sexta-feira, 11 de abril de 2014

MINHA MÃE, COM UM AMIGO MEU NO MEU APTO.


Minha mãe é uma mulher nos seus 46 anos mas ainda muito bonita,  casou-se ainda bem nova e meu pai era do tipo que achava que a mulher tem que ficar em casa satisfazer as vontades do marido, não pode sair não pode ir ao salão de beleza porque na opinião dele está se arrumando pra outro.. não podia comprar uma roupa com um decote que fosse, enfim... ela era humilhada o tempo todo por ele e pior ainda ele mesmo era um mulherengo, alem de que ele era chegado na bebida,  observando essa vidinha que meu pai impunha a ela de certa forma me incomodava, eu era filha unica, desde meus 20 anos eu morava sozinha, tinha minha independência financeira comprei meu próprio apartamento e eu nunca me casei justamente porque gostava de ser independente, eu chegava a hora que queria, saia a hora que queria levava quem eu quisesse pra dormir lá enfim... essa era minha vida mas eu sempre visitava meus pais, passava quase todos os fins de semana com eles, e não rara as vezes minha mãe reclamava do jeito opressor do meu pai, ainda mais porque ele bebia as vezes e ficava meio descontrolado até violento as vezes... uma vez eu insinuei pelo menos no sexo está bom, ela deu um suspiro baixou a cabeça e falou baixinho, quem dera... isso deixava um tanto chateada.aconselhava minha mãe a largar do meu pai já que a vida deles estava um verdadeiro inferno...

Resolvi tomar uma providencia... a primeira coisa que eu fiz foi levar minha mãe a um salão de beleza, mandei dar uma ajeitada no cabelo dela mudar o penteado, ela tinha um cabelo comprido mas mal cuidado, levei-a a um shopping comprei umas roupas melhores pra ela... ela começou a  ficar com medo e preocupada com o que meu pai iria dizer... eu acalmei-a e falei se ele falar alguma coisa diga que é presente meu oras... será que eu não posso dar presente a minha própria mãe..., só que ela não usava por medo do meu pai, então para mudar a rotina dela eu comecei a leva-la comigo pra passear nos shoppings, assistir cinema meu pai nunca ia junto então eu e minha mãe nos tornamos bem amigas, quase que como irmãs.

Notei que isso lhe fazia bem, ela foi aos poucos mudando de gata borralheira para uma mulher que despertava para a vida, até que num dia meu chefe estava dando uma festa de aniversário da mulher dele, e ia ser numa chácara de um amigo me convidou porque sabia que eu iria e falou se quiser levar alguém uma  amiga pode levar, depois eu descobri o porque do convite, era uma festa meio reservada e lá teria mais homens que mulheres, e ele ia dar um baile depois da festa, e eu já havia ouvido que as festas que ele dava eram bem quentes e animadas,  como a maioria dos que iam lá estavam na faixa dos 40 e tantos, lembrei-me da minha mãe na hora, isso ia lhe fazer bem, telefonei pra ela falei que ia leva-la comigo, mas ela falou que meu pai não deixaria, liguei pro meu pai e fiz ele deixa-la ir comigo no dia marcado eu fui até a casa dos meus pais e eu mesmo escolhi uma das roupas que eu já tinha comprado pra ela no shopping, fiz ela colocar uma blusa branca e uma saia  acima do joelho, ela ficou uma gata, ou melhor uma pantera considerando a idade dela, mas ela ficou linda....

Levei-a ao meu apartamento para eu terminar de me trocar, antes de sair eu fiz ela tirar a aliança, e para não ficar aquela marca no dedo coloquei um dos meus anéis na mão dela e falei pra ela, hoje você não vai ser minha mãe, hoje vc vai ser uma amiga, é assim que vou te apresentar, combinado tudo liguei para um amigo que marcamos ir juntos, chegando lá ele trouxe outro amigo junto e fomos até a tal chácara, chegamos por volta das 21 horas, a maioria já tinha chegado, e havia bebidas nas mesas, uísque a vontade rolava solto pra quem gostava, mas o que mais rolava era o famoso Cuba Libre, Rum com Coca Cola, que deixava bem mais fraca o teor de álcool mas mesmo assim .... depois das devidas apresentações nos assentamos os 4 numa mesa ficamos ali jogando conversa fora, o amigo do Guto meu ficante era o mais velho chamava Pedro parecia que se entrosou bem com minha mãe, ... passado a festa do aniversário, o corte do bolo, dos cokteis começaram a tirar as mesas e empilhar nos cantos do salão o som já rolava solto e a maioria já estavam no meio da pista dançando a maioria já meio embalados.... nós também tínhamos bebido um pouco mesmo porque os garçons estavam sempre trazendo um ou outro tipo de coktail, enfeitados mas todos com certos teores alcoólicos,

