domingo, 1 de maio de 2016

UMA MULHER CASADA SACIADA PELO AMANTE DO METRÔ

Uma relação  extra conjugal, revigora e apimenta um relacionamento, e o casamento, por isso que as vezes acabamos fugindo das convenções da sociedade, sendo uma mulher casada sou cobrada a ser sempre  certinha  boa profissional, boa dona de casa, boa esposa, mas todos nós temos a nossas necessidades sejam físicas sejam de carência afetiva, embora a sociedade nos condenem muitas vezes, sou uma  mulata atraente,  1:62 de altura, seios fartos, bumbum grande, e cintura bem delineada, sou uma mulher vaidosa que me cuido gosto de perfumes e acredito que passo uma imagem de mulher fogosa.
Sou uma pequena  empresária bem sucedida tenho uma sociedade em um Clínica de Estética e Massagens Corporal, para a classe média, um mimo para as mulheres que gostam de se cuidarem, e sou uma delas, mantenho minha aparência bem cuidada que é como um cartão de visita da Clínica. 
Sou casada há 15 anos, eu e meu marido temos um convívio harmonioso nos amamos e temos um bom entrosamento, todavia após uma década e meia a rotina se estabeleceu. Ele é um homem simples um pouco antigo, sem iniciativa nenhuma na cama, limitando a mal fazer o básico e logo termina sem se preocupar se eu me satisfiz ou não, tirando isso ele é um excelente esposo e pai de família.
Tenho um carro semi-novo  mas Para ir ao trabalho, prefiro ir de  metrô é mais rápido e  economizo combustível, e com isso me livro de estacionamento, mas  Entretanto tem dias que vou de carro quando preciso sair do roteiro. 
Nas viagens de volta no metrô  ultimamente percebo que um jovem me olha assim com olhos de quem quer alguma coisa , mas ele é  bem novinho comparado a mim , mais ou menos 23 anos magro, moreno, simpático um pouco tímido. As vezes, eu o olho mas desvio rápido quando ele dirige seus olhos a mim tb mesmo assim  nossos olhos as vezes se encontram, confesso que é sempre bom se sentir desejada.  

E essa rotina foi por um bom tempo, as vezes que eu não o via sentia falta, embora nunca tivéssemos nos falado, até que o destino conspira, e nos sentamos no mesmo banco, ele puxa conversa, tornamo-nos oficialmente amigos e a partir dai passamos a nos conhecer melhor, em conversas pergunto-lhe se tem namorada se é casado etc e tal, ele responde que é noivo pretende se casar em breve, digo-lhe que a vida de casada não é só flores que tem seus percalços, ele quer saber o porque, pergunta se me dou bem com o marido, e coisas assim, tento evitar esse assunto pra não ter que reclamar, nossa rotina diária de passageiros do metrô segue-se até que um dia com o vagão lotado estamos de pé ele toma coragem e vem por trás se encosta bem discreto em mim, nada faço é ele respira forte perto de mim. Fico excitada ele com a mão aperta minha cintura, sinto um choque, mas deixo ele discretamente aperta seu pênis na minha bunda, suspiro fundo .
Chega a minha estação eu desço, ele me segue. mas eu peço que não me siga. no outro dia se aproxima de mim e passa o número do seu celular, guardo. Metrô cheio, como no dia anterior novamente se encosta em mim deixo e gosto, ele com o volume comprime meu bumbum, sinto quente e macio eu roço um pouco. Chega minha estação desço e ele me olha eu sorrio. quando chego em casa estando sozinha eu ligo para ele e me identifico, conversamos longamente, ele me convida pra sair tomar algo com ele  eu lhe falo que minha situação de casada não me permite sair com ele, ele diz que é noivo, que não tem nada demais de sermos bons  amigos,  

Depois de muito insistir marcamos para nós ver marcamos próximo a uma estação do Metrô, na hora em que sempre nos encontramos, foi uma noite longa em que o sono insistia em não vir e eu imaginando como seria nosso encontro,   finalmente chega o dia e a hora do encontro se aproxima, nos encontramos no lugar combinado, ficamos conversando um pouco antes de entrar na estação nos afastamos e ele me segura a mão e me enlaça, me beija e eu deixo, a sensação pra mim é de novidade, ficamos nos" pegando" com muito tesão, mas já é tarde e pegamos o Metrô, está cheio, ficamos quase abraçados me enlaçando de leve e mão na minha bunda, aperta, se encosta em mim e suo e ele com cheiro de homem cola e se excita no meu corpo. Chega minha estação e desço.
Já na varanda de casa ligo para ele, que diz que esta com tesão por mim e que poderíamos nos ver fora do Metrô, digo que ainda é cedo, e que não tenho certeza, ele é insistente então novamente marcamos na entrada do Metrô, dessa vez chegamos mais cedo e ficamos nos beijando ele me encosta em uma parede num cantinho afastado e esfrega seu mesmo por cima da roupa roçava  na minha vagina eu sentia o volume e a excitação dele e fico suada de tanta excitação. 


Ele quer por toda lei me levar pra um motel mas eu ainda reluto e resolvemos cada um ir para suas casas, mas durante a semana ele me liga varias vezes acabamos  marcando para sábado nos encontrar de novo. dessa vez sei que será inevitável,  e logo pela manhã me arrumo, vou a uma clinica de estetica, me depilo, escovo os cabelos e faço as unhas, na volta cuido de algumas providências da casa e digo ao marido que preciso ir num treinamento a tarde. e logo depois do almoço tomo banho troco de roupa coloco um vestido branco, colado ao corpo e relativamente curto, despeço-me do marido e pego o Metrô, mas dessa vez eu desço na estação mais próxima, como combinado e  ele está de carro, me esperando. 

No carro ele me olha com desejo dizendo que eu estou muito gostosa, e nos beijamos sem perder tempo sua boca vai para meu decote e procura o soutien, com a mão puxa um seio e chupa, quase desmaio de tesão, suga o bico e mordica com uma leve pressão, ele suga chupando, mas alguém passa próximo somos obrigados a parar com aquilo,  nos recompomos e saímos., ele sugere irmos a um  Motel, digo para aguardar um pouco porque  estou sem coragem., ele insiste diz que é melhor, mais seguro e porque teremos mais privacidade, e completa dizendo que só faremos o que eu permitir, é claro que eu sei que dentro de um motel não terei como negar nada a ele, mesmo com certo  receio vamos para um próximo, bem aconchegante, entramos e ainda na garagem ele fica me beijando, me encosta no carro e vai abrindo o vestido atrás. Vai tirando aos poucos e ainda na garagem me vejo só de calcinha e soutien. 

Fico sem graça e ele me olha cheio de desejo. 

Me segura pela mão e me conduz ao quarto onde sem pressa vai me deixando bem a vontade, alisa meus cabelos e me beija demoradamente, com cautela desabotoa o soutien, meus seios saltam rígidos e durinhos, ele com o dorso da mão vasculha um e depois o outro, os bicões se alteram é hora de chupar.
Se curva e segura um apertando o bico e no outro chupa, tenho sobressalto e o desejo me domina sem medo, dói um pouco o bico sensível, mas seus dentes são prazerosos, vou gemendo baixinho. Vai para o outro, mas segura o já mamado e ver o estrago das mordidas, alisa e continua chupando o outro... o ato me leva ao gozo pleno. 


Ele sente que estou entregue e que pode avançar e aperta minha bunda e vai tirando parcialmente a calcinha, que eu mesmo facilito e ele se abaixa e fica cheirando a xoxota melada do gozo, lambe meu gozo, me excito ainda mais, não resisto e finalmente eu me entrego totalmente e digo:
- Quero ser sua.
Ele me leva para a cama, me deita e termina de tirar minha calcinha e abre minha pernas e chupa minha xoxota... vou nas nuvens e volto... a língua invade minha xana toda e me possui como se fosse um pênis, tenho outro gozo.
Ele vai tirando sua roupa e eu deitada saciada vejo como ele é muito novo mas com experiência de satisfazer uma mulher madura.
Agora vem nu, se deita e me coloca na posição de chupar a xana...me coloca sentada na sua boca e chupa tudo varrendo a xoxota... me movimento e o gozo vem. Satisfeita vou para seu mastro, quente e firme... abocanho todo e vou" sorvetando" com a língua e chupo bem molhadinho. 


Ele me acomoda na cama me deita de bruços quase de quatro, acomoda os travesseiros embaixo de meus quadris e me deixa com o bumbum empinado, eu penso comigo mesmo será que ele vai querer comer meu cuzinho logo de cara, num misto de medo e de tesão me preparo para o que vier, mas ele vem com a rola no ponto, mas aponta pra minha xana e a penetra com gosto, eu sinto cada centímetro daquela rola  entrando em mim, e vejo que é ainda maior e dura do que eu imaginava . me arreganho e sou preenchida toda... cavalga e sinto a xoxota gulosa acomodando a pica imensa... e num vai e vem frenético gozamos juntos olho no relogio e vejo que já era meio tarde, acho melhor voltar pra casa, sinto um pouco de arrependimento, mas o prazer é imenso, coloco a calcinha e antes que eu colocasse mais roupa mas ele me impede me faz sentar em seu colo, me abraça e me beija,  aperta a minha bunda, e mete a mão dentro da calcinha e sente a vulva inchada e masturba-a. depois me pede para chupa-la, eu quero então me escancaro, ele tira a calcinha e chupa toda e lambe e eu me entrego novamente, volto pra casa, com a xoxota cheia de esperma e o corpo satisfeito. espero que meu marido não me queira nessa noite porque teria que compartilhar o esperma de outro homem, 


Chego em casa tomo outro banho e vejo as marcas do saciar, os seios em brasa doloridos e vermelhos. ao terminar o banho me visto e mesmo com o marido em casa dou um jeito de ligar para ele, que disfarça fala pouco pois está com a noiva, depois desse primeiro encontro nos tornamos  amantes, mas eu continuo com meu marido e ele com a noiva e em breve irá se casar..

FANTASIA DE UMA MULHER CASADA

Minha fantasia era fazer sexo com alguém totalmente desconhecido que fosse um homem bem grosseiro, tipo peão de obra, pedreiro ou mesmo um servente, um encanador,  agricultor, enfim minha fantasia era alguém diferente e em um lugar diferente

Sempre fui muito ativa sexualmente estou casada a mais de 14 anos  mas tenho uma filha de 16 que não é filha do meu marido quando casei já tinha ela justamente porque não me cuidei ao transar com um namorado que depois me deixou a ver navios quando descobriu que eu tava gravida, e depois que casei tive mai s um filho que está com 10, e pra resumir me chamo Meg, que é um apelido carinhoso de Margarete, e já tenho 38 anos, e atualmente sou só dona de casa como tantas outras, o que talvez me diferencie é que sou bem ativa e gosto muito de sexo, e pra falar a verdade meu marido nem sempre dá conta de apagar meu fogo,

Minha vida sexual começou bem cedo foi aos 15 anos com um primo de 14, somo classe média alta e morávamos na cidade porem e por morarmos na cidade nossas férias preferidas era passar no sitio do meu avô, e minha primeira transa foi no mato mesmo, quer dizer no mato no mato propriamente dito não, foi assim a beira dum riacho que passava nos fundos do sitio de meus avós em época de férias eu sempre ia passar uns dias tipo uma ou duas semanas, com meus avós e os pais desse meu primo também o levava, e a gente cresceu juntos assim, até o dia em que começamos a despertar para  sexo, foi inevitável que a gente experimentasse entre primos justamente pela intimidade que já tínhamos depois de muitas brincadeiras de médico e de papai mamãe, certo dia resolvemos ir tomar banho num riacho que passava nos limites do sítio, pra dizer a verdade fui eu quem induziu esse primo a transar senão não acontecia porque alem dele ser mais novo que eu ele era muito tímido, eu  era virgem mesmo depois da primeira transa continuei virgem porque ele inexperiente e muito afoito acabou gozando rapidinho e nas coxas, e nos dois inexperientes acabamos por ali mesmo, mas a noite na
minha cama pensei na situação e estava disposta a ensinar umas coisinhas que eu tinha ouvido falar com as colegas de escola, estava disposto a ensinar o primo a transar de verdade, afinal tínhamos a semana inteira pras isso, , mas já no dia seguinte resolvi provoca-lo e convidei pra irmos tomar banho de rio novamente, ele claro aceitou provavelmente lembrando do dia anterior e ansioso por repetir, dessa vez chegando lá nem fomos tomar banho que nada, já nos atracamos em beijos e amasso, tirando nossas roupas espalhando pelo chão, pedi pra ele ficar calmo pra gente aproveitar bem,  ai já não teve jeito mesmo fui deflorada e perdi o cabacinho com meu primo, claro que depois disso pratiquei bastante na minha adolescência.

Mas eu só transei com caras da minha convivência e classe social,  iniciei em família mesmo primeiro com os  primos, depois com namorados todos com boa escolaridade e com bom  nível social que o nosso posso dizer que aproveitei bem antes de casar, isso até eu engravidar da minha filha mais velha com o e o nascimento da filha fizeram com que o ritmo de minhas atividades sexuais reduzissem a zero, mesmo porque eu tava namorando firme o pai da minha filha, um cara que nem vale a pena citar, e só transava com ele porque era um cara bom de cama e pegador, me satisfazia, sempre, mas ao saber que eu tava gravida ele não quis assumir, e eu nem posso culpa-lo afinal eu tinha fama de vassourinha, mas depois que essa minha filha mais velha nasceu perdi toda liberdade que eu tinha e minha vida sexual ativa praticamente acabou, pelo menos enquanto minha filha ainda era nova eu tinha que me dedicar a ela.

 E só me casei quando já tinha quase 25 anos, e  depois de casada me dediquei só ao meu marido que assumiu minha filha e sempre soube do meu passado porque me conhecia bem e antes da gente começar a namorar, ele gostava de mim e eu  também já tinha transado com ele, então depois de algum tempo acabamos engatando um namoro e casando,  por um tempo não tive a necessidade de  aventuras, mas como eu sempre fui ativa depois de 10 anos de casada, depois do filho mais novo já estar com certa idade e mesmo eu e meu marido termos uma vida sexual normal, com certas fantasias senti novamente a necessidade de realizar algumas fantasias, sempre com a cumplicidade do meu marido comecei   depois de alguns anos fazendo folias só com pessoas do meu círculo de convívio, me surgiu a vontade de uma aventura com um homem rude, tipo grosseiro grosseiro me refiro a não ter uma educação refinada nem uma profissão do tipo que meu circulo de amizade tinha, médicos advogados etc... mas alguém bem simples bem capiau.

Após pensar bastante no assunto e ficar muito excitada a ponto de me masturbar e ficar  completamente molhada com a possibilidade então comecei a analisar as possibilidades, é claro que eu não queria nem podia me expor, por isso teria que ser algo bem sigiloso e discreto, até que num sábado de manhã  fui visitar meus pais que moravam no interior, cerca de 150 kms de onde eu morava, fui sozinha porque meus filhos não quiseram ir juntos e  fui de carro porque pretendia voltar no mesmo dia ou no máximo dia seguinte, então eu fui passei o dia com meus pais, eles disseram pra eu dormir por lá, no dia seguinte levantei por volta das 9 horas tomei meu café e nem esperei o almoço que ia sair mais tarde, entrei meu carro e peguei a estrada de volta, logo na saída da cidade avistei um homem sozinho no ponto de ônibus, vestido com roupas surradas, um chapéu  na cabeça assentado em cima de um volume que parecia uma trouxa ou um saco com algo dentro, lembrei-me da minha fantasia, esse matuto se enquadrava nessa fantasia, parei meu carro com a desculpa de pedir informação se estava na estrada certa pra tal cidade que prefiro omitir, para onde eu ia, ele todo prestativo me indicou o caminho, pude observar que ele tinha em torno de uns 55 anos, magro judiado pela vida no campo, perguntei se ele ia pro mesmo lado se quisesse eu poderia dar-lhe uma carona, ele ficou todo agradecido, entrou em meu carro e seguimos viagem, logo perguntei seu nome e ele disse ser José

Nos primeiros kilometros de viagem eu comecei a observar melhor, perguntei se era casado, ele confirmou que sim, maliciosamente perguntei se se dava bem com a esposa, ele confirmou, ele era um homem de poucas palavras, fui mais ousada e perguntei se ele transava todos os dias com a mulher, note que ele ficou vermelho de vergonha eu dei uma risada e falei que não precisava se preocupar que eu era assim mesmo bem liberal, então fu esticando a conversa perguntei se ele já tinha traído a mulher ele respondeu que nunca, perguntei se ele teria coragem de trair a mulher dele comigo novamente ele ficou mudo, mas senti que um volume em sua cueca aumentava, até que cheguei ao ponto em que queria e falei assim na lata, então seu Zé, me acha uma mulher bonita? Ele rasgou de elogios, disse que eu era muito bonita, perguntei sou bonita o suficiente pra você trair sua mulher comigo?, Ele percebendo minha intenção e de pau duro falou, sim dona, com certeza, mas o que uma mulher da cidade, bonita que nem a senhora iria querer com um caipira que nem eu,

Respondi que era um fetiche e que se ele não quisesse não tem problema eu arranjaria outro candidato então ele me falou, imagina, não precisa, e eu dirigindo meu carro procurei logo um lugar em que pudesse encostar o carro pra gente transar, não demorou muito achei uma pequena estrada de acesso, onde tinha um pequeno bosque dum lado e uma capoeira de capim colonião do outro lado, parei meu carro numa sombra, e já comecei a abrir a braguilha do matuto, não demorou muito pra eu liberar aquele pau pra fora e cai de boca, ele gemia e se contorcia de prazer, depois de chupa-lo eu perguntei se ele gostava de chupar uma buceta, mas ele todo envergonhado permanecia calado, eu falei vai ter que chupar a minha se quiser comer depois,
Peguei uma toalha de dentro da bolsa de viagem que eu levava, puxei o matuto pelas mãos e afastei um pouco do carro até encontrar um lugar na sombra bem no meio do mato, estendi a toalha, e ele ali só olhando de pau duro, então eu deitei e falei, vem Zé, pode retirar minha roupa, ele se aproximou e aos poucos foi perdendo a inibição, retirou meu jeans junto com a calcinha me deixando nua da cintura pra baixo, então falei vem Zé, voce quer me comer não quer? Ele confirmou que sim, falei-lhe então vai ter que lamber minha xoxota, e chupar meu grelo, ele se aproximou a principio meio com nojo mas logo se soltou e já lambia me deixando louca.., agarrei sua cabeça e segurei forte comprimindo contra minha buceta quase sufocando-o, em seguida falei pra ele tirar o pau pra fora que eu queria dar uma chupada tambem, ele timidamente retirou o pau duro, com aquele cheiro de sebo mas mesmo assim eu chupei meio que com nojo mas chupei, afinal era minha fantasia,

Depois deitei e puxei ele pra cima de mim, e falei pra ele você quer me comer não quer, então vem  e coma  seu matuto caipira, vem come uma dona da cidade grande, enfia esse pau pra eu ver se voce sabe foder gostoso, e ele meio que com medo pela situação mas excitado, veio pra cima de mim e enfiou aquela vara dura em mim sem dificuldades nenhuma afinal eu tava excitada lambuzada, a vara dele não era grande nem nada, mas minha excitação estava na fantasia e não no homem, por isso eu tava excitada..
Dei um cansaço no caboclo que ele saiu de pernas bambas, realizei essa minha fantasia e transei ali mesmo na capoeira com aquele matuto, nos recompomos e perguntei onde ele queria que eu o deixasse, ele falou, na pode me deixar na cidade moça, então deixei-o no lugar em que ele pediu, mas antes dele sair eu peguei minha bolsa, retirei R$ 100,00 e dei pra ele que a principio recusou, mas eu insisti e ele acabou aceitando..

O que me excita mesmo e a ideia de transar com um completo desconhecido em um lugar publico, eu tenho mais algumas fantasias que desejo realizar, e vou realizar


contoseroticossensuais.blogspot.com.br

MEU SOBRINHO MEU AMANTE

Essa historia aconteceu comigo há uns dois anos atrás, um relacionamento inesperado, que a principio era tesão, resultou em paixão. O que temos para viver acontece o acaso é cúmplice se encarrega.

Sou Gisele, tenho 39 anos, solteira por opção, sou  mulata num tom de pele mais clara, mistura brasileira. Minhas formas são volumosas, cintura fina, seios fartos, quadril grande com pernas e coxas torneadas. Resumindo tenho o chame latino, bom humor habilidade para enfrentar os desafios da vida.

Sou de uma família pequena, duas irmãs, criadas com muito carinho e companheirismo, sendo eu a mais nova. Minha irmã é casada com um descendente de italiano, eles se conheceram aqui em São Paulo, namoraram, casaram e foram moram no Rio Grande do Sul, tem dois filhos, já adultos, com formação acadêmica, mas carreiras bem distintas.

O mais velho Celso tem 30 anos, casado, com um casal de gêmeos, formado em engenharia de produção e sua esposa é da mesma área, trabalham na mesmo empresa.

O mais novo é solteiro, Cássio de 24 anos, apesar da pouca idade já é formado em agronomia é um rapaz aventureiro namorador,  com namoros passageiros e sem estabilidade amorosa e sem compromissos, e ele gosta de se gabar de pegar todas, pra ele é facil porque ele é um rapaz bonito de pele clara, olhos verdes meio castanho, cabelos castanho, ondulados, magro, alto e um sorriso largo com dentes perfeito.

Eu também sou agrônoma com especialização em gestão ambiental. Nas minhas férias sempre aproveito para viajar para o exterior, tomar banho de cultura, mas nesse ano com a crise, resolvi ir para Porto Alegre visitar minha irmã e família. Minha chegada foi uma festa, saímos para rever os pontos turísticos da cidade, mas minha intenção era conhecer também as serras gauchas, famosas principalmente na época de inverno 

Por não estar trabalhando Cássio se prontificou em me acompanhar uma vez que está de férias também. Iniciamos indo às mais próximas vindo dormir em casa e o Cássio sempre solicito com a tia, chega a vez de Gramado, saímos pela manhã já com previsão dormir por lá. a viagem tranquila e por sermos formados na mesma área, falamos dos avanços do setor agrícola e da importância na economia, etc.

Enfim chegamos, a cidade esta cada vez mais linda e cheia de novidades. Logo na chegada procuramos um hotel pra deixar a bagagem, resolvemos pegar um quarto só com duas camas de solteiro, deixamos à bagagem hotel e saímos pra realizar os passeios que a cidade oferece, na volta à noite voltamos ao  hotel pra tomar um banho para logo depois  jantarmos passeamos e a noite jantamos e passeamos mais um pouco pelas ruas, um colorido lindo das luzes, e passeamos de mãos dadas fascinados

Na volta tomamos um chocolate no hall, subimos para dormir, entro no banheiro, tomo banho, e depois passo o hidratante, começo um ritual pelas pernas, coxas, braços e  seios quando ele vai ao banheiro, a porta não estava trancada, ele abre e me vê nua, imediatamente ele fecha a porta e sai, aproveito e coloco minha camisola de dormir que não é muito curta mas é semi transparente, apresso-me em deitar e ficamos conversando cada um em sua cama, ele é bem mais jovem que eu é solteiro e me viu nua, fico imaginado do que pode se passar pela cabeça dele.

Ele é a mistura da mulata mãe com o pai italiano, então ficou um belo exemplar de homem, moreno olhos verdes uma tentação, mas procuro nem pensar nisso, no outro dia acordamos bem cedo e  ficamos conversando um pouco, antes de nos levantarmos logo depois tomamos banho e vamos ao café. Arrumamos a bagagem e deixamo-a na portaria, damos mais uma volta pela cidade e no final da manhã, seguimos para Canelas, ele é um otimo cicerone, me encanto com seu desempenho.

Almoçamos em Canelas e a conversa se encaminha para amores, diz que não tem sorte, que as mulheres não o entende, e digo que vou ajuda-lo. Falo de mim, digo que os homens preferem as garotinhas.

Ele discorda diz:
- Tia Gisele você é uma mulher extremamente sensual além de culta, bem informada, centrada e independente.

Sinto um desconforto pelo tom que ele empregou, e segura minha mão, mas com leves apertos.
Digo:
- Seus elogios são de carinhos e agradeço.
Ele:
- Na realidade tem carinho, mas também de atração sexual, muitos homens mais novos procuram seu perfil de mulher decidida.
Falo:
- Você tem certa razão, mas no nosso caso somos parentes.
Ele:
- Desde que te vi nua, a vejo como uma mulher. Aliás para mim você é Gisele.

Dou um breve sorriso nervosa e desconverso. Saimos agora fico sem graças perto dele, andamos sempre de mãos dadas, mas agora sinto uma diferença. Numa loja uma vendedora imagina que somos casal, explico que não.

Saimos e damos volta atrás de lembrancinhas e depois resolvemos ir ao Hotel. No quarto, vou ao banheiro e tomo banho, faço a hidratação, me excito um pouco, minha cabeça fica confusa, visto uma blusa e uma saia acima do joelho, fico bem insinuante, vamos numa Galeria de Lojas e numa Délicatesse, tomamos café e saboreamos coisas de região. Muita gente interessante, ficamos um pouco mais na rua.

Na saída sinto frio e ele percebe, me abraça, diz que e para me esquentar, me deixo levar pois o frio é imenso. Seus braços roçam meus seios,  fico exitada com a sua proximidade e seu toque e ele percebe e começa propositalmente a me tocar disfarçadamente, até que no fim do dia voltamos a hotel eu subo ao quarto e ele vai tomar licor de cortesia do hotel.

Ele toma algumas doses e logo depois sobe com dois cálices, toma um e eu o outro, sou meio fraca pra bebida de álcool, sinto um calor me invadir, não sei se pela bebida ou pela situação, me esquento meu rosto está visivelmente vermelho, eu já tinha tomado banho rápido, e passado creme corporal e já tinha posto uma camisola um pouco mais sensual do que a noite anterior,  mais curta, ele se aproximou e disse-me tia voce tá uma tentação... minha respiração fica ofegante, ele me olha com desejo, eu fico  hipnotizada, ele me puxa pra si e eu  como se fosse um imã me encosto nele, ele abraçando-me cheira-me e diz, voce está muito cheirosa, e me beija, eu fico sem ação,  e ele continua me beijando, ainda sinto o gosto de cacau do licor que tomamos a pouco, sua língua invade minha boca eu quero... correspondo ao beijo. Ele aperta e massageia meus seios   que de tão grandes quase não cabe no bojo da camisola, e continua a bolinar os bicos com os dedos, balbucio coisas sem nexo.

Ele os tira um da camisola, o bicos estão  duros e convidativos ele  percebe o quanto está eriçado, e chupa com gula... vai mordicando de leve... vou gemendo, chupa com suavidade... sinto ele ir para o outro, chupa, o bico bem alterado... até que me dou conta e me afasto. Entro no banheiro me olho no espelho, com a consciência me acusando lavo o rosto e fico sem entender o fato, me recomponho, mas, me demoro a sair e quando o faço, me enfio nos cobertores, mas foi inútil, ele se aproxima e começa a me acarinhar e fala eu te quero, respondo que não podemos afinal ele é meu sobrinho filho da minha  irmã, ele insiste dizendo que que tem, voce é uma mulher atraente eu sou um homem que te deseja Gisele,  é natural sentir desejo não é? Eu sei que voce tambem deseja o mesmo que eu, ele tinha razão porque eu tava excitadissima, minha calcinha estava mohada, eu estava ali deitada e ele ajoelhado ao lado da cama tocando meu corpo, quando ele tocou meu sexo quase tive um choque, tremi de tesão ele então enfiou o dedo na minha xoxota e percebendo o quanto tava molhada não falou nada tirou a coberta de cima, retirou minha calcinha mesmo eu tentando dificultar essa ação, ele tentou abrir minhas pernas mas eu travava pra ele não conseguir seu intento, na minha cabeça aquele incesto era algo imoral apesar do desejo latente, mas ele era forte conseguiu abrir minhas pernas e se colocar no meio da minhas pernas e finalmente me penetrar, eu era solteira mas não era virgem, afinal eu era quase uma quarentona, já tive namorados com quem transei, mas com o sobrinho era tabú, ele com sua jovialidade toda me subjugou e conseguiu seu intento que era transar comigo.

No outro dia me levanto mais cedo tomo banho e quando saio do banho ele está em pé, só de cueca está tentador, meio que envergonhada eu dou bom dia e desço para o café.. durante o café eu fico pensando na noite anterior a porta já tinha sido aberta o que viria depois?? E quando  volto ele ainda está de cueca me esperando tento dar  num passo rumo a cama mas ele  me segura e me beija, não me controlo e também não resisto,mais , eu o quero como nunca. Ele vai com pericia me apertando e sugando minha boca e desbotoa minha blusa e cheira meus seios num movimento convidativo, ainda no soutien, ele solta o fecho e os peitos saltam já eriçados, vai tirando a blusa com calma e morde os bicos, gemo baixinho na agonia... ele me chupando... cola seu corpo no meu.

Dessa vez eu não resisto, deixo rolar, e passo a procurar seu pênis dentro da cueca latejante... seguro com vontade... apertando, lisinha e com veias saliente... sinto a cabeça rígida... ele me chupando e mordendo meus bicos todinho.

-  isso é inconsequência Cássio
- Nunca senti nada igual com ninguém como agora Gisele
- Não é facil para mim , somos da mesma  família
- Gisele fica fria, hoje em dia nada disso importa
- Acho melhor irmos embora.
- Vamos sim se você quiser mas só depois da gente acabar o que começamos,
Vendo que não tinha jeito ele estava decidido, era jovem cheio de hormonios não desistiria de jeito nenhum então o melhor era curtir o momento, ele me chupa os seios gostoso, arranca toda minha roupa e joga-me na cama e passa a chupar minha menina, ele é jovem mas sabe como chupar uma
mulher, chupa meu clitoris me leva a loucura, logo depois ele me pede pra retribuir, aponta seu penis pra minha testa e falou agora Gisele, chupa e me faz gozar, então eu retribuo faço com muito carinho, lambo a cabeça lisinha brilhante passo a lingua por volta da glande ele quase goza na minha boca, percebendo que ele ia gozar eu falo então vem Cassio, vem fazer na cama ele então apressadamente vem por cima de mim com aquele mastro em riste, duro que nem pedra pronto pra me penetrar, eu abro as pernas e puxo ele pra mim, e transamos nessa posição até ele gozar, quando ele goza eu penso que ia terminar, mas não, sua jovialidade faz com que o seu membro não amoleça mesmo depois de ter gozado, então ele me coloca de bruços,m um travesseiro embaixo do quadril e vem por tras e me penetra assim, eu vou as nuvens e volto num extase total.

Depois disso nos arrumamos e voltamos para Porto Alegre. no  caminho um silêncio, reinou durante a viagem, no carro me movimento pouco, quando chegamos, minha irmã estranhou o retorno mais cedo, aleguei um imprevisto, e decidi ir embora naquela noite mesmo, mas não tinha mais voo naquele dia   remarquei meu vôo para o dia seguinte e quando falei que retornaria no outro dia. Ele disse vou com a senhora pois tenho uns equipamentos para comprar. Sua mãe me pediu para ajuda-lo, não tive escolha. Passamos o dia longe um do outro, e no dia seguinte fomos juntos ao aeroporto mas nos assentamos  em lugares diferentes, mas logo ele veio para minha fileira. Me apertou a mão, senti que estava perdida.

- Fique sabendo que não vou ceder aos seus desejos, não posso você sabe.

- Não é só desejo sinto algo mais que desejo , mas nada acontecerá se você não quiser.
e não nos falamos mais sobre o assunto até chegarmos

No aeroporto, tomamos um taxi e fomos para meu apto, entramos fui para meu quarto, levei a minha bagagem e tomei banho. O apto estava limpo pela faxineira. Falei que iria ao banco no Shopping ver uns pagamentos, ele disse que iria também. Enquanto estou no banco ele compra flores para mim. Passeamos um pouco, vamos na Praça de Alimentação comemos massas e petiscos, depois demos uma volta no bairro mesmo de carro, exatamente para não sentir tentação em casa.

Voltamos ele me aperta à cintura, braços e dá umas encostadas no elevador, entramos, ele próximo, sinto o chão sumir, me circulou e pressenti que não teria escapatória. Vou pro meu quarto, troco de roupa , coloca um short folgado e uma blusinha sem mangas. Passo por ele vou a cozinha tomar água, me segue, me segura por trás e se acocha em mim. Beija meu pescoço e costas e me curvo para frente, me entrego e vou cedendo. Tira a blusa procura o soutien e tira, me vira me beijando com vontade e me entrego.

Ele mergulha entre os seios e chupa um dos biquinhos , sinto um tesão sem igual e bolina o outro e vai chupando ... a sensação é indescritível... lambe todo... choramingo murmuros de prazer... beija a boca... abocanha um deles e mordica com sabor de desejo ... vai sugando e gozo estremecendo.

Segue para meu short e puxa me deixando quase nua, mete a mão na xoxota, toda molhadinha do gozo, ele cheira, me seguro no seu ombro e na pia.

Volta a me beijar e tira a calcinha, jogando na mesa, minha última reserva olha para minha xota, e ver toda depilada com o grelo durinho, passa o dedo indicador e sente a rigidez, bolina minha xoxotinha, abro as pernas e seus dedos exploram minha gruta, se abaixa e cheira meu gozo, coloca a boca e laaambe ... me projeto para frente ele chupa com gosto... choramingo baixinho de vontade... agora chupa... meu corpo estremece ... me seguro nele e na pia. Ele coloca minha perna no seu ombro e mergulha o rosto, na xoxota com vontade.
Murmura:
- Me quer amor...
Digo:
- Quero, quero você não posso negar.

Gozo quase desmaindo, com o corpo trêmulo. Ele me toma nos braços e me leva para meu quarto me coloca na cama, tira sua roupa, fica nu. Se abaixa na cama ficando em frente à xoxota ... chupa outra vez meu gozo, sinto um arrepio sem tamanho e ele se coloca na cama e fazemos um 69 bem lambido com mamadas minha e dele de "quase" gozo.
Me coloca sob os travesseiros e me escancaro... ele vem e penetra... me preenche e vai me comendo... sinto o mundo desaparecer com a tamanha sensação do ato, ele vai balbuciando palavras obscenas ... segue... tira e bota toda... tenho convulsão... ele metendo sem medidas e chego ao prazer e ele metendo com a fúria de um potrão... vai chegando ao gozo ... acelera e se realiza.

Confesso que nunca tive algo tão imenso, agora é aguentar as consequências. Ficamos nos beijando como dois namorados, a noite cai e estarmos no ninho. Coloco uma roupa e vamos na Déli, tomar um café reforçado e voltamos, encontrarmos umas meninas do Condomínio, elas o olham com interesse, ele me abraça. Em casa ele me beija me deixando bem excitada... chupada nos seios... estão vermelhos, mas quero ser possuída por ele.

Com volupia e desejo... chupa meus seios, que crescem de tamanho ficam inchados de vontade... me excito cada vez mais e vou para seu pênis... tiro da cueca e punheto... mas quero ela na minha boca... chupo toda e ele gemendo como onça enjaulada.. a pica cresce e me esmero abocanhando toda... deixo-a molhadinha e ele está excitadissisimo pronto para cupular.

Me preparo para ser copulada ali na varandinha, com as luzes apagadas... me seguro na grade e empino meu bumbum, e ele me prepara, beija minhas costas, desce e segue pela espinha dorsal e chega nas nádegas e morde de leve e chupa. Aperta minha bunda e segue murmurando... agora vou te comer por tras, me bolina  por trás e ... mete um pouco para matar a vontade...ardida e excitada... tira e coloca todo me arreganho para facilitar a penetração,  e ele vai me copulando como nunca... me seguro e chegamos ao prazer.

Ele está vindo trabalhar aqui onde moro, recebeu uma proposta e vamos morar juntos. Minha irmã não sabe, pensa que ele tem alguém aqui, mas longe de saber que a amante dele sou eu.

MINHAS CURVAS, MEU PATRIMÔNIO

A vida nos reserva muita surpresas no decorrer de nossas caminhadas entende que estamos aqui para correr atrás da felicidade e lutar por ela, eu não sou mulher de me privar do que gosto eu vivo intensamente.

Sou uma tipica mulher brasileira, de 30 anos,  clara de olhos castanhos médio, uma mistura sensual. Tenho cabelos cacheados no ombro, meio crespo num tom castanho escuro, corpo malhado  com medidas avantajadas, busto siliconados tamanho "G", pernas bem torneadas e coxas grossas.

Minha formação acadêmica é em administração de empresas, mas, gosto da área de moda, por isso sou uma empreendedora, proprietária de uma Boutique de bijuterias de semi-joias e acessórios para mulheres de bom gosto, trabalho com peças exclusivas, por isso estou sempre viajando pra estar a par de novidades e aproveito para fazer as encomendas, e por conta disso aproveito e faço "outros negócios".

Nas horas vagas sou digamos uma acompanhante de luxo, dou prazer aos homens mas faço isso não pelo dinheiro embora o dinheiro me ajude bastante, faço isso porque gosto de sentir-me desejada, e porque gosto de ter prazer que eles me proporcionam.

Por paradoxal que possa parecer sou noiva de  um homem maravilhoso ele é economista de uma empresa  conceituada com uma  carreira brilhante, estamos juntos há 3 anos e há uma química perfeita entre nós , entre nós, tanto na cama como nas afinidades, embora ele nada saiba desse meu bico profissional, e não pretendo contar a ele, estamos nos arrumando para  casar, até já compramos um apto no padrão de classe média, e para  mobiliar é que  é difícil,  tudo é caro e estamos nos últimos preparativos.
Na minha função de "acompanhante do prazer " requer muita discrição, tanto da minha parte como da parte dos meus clientes que na maioria são casados, tenho  "clientes fixos " que me dão prazer em dobro, primeiro "cama e depois na conta bancária". 

Em função da minha boutique tenho a desculpa perfeita para viajar, meus clientes são na maioria de São Paulo, onde vou frequentemente, afinal da minha cidade até lá é apenas uma hora e meia de viagem,  Nessa semana marco para me encontrar "alguns
deles" em São Paulo,  recebo a ligação de um cliente fixo que mora em outra cidade e sempre passa pela minha cidade a caminho de São Paulo, e sempre que esta de passagem me liga, ele tem 35 anos, charmoso, e passando por aqui sempre me liga, ligo pro meu noivo e alego que vou fazer compras nas fabricas e ele consente.

Meu amigo me pega e a gente sai a viagem rápida, ele gosta de mim por causa que eu sou do tipo liberada e bem safada e no caminho mesmo eu já tiro o soutien, abro a blusa mostro os meu peitos pra ele que massageia enquanto dirige, não resiste para no acostamento para a gente safadear e me chupa os bicos e saciar seus desejos. 

No hotel já reservado previamente já no elevador  ele já vem me bolinando, eu gosto e no corredor ele abre  minha blusa, meus peitos saltam pra fora do sutiã, novamente ele chupa-os me espremendo na parede, e ficamos ali naquela putaria, até que alguém abre uma porta  que dá pro corredor e  nos pegam no ato, imediatamente fecho minha blusa me cubro e entramos, e dentro do quarto coloco minha bagagem na poltrona, ele veio sem bagagem por isso  se volta chupa meus peitões com fúria.
Rosno que quero tudo e ele tira minha calça comprida, fico só de calcinha e de salto, ele me olha com gula e eu sorrio com ar de  satisfação. Ele se livra da roupa e da cueca a rola se apresenta para o trabalho, uma rola  grande e depilada, já dura, se aproxima e me... chupa chupa... os bicos dos meus peitos como se tivesse  com fome... eles reagem como botões grandes... ele mama e morde... gemido e ele na difícil missão, 

Fala:
-    Quer dizer que você ficou noiva é?
-    Sim fiquei
-   Cachorra,  mas seu noivo que é um felizardo de poder comer de graça e na hora que quiser enquanto eu tenho que pagar.
-    Gosto de mamar nesse peitões.
Digo:
-    Se não você fosse casado, você que poderia ser esse felizardo.
Desce  me lambendo e vai a xoxota chupa e mete a língua... tenho espasmos de tesão e ele chupando me leva pra cama e fazemos 69. Escancaro-me na sua cara e ele chupa gostosamente minha buceta e eu a rola... gostosa e cheirosa... lambo  toda e abocanho... quase pronta para o abate. Posiciono-me de quatro e ele coloca a camisinha e se posiciona e mete mete... o grelo cresce e rosno de desejo e ele... come... come e sinto me abrasando toda... gozo e  ele também. 

Tomamos banho e chupo sua pica e ele goza na minha  boca, depois nos  beijamos. Ele se arruma, vai cuidar de seus negócios  diz que sou seu "bibelô de luxo", deixa o dinheiro e diz que o hotel está pago até a manhã seguinte, se despede e vai embora. Com o hotel pago até o dia seguinte lembro-me de outro cliente que morava em S.Paulo e que temos muita intimidade Pego o celular e ligo ele é um homem também muito bonito de 40 anos, profissional liberal, casado, alto, boa pinta. 
Tomo banho, saio e marcamos de nos encontramos no Shopping, almoçamos, passamos numa joalheria  e me presenteia com uma joia. Vamos para o Hotel, eu entro discreta e ele depois, e dentro do quarto me despe e me examina toda... levo tapinhas no bumbum... ele gosta de apalpar e apertar meu bundão,  se abaixa vai cheirar a xoxota... abro as pernas  chupa chupa  a xana... me acabo de tesão... chupa e sobe esmagando com as pontas dos dedos os bicos durinhos de excitações  dos meus seios... gosto do estilo e gemo querendo ... ele para. 

Bebe uma wodka, se esquenta e novamente vem mordiscando  os bicos ... dói e ele brutal desde e mordisca a xana ... numa mistura de dor e  prazer e me faz subir na mesa ... fico na mira da rola...  escancaro com os pés ou seja de salto fora da mesa... e ele coloca a camisinha se encaixa na minha bunda e ... em pé procura o cuzinho e mete mete... no " cru" sem nada no seco sem nenhum lubrificante... apesar de estar acostumada assim no seco me causa dor eu não gosto, peço pra ele lubrificar antes ele o faz , sinto e ele...  que soca tudo,  tira e põe ... mete gostoso em meu rabo, me excito e sigo na cavalgada e mete mete e goza mas eu não. 

Ele me desce e me deita na cama,  coloca a jóia entre os seios e chupa meus peitos  mamando e eu  gozo, sou sua "putinha de luxo". Ele vai para a xoxota lambe meu gozo. Toma banho eu depois,  me entrega o dinheiro do programa,  descemos, vou fazer as compras. 

O trabalho não para,  depois que meu cliente saiu, tomo um banho e descanso um pouco, mas na minha agenda  já tinha outro programa  marcado, noite  entro em contato com um senhor com o dobro da minha idade, deve ter  uns 60 anos, divorciado, ele é homem educado,  e meticuloso, marcamos em outro Shopping  e andamos juntos, jantamos e ele me diz que quer passar a noite comigo, eu não gosto disso, mas fazer o que, cobrarei mais caro, ficamos andando pelo shopping, ele envolve-me com seus braços em torno da minha cintura como se fossemos namorado e não sabe da minha vida dupla de acompanhante de luxo nas horas vagas e mulher honesta no meu convívio,  

Gelei quando de longe vi o tio do meu noivo, pensei comigo o que ele está fazendo aqui em São paulo, não era pra ele estar aqui, fico num beco sem saida, ele pasou por mim deu uma risada sacana em continuou sem falar nada gelei não sabia o que fazer.e com um sorriso sem graça apenas o cumprimentei de longe e segui  com o homem me segurando pela cintura.

Chegamos no Hotel entrei  primeiro e ele depois pelo outro elevador, nos encontramos no quarto. O  homem apesar da idade é viril e tira a roupa dele, eu espero ele tirar a minha porque ele gosta de fazer assim, . Ele vem, abre minha blusa já  estou sem soutien... meus seios saltam pra fora, ele segura  os  seios e ao ver marcas vermelhas...  chupa lambendo de leve ... e gemo de prazer... dizendo que ele é especial... tira minha saia e a calcinha e se senta na cama e eu em pé na frente dele ele chupa a xana. 

Gosto desse jeito  morno... me exito ele se levanta e me sento na cama...  trocamos as posições, ele me diz que a rola quer boca, seguro e chupo toda e abocanho chupo e ele está em ereção e deito ele gosta de " papai mamãe"  e ele coloca a camisinha e vem...  mete mete  no seu ritmo, sem pressa mas com qualidade eu gozo pela perícia dele que me come come... eu gozo novamente e ele goza quase junto.

De madrugada ele recebe um telefonema era o filho ele teve que ir embora me deixando ali mas me deixa uma boa quantia, sou seu "sonho de consumo." logo ao amanhecer volto para minha cidade.

Assim que chego recebo na Loja o tio do meu noivo já estava lá, me fez perguntas eu desconverso, mas ele me mostra o celular as fotos minhas na companhia do homem abraçado. Gelei,  Perguntei o que ele pretendia com aquilo, ele disse que dependeria de mim, que só queria uma noite comigo, e se eu negar?  Ele respondeu então eu mostro ao se noivo, esfriei novamente mas acabei concordando, ele me disse que mostraria ao sobrinho, sem opção concordei, marcamos pra sair dois dias depois.

A  noite com meu noivo tivemos uma relação dessa vez com muito amor, porque pode parecer estranho mas eu amo meu noivo, ele me chupou os seios e aos ve-los marcado com manchas vermelhas   perguntou o que foi, disse  foi alergia ao soutien, ele não fez mais perguntas,  mimou e lambia e eu louca de tesão e ele chupa... suga e mordisca... vai pra buceta e chupa toda e quero tudo.
-    Me coma toda quero sua boca e pica no meu corpo. 
Ele  se esmera e me come apaixonadamente... minha xoxota fica excitada com a rolona dele e me come... de todas as maneiras, ... de quatro... na cama... em pé e na poltrona escancarada... gemo toda de tesão e de amor.

Dois dias depois  o velho, tio do meu noivo logo pela manhã conforme marcamos chega e me pega na loja mesmo, deixo avisado que vou sair com o tio, mas que volto na parte da tarde numa esquina do Shopping. Seguimos e entramos num Motel. O homem deve ter uns 60 para 65 anos, mas é vigoroso, atraente e bem cuidado, entretanto um aproveitador sem escrúpulos. Chegamos e ele cheira meu pescoço, tira a blusa e o sutiã e me agarra por tras massageando minha bunda e  fascinado.
Murmura:
-  A cachorra é de primeira, uma fêmea como nunca tive. 
Mete  a boca nos peitões e chupa chupa... sinto tesão e gemo baixinho e ele 
chupando... coloca a mão por dentro da calça e pega na xana sente molhadinha diz.
-    A putinha gosta, toda molhadinha.

Nisso a porta se abre,  me assusto e me cubro  é o filho dele, fico surpresa e sem ação. Ele diz:
-    Convidei meu filho que também vai participar do banquete do primo.
É  um homem casado, charmoso, deve ter no máximo 34 anos anos, bonito, alto e cheiroso, porém um cafajeste que nem o pai. O velho volta para mim e pega na minha blusa e joga pro lado  funga no meu pescoço e cheira e desce logo para os peitões e crava os dentes no bico... dói e tento tirar... ele segura e agora chupa... gemo.

O filho olha 
vai tirando a roupa e fica nu com a rola toda eriçada e me mirando com desejo. O velho me empurra para ele... vem e me chupa nos seios já muito doloridos ... o velho tira minha calça e a calcinha, fico  nua. Vem por trás se ajoelha e me chupa... morde minha bunda e bate... dói e reclamo. 

O velho tira a roupa e exige sua parte... ele chupa um peitão e o filho o outro... sinto prazer e gemo baixinho e gozo. Eles  querem mais e me levam para a cama me sento e eles na frente  chupo um e punheto o outro e vou trocando...
Eles falam:
-    Putona de primeira. 
-    Diz que que é direita.
-    A cachorra é garota de programa e o noivo não sabe.
-    Kkkk tem que dá para os familiares. 
-    É claro, família em primeiro lugar.

E  diziam mais coisas e eu humilhada mas segui na chupadas. O velho está 
no ponto e se deita e coloca a camisinha  eu por cima mete a rola na xana... o filho enfia a rola na minha boca e chupo... um me come... chupo o outro e seguem me explorando e o velho goza e sai de cima de mim.  
O filho coloca a camisinha e me escancara na cama e come a xoxota com gosto... sinto prazer e ele mete... o velho chupa meus peitões e morde e
 o filho socando sempre forte

O velho está acesso e coloca outra camisinha e  resolve me comer por traz enquanto o filho come na frente, vou sofrer uma dupla penetração, ele passa creme no meu cuzinho... tremo mas, me escancaro toda ... e ele mete no meu cu, , choro baixinho e ele mete com mais força ainda  e me deixa dolorida... e ele goza urrando.

O filho  sempre  dizendo frases de humilhação. 
-    Putona boa de cama, gostosa 
-    Uma cachorra sem moral, mas vai casar a rameira.
-    E vai ter que dar pra família sempre que a família quiser se referindo a eles mesmos

apear da humilhação imposta por eles  sinto um tesão e gozo e ele também. Me afasto e vou ao banheiro tomar banho, choro e me visto.  Saio  e não os encontro, com vergonha ligo para a portaria pedindo um táxi, a atendente me avisa que eles não pagaram a conta deixando pra mim pagar os desgraçados

Chego em casa e choro muito com vergonha da humilhação. Tomo banho me cuido com creme, tomo um suco e me  deito. Meu noivo liga e conversamos sobre os preparativos do casamento, ainda na memória aquela cena do tio dele me comendo, e penso que ele vai continuar me chantageando, mas não tenho escolha no momento.




http://contoseroticossensuais.nlogspot.com

JAMAIS PENSEI QUE UM DIA EU TRAIRIA MEU MARIDO


Nunca fui uma mulher de grandes amores, nem de grandes aventuras, sempre fui “meia boca” em tudo. Sou casada, tenho um casal de filhos e vou levando a vida… Um dia entrei em uma sala de bate papo só por curiosidade, confesso que me assustei com o que rolava ali,  naquele lugar virtual, mas eu acabava me divertindo com o que lia entre os participantes. Era um ponto de partida para um sexo casual, o que de forma alguma era o que eu procurava, e de vez em quando eu achava alguém que tinha um papo legal, inteligente ou no mínimo engraçado, meu medo do mundo virtual era muito por isso eu entrava sem  me identificar e depois de conversar ficava naquilo mesmo.

Um dia entrei na parte da tarde, em horário de expediente  coisa que nunca tinha feito e alguém com o apelido de um Alex me chamou, confesso que pensei um pouco antes de responder, mas acabei respondendo ao chamado e pra minha surpresa o papo fluiu sem aquelas perguntas usuais tipo como você é de que cidade, você é casada etc... , o que me chamou a atenção era que ele era muito educado, e muito discreto, coisa rara naquele lugar, conversamos a tarde toda e no fim da conversa  ele me pedir o skype, apesar da segurança que ele me transmitia,  fiquei com o pé atrás e não passei, no eu jamais tinha passado meu skype pra alguem desconhecido, então falei-lhe que ele me dewsculpasse mas eu teria que conhece-lo melhor afinal era a primeira vez que nos falavamos, ele então me sugeriu que a gente conversasse no dia seguinte mesmo horario perguntou se eu podia, respondi que ism então marcamos um encontro virtual.

no dia seguinte não sei porque estava muito eu ansiosa as oras não passavam até chegar as 3 da tarde horário combinado,antes mesmo das 3 eu já estava lá na sala 15 com o mesmo nick do dia anterior e ele nãda, passaram-se meia hora e nada dele, achei até que não viria quando eis que recebo um chamado... era ele, me cumprimentou e galante como sempre disse que não pode entrar mais cedo por causa do trabalho pediu desculpas, e disse ainda que no dia anterior nem dormiu direito pensando em mim, isso me deixou envaidecida, conversamos aquela tarde toda também, e ao final da conversa novamente ele me pediu o skype, dizendo que assim a gente poderia conversar a qualquer hora sem marcar previamente que facilitava etc e tal, mas eu lhe falei que não poderia por ser casada, que as noites meu marido sempre estava em casa ficava dificil pra mim conversar, ele me convenceu dizendo que eu não me preocupasse se eu não pudesse conversar ele entenderia, que  e novamente eu relutei,, ele insistiu, algo nele me inspirava confiança então acabei cedendo e lhe passei o meu skype.

Depois de ter passado meu skype pra ele fiquei pensativa numa duvida enorme parecia que eu estava cometendo uma traição só em conversar com outro homem quase excluí, mas a curiosidade foi mais forte e acabei deixando, começamos a conversar regularmente sempre que estávamos online a conversa fluia sempre como  se nos conhecêssemos a anos, tivemos muita afinidade desde o princípio, e desde então  nos falávamos  sem enjoar um do outro, ele é casado e morava em um Estado vizinho ao meu, a gente conversava regularmente e nem dei me conta  que de repente já estavamos bem íntimos e trocávamos todos os tipos de confidencias, desde uma receita de bolo até uma fantasia sexual, e eu falei a ele  TUDO da minha vida, ele conheceu meu melhor e meu pior, e todos os dias ele me dava   o tão esperado BOM DIA!!! E isso me fascinava…  descobri nele uma pessoa excepcional, tornou-se meu melhor amigo,  e a razão de eu ser a pessoa que sou hoje.

E nossa intimidade durou meses até trocarmos as primeiras fotos, apesar dele insistentemente pedir eu relutava, até que um dia mandei uma foto em que eu estava com um  jeans e uma blusinha de malha branca, ele ao ver-me em foto rasgou-se em  elogios apesar de eu mesma não me achar atraente , porque sou baixinha tenho apenas 1.58 de  altura e  60kg, me acho um pouco gordinha, mas ele elogiou-me ainda disse que o jeans destacava deixando  meu traseiro  bem redondinhos, e confessou que adorava mulheres com esse quesito, depois dessa ocasião ele me pediu uma foto em que eu tivesse de biquini, eu não tinha então coloquei um e tirei uma foto especialmente pra mandar pra ele que quando ele pelo cenário percebeu  que eu tirara a foto no quarto e meu interesse em agrada-lo  e desde então entre a gente começou um jogo sexual que se tornou muito excitante, ele me pedia para fazer certas coisas em meu dia a dia e depois contar pra ele, por exemplo ir sem calcinha a alguma festa ou reunião e depois era pra eu mandar e-mail pra ele descrevendo, eu tambem dava certas tarefas pra ele e ele tinha que retornar dizendo o que fez e onde foi, e assim eram nossos joguinhos,  certa vez fui pra uma festa de casamento e fui até o banheiro posicionei o celular pra filmar tudo, levantei o vestido até a cintura retirei a calcinha e me  masturbei ali mesmo correndo o risco de alguem entrar, só pra mandar o vídeo pra ele e outras loucuras todas... e as brincadeiras foram evoluindo até que criei coragem e começamos a nos ver pela Web Cam e nossos joguinhos pela web cam foram ficando quentes e o tesão que aquilo tudo me causava era inexplicável. Eu sentia um tesão enorme por esse homem que jamais imaginei que um dia sentiria por um homem,  pra mim era coisa de filmes porno  tanto que  quando eu dava por mim já estava me masturbando pensando diariamente e  foi ele quem despertou em mim esse meu lado safada.

Apesar de eu ser casada e sentir um certo peso na consciência por me sentir atraída por outro homem, transar com esse homem passou a ser minha fantasia erótica, ms eu tinha muito medo apesar da gente ter muita intimidade pelas cam, eu sempre relutava em encontra-lo pessoalmente,  principalmente por eu ser casada, mas depois dele insistir bastante resolvemos nos encontrar, a distancia entre a cidade dele e a cidade onde moro são 300 km de distância, ele sempre insistia em vir até minha cidade ms meu medo era muito, que na minha cidade alguém poderia ver mas eu decidi ir até o fim nessa  minha mais louca experiência sexual…,


Faltava-me a desculpa pra me ausentar por um dia, até que surgiu a oportunidade perfeita era um feriadão de fim de semana, meu marido resolveu ir pescar com amigos iam acampar e ficar pelo menos três dias,  mas ainda tinha a questão dos meus filhos adolescentes, então lhes perguntei se eles queriam passar o fim de semana nos avós e eles gostavam de ficar lá por causa dos primos, falei que
os levaria na sexta de manhã e buscaria no domingo, pronto com tudo resolvido deixei um recado pro Alex que poderíamos nos ver na sexta feira se ele quisesse, é claro que ele queria tanto quanto eu, e ainda me pediu um favor especial, pediu-me que eu fosse de vestido e salto alto, era um fetiche dele.

Levantei cedo e  volta das 9.00 horas da manhã eu deixei meus filhos nos avós, e sai de lá com destino ao ponto de encontro que marcamos numa cidade no meio do caminho, cheguei lá eu estava vestido a roupa como ele pedira, um vestido de alças sem sutiã e usava salto altos ,quando saí do carro meus olhos cruzaram com os deles que já me esperava no local combinado, ah!! como sonhei com aquele momento.

Eu estava um pouco tímida, mas o abracei, sentir seu corpo quente encostando no meu foi como sentir um calorão em mim, e sei que pra ele foi assim também, porque logo senti o volume do seu membro  encostado em mim, deixei meu carro estacionado no páteo de um posto na beira da estrada, pedi pro frentista dar uma olhada que eu voltaria em poucas horas e seguimos no carro dele mesmo
quando entramos no carro, sem conseguir me conter mais, quis experimentar o  tão esperado beijo do qual eu estava precisando muito, sua língua se enroscava na minha me fazendo delirar de tesão, passei minha língua em seus lábios e ouvi um leve gemido saindo de sua boca, ele começou a beijar meu pescoço e foi fazendo um caminho de beijos até chegar no meu colo, puxou as alças do meu vestido e sugou meus peitos ali mesmo no estacionamento, a gula dele era tanta que parecia que estava comendo a coisa mais gostosa do mundo, podia ouvir seus gemidos entre as sugadas e lambidas, minha calcinha estava encharcada de tesão, sentia a ponta da sua língua brincar com meus mamilos e me jogava pra trás gemendo de prazer… até que retomando a razão pedi pra que saíssemos dali. Fomos direto para o Hotel que ele já havia reservado pra gente porque íamos passar a noite quando saí do carro, ainda na garagem do nosso quarto, ele me surpreendeu me jogando em cima do capô do carro e chupando minha buceta pela lateral da calcinha, era tudo que eu nunca imaginei que alguem o fizesse a mim mas pedi pra parar pq queria muito sentir ele também, 
Ele me pegou no colo abrindo a porta me  jogou na cama, tiramos op resto das nossas roupas naquele frenesi desenfreados e me coloquei na posição 69 pra que eu chupasse seu pau e ele minha buceta, comecei bem de leve pois vi que ele estava muito duro, passei a língua na divisa da cabeça ao mesmo tempo em que sentia sua língua brincando com meu grelo me deixando mais enlouquecida ainda, e no momento q senti ele colocando dois dedos dentro de mim eu abocanhei seu pau e comecei a chupetar aquela gostosura toda,lambi seu saco q parecia ter vida de tanto tesão, e subi bem devagar até chegar na pontinha e brincar com o lugar de onde sairia o que eu tanto esperava… Gozamos juntos e quando senti seu gozo na minha boca eu percebi q o que eu estava vivendo era mesmo real.depois ele começou a sugar meus seios e eu senti o calor entre minhas pernas, seu pau estava duro novamente e eu montei nele e sentei gostoso, cavalguei devagar olhando em seus olhos e gemendo muito, queria que ele sentisse o quanto eu o desejava, comecei a passar a língua em seus lábios no mesmo ritmo da minha galopada, sentir ele entrando e saindo de dentro de mim estava me tirando dos eixos, quando comecei a intensificar o ritmo ele me segurou pela cintura e me colocou de quatro, puxou meu corpo para trás pelo pescoço e com a outra mão segurando um peito socou seu pau na minha buceta encharcada de tesão me arrancando um grito de prazer, pedi pra ele me penetrar bem
forte e ele prontamente me atendeu e senti q eu realmente estava sendo penetrada por um macho desejoso e cheio de tesão, e como eu estava amando tudo aquilo, ou via o som do seu quadril batendo de encontro com minha bunda e meu corpo tremeu todo quando cheguei ao meu gozo, logo ele tirou seu pau de dentro de mim e senti seu gozo quente na minha bunda. Quando terminei só me joguei na cama e desmaiei pelo cansaço… Acho q dormi por mais ou menos umas 2 horas, quando acordei ele não estava na cama comigo, logo escutei o barulho do chuveiro e achei q estava na hora de um banho também, entrei no banheiro q por uns minutinhos fiquei olhando pra ele, aquele q eu sonhei e esperei por tanto tempo estava ali, na minha frente, nu… lindo… Me aproximei dele por trás sem q ele percebesse e o abracei, ele virou com o melhor sorriso do mundo e me beijou, no inicio um beijo casto, mas q foi se aprofundando e quando dei por mim estava contra a parede com as pernas em volta da sua cintura e ele dentro de mim, metendo gostoso e sugando meus peitos, gozei mais uma vez ali mesmo, e ele me limpou com sua língua, me puxou desesperado pela mão e me colocou em cima de uma mesa que seria par ser usada em refeições, naquele momento eu era a refeição dele e queria que me comesse todinha ali msm, colocou minhas pernas em seus ombros e entrou em mim mais uma vez e outra e outra, agarrei meus peitos beliscando os mamilos q estavam duros de prazer, eu já não gemia mais, eu urrava sem acreditar q uma pessoa seria capaz de me fazer sentir todo aquele prazer q eu estava sentindo, nós beijávamos, nos mordíamos sem ele parar de socar gostoso, quando ele foi gozar tirou de dentro de mim e veio pra minha boca pra que eu mais uma vez provasse seu gozo, chupei gostoso pra ele me alimentar com seu prazer.
Mais tarde resolvemos sair, dar uma volta, pra que pudéssemos recuperar o fôlego, coloquei uma saia e uma blusa e fomos, em um restaurante, e ficamos conversando por horas sem tirar os olhos um do outro. Se tinha alguém no restaurante além de nós? Eu não vi…
Relembramos nossas conversas, fantasias, vontades, ele então me tocava por baixo da mesa, e me pediu que eu tirasse a calcinha e lhe desse, perguntei mas aqui, ele confirmou que sim que queria ali,  então fui até o banheiro, e quando voltei entreguei minha calcinha na sua mão e me sentei ao lado dele, imediatamente ele levou a mão por baixo da mesa e começou a me tocar e gozei mais uma vez, ali mesmo no restaurante, querendo gritar e gemer de prazer mas não podendo, enfiei minha mão por baixo da mesa e abri seu zíper colocando seu pau já duro pra fora e comecei a punhetar devagar, ele resistiu por alguns segundos mas logo pediu a conta e “voamos” para o hotel, a necessidade que tínhamos um do outro era muito grande. Disse q o que eu fiz merecia um castigo e me animei toda com isso. 
Chegando la ele me colocou contra a parede e segurando meus cabelos me pegou por tras, enquanto me pegava por traz falava ao meu ouvido, querida seu castigo vai ser me dar o cuzinho, eu protestei porque não gostava porque era muito dolorido mas ele disse-me não tem não vai ser castigada desse jeito, eu quero assim, como eu poderia negar depois de tudo que já tinhamos passado ali naquele dia, logo a seguir  disse q ia comer meu cuzinho, pra me ensinar a ser uma menina boa e não fazer ele passar vontade em público, estremeci na hora de medo e
prazer. Quando ele entrou em mim por aquele buraco tão apertado eu comecei a me tocar e pedi pra ele socar com mais força, que já que tava comendo meu cú, que comesse direito, sem dó, enquanto ele me socava eu me tocava e quando disse q iria gozar de novo ele parou, tirou seu pau de dentro de mim e beijou minha bunda, senti q ele queria prolongar aquele momento, me segurou pela cintura e colocou tudo outra vez tirando somente quando fomos gozar, e dessa vez gozou na minha mão enquanto me tocava e gozava junto com ele. Aquele homem era uma máquina de me dar prazer, só de olhar pra ele eu já estava molhada de tesão e minha vontade era de montar nele o tempo todo.
Depois que ele tomou um banho, foi sua vez de dormir enquanto eu arrumava algumas coisas na minha mala, depois fiquei olhando ele dormir, quando achei q ele já tinha descansado o suficiente eu olhei para seu pau, que também estava dormindo e pensei: deixa ele dormir trabalhou bastante hoje, já tinha escurecido então resolvi deitar-me ao seu lado e adormeci, logo pela manhã acoredei mais
cedo fui ao banheiro fiz minha higiene pessoal e quando voltei vi ele ali deitado nu e seu pau molinho deitado pro lado, pensei tá hora de acordar rapaz… me ajoelhei e abocanhei ele molinho mesmo e logo ele deu uma gemida deliciosa, e logo fui sentindo seu pau crescendo dentro da minha boca, que sensação boa… lambi, chupei, punhetei com a mão  sempre olhando em seus olhos, que naquele momento estavam bem abertos, seus gemidos me deixando louca de tesão, chupei bem gostoso pra deixar ele bem louco de prazer, quando ele disse q iria gozar eu segurei o seu pau entre meus seios numa espanhola, enquanto ele gozava, depois espalhei

Ele fez q ia se levantar e eu o impedi dizendo q eu não tinha terminado ainda, me posicionei sentada em cima do seu pau e em movimentos de sobe e desce comecei a foder bem gostoso naquele pau,  com minha buceta lambuzada com meu mel do prazer, meu orgasmo não demorou a vir e o fiz me limpar toda com sua língua, passamos a manhã toda namorando e fazendo sexo  até a hora do almoço, ele teria que fazer o check out do hotel as 12 horas então teríamos que ir embora, e eu tentava não pensar na hora da partida, queria aproveitar cada segundo com ele, tirar tudo dele pra mim, e tirar tudo de mim pra ele… Tínhamos nossas vidas separadas pela distância, mas nossas almas sempre estariam unidas.

Fui para o banheiro e debaixo do chuveiro deixei as lágrimas caírem, ali eram lágrimas de alegria, de satisfação mas tbm de tristeza por ter q deixar para trás aquele que eu mais queria pra mim me arrumei e fomos até onde eu tinha deixado meu carro onde em nosso abraço de despedida foi uma promessa muda de q aquele não seria o último.



contoseroticossensuais.blogspot.com