitava saber que o tesão dele era tanto que aquele homem faria qualquer loucura pra fazer amor comigo, eu poderia ate tirar vantagem disse se quisesse,  mas esses  pensamentos que vinham a minha cabeça eu  rapidamente  os tirava da minha cabeça.

Sempre que dava certo da gente se encontrar ele me despia com  seus olhos eu ficava só imaginando o que será que ele faria comigo se eu desse chance... claro que eu não correspondia mas não podia deixar de sentir certo calafrio só de imaginar o tesão dele por mim, eu ficava imaginando que ele poderia investir em outra pessoa, havia mais mulheres atraentes no escritório, então eu me perguntava porque essa insistência em cima de mim.

Isto continuou até que em certa ocasião meu marido pediu-lhe que passasse na minha casa porque ele tinha esquecido uma pasta com duplicatas pra pagar e o vencimento era para o dia, como ele não podia vir ligou para o Antonio que sempre estava na rua ficava mais fácil, mal imaginava meu marido que estava mandando o lobo pra para cuidar da sua ovelha, no caso eu,claro que meu marido Sandro nunca desconfiou das investidas do Antonio porque pelo menos nesse quesito ele era cuidadoso de nunca fazer gracinhas ou me cantar na presença de outras pessoas, e eu nunca tinha contado nada justamente para não complicar mais e também porque sempre achei que conseguiria contornar a situação  sem causar nenhum problema nem escândalo.

Então o meu marido me ligou pedindo pra eu localizar e deixar no jeito a pasta pra dar para o Antonio quando ele chegasse, e quando o Antonio tocou o interfone, abri o portão pelo interfone, ele entrou, até a porta eu já estava esperando na porta com a pasta na mão justamente para não deixa-lo entrar. ele pegou a pasta mas não sem antes elogiar-me muito mais que habitualmente, ele se virou como quem ia sair, de repente no meio do caminho ele parou e pediu-me pra entrar porque precisava usar o banheiro, então isso me desarmou porque por essa eu não esperava, o que fazer, eu não podia negar, ele então entrou, foi ao banheiro de fato, ouvi o barulho dele mijando no vaso, acho que ele fez propositalmente pra me provocar.

Depois ele saiu, dirigiu-se até aporta da sala pensei que ia sair mas ele não saiu pelo contrário trancou a porta com a chave, espantada eu perguntei o que significava aquilo, e ele  com aquele olhar bem sacana e arrogante,  com um riso de satisfação no rosto aproximou-se de mim, colocou a mão em meu ombro e disse-me Mara eu sou maluco por você e você sabe disso, e eu faria qualquer loucura pra poder te-la nem que fosse só por uma tarde.... eu o interpelei e falei saia já você tá maluco se meu marido descobre não seio que ele faria.... então ele nem ligou e falou me dá uma chance, seu marido não precisa saber, tirei a sua mão na hora mas ele insistiu e colocou de novo, tentou me beijar eu me desvencilhei e fui até a porta destranquei e falei pra ele sair imediatamente.... 

Ele saiu mas não sem antes ameaçar... eu vou ter você custe o que custar, eu não dei bola porque achei que era uma ameaça de momento impulsionada pela rejeição que eu lhe impusera. Então passaram-se alguns meses sem nenhum incidente quando o Antonio apareceu numa tarde em casa, pediu pra entrar eu não deixei ele falou que tinha algo muito interessante pra me mostrar eu disse-lhe que não me interessava, ele então abriu um envelope tirou uma foto e me mostrou de longe meu marido com outra mulher, eu fiquei curiosa tentei pegar o envelope mas ele escondeu e falou, me deixe entrar que eu te mostro o resto, perguntei o que era aquilo ele falou que mostraria e contaria tudo se eu oferecesse um café pra ele, (pretexto pra entrar), curiosa e intrigada acabei deixando, ele entrou e me mostrou varias fotos de meu marido com uma mulher dentro do carro e ao fundo vi a placa de um motel, embora o carro não estivesse nem entrando nem saindo mas a foto sugeria, e na minha raiva eu fiquei chocada ele me disse provocando  tá vendo você toda fiel e seu marido aprontando, eu estava nervosa nem pensava direito, ele falou ja imaginou se eu usasse essas fotos pra outros fins?? 

Então eu perguntei a ele se ele teria coragem de fazer aquilo com um amigo desde a faculdade, sócio etc e tal., foi quando ele alisando meu cabelo disse , que só dependeria de mim!
Na hora fiquei sem chão, sem saber o que fazer, logico que ele me queria tanto que faria qualquer loucura pra que eu transasse com ele a essa altura sua mão já deslizava pelo meu corpo... e eu ali parada, dura, sem saber o que fazer naquele momento...num dilema se eu deveria dar o troco ou se primeiro deveria tirar satisfações... continuando com aquelas caricias suas mãos levantaram parcialmente minha saia e alisava o interior de minhas coxas, e dizendo em meu ouvido... que eu era a mulher mais linda que ele conhecera, que seu desejo era imenso, que queria muito me ter nos seus braços... mesmo que para isso fosse preciso chantagem.

Meu coração acelerou, ele começou a beijar-me o pescoço o meu ouvido,  logo estava  acariciando meus seios, eu tentei resistir, mas ele disse que seria inútil resistir, que eu ia dar pra ele por bem ou por mal, segurou-me forte fiquei sem ação com muita raiva dele senti sua enfiada sua língua na minha orelha, e seus lábios a lambendo me, sua enfiada dentro das minhas coxas já tocando minha virilha...forçando para que eu abrisse um pouco mais as pernas, e que eu timidamente involuntária mente comecei a abrir... nesse momento eu estranhamente eu estava ficando excitada... ele chupava minha nuca, sua língua corria pela minha pele, sentia sua respiração ofegante forte... pegou-me no colo e conduziu-me até o nosso quarto e deitou-me na cama, então num ritual começou a despir-me, primeiro  minha sandália... e parou, massageando  meu pé, subiu beijando meus pés, minha canela depois levantando um pouco minha saia beijava minhas coxas,   voltou beijando toda extensão da minha perna chegando aos pés passava sua língua pelos dedos, pela sola...eu me arrepiava toda, eu estava odiando estar ali subjugada quase escrava mas confesso estava excitada!

Minha minha calcinha começou a ficar molhada com meus líquidos, minha respiração esava arfante... senti tesão e nojo ao mesmo tempo, quanto mais sacana ele se mostrava, mais excitada eu ficava... podia sentir seu pau duro sob a calça social... ajoelhou-se então em minha frente arrancando minha calcinha começou a lamber meu sexo, a passar a lingua como um cachorrinho lambendo e sugava meu clitóris  e eu, por impulso mesmo sem querer estava deixando-me ser levada por ele  e eu cada vez mais molhada  diante daquela situação... ele acariciava
meus seios sobre o vestido, e meus mamilos endureceram de tesão na mesma hora... sua mão então passou a percorrer minhas costas...sua língua meu pescoço... aquela saliva na minha pele, aquela língua me tocando me dava aversão e tesão ao mesmo tempo... eu não queria que parasse por nada, mas não deixava que percebesse... ele então desabotoou meu vestido, e começou a pegar em meus seios, e beijar o pescoço ao mesmo tempo, para depois em seguida me despir, baixou meu vestido, eu que estava sem sutiã fiquei só de calcinha que ele violentamente então começou a beijar-me começando pelos meus ombros, meu pescoço, desceu para meu colo... sua mão bolinava minha coxa, passou para a virilha... e quando sentiu minha bocetinha encharcada, olhou meus olhos e deu um sorriso super sacana disse eu sabia que você não resistiria a um macho de verdade...eu encarando ele olhei em seus olhos e lhe  disse que ele era um filha da puta desgraçado!

Ele então enfiou a mão por dentro de minha calcinha e começou a acariciar meu clitóris... eu já não agüentava de tanto tesão, comecei a ter secreção... minha respiração estava ofegante...o canalha começou a beijar ou contorno dos meus seios, sua língua na minha pele me deixando louca... enquanto chupava meus mamilos acariciava minha xana por baixo da calcinha.... até que enfiou um o dedo dentro  e começou a me bolinar...  então ele praticamente me ordenou que eu abrisse as pernas pra facilitar...  e enfiou-me  o dedo ainda mais começou a me bolinar por dentro, enquanto chupava meus seios... eu estava super excitada, comecei a a chama-lo de desgraçado de canalha, chantagista,  ele ria aquele sorriso safado, e me dizia, vou fazer voce gozar gostoso... o desgraçado me masturbou de uma forma tão intensa que e eu gozei e foi bem  gostoso.
Ele então se despiu também balançou e arregaçou o pau na minha frente só então pude perceber o tamanho o quanto era enorme, eu segurei aquele membro enorme, duro, quente... que me deixava em êxtase...  então eu com as mãos segurava na base e com a boca chupava a glande, nesse movimento constante de vai e vem o desgraçado numa dessas vezes segurou minha cabeça e meus cabelos e enfiou toda aquela tora que mal cabia na minha boca quase engasguei  enquanto isso ele acariciava meus seios... eu passava minha língua pela cabeça, depois pela extensão daquela cabeçorra enorme colocava em minha boca....chupava, lambia, e olhava pra ele séria...e ele olhava pra mim e sorria, dizendo que sabia que eu estava gostando...e o pior de tudo é que ele  estava certo...

Ele então me mandou deitar na cama, ele gostava de dominar, mandou que abrisse as pernas e começou a beijar minha coxa, virilha, até chegar em minha bocetinha... sentia sua língua em meu clitóris, em movimentos rotatórios, de baixo para cima, numa pressão alucinante... eu me contorcia em sua  boca que sabia como chupar e dar prazer a uma mulher  o desgraçado, sacana, enfiava o dedo dentro de mim e brincava com ele la dentro, ele sabia me deixar doida... eu engolia  meus gemidos pra não gemer como uma puta! Passou então a dedilhar meu cliltóris e a lamber a entradinha da xaninha... nossa, aquela língua entrava e saia de dentro de mim, e aquele dedo judiava de minhas sensações... que tesão...gozei mais uma vez, chamando ele de desgraçado...ele olhou pra mim e disse que me faria gozar muito mais... colocou seu membro entre meus seios e curtiu que o deixou maluco...quase ele goza...

Resolveu então brincar com seu membro na minha xaninha, passando a cabecinha em toda sua estensão... colocando a cabeça na entrada mas não penetrava eu ficava pensando quando ele ia entrar com tudo, eu estava ficando doida...expelia muito liquido que ele notou... e ele se deleitava com meu tesão... e dizia a toda hora que sabia que eu iria adorar...  então quando ele me penetrou sem dó nem piedade duma só vez,  saiam lágrimas de meus olhos... mas eu decidi já que não tinha jeito então o melhor era tentar curtir, depois dessa entrada violenta ele foi mais sutil, começou a bombar e tirar e depois a enfiar devagarinho aquele cacete dentro me mim....sentia sua cabeça invadindo minhas entranhas, aquele pau enorme e quente entrando pelas paredes da minha vagina e atingindo até o fundo do meu útero...soltei um gemido de tesão que não tinha como deixar de escapar... aquele caralho dentro de mim começou a se movimentar... aquela cabeça parecia que crescia e diminuía me deixando maluca... ele beijava minha boca, meu pescoço, meus seios...aquele macho em cima de mim, forte...me subjugando e me possuindo de uma maneira muito doida... gozei mais uma vez...

 Ele  me colocou de quatro... eu disse anal nem pensar eu não aguento essa tora, mas ele disse fica tranquila apenas fique de 4, vou comer a buceta mesmo, novamente aquela tora me penetrou e começou a invadir minhas entranhas... entrava e saia me fazendo delirar... ele acariciava meus seios, beijava minha nuca...me segurava pelo cabelo... e eu arfava, gemia, grunhia como uma femea no cio... rebolava naquele cacete duro, ia pra frente e pra trás, e delirava enquanto ele dizia: vai , rebola hoje vc é minha putinha.. 

Finalmente ele deitou na cama e mandou eu sentar sobre ele...eu resisti, mas ele me colocou por cima, e me fez sentar naquele cacete enorme ... eu cavalgava sobre ele, alucinadamente...de baixo pra cima, de cima pra baixo...de trás pra frente, de frente pra trás...rebolava...suas mãos nos meus seios... depois começou a colocar as mãos em minha bunda... chupando meus seios... eu estava maluca...principalmente quando o safado colocou a pontinha do dedo no meu cuzinho... ele brincava com o dedo ali...e eu maluca ...até gozar pela terceira vez...ele então viu que eu gozei e enfiou ainda mais fundo o dedo ... ele estava fazendo isso pra eu ir acostumando para a penetração anal

Quando ele me colocou de quatro novamente falou eu vou comer esse cú gostoso, eu protestei de novo ele disse fica calma e não fale nada vc é minha putinha  eu quero não preciso te lembrar que to no comando né, e cuspindo no pau lubrificou bem com saliva e colocou a cabeça no meu cuzinho...eu pedia que não fizesse aquilo implorava era muito grande, mas ele praticamente 

ordenava que eu desse o rabo pra ele...ele logo começou a enfiar primeiro a cabeça logo colocou tudo...eu mexia pra frente e pra trás... aquele pau enorme entrava e saia da minha bunda....apesar da dor eu sentia o calor do seu caralho e isso me excitava muito... e ele percebia e zombava de mim, dizendo pra quem não queria nada eu estava acabando com ele e curtindo bastante. me arrombando por traz... então começou a bombar mais forte e mais rápido gozei pela quarta vez... exausta já não aguentava mais...não sei como ele conseguiu sem amolecer aquele enorme pau, quando ele retirou  o caralho ainda latejava,enorme e quente... eu estava maluca ... na verdade eu nunca tinha atingido tantos orgasmos com meu marido..era um, no máximo dois orgasmos... em dias que estávamos mais inspirados, finalmente acabamos então 
pedi que saísse de meu quarto e da minha casa, porque ele já tivera o que queria e ainda deixei claro que não se repetiria... ele saiu satisfeito, rindo como uma criança que ganhou brinquedo novo.. ele ria alto até estranhei essa atitude, antes de sair ele deixou o envelope em cima da mesa e se foi, peguei as fotos guardei depois que ele foi tomei um banho e me vesti ...  passei a tarde toda pensando no que tinha acontecido.. a noite quando meu marido chegou nem sequer desconfiava do que acontecera.... 

Durante a semana eu peguei as fotos e fui mostrar pro meu marido pra ver o que ele dizia, quando ele viu perguntou onde eu tinha arranjado aquelas fotos eu menti, disse que alguém tinha deixado na caixa do correio, meu marido respondeu naturalmente sem se alterar, disse-me com certeza é alguém que não tem o que fazer porque essa mulher que está comigo é uma gerente da empresa que ele representava e eles saíram pra visitar alguns clientes, o fato da placa do motel estar aparecendo é mera coincidência...  e ainda ficou chateado comigo por ter duvidado dele....

Na hora fiquei sem chão, o desgraçado do Antonio tinha armado tudo pra me possuir, o pior é que eu nem podia contar pro meu marido ele não entenderia e também não teria explicações, me senti uma inocente útil, alias cai de inocente na trama do Antonio pra me ....

Não demorou muito meu marido viajou de novo e o Antonio ligou  querendo repetir a experiencia, é claro que eu lhe dei a maior bronca, xinguei de todos os nomes, ele insistia, ameaçou contar tudo pro meu marido eu falei que podia contar ele não tinha prova meu marido não acreditaria, alem do que isso iria atrapalhar o relacionamento profissional deles, depois disso ele não parou de assediar-me  mas eu sempre o evitava...  mas o desgraçado aproveitou da situação que não tinha nada perder pra me seduzir e conseguir o que queria que era transar comigo, mas confesso que até hoje, nunca mais senti tanto tesão quanto  que senti com ele só que eu decidi que não vou virar amante do sócio do meu marido, uma experiencia foi tudo que ele conseguiu.... 






by   http://contoseroticossensuais.blogspot.com/

PRIMEIRA VEZ COM OUTRO

MINHA PRIMEIRA VEZ FORA DO CASAMENTO

                 
 Sou uma mulher casada,  dois filhos adolescentes, casei-me virgem e na verdade nuna dei muita importância ao sexo e ao prazer que ele pode proporcionar,  sexo entre eu e meu marido é mais morno que quente, alias tem vezes quem nem morno chega a ser, eu tenho minhas fantasias, mas meu marido que é militar, e de família tradicional, nunca admitiu sexo que não fosse o tipo convencional, do tipo que ele goza vira pro lado e eu se quiser gozar tenho que me masturbar.

Eu não  do tipo file linda, arrasa quarteirão  que a maioria se descreve, sou magra, tenho um corpo esbelto mas não me acho linda mas tenho certeza que 8 em 10 homens me acham gostosinha, porque sinto que os homens me comem com os olhos quando saio pra caminhar com aquelas roupas colantes, e vou confessar,  eu adoro isso adoro ser desejada já que meu marido não dá o devido valor.

Com o meu marido nossa vida de casado principalmente a sexual era aquele marasmo, nada de novo acontecia, se eu tentava apimentar por exemplo tentando fazer-lhe um sexo oral ele dizia que isso era coisa de vagabunda, que a mulher dele não faria tal coisa, e com isso eu desisti de qualquer iniciativa minha ou dele pra apimentar nossa relação, e acabava solitária e me distraindo pela internet, quando num belo dia conheci alguém que me chamou a atenção, era do tipo charmoso, romântico, ele tambem era casado  e foi inevitável nos tornamos amigos íntimos, só que ele jamais me cantou disse que me desejava ou coisa assim ou falou em fazer sexo comigo, sempre que conversávamos falávamos de filhos, viagens, tempo de namoros eu reclamava que me arrependia por ter casada nova, não aproveitei bem a minha época de juventude, depois veio filhos e assim passávamos os dias.

E  foi pela internet que eu me senti pela primeira vez atraída por um homem difefente.. comecei a viajar na imaginação e a trair meu marido mesmo sem sair de casa, mas se procuramos satisfação prazer tesão, aquele que não conseguimos em casa, é certo que acharemos em alguem, e  uma experiencia nova até nos ajuda, porque sentimos que estamos vivos e que ainda podemos ter prazer e dar prazer pra alguém.


Depois que conheci esse alguém  conversamos bastante e  por algum tempo viajavamos em nossas fantasias até então apenas românticas, mesmo porque pela internet nunca rolou nada de sexo entre nós... embora eu o conhecesse apenas por fotos eu o achava ele atraente e tinha uma curiosidade em conhecê-lo um dia, mas eu n]ão poderia tomar a iniciativa ele poderiame achar mulher fácil, até que um dia ele mesmo sugeriu que da gente se encontrar pra nos conhecer pessoalmente, tomar um café ou coisa assim, embora eu tivesse com muita vontade disse que não era prudente que eramos casados, mas ele insistiu outras vezes até que eu cedi e marcamos, eu então dei desculpa em casa que ia na casa da minha mãe, levar os filhos pra ver a avó, isso era uma sexta feira e eu iria dormir por lá mesmo, e levei os filhos, mas na casa da minha mãe tive que arranjar outra desculpa pra poder sair a noite.

Ele estacionou o carro numa esquina perto de casa conforme combinamos e ficou esperando até eu sair para vir ao meu encontro,  estava escuro mas ele olhou pra mim e eu pra ele mas já  tínhamos certeza que eramos nós mesmos apesar de nenhum conhecer o outro pessoalmente.... entrei no carro dele,até hoje não sei explicar minha ousadia, eu jamais tinha entrado em carro de estranho sem meu marido ou alguém da família junto, mas me senti tão a vontade na presença dele, e lembro perfeitamente que quando sentei ao seu lado ele colocou sua mão sobre a minha perna, eu estava de calça comprida, achei aquilo bem, não fomos a lugar nenhum pré combinado 
 só  dirigimo-nos pra um local ermo bem afastado na saida da cidade.... era noite e chovia de leve, ele parou o carro, e conversamos por uma meia hora mais ou menos, enquanto ele conversava, passava a mão em meu cabelo, eu retribuía desabotoei dois botões da sua camisa e passando a mão em seu peito peludo trocávamos caricias, isso  por um bom tempo até que ele tomou a iniciativa e me beijou, gesto que foi plenamente correspondido, nossas línguas invadiam a boca um do outro, ele inclinou o meu banco e veio sobre mim beijando-me com volúpia... pude até sentir seu pau bem duro me roçando ... eu estava num misto de medo e tesão  e ao menso tempo que eu queria mais... tentava tirar ele de cima de mim ele pressentindo meu desconforto não insistiu... e mudou de posição desta vez reclinando um pouco o próprio banco   não sei como aconteceu mas quando percebi eu que  estava sentada no colo dele beijando-o como uma adolescente.. embalado pela situação ele enfiou a mão por baixo da minha blusa e me  tocava carinhosamente os seios cujo bicos estavam duros de tesão, eu estava excitada mas ele estava bem mais porque assentaa em seu colo percebi o volume do pau dele endurecer e me cutucar por cima da roupa.... 

Me devorando com os olhos ele me  dizia que meus olhos estavam brilhando, e  mesmo sabendo que o que eu fazia não era correto eu não queria parar  a atração que ele exercia sobre mim era uma coisa que eu não conseguia explicar... como estávamos em lugar público ele funcionou o carro e dirigiu-se a um motel, quando percebi onde estávamos chegando fiquei apavorada e me neguei a entrar, eu estava adorando aquela pegação mas eu não admitia entrar em um motel, pra mim era traição.. como se já não fosse o simples fato de nos beijarmos e nos amassarmos, pedi pra ele me levar de volta, o que ele  muito chateado fez, e no caminho não disse uma unica palavra, chegamos onde ele tinha em pegado eu desci, quando eu sai do carro percebi que ele estava decepcionado e chateado ao mesmo tempo.

Ao nos despedir ficou uma sensação ruim no ar, eu fui dormir pensando que ele provavelmente não quereria me ver mais, então tomei uma decisão, eu ia ligar pra ele mesmo sabendo que dessa vez eu não poderia recusar nada, incluindo o motel, e no dia seguinte logo cedo liguei pra ele, marcamos no mesmo lugar era umas 11 horas da manhã, voltamos para o mesmo local do dia anterior, paramos pra nos aquecer com as preliminares do dia anterior,  trocamos beijos e todos os tipos de caricias ele novamente me perguntou e hoje a gente vai??? Logo entendi que era o motel que ele se referia, e concordei, ele inda perguntou em tom de brincadeira, hoje voce está preparada, respondi que não mas que dessa vez iria até o fim, e completei afinal fui eu quem ligou não foi? Durante o trajeto confesso eu tremia toda, não sei  pela adrenalina de estar fazendo algo proibido........  ou se pela chance de me realizar como mulher. 

Quando entramos ele me pegou no colo e me colocou na cama..... meu marido jamais tinha feito algo semelhante,  ele começou a beijar-me a acariciar-me..... apesar de todo minha desinibição no dia anterior dessa vez eu  eu meio encabulada fiquei passiva, ele começou então as preliminares,  me beijando.... pescoço, labios, orelhas, tirou minha blusa e sutiã.... chupou meus seios, eu ainda estava de calça comprida, quando ele começou a tirar minha calça e a calcinha me bateu uma tremedeira de nervosismo, era a minha primeira vez... como se fosse o primeiro namorado tirando minha virginidade o que de certa forma era verdade o sentimento de nervosismo era o mesmo,  
então ele me surpreendeu quando enfiou a cabeça entre minhas pernas e começou a chupar-me, eu fui as nuvens, nunca na minha vida alguem tinha me chupado, era um tesão indescritivel, o que me encantou nele é que eu pensei que ele ia tirar minha roupa e cair matando em cima de mim mas pra minha surpresa ele não fez isso, caprichou nas preliminares, caprichou nas primeiras caricias pra me deixar muito, mas muito acesa mesmo, gozei enquanto ele me chupava, e a minha excitação era tanta que quando ele se colocou em cima de mim e me penetrou gozei logo nos primeiros  movimentos raramente eu gozava quando transava com meu marido, mas com ele eu já tinha gozado duas vezes.... e não parou ai.. depois do banho transamos mais uma vez e eu gozei outra vez... pra quem raramente tinha um orgasmo ter tres numa unica vez foi o maximo, e a partir dai nossos encontros foram mais constantes.

Depois dessa ocasião como eu morava a 100 kms da capital onde ele morava, deu certo de eu ter que ir pra tratar de assuntos particulares, dei um jeito de ir sózinha e avisei ele, fiz o que tinha que fazer pela manhã e a tarde nos encontramos, fomos direto pra um motel, eu estava maluca de vontade de repetir a primeira vez nos beijamos alucinadamente como sempre e ele tirou  minha blusa..... meu soutiem,... enquanto tirava lentamente ele beijava-ve, chupava meus peitos ...., beijou minha barriga, depois tirou minha calça ....., e finalmente minha calcinha, desta vez eu estava bem a vontade não bateu aquela tremedeira da vez anterior por ficar totalmente  nua na frente de outro homem mas mesmo assim minha adrenalina estava alterada.. como da vez anterior ele não teve pressa e beijava-me.... o corpo todo lentamente me deixando maluca de tesão.. até que....  meteu a língua na minha buceta....... meu clitoris... ahhh!!!! gozei na hora,  delirei...., ele chupava-me com uma habilidade incrível, nunca imaginei que ser tocada daquela forma dava tanto tesão, meu marido nunca tinha feito  eu queria gritar de tanto tesão... eu estava nas nuvens....

Eu não via a hora dele entrar com aquele membro pra dentro de mim, quando finalmente ele colocou seu corpo sobre o meu eu pensei é agora, intimamente eu dizia vem me devore, me possua senti a cabeça do pau dele invadir minha buceta entrando com tudo, explorando-me até o utero rompendo a barreira do pudor do proibido, eu tremia, gemia porque estava gostando, ele não era do tipo bem dotado, tinha um membro normal, mas ele sabia como fazer como dar prazer, eu estava dando  para um pinto diferente do que eu tava acostumada e.... isso me dava muito prazer quando ele falou que eu era apertadinha e gostosa gostei do elogio.... nesse dia eu soube exatamente o que era gozar com um homem dentro de mim... um verdadeiro homem que se preocupava comigo com meu prazer também, foi inesquecível o que senti...quando recordo daquele momento fico molhada só de pensar e tão louca para repetir que preciso me masturbar para me aliviar. .

             Com ele eu conheci o sexo e suas variações, porque foi com ele que eu  fiz coisas que pensei jamais fazer, por exemplo, brinquedinhos eróticos,  sexo anal e sexo dentro do carro, me lembro com saudade quando combinamos o terceiro encontro, ele me pediu que eu fosse com saia ou com vestido, não entendi direito na hora, quando ele me pegou  pensei que iríamos pra um motel como fizemos nas vezes anteriores mas pra minha surpresa ele pegou o carro e saiu da cidade sem rumo pela BR, num movimento de vai e vem de carros e enquanto ele dirigia mandou que eu reclinasse o banco e disse-me pra tirar a calcinha, em seguida ele me masturbava, eu não sabia bem o que fazer mas ele me conduziu ensinando-me como agir, ele estava excitado como sempre puxou-me mais pra perto de si e  pediu-me para que o chupasse, até então eu não tinha feito sexo oral com ele mas eu não recusei, inclinei-me em seu colo abri seu ziper puxei o pau pra fora e comecei a chupar e a lamber enquanto ele dirigia, foi uma sensação incrivel diferente de prazer de adrenalina, fiquei louca de tesão, ainda mais porque enquanto eu o chupava ele com a mão livre me masturbava, com tanto tesão eu queria sentir novamente ele dentro de mim, ansiosa pra que chegasse a um motel logo, mas não tinha nenhum por perto meu corpo tremia sem controle de prazer, de medo de excitação um misto de tudo, ainda mais quando ele parou sua caminhonete numa estrada secundária e reclinou totalmente meu banco e disse-me já transou dentro dum carro? Eu nunca tinha transado, e estava com medo que alguém aparecesse, mas ele com ousadia levantou meu vestido abriu minhas pernas abaixou sua calça até a metade da bunda deixando seu pau livre pra fora e se colocou entre elas... e foi logo empurrando seu pai pra dentro de minhas entranhas, molhada como eu estava ele não encontrou nenhuma dificuldade em enterrar tudo afinal eu já estava mais que lubrirficada pelos meus liquidos, e ali transamos eu nunca tinha feito isso tambem, foi notavel, gostoso, apesar do meu medo ninguem apareceu e deu tudo certo.

Quando voltamos sim aí paramos num motel para podermos nos lavar e tirar o cheiro de sexo que estava impregnado em nós, pensei que depois de termos transados iamos só tomar banho ou coisa assim, mas não... mal entramos ele foi logo me empurrando rpa cama e vindo sobre mim de uma maneira até bruta, justo ele que sempre foi carinhoso, me deu um certo temor no momento mas logo passou,  ele então tirou toda minha roupa, e demos outra transada gostosa... e gozei loucamente antes de tomar banho, e depois do banho deitamos nus na cama, ele me carinhava com suas mãos passando em meu corpo minha barriga, meus seios, e levemente em meu sexo numa pressão suave sobre meu clítoris o que me deixou acesa novamente, entre um beijo e outro ele também ficou excitado e novo, e fez algo que na hora fiquei espantada, e uma coisa que eu nunca tinha experimentado, me virou de bruços e de costas pra ele e me dava tapas firmes nas nádegas, mas apesar de estralado eu não sentia dor apenas uma leve ardência, e me falava, de uma forma bem safada... querida voce já deu o cuzinho antes???, Claro que não..., então hoje você vai dar pra mim...., eu sabia que doia dar o cu porque já tinha falado com amigas sobre sexo anal, mas do modo que ele falava me deixava ainda mais excitada... que eu não consegui dizer não pra ele, então eu deitada com a bunda pra cima ele pegou em minha cintura me levanto 

os quadris e colocou dois travesseiros embaixo de forma que deixou-me arrebitada pronto pra receber seu membro... lubrificou bem, me segurou pelos cabelos e me penetrou... lentamente, aos poucos, estava dolorido eu gemi um pouco de dor, ele me perguntou se eu queria que ele parasse mas eu disse que não, que apesar da dor eu queria ir até o fim... então ele foi aos poucos entrando e me arrombando por traz, afinal era a primeira vez anal... saia um pouco de sangue mas eu não queria que ele parasse, de certa forma eu queria dar esse prazer a ele também, não foi de tudo ruim essa primeira vez porque ele enquanto me penetrava também me masturbava e me dizia palavras obscenas que eu jamais tinha ouvido principalmente na hora do sexi...  o prazer misturado com a dor, mas o prazer era maior.... foi a primeira vez na minha vida que eu dei assim, sexo anal, pela primeira vez eu dei o cuzinho pra alguém, foi ele que tirou a minha virgindade anal e aprendi mais essa forma de prazer do sexo... foi delirante, jamais esqueci... depois dessa vez fizemos loucuras, por exemplo uma vez ele me propos fazermos amor na minha cma quando me umarido não estivesse... topei. e fizemos...isso e muitas outras coisas, ele era criativo, e eu sempre procurei acompanha-los em suas fantasias...


http://contoseroticossensuais.blogspot.com/

CASADA E CRENTE, SEDUZIDA


Esse conto foi escrita por uma amiga intima com base em confidencias que lhe fiz, essa minha amiga é bem liberal somos intimas por que crescemos juntas e apesar de não sermos da mesma religião depois que casamos continuamos amigas, eu vou na casa dela ela vem na minha ela me conta seus segredos e eu os meus, então depois dessa experiencia que eu tive, por confiar muito nela acabei compartilhando com ela, claro que ela a principio deu muitas risadas e me falou que jamais imaginaria que eu fosse capaz de trair meu marido, mas eu lhe falei que foi uma só vez e que não se repetiria, então ele me tranquilizou dizendo que isso era muito mais comum que eu imaginava, e abrindo o computador me mostrou vários sites e blogs de experiencias iguais a minhas, e no fim me propôs que eu publicasse a minha historia, então eu falei que nunca teria coragem, ela insistiu eu negava, até que ela falou, olha Si, eu posso publicar? Falei-lhe que não, ela então disse-me que trocaria os nomes e publicaria anonimamente, acabei concordando desde que eu lesse e aprovasse e tivesse certeza de que  ninguém vai  me identificar ou ligar os fatos aos personagens, ela quando estava escrevendo pedia-me detalhes eu procurei relatar-lhe como tudo aconteceu da forma que aconteceu realmente, e o resultado está descrita abaixo.

Quase todo ser humano seja ele mulher  ou homem tem seu fetiches mais secretos  e toda mulher  gosta de ser desejada, e quando conhece alguem que a cativa mesmo esta mulher sendo casada acaba cedendo a tentação, depois de ler alguns relatos neste blog resolvi contar como  como conheci uma pessoa legal, ele era um homem muito carinhoso romântico daqueles que cativam a gente.
Tenho 37 anos, sou baixinha, moro em São Paulo capital,  sou casada bem casada, tenho filhas ja adolescentes, sou crente, até então eu jamais tinha conhecido outro homem carnalmente, o máximo que eu já tive foi umas caricias mais quentes do namorado antes de meu marido na minha época de jovem mas  nunca foram nada alem de amassos nos meus seios apesar de eu ficar muito excitada porque sempre fui muito ativa sexualmente, sentia desejos naturalmente, mas por causa da religião eu nunca deixei  nenhuma mais ousada, casei-me com 18 anos e até os 36 me mantive dentro das regras até que um dia eu meio que por força das circunstancias acabei realizando uma antiga fantasia.

Com o passar do tempo meu casamento foi caindo numa especie de rotina, não havia mais aquele fogo de quando casamos, talvez por causa do nascimento das filhas atrapalha um pouco o casal por causa da dedicação que filhos exigem, mas hoje elas já são adolescentes temos mais liberdade mas parece que meu marido se acomodou naquela rotina de casa trabalho, trabalho pra casa, chega cansado sexo é daquele tipo que é feito mecanicamente sem preliminares sem caricias enfim um marasmo sem novidades.

Eu nunca procurei, mas por acaso eu conheci essa pessoa num site de jogos onde o desafio é individual, pessoa contra pessoa, e quando ele apareceu logo de primeiro contato travamos uma conversa legal, Seu nome era Edson,  parece que logo houve uma química entre nós dois, depois da primeira vez que conversamos começamos a jogar regularmente quase todos os dias e isso foi criando uma cumplicidade entre a gente ele demonstrava-se um homem educado e culto, e me tratava muito bem, e me paparicava, elogiava-me... foi uma atração mutua, ainda mais que eu estava meio vulnerável,  meu marido me tratava com certa frieza já a algum tempo, acho que isso contribuiu, nossas conversas foram ficando cada vez mais intimas, mais gostosas apesar de sermos ambos casados acabamos engatando uma especie de namorico virtual, afinal era tudo virtual eu não via perigo nessa relação, mas com o tempo eu fui percebendo que a coisa estava pendendo para um lado da atração fisica da minha parte apesar dele jamais ter se insinuado ou passado uma cantada em mim.

Depois de alguns meses que a gente estava ficando, nos dávamos muito bem, fiquei até com  medo do rumo que as coisas estava tomando, tentei terminar tudo, fiquei algum tempo em aparecer, ele me mandou e-mails perguntando o porque do meu desaparecimento, disse que sentia-se triste com a minha falta, falei-lhe que não podíamos mais continuar porque eu amava meu marido passaram-se algum tempo e  nos aproximamos de novo, e quando voltamos a nos comunicar aos poucos nossa atração foi ficando mais forte que antes tornou-se então uma amizade colorida virtual,  a ponto de trocarmos  intimidades sexuais  intimas sem pudores.. mas  eu não pretendia passar disso afinal nós dois eramos casados.
Nos nossos encontros virtuais falávamos sobre nossos namoros antes de casarmos,contei-lhe sobre relacionamentos, caricias meu primeiro namoro foi com um meio irmão de criação eu era adolescente tinha 15 anos e ele 17 por morarmos juntos a gente sempre tinha facilidade nas intimidades e caricias que eu adorava quando ele me pegava nos seios, certa vez quando me tocou na vagina me estremeci toda, quando contei esse fato o Edson me disse que tinha ficado excitado e começou a contar  das suas aventuras de adolescente, acabamos ficando cúmplices um do outro, e como não podia deixar de acontecer falávamos também sobre nosso conjugues, da insatisfação dos dois , mas na maioria do tempo conversávamos  sobre nossas aventuras sexuais na adolescência, perguntei-lhe se ele já havia saido com alguem depois de casado, pedi que fosse sincero, ele disse que sim, curiosa como eu sou eu quis saber de mais detalhes dessa sua aventura, mas ele não gostava muito de falar, mesmo assim descobri que ele já tinha tido mais de uma aventura, então falávamos abertamente.

Naturalmente aconteceu da gente conversar e abrir as Web Cams  e fomos ficando mais desinibidos até que num dia ele me disse que eu era linda e sensual, com aquele jeitinho que só ele tinha pediu-me  que eu mostrasse um dos seios pra ele... fiquei surpresa com o pedido e ao mesmo tempo receosa, ele insistiu tanto que mesmo meio envergonhada acabei cedendo afinal já tínhamos entrado em tantas intimidades ele disse que eu tinha deixado ele muito excitado, na hora corei, puxei a blusa pra cima novamente mas ele protestou e pediu-me que não vestisse a blusa novamente, que deixasse-lhe ver mais, e depois dessa vez eu fui perdendo a vergonha dele e tornou-se comum a gente fazer isso. quando ele pedia eu mostrava meus seios pra ele ver ele adorava isso, um dia ele me pediu pra ficar totalmente nua, falei-lhe que era arriscado por causa das filhas poderiam entrar a qualquer momento no quarto, enfim mas mesmo assim ele pediu-me pra sair dali, tirar a calcinha por baixo da saia e voltar, fiquei excitada com esse pedido e fiz isso, quando voltei ele pediu-me pra levantar a saia e mostrar pra ele, hipnotizada por ele eu fiz isso ele ficava maluco, mas eu também queria ve-lo e assim era,  ele pedia que eu fizesse alguma coisa eu fazia, eu lhe pedia que também fizesse ele fazia... com isso nos dois ficávamos excitados pela cam.....inevitável mente havia desejo entre nós, era natural que ele quisesse sair do virtual e nos  vermos-nos  pessoalmente, mas eu evitava porque eu sabia que devido as intimidades virtuais pessoalmente não seria diferente, e eu não podia por dois motivos, primeiro por ser casada e depois  por causa da minha religião.. apesar da minha negativa ele se mostrava-se compreensivo, mas não desistia e insistia em me ver mas eu recusava-me,  e dizia-lhe que mesmo que a gente se encontrasse um dia não iria rolar sexo entre a gente.

Essa nossa amizade durou cerca de um ano, e ele sempre insistindo, apesar de eu desconversar ele dizia que eu não me preocupasse que a gente iria só se conhecer e tomar um lanche num shoping qualquer na praça da alimentação tinha muita gente que eu não correria riscos mas eu evitava porque nos vermos pessoalmente seria muito perigoso e o risco dele querer transar comigo era muito grande e pior se isso acontecesse eu não seu qual seria minha reação, juro que eu tentei de todas as maneiras  eu sei que ele desejava me levar  pra cama, isso ele falou muitas vezes na frente da Web Cam em nossos momentos ele sempre demonstrou que me desejava muito.

Apesar de eu ser crente sou humana mulher de carne e osso e com desejos como toda mulher evitei o máximo esse encontro, depois se tanta insistência dele acabei concordando da gente se encontrar com a condição de ser num  lugar publico, e fui clara com ele que não rolaria sexo real, essa era a minha condição ele com aquele jeito dele sem forçar nada acrescentou.. não vai acontecer nada entre a gente sem que você queira, o local combinado foi no shopping Iguatemi, depois de marcarmos fiz questão de frisar de novo  que só iriamos tomar um lanche juntos e nos conhecer, e nada mais ele novamente me falou que não aconteceria nada que os dois não quisesse, esse era o problema, no intimo eu estava vulnerável, eu  me recusava e relutava mas intimamente desejava,  marcamos para hora do almoço assim aproveitaríamos bem a tarde porque minhas filhas iam pra escola...

Com o meu marido trabalhando eu tinha a tarde livre até as 17,30 fiz as contas dava tempo suficiente pra eu ir ao encontro do Edson, então arrumei minhas filhas me arrumei também esperei a condução que passava por volta do meio dia, assim que elas foram entrei retoquei o batom peguei o ônibus depois o metrô e fui para o shopping Iguatemi, chegando lá conforme combinamos ele me esperava na praça de alimentação, quando o vi de longe já reconheci, pedimos uma porção de batatas fritas e um Hambúrguer cada um, acompanhado de um suco natural de laranja, em meia hora terminamos o lanche então ele me falou e agora o que faremos, falei-lhe que poderíamos andar  pelo shopping e conversar, começamos a andar quando chegamos nas salas de cinema ele me propôs de assistirmos um filme a sessão já tinha começado as 13.30 mas só tinha passado 10 minutos então a gente sairia cedo ainda, pensei comigo daria tempo de voltar antes da condução das filhas eu estaria em casa. por isso aceitei, entramos nos assentamos, mal assentamos ele pegou na minha mão... eu não recusei, ele encostou no meu ouvido e falou-me que sugeriu o cinema só pra ficar bem juntinho de mim tocar-me confesso que na hora fiquei meio nervosa, mas enfim já estávamos ali tentei assistir o filme mas o Edson investia tentando me beijar eu virava o rosto ele não forçava... aquela situação embora meio embaraçosa pra mim eu estava gostando daquele assédio discreto, ele me falava quase implorando, Simone me da um beijo.. um só, ... depois de muita insistência da parte dele acabei por ceder e falei um beijo só hem!! Tá bom?Ele não falou nada e beijou-me eu dei uma leve bitoca ele protestou e falou isso não é beijo, isso é uma bitoca que dou até na minha filha, ele tinha razão mas eu estava temerosa de onde aquilo ia dar, ele investiu de novo dessa vez nossos labios colaram, a lingua dele invadiu minha boca, fiquei tremula ao mesmo tempo excitada eu não queria que aquele beijo terminasse, e de fato durou bastante não sei quanto mas foi um beijo longo.

O filme continuava mas de fato não prestamos a menor atenção porque depois do primeiro beijo os outros foram naturais, enquanto ele me beijava tocava meus seios numa caricia suave, mas fiquei louca mesmo quando ele enfiou a mão por baixo da minha saia e os dedos dentro da minha calcinha tocando meu clítoris, fechei as pernas instintivamente mas ele insistentemente forçava mais e mais masturbando-me enquanto nossos lábios estavam colados meus líquidos fluíam lubrificando-me ele percebeu o quanto eu estava excitada e sorrindo me falou - danadinha você também está com tanto tesão quanto eu, lhe respondi o que voce acha... eu sou humana ele então sussurrou em meu ouvido, Si, vamos sair daqui e irmos a um motel... vamos.. nesse momento eu realmente tremi e disse não.... eu lhe disse que iriamos só tomar um lanche já ultrapassei todos os meus limites, motel não posso e não vou... embora ele insistisse mais eu na defensiva me negava, ficamos assim até que o filme terminou e saimos de mão dadas porque ele segurou novamente minha mão e não largou.

Ao sairmos do estacionamento do shopping já passava das 3 da tarde eu queria ir logo pra casa, mas ele começou a andar, perguntei onde a gente ia ele respondeu ,,, passear .. a tarde estava tão bela e depois que saímos do shopping ele se comportava como um cavalheiro nem perguntei onde iríamos mas ele falou que ia me deixar em casa que só faria uma parada no caminho perguntei onde, ele me disse que era surpresa, enquanto dirigia sua mão em minha perna por cima do vestido acariciava-me suavemente, apesar de  estar gostando eu estava apreensiva sem saber o que ele faria ainda mais depois dos amassos dentro do cinema, eu não conhecia o caminho indo de carro porque eu sempre andava de metrô, deixei que ele conduzisse, percebi que ele estava seguindo as instruções do GPS do carro quando o GPS anunciou seu destino a 500 metros, logo depois 300 metros, e quando o GPS anunciou voce chegou ao seu destino estávamos na frente dum Motel, fiquei apavorada quando ele posicionou o carro na portaria e pediu uma suite, eu protestei e falei pra ele que aquilo não tínhamos combinado, protestei dizendo que eu era casada e não queria trair meu marido mas ele falou, que tinhamos duas horas antes de minhas filhas chegarem, e que  iriamos entrar só  pra temos mais privacidade, que queria que eu experimentasse um presente que ele havia me comprado e tentou tranquilizar-me,... te prometo que não vai acontecer nada se você não quiser, ele já tinha tudo planejado desde o inicio, então ele pegou a chave da suite e entramos, eu jamais na minha vida tinha entrado num motel nem com meu marido, tanto que fiquei constrangida por estar ali, espelhos por todos os lados inclusive no teto, ao mesmo tempo que fiquei maravilhada com o luxo, estava com medo de algo novo pra mim.

Entramos ele fechou a porta assentei-me na cama fiquei observando tudo ele assentou-se ao meu lado começamos a conversar.... , e suavemente  a passar a mão em meu cabelo no pescoço no lóbulo da orelha, estava muito gostoso, com uma das mãos me acariciando e segurando minha mão com a outra,  suavemente se deitou e puxou-me para o seu lado,  na cama redonda comecei a olhar pra cima e observar os espelhos,  via deitado ao meu lado outro homem que não era meu marido, perdida em meus pensamentos me perguntava  o  que eu estou fazendo aqui, num quarto de motel com um homem que não é meu marido, o Edson ao meu lado sem pressa começou a acariciar meu corpo suave e lentamente por cima da roupa, intimamente eu estava  gostando dessas caricias, ele tentou  tirar minha blusa protestei.. foi quando ele levantou-se abriu a porta da suite e foi até o carro, pensei que tinha ficado bravo ou chateado.. sentei-me novamente na cama e fiquei esperando até ele voltar com um pacote na mão, perguntei-lhe o que era ele disse o presente que comprei pra voce, e me deu o pacote, quando eu eu abri vi um belo conjunto de
lingerie preta, meias 7/8 calcinha e um corpete, que ele pediu-me pra colocar para que ele pudesse me ver usando, a principio eu disse que colocaria em casa e que ele veria pela web cam mas ele insistiu de forma veemente que peguei o pacote entrei no banheiro falei pra que ele não me seguisse,  tirei minha roupa  coloquei o conjunto e voltei vestida pra lhe mostrar quando entrei ele soltou um assovio, fiu fiuuu, voce está linda, mais linda que na web cam, depois de alguns momentos falei pronto já viu vou me trocar de novo, mas quando passei por ele ele pegou em minha cintura puxou-me pra si e me fez assentar em seu joelho, naquele momento eu entrei em panico, afinal eu estava com uma minuscula lingerie que facilitaria qualquer atitude que ele quisesse tomar, mas pra minha surpresa ele novamente começou a acariciar-me de forma sutil, passando a mão em minhas coxas, subindo para a barriga, depois fazia movimentos suaves em torno do biquinho dos meus seios que estava bem eriçados de forma que se destacavam nitidamente por sob o fino tecido do baby dool, apesar de eu saber que eu estava errando não ofereci  resistência, eu  estava excitada provavelmente porque era proibido, ou se pela adrenalina,afinal eu nunca tinha entrado num motel, e ali estava, só de baby dool e calcinha, sentada no colo de um homem ... eu não podia e nem devia estar ali  por eu ser casada isso era  totalmente contra meus princípios, eu  nua na frente de um homem que tava a fim de me possuir carnalmente, minha consciência ainda me impediam de transar com ele  mas estávamos dentro dum motel, e  que ele me queria estava estampado na cara dele...,  então ele com suavidade deitou-me na cama e deitou-se do meu lado acariciando minha barriga, logo enfiou a mão por dentro da calcinha tocando em meu sexo que estava todo molhado iniciou-se uma masturbação em mim, eu  sentia um misto de prazer e de excitação... eu até  fechava as pernas pra impedi-lo ou pelo menos tentava mas ele insistia em continuar a  masturbar-me sempre com todo carinho do mundo tentando me proporcionar uma sensação indescritível,  ficava difícil de
resistir ele retirou suavemente o baby doll fiquei só de calcinha, então ele carinhosamente me abraçou e
pacientemente acariciava meus seios, minha barriga, beijava meu pescoço, e massageava minhas coxas, as vezes enfiava o dedo por baixo da barra da minha calcinha tocando meu clitoris,isso me deixava excitada, ele então veio sobre mim chupando meus seios passando a língua em volta do biquinho me proporcionando muito prazer dessa forma ele desarmou todas minhas resistências, ser paparicada assim pra mim era novidade jamais meu marido tinha feito algo igual , e eu estava adorando todas as caricias, mas a penetração pra mim ainda era tabu, eu transar com outro homem que não fosse meu marido era algo proibido na minha mente, mas depois dessa sessão de caricias, ele deitou-me novamente na cama e tentou abrir minhas pernas mas eu resistia ele se deitou sobre mim e tentou me penetrar, eu fechava as pernas mas ele insistia tanto que o membro dele forçava na porta da entrada, mas eu não deixava ele me penetrar totalmente, ficamos nessa luta  quando ele tentava enfiar mais eu fechava as pernas e ele mal conseguia colocar a cabeça dentro da minha xana,  com isso eu dificultava o máximo pra ele, que ficava ainda mais excitado, no fundo eu estava adorando porque com esse movimento ele me massageava o clítoris me proporcionando uma sensação muito gostosa e me deixando super excitada, em determinado ele abraçou-me bem forte beijou minha boca e  tentou uma penetração meio a força  mas acabou gozando  mesmo foi nas minhas coxas.....   pensei que depois dele ter gozado desistiria mas ele não desistiu, pelo
contrário, beijou-me de cima a baixo, tocou-me intimamente e  depois ele me virou de bruços, beijou minhas costas, e passava a língua em toda a extensão da minha espinha dorsal,proporcionando assim uma sensação de prazer que me deixava extasiada, com calma sem pressa ele ficou nesse ritual para depois deitar-se sobre o meu corpo ainda de bruços na cama, me abraçou forte por traz foi quando senti o seu membro roçar as minhas nádegas, percebi que ele estava ajeitando-o disfarçadamente apontando para o centro do meu anus para logo em seguida tentar penetrar-me por traz, eu bem que tentei resistir a isso mas como ele era bem mais forte e eu  pequenina que era  fui subjugada facilmente, senti que com uma das mãos ele espalhava uma especie de creme lubrificante  que eu não sei de onde ele tinha tirado, apesar dos meus protestos começou a brincar com o dedo, enfiava e tirava para eu me acostumar, em seguida colocou o seu membro na portinha e forçou um pouco mais  eu resistia porque senti um pouco de dor alem do que eu nunca tinha feito sexo anal antes, o que para mim era outro tabu,  meu marido nunca tentou respeitando-me  ou talvez por sermos crentes não sei ao certo, subjugada nessa posição eu bem tentei resistir, mas foi em vão, insistentemente ele continuava sem forçar muito ele dizia no meu ouvido baixinho que não iria forçar pra não me machucar, e insistia em beijar meu pescoço e a acariciar meus seios, enquanto com a outra mão ele me masturbava com maestria, aos poucos a minha resistência diminuía, ele falou-me, relaxa, se  ficar tensa vai doer mais, prometo que não vou forçar se você relaxar nem vai sentir,  eu percebendo que ele não desistiria mesmo aos poucos fui aceitando que era inevitável, diminui a resistência e ele percebeu,  aproveitou e foi enfiando devagarzinho com calma pra não machucar-me,  já tinha enfiado mais da metade, ele sabia como me controlar com medo eu estava tentando me fechar, mas ele habilmente sabia me dobrar e me acalmar,   ao mesmo tempo eu não podia meu corpo me traia e queria ... eu estava ali sendo possuída de uma forma que jamais tinha experimentado, estava sendo literalmente enrabada, enquanto eu sentia aquele volume penetrando-me por traz, por esse amigo, naquele momento amante minha consciência continuava em conflito cobrando-me, fazendo-me sentir como uma mundana vadia por estar gostando.
Eu estava sendo enrabada pelo meu amigo colorido aquele que até aquele momento tinha sido só virtual,.. eu não podia por ser casada, por causa da  religião, por causa da família pensei em minhas filhas adolescentes fiquei envergonhada do que estava fazendo,  mas o membro dele já estava todo enfiado dentro de mim, e como um alucinado  ele bombava  cada vez mais forte, eu já não sentia mais tanta dor e eu num misto de excitação, dor e prazer, confesso que  ser possuída daquela forma estava me dando mais prazer do que dor...., meu marido nunca tinha feito para mim era uma experiencia nova. sentir o sabor do proibido, o sabor do pecado e enquanto ele me penetrava por traz, masturbava-me de forma que aquele ato me proporcionava muito prazer.eu gozei como nunca tinha gozado antes nunca pensei que fosse possível gozar numa relação anal.

Depois de gozarmos ele abraçado a mim não retirou seu membro de dentro de mim, senti aos poucos ele ir murchando, estava muito gostoso ali mas o horário me cobrava, eu tinha que ir pra casa antes ds filhas chegarem, fui tomar banho e ele  entrou em seguida começou a passar o sabonete em minhas costas e a acariciar-me, levou o sabonete no meio das minhas pernas e com o sabonete masturbava-me me deixou maluca, depois do banho saímos do banheiro comecei a me vestir, coloquei a calcinha o soutiem, ele esperou eu colocar a saia estando eu só de saia e sutiã, ele  puxou pra si novamente deitou-me na cama e começou a acariciar levantou minha saia retirou a calcinha e posicionou-se em cima de mim, e dessa vez eu nem tentei resistir, ele apontou o seu membro para porta da minha gruta e numa estocada só enfiou tudo dessa vez até o fim sem impedimentos,  deixei-me ser possuída dessa vez eu curti a cada momento, meu único medo é ficar gravida porque ele não usou camisinha tal era a volúpia daquele momento.

Finalmente saímos, já passavam das 16,30 eu tinha pouco tempo, pedi que ele me levasse de carro até perto da minha casa, porque de metrô e ônibus eu chegaria atrasada e não teria como justificar minha ausência,  depois dessa vez eu não aceitei mais um encontro porque se eu aceitasse já sabia como terminaria e por motivos óbvios eu não poderia, não que eu não tenha gostado, mas se alguém por acaso soubesse isto iria acabar com meu casamento e eu ficaria mal na igreja.





quinta-feira, 19 de junho de 2014

LEILÃO DE ESPOSAS EM UM SWING

Me chamo Adriano vou relatar uma aventura que aconteceu comigo, primeiro quero dizer que eu e minha esposa somos casados a mais de 10 anos, temos 2 filhos pequenos, apesar dos dois filhos nossa vida sexual sempre foi bem ativa e nunca foi monótona, acho que achei a companheira certa para as realizar fantasias e aventuras, não temos um casamento aberto mas somos bem liberais.

Na hora das nossas transas quase sempre rola fantasias como menage, ou troca de casais, então eu sempre pergunto a minha mulher que se um dia acontecesse de a gente poder realizar as nossas fantasias secretas se ela toparia... minha mulher é muito cúmplice e sempre me diz, amor, se for pra ver você feliz eu topo, mas ela sempre impôs uma condição e a condição era que, jamais realizaríamos qualquer fantasia com alguém conhecido ou na nossa própria cidade, ela me dizia que não queria que nenhuma mulher depois de transar comigo voltasse a me procurar, e o mesmo do lado dela, não queria que nenhum homem depois de transar com ela num possível menage voltasse a procura-la ou mesmo ela não queria correr o risco mesmo de por acidente encontrar em algum lugar público, e o mesmo valia para uma possível troca de casais também, e eu acho que essa é uma preocupação e muitos casais que pensam em realizar tal fantasia, mas no fundo tem medo de um futuro comprometimento ou que um dia isso venha a público, talvez por isso muitos casais ainda não tenham realizado tal fantasia.

É claro que nessas condições a coisa só poderia rolar em outra cidade, então comecei a pesquisar pela internet anúncios de casais de casas de swing, mas tudo que eu encontrava a mim parecia meio estranho, me achava vulgar ou coisa assim, e no fim eu mesmo não tinha coragem de ir até o fim,.. então desde que nós começamos a pensar na possibilidade real até decidir e até fazer acontecer demorou quase dois anos, mas a cada vez que transávamos e fantasiávamos mais a vontade de realizar se fazia presente entre nós dois...

Depois de pesquisar bastante descobri  em São Paulo,  um grupo de casais praticantes  e simpatizantes, de Swing, travei amizade, tomei informações, me disseram que eles regularmente umas duas ou tres vezes por ano marcavam um passeio em algum lugar qualquer, sempre em hoteis fazendas ou pousadas no campo ou praia, e que eles estavam marcando o proximo passeio eles iriam para a festa do peão em Barretos, e nesses passeios sempre rolava uma troca de casais, o Romualdo que era meu contato perguntou se eu tava interessado, perguntei como funcionava a coisa ele me disse que cada um ia com seu carro e se encontravam lá, que eles tinham alugado um chalé pra 7 pessoas numa pousada da região,   as despesas seriam divididas, 

da pousada, do churrasco da bebida enfim seria uma confraternização, perguntei das acomodações, ele disse que tinha 7 chalés para 7 pessoas cada, eles haviam reservado todos para ter exclusividade, mas que só iam 4 casais incluindo a mim se eu fosse, era só um fim de semana mas valeria a pena, eu ainda estava meio receoso, mas ele me tranquilizou e falou que era apenas um passeio com possibilidades, mas nenhum casal era obrigado a participar  mas se quisessem , teria a chance mas que no fim normalmente todos acabavam entrando no clima, perguntei-lhe, como eu nunca participei de algo assim me de uma ideia de como a coisa vai acontecer... ele me orientou e falou, que a coisa sempre acontecia normalmente, não havia roteiro, vendo que eu estava relutante ele me disse o máximo que vai acontecer se vocês não participarem e perderem a chance de realizar suas fantasias. nós vamos pra passear e passar um fim de semana normal, e o que acontecer entre os casais vai acontecer naturalmente, depois cada um volta pra sua cidade sua casa e sua vida normal, ele tinha razão, ninguém conhecia ninguém pessoalmente era nossa chance de realizar uma fantasia sexual.

E se houvesse concordância dos envolvidos, perguntei-lhe,  digamos que haja concordância como seria? No que ele me respondeu isso é fácil, num motel, no chalé, depende da situação do momento, eu não entendi direito a segunda parte, mas iria entender no momento certo.

Depois que conversei com ele fui trocar uma ideia com Sandra minha mulher, falei-lhe da viagem, de como seria, e que aconteceria, falei-lhe que estava como ela queria seria em outro lugar e ninguém conhecido, perguntei se ela topava, ela me respondeu assim... amor você quer isso??, Falei-lhe estou bem entusiasmado com a ideia, ela ainda argumentou,
- você tem certeza??? Tem certeza de que vai ter suporte pra aguentar , me ver sendo possuída por outro homem?? (e olha que minha mulher é do tipo bem gostosona)
- Certeza não tenho de nada, mas como te falei to bem entusiasmado
- Então amor eu vou  por você, pode confirmar... mas não prometo nada.
A simples concordância dela já me deixava com tesão, de duas formas... a primeira era porque eu imaginava comendo alguma gostosa, a segunda era só de imaginar minha mulher sendo comida por alguém, nessas horas parece até que a gente aceita a ideia de ser corno... claro que ser corno quando os dois concordam de certa forma não encaro isso como ser corneado ou corneá-la..

A viagem só seria um mês depois, mas durante aquele mês, transei varias vezes com a Sandra e as nossas fantasias já passavam de simples fantasias para uma possibilidade, fantasiamos muitas vezes as várias formas de sexo, perguntei a ela e se de repente achar um cara bem dotado... ela pra esquentar mais o clima dizia, -
- eu vou adorar...
-  mas um pau grande vai te  arrombar..
- que nada.. eu tiro de letra ...
- E se ele quiser comer o cuzinho???
- Eu dou oras... quem brinca com fogo tem que estar preparado pra se queimar...
e completou... ainda dá tempo pra você desistir... se quiser...
eu falei... agora não tem desistência.. vamos até o fim, mas você pode desistir que eu não vou lhe cobrar, de repente a fantasia é só minha.... mas ela não desistiu.. 
e assim foi o mês inteirinho até que chegou o grande dia ... da minha cidade até Barretos dava umas 4 horas de viagem cheguei no local meio por volta das 11 hs da manhã, ainda receoso  afinal era uma aventura muito louca, logo localizei o Romualdo que me apresentou a sua mulher, e apresentou mais 2 casais que formavam o grupo todo, enquanto eramos apresentados eu  fiquei só observando as mulheres  e pra minha sorte todas eram gostosas, mas tinha uma ruiva que se destacava das demais, era baixinha 1.60 mais ou menos, seios empinados, coxas bem roliças e uma bundinha que era de dar inveja as outras mulheres, bem redondinha e saliente,  e tenho certeza que os outros caras também ficaram observando a Sandra, porque minha mulher também não era de ser ignorada... afinal essa era uma viagem de possibilidades, e  quando ficamos a sós, olhei pra Sandra e perguntei, então achou alguém interessante???
Ela meio que acabrunhada disfarçadamente olhou de lado apontou e  cochichando ao pé do ouvido aquele ali, era o mesmo casal da ruiva que eu achei mais gostosa que as outras, era  um casal na mesma faixa etária que a gente passado dos 35 anos, e ela aparentava um pouco mais nova.
Em pouco tempo já estava na hora do almoço, na churrasqueira eu vi uma bela costela envolta em celofane espetada já estava ali assando desde bem cedo quando chegaram, e não ia demorar muito pra ficar pronta, enquanto isso  seria um bom momento pra nos conhecermos e assim termos as primeiras impressões numa espécie de pré entrevista dos casais, todos querendo se conhecerem  mais intimamente, rolou brincadeiras, papos de sacanagem como já era de se esperar, quando nos demos conta já eram 15,30 mais ou menos, como estávamos numa pousada sem fazer nada  alguém sugeriu que a gente fosse até a cidade ver a feira, visitar o parque durante o dia já que as noites haveria shows aberto ao público, fomos em dois carros para poder ter mais facilidade de estacionar, visto que por perto era muito dificil de achar vagas, e foi assim dividido, no meu carro fomos eu minha mulher e a Ruiva e o Marido dela.

Chegando lá  tinha muita gente zanzando pra lá e pra cá, e assim passamos a tarde, ao cair da noite sentamos num dos barzinho existentes no local, matando o tempo até chegar a hora do show da noite, bebemos alguns drinques e algumas cervejas, até que chegou a hora do show, então fomos até o local do show, que tinha tanta gente que um espremia o outro, era num ambiente bem favorável para azaração, quando o show começou no palco, o pessoal todo pulando 

e dançando homens e mulheres se abraçando, a musica rolava solta então os casais foram se formando naturalmente, aproximei-me da a ruiva começamos a dançar discretamente ao ritmo da musica,  a Sandra ficou com o marido dela que se chamava Charles, conversando depois descobri que o nome dela era Viviane, depois de  umas duas três musicas já todos nós estávamos no clima , eu estava quase abraçado com a Viviane, falei-lhe que era nossa primeira vez, perguntei se eles eram realmente casados ou se era mais  um casal apenas  ela confirmou que eram realmente casados, perguntei lhe se ela e o marido já tinham participado de Swing antes, ela respondeu que era a segunda vez, a conversa rolava naturalmente perguntei-lhe ainda se foi bom da primeira vez, como foi etc e tal... ela contou alguns detalhes, disse que não foi numa viagem como essa, que ela e o marido tinham ido a uma casa de Swing, e estando lá encontraram outro casal, cada um foi pra um quarto e transaram etc e tal... foi lá que conheceram também o Romualdo nosso anfitrião, perguntei o que ela estava achando desta viagem... ela falou que era legal unir o útil ao agradável, depois de bastante conversa lancei o xaveco, disse que tava a fim dela e que pelo jeito o marido dela também gostou da Sandra minha mulher e pelo jeito  minha mulher tinha agradado do marido dela, arrisquei a falar,  acho que vamos terminar a noite juntos...  ela sorriu e disse que também tinha gostado de mim como pessoa então tava tudo bem...  olhei pro lado vi que os casais estavam praticamente todos formados, eram os mesmos de cada carro, acho que isso aconteceu naturalmente como me dissera o Romualdo.

Os casais  já estavam se formando, porque vi o Romualdo com a mulher trocada, inclusive nós, disfarçadamente olhava pra minha mulher e com o sinais no olhar a gente se comunicava silenciosamente, então no clima da musica abracei por traz da  Viviane, ela aceitou passivamente, percebi que o Charles fazia o mesmo  vi o Charles também abraçando por traz a Sandra com suas mãos apalpava discretamente a barriga e os seios da  minha mulher enquanto  beijava o pescoço e protegido pelo tumulto e pela escuridão, apertava um dos seios da Sandra, observei que o outro casal também  faziam mais ou menos o mesmo, eu que já estava de pau duro por causa da Viviane, aproximei meu rosto do dela levantei seu queixo e beijei o seu pescocinho bem perto da orelha deixando-a arrepiada,  ela correspondeu e se virou pra mim beijamo-nos dessa vez  nossas línguas se entrelaçavam... , Por volta das 2 da madrugada  já se sentia um clima favorável no ar, o Charles se aproximando da gente sugeriu que saíssemos dali, entendi o recado..  e saímos, no carro a Viviane já assentou no banco da frente comigo enquanto a Sandra no banco traseiro com o Charles, dentro do carro o clima era favorável, eu estava louco de tesão, o Charles tambem, eu percebi sua excitação pelo volume indisfarçável dentro da sua calça, a Sandra e a Viviane estavam visivelmente excitadas, então  perguntei por perguntar porque já sabia a resposta, vamos por motel?? Então me dirigi a um Motel que já havia visto quando iamos.

Mal entramos no quarto,  Charles abraçou a Sandra Por trás, encoxando-a na minha frente num claro sinal explicito de que estava com tesão a flor da pele, abraçou a Sandra e começou a tirar a sua roupa apressadamente,  e eu que já estava com a mão nos ombros da Viviane abracei-a mais forte, parecia que todos estavam com pressa de consumar o ato,  já prevendo que  aconteceria, me preveni  peguei umas camisinhas e dei pra Sandra colocar em sua bolsa, eu estava certo porque 
Mal entramos o charles começou a beijar avidamente a Sandra, eu que estava com o Pau duro a noite toda peguei a Viviane e fiz o mesmo... levantei sua saia,  comecei a tirar a minha  roupa e a dela simultaneamente, a beijar-lhe os seios, enquanto beijava olhei para o lado vi a Sandra  nua e o Charles em cima dela com seu pau encaixado na buceta da minha mulher bombando furiosamente, fiquei bem mais aliviado ao perceber que eles estavam usando camisinha quando vi a embalagem rasgada jogada no chão  e eu sem muita pressa queria aproveitar bem dei o maior amasso na Viviane, enquanto ele apressadamente comia a Sandra, acho que ele não sabia controlar bem o tesão que sentia vendo minha mulher sendo comida me deu um tesão enorme maseu queria aproveitar muito bem a mulher dele, a intenção era que ele ficasse me vendo foder a Viviane quanto ele tivesse terminado porque  ele foi mais afoito quando caiu em cima da Sandra na posição de papai e mamãe mesmo, mas percebi que ela gemeu de prazer, rebolou embaixo dele, isso me deu um tesão de tal maneira que eu também queria comer a Viviane logo, mas não sem antes pedir pra ela me fazer um boquete gostoso e ela ajoelhou na minha frente e começou a chupar gostoso... de tão excitado que eu estava não demorei muito para gozar em sua boca, mas ela não gostou muito porque tirou na hora do meu gozo....

Em seguida coloquei ela ali na mesma cama deitada meio desajeitadamente mas... parti pra cima dela, comer aquela buceta. que naquele momento era um manjar pra mim..era uma buceta ruiva, carnuda, e molhada de tanto que estava excitada também... . não tive nenhuma dificuldade para penetra-la, ela se abriu toda pra mim, bombei várias vezes bem forte... até que gozei pela segunda 
vez.... depois de gozar naturalmente fiquei bem relaxado, olhei ao lado e vi que a Sandra e o Charles já tinham terminado a foda na buceta, e o maledito estava comendo o cú da minha esposa... eu não podia deixar barato, apesar de já ter gozado duas vezes coloquei a Viviane de 4 e apontei minha pica para aquele cu piscando pra mim, ela sabia que ia ser enrabada, então já estava preparada,  quando a cabeça passou pelo seu anelzinho ela deu um leve pulinho pra frente, mas depois que a cabeça passou o resto foi sem dificuldades, atolei meu pau até os grãos, sorvi cada momento de prazer que ela me proporcionava, fiquei ainda mais maluco quando ela começou a rebolar e a gemer, não demorou muito e eu gozei pela terceira vez, fazia tempo que eu não gozava três vezes numa mesma transa, estávamos cansados, caímos os 4 na mesma cama, só não dormimos ali mesmo porque o período era de 4 horas tínhamos que sair ou pagar novo período mas mesmo assim cochilamos um pouco, já estava quase amanhecendo quando fomos pro nosso chalé na pousada os outros dois casais ainda não tinham chegado, 

Chegando lá ainda demoramos um pouco pra pegar no sono, cochichando trocamos ideia sobre aquela noite, perguntei para a  Sandra o que ela tinha achado da experiencia.. ela respondeu que foi diferente... perguntei ainda se ela tinha gostado e se tinha gozado, ela falou que sim, notei que ela não estava muito a vontade pra falar sobre o assunto, talvez porque o Charles e a Viviane também estavam no mesmo chalé, acabamos por adormecer. 

No dia seguinte acordamos tarde já era quase hora do almoço quando fomos todos tomar café o Romualdo e a mulher dele estavam de pé, trocamos algumas palavras sobre a o dia e a noite anterior, ele deu uma risadinha e comentou, eu não disse que tudo aconteceria naturalmente!!, Então gostaram da experiencia?? A Sandra ficou vermelha na hora não disse nada mas eu completei, é foi diferente de tudo que já tinha feito antes..., então tá valendo a pena? Respondi que sim... ele me disse, é só o começo ainda temos hoje sábado, e amanhã domingo, muitas coisas ainda podem acontecer...

Realmente ainda tinha coisas a acontecer que eu nem imaginava, porque no sábado o dia transcorreu normalmente, dormimos até tarde almoçamos mais tarde ainda passamos o resto da tarde na pousada tomando umas cervejas e jogando baralho  até chegar a hora da gente sair, como a gente tinha bebido um pouco a mais, ninguém quiz ir  dirigindo, chamamos dois táxis e fomos pra balada curtir, devido a noite anterior todos já estavam mais soltos  principalmente depois de várias drinques que tomamos durante a tarde.., e na balada durante a noite todo mundo estava mais solto que na noite anterior, já havia intimidade explicita entre o 4 casais principalmente porque já tinha rolado o sexo que cada casal estava pré disposto quando embarcaram nessa aventura, depois da balada na madrugada voltamos pro nosso chalé
Como eu e minha mulher eramos calouros no grupo era normal que a gozação recaísse sobre nós, eles zoavam com a gente, o  Charles a certo momento embalado pela bebida falou na frente de todo mundo Adriano, adorei foder com tua mulher, ela é muito gostosa, eu meio sem jeito não deixei barato, também gostei de comer a Viviane sua mulher que também é muito gostosa, então o Romualdo com o qual eu tinha mais intimidade falou, eu também vou querer experimentar a gostosa da sua mulher, respondi oras.. se ela topar... só então que o Joca (João Carlos) entrou na brincadeira e falou se ela é tão gostosa como eles falaram eu também quero experimentar e a conversa então girou em torno disso, olhei pra Sandra e perguntei... e dai amor tá vendo eles querem você... vai ter que escolher um.. então tive uma ideia... e falei.. quem quiser comer a Sandra vai ter que fazer um lance..  quem der mais vai ter o direito de comer ela..

Começou um leilão então o Romualdo disse dou 100, o Joca embalado falou 200, o Charles que já tinha transado na noite anterior falou dou 300 pra dar outra foda com ela, os 3 queriam comer a Sandra e os lances do leilão foram aumentando até chegar a valores impagáveis, mas o clima estava muito animado, a Viviane e a Luiza mulher do Joca interromperam e reclamaram porque o leilão só pra Sandra, e nós ninguém vai querer dar lance nenhum?, no que eu peguei a gostosa da Luiza pela cintura e falei não se preocupe, eu te quero e você não vai ficar sem consolo... aquela brincadeira foi até o momento que o Romualdo de surpresa pegou minha mulher e falou vence o leilão quem tomou a iniciativa, eu .... e tascou um beijo, como estávamos todos meio bêbados a
partir daquele momento ninguém era de ninguém, minha mulher correspondeu ao beijo, eu de pau duro peguei a Luiza e tasquei aquele beijo também enquanto minha mão já apalpava os seios o Charles por sua vez pegou a mulher do Romualdo e assim os casais se formaram de novo, só que desta vez estávamos os 4 casais no mesmo ambiente, tudo conspirava para uma bela madrugada de sexo, 4 casais juntos no mesmo lugar com o mesmo proposito que era curtir.
Vendo minha mulher sendo despida pelo Romualdo, fiquei todo excitado, peguei a Luiza encostei na parede encoxei ela ao mesmo tempo que imobilizei suas mãos, de relance percebi que o Charles comia a Mulher do Romualdo e o Joca comia a Viviane, os dois casais na mesma cama,eu estava muito excitado meu pau tava durissimo, fiz a Luiza ajoelhar e apontei meu pau pra sua boca, no que ela não recusou tal oferta, chupou deliciosamente furiosamente as vezes eu até sentia um pouco de dor pela forma voraz que ela me chupava, e as vezes ela dava uma mordiscada no meu pau causando certa dor, mas o prazer era maior, em pouco tempo eu já tinha deitado a Luiza e estava em cima dela fodendo aquela buceta arreganhada que ela oferecia pra mim, eu tinha que caprichar pra causar boa impressão, afinal era nossa primeira vez praticando swing, mas no fundo eu não queria que depois em comentários ela não gostasse do meu desempenho, enfiei meu pau até o talo, e ela gemia de prazer, isso me excitava, excitado fiquei mais ainda ao ver os outros casais fodendo ali todos no mesmo lugar, eu até já tinha fantasiado situações semelhantes, mas nunca imaginei que ia realizar mesmo porque é difícil, mas eu estava ali, fodendo a mulher do próximo, e o próximo fodendo a minha mulher.
 O cheiro de sexo estava impregnado no ar, aquela aventura não foi um simples swing, uma simples troca de casais, foi uma suruba generalizada, porque depois de foder a Luiza só faltava foder com a mulher do Romualdo e eu queria foder com ela também, então dei um jeito de me aproximar co Charles, falei agora é minha vez de foder com essa gostosa, ele deixou mas pegou a Luiza que se demonstrou uma verdadeira puta porque queria foder com todos os homens presente.. ela falou que queria chupar e ser chupada, e experimentar até uma dupla penetração então nós 4 nos aproximamos dela, enquanto um chupava a buceta, ela masturbava o outro chupando mais um, foi uma suruba generalizada, as demais mulheres também entraram no clima então cada um fodeu com todas as mulheres e todas as mulheres foderam com todos os homens... 

Depois dessa aventura viramos praticantes, sempre que havia uma oportunidade a gente tava dentro


.