Como as mesas estavam quase empilhadas ficamos de pé observando os demais, olhei minha mãe discretamente balançava o corpo, quando a musica que inicialmente estava agitada passou para musica lenta os casais começaram a dançar mais colados, o Pedro e o Guto nos tiraram pra dançar, minha mãe a principio recusou, mas eu mesmo a incentivei e falei Laura (é o nome dela), Laura viemos aqui pra curtir não foi, então.... e comecei a dançar com o Guto, o Pedro insistiu um pouco e ela acabou aceitando, passado umas duas musicas e os casais continuavam dançando eu olhava pra ela e via o Pedro com o rosto colado, e a mão dela no quadril dela, e discretamente apoiada em sua bunda.... logo depois não os vi mais... eu continuei dançando ... mais tarde quando a musica mudou de ritmo novamente parei, meio cansada voltei pra mesa.... mas não os vi... não demorou muito os dois entraram... notei que minha mãe estava meio assustada, ela foi ao banheiro e eu fui atras, chegando lá ela estava vermelha que nem um pimentão, perguntei o que tinha acontecido foi quando ela me falou..... Suzi... ele me convidou pra gente ir conversar lá fora num lugar sossegado, eu fui.. ele pegou na minha mão.. fomos de mãos dadas.... chegando lá, assentamos num banco no bosque, o lugar estava escurinho, ele me beijou Suzi... na verdade nos beijamos.... eu dei uma risada e falei... humm voce tá causando... ela disse mas isso não é tudo... enquanto nos beijávamos ele apalpava meu seio.. pior que eu não fiz nada, depois ele levantou minha saia e enfiou a mão dentro da minha calcinha, foi quando eu levantei e voltei pra cá....

Em vez de reprova-la eu falei.. eu já esperava isso, mas me conta foi bom????e voce gostou????  Como ela não falava nada eu continuei e disse-lhe olha se você gostou... não se preocupe comigo... ela  continuou, mas não posso isso é errado sou casada.. seu pai me mata.... falei mata nada ele nunca vai saber pelo menos não vai saber da minha boca  fica tranquila... e digo mais... aproveite.. hoje vc é não é minha mãe voce é uma amiga esqueceu vai fundo aproveite se quiser beijar beije não passe vontade.... quando a gente voltar você volta a sua vidinha.... mas hoje vamos esquecer tá....  saímos e  fomos pra mesa... não demorou muito a musica alternou novamente pra lenta, já eram quase duas da madrugada... eles novamente nos convidaram pra dançar.... o Pedro não desistiu dela e ela acabou aceitando dançar de novo... passado alguns minutos dançando olhei pros dois e percebi que o Pedro estava cada vez mais colado, seus corpos pareciam um só, sua mão puxava o quadril dela para si.. percebi que ele estava beijando o pescoço dela, tenho certeza que os dois estavam excitados, o Guto também me tentava, eu sabia que depois que o Pedro tentou a primeira vez iria tentar novamente levar minha mãe pra cama, e isso me excitava tanto que eu já imaginava minha mãe transando com o Pedro...e o Guto tambem me apalpava e senti o volume crescer dentro da calça dele, na verdade eu tava doida pra transar mas depois do ultimo namorado eu ainda não tinha tido outro...

Enfim.... da mesma forma que na vez anterior a certo momento não os vi mais.... eu imaginava que eles tinham voltado pro mesmo lugar.... falei como Guto pra gente sair um pouco.... ele perguntou porque eu não resisti e falei, acho que minha amiga está no escurinho com o Pedro, fomos quietinhos pra não fazer barulho... chegamos bem próximos e fiquei só observando os dois que já estavam aos beijos...

Era um daqueles bancos de jardim.... vi minha mãe desajeitadamente deitada no colo dele e ele com a mão enfiada na blusa dela apalpando os seios.... em dado momento ele tirou o pau pra fora e pediu pra ela chupar, o que ela não o fez de imediato mas logo se rendeu e caiu de boca.. a essa altura eu já estava toda molhada só de ver minha mãe que sempre foi tão pura, tão honesta no casamento com o Pau de um estranho na boca... o Guto atraz de mim vendo aquela cena.... baixou meu jeans e eu nem esbocei reação, ele me encoxou por traz... ali mesmo, e demos uma rapidinha ali mesmo..... continuei olhando e vi o Pedro e minha mãe no maior dos amassos, vi quando ele enfiou a mão por baixo da saia dela e dentro da calcinha para masturba-la..... apesar da rapidinha que eu tinha dado com o Guto ali ainda estava excitada.... foi quando o Pedro tirou a calcinha dela e tentou come-la ali mesmo, minha mãe levantou-se daquele banco e não deixou... ouvi ao longe que ela tava com medo que alguém aparecesse... como eles voltaram pro salão tambem voltamos.. e assim ficamos ate umas 3 da manhã quando o Baile foi diminuindo a intensidade... então sugeri que voltássemos.....

Durante o trajeto de volta eu voltei no banco dianteiro e mina mãe dom o Pedro no banco traseiro.... durante todo o caminho de volta o Pedro não parava de tentar umas caricias mais intimas, mas minha mãe com medo talvez por eu estar perto não deixava-o, pensei comigo o que ela precisa é de uma experiencia fora do casamento, se não acontecer hoje não acontece mais.... quando o Guto parou na frente do meu apto para nos deixar eu falei.. vocês não querem subir pra tomar um ultimo drink?? Era isso mesmo o que eles esperavam então subimos... já no elevador o Guto me abraçava e beijava... e o Pedro tentava a mesma coisa com a minha mãe notei que ela estava muito desconfortável....., chegamos no meu apto chamei-a pra ir ao meu quarto.... e lá eu falei... Mãe... já falei pode fiar a vontade com o Pedro pra o que quiser.. foi quando ela me falou... mas filha ele quer transar comigo de qualquer maneira, eu não posso... sou casada... seu pai... não deixei ela completar e falei meu pai que se foda... ele nunca te deu valor sempre te tratou mal e sempre disse que voce tinha um caso.... não é mesmo...? ela concordou.. pois bem... agora você pode ter esse caso e quando ele falar vai ter razão mas só você vai saber... mas filha isso não é certo.... eu falei tá tudo bem.. eu disse o que pensava agora é com você se vai até o fim ou não....e voltamos pra sala...

Na verdade em vez da bebida eu rapidamente  fiz um cafezinho na cafeteira e os servi, então falei não quer dormir aqui Guto... ele rapidamente Claro que quero.... então falei vamos pro meu quarto..., me virei e falei pra minha mãe e pro Pedro, olha tem o quarto de Hospedes e o sofá vocês se viram tá...., entrei e fechei a porta.., não demorou muito eu e o Guto demos uma transada fenomenal só que eu tava curiosa pr ver o que ia dar com minha mãe e o Pedro... abri um pouco a porta do quarto deixei só uma frestinha e fique observando os dois....vi que o Pedro já tinha conseguido tirar a blusa e o sutiã da minha mãe deixando-a só
de saia, vi quando ele chupava os seus seios.... e vi também que ela estava gostando.... não demorou muito ele tirou a calça porque a camisa ele já tinha tirado.... e vi quando ele tirou a saia dela deixando-a só de calcinha, pude ver ela deitada ali em posição de submissa esperando pelo seu macho... só então pude perceber realmente que ela tinha um corpo bem bonito coxas grossas que todo homem gosta, ela estava a espera dele mas ele não subiu em cima dela imediatamente, começou a beijar o corpo inteiro, a chupar os seios.... lamber a barriga, parou no umbigo, pra depois subir novamente beijando e lambendo... , ela se contorcia de prazer..... finalmente ele arranou a ultima peça dela, deixando a nuazinha em pelo, abriu suas pernas e caiu de boca na vagina, vi ele lamber em movimentos debaixo pra cima, ela não parava de se contorcer.... tenho certeza que estava gostando demais daquele momento... , logo em seguida ele se posicionou em cima dela invertido oferecendo o seu pau pra ela chupar eles fizeram um 69, antes dele a penetrar.... quando desfizeram o 69 ele abriu as pernas delas e se posicionou entre elas para finalmente penetra-la com tudo.... em bombadas rapidas e continuas... nisso o guto atraz de mim segurava meus seios por traz e dizia... essa coroa amiga sua até que é gostosona...eu até comeria se ela me desse...., eu falei sossega o facho não é pro seu bico.. se quer comer alguem me coma vai.. me coma enquanto observamos os dois.... o Guto então excitado pela cena, colocou o pau por traz em mim novamente como na chácara , segurou minhas ancas e atolou o pau na minha buceta...., que não entrou até o talo mesmo porque a posição era desfavorável.... e gozamos.... vendo os dois meterem bem ali na nossa frente... então o Guto me falou novamente...eu ainda queria comer a sua amiga.. eu falei depois de todas que demos vc ainda tem gás?? Ele respondeu claro que tenho... eu então num tom desafiador lhe falei, tá bom se você conseguir....mas duvido que ela te de eu conheço bem ela.

Ele aceitou o desafio... e falou... vamos ver se ela não vai mesmo.... depois que transamos... fomos tomar um banho, ouvi que eles também tinham ido tomar banho.... em meio a madrugada o Guto foi até a sala falou algo com o Pedro que veio até meu quarto e deixou os dois lá... o Pedro falou então... que ele tinha me mandado ficar só olhando... e o Guto que tinha a minha idade partiu pra cima da minha mãe que ainda estava nua, só de toalha enrolada no corpo mas minha mãe a principio se recusava a ideia, eu sou mente aberta mas minha mãe era caretona, transar com o Pedro já tinha sido dificil imagine transar com dois na mesma noite.... só que o Guto não desisti, abraçou-a e tentou beija-la a força.... ela virava a cara... ele foi até meio rispido.. tirou a toalha dela meio a força e meio a força a deitou abriu as pernas dela e se posicionou por cima... eu na verdade tva vendo tudo, aquilo mais me parecia um estupro que uma relação consensual... mas aquilo estava me excitando também.... até então minha mãe não tinha me visto, aproximei dos dois e falei assim não vale Guto... tinha que ser exponente .. minha mãe olhou pra mim e falou, você sabia???? Falei que sim, que o Guto ao ve-la transando com o Pedro ficou tarado por ela e que me falou, e eu lhe falei que se ele conseguisse eu pagava pra ver... ela meio sem entender nada... falou... Pedro voce tambem sabia?? ele afirmou com a cabeça que sim... ela meio que revoltada me surpreendeu já que é assim.. pra quem fez o que eu fiz hoje... não custa nada chutar o balde... e falando assim permitiu que o Guto a comesse tambem...., foi uma foda rápida e sem muita melação.... já estava quase amanhecendo o dia então fomos dormir, pela primeira vez minha mãe dormiu com outro homem na mesma cama no sentido literal... acabamos os 4 na mesma cama e dormimos mais ou menos até o meio dia, quando acordamos
fizemos  um lanche e combinamos que mais tarde a gente ia até o shopping almoçar porque era tarde para cozinhar... depois do café e pra variar começamos a conversar sobre a sacanagem do dia anterior a festa, a tansa no apto, notei que minha mãe estava mais solta... e notei também que o Guto não tirava o olho dela, parece que tinha tara por mulher mais velha..., pra passar o tempo e nesse clima de sacanagem ele propôs então uma brincadeira, a brincadeira da garrafa, aquela  que a pessoa gira e em quem parar tem que beijar, então começamos num clima bem descontraído, quem girou a primeira vez foi o Pedro... e a garrafa apontou pra mim.. eu dei uma bitoca mas o Guto faloi bitoca não vale tem que ser de língua....  e assim foi até que finalmente todos tinham beijado todos de língua com direito a mão boba nos seios etc.. o clima foi esquentando até que  alguém propôs que o jogo mudasse pra uma peça de roupa pra ver quem ficava pelado primeiro... em pouco tempo eu estava pelada e minha mãe só de calcinha o Guto pelado tambem e o Pedro ainda de calção... então começou uma pegação.. o Pedro que já tinha transado com
minha mãe na noite anterior... pegou minha mãe e colocou de 4, meteu o pau na buceta dela....o Guto vendo isso tb quis fazer o mesmo comigo, logo estávamos as duas lado a lado chupando o cacete dos nossos machos ora eu chupava o Guto ora trocava com minha mãe e eu chupava o pau do Pedro que era mais avantajado que o do Guto, na verdade eu estava era querendo aquele pau dentro de mim, afinal a minha mãe tinha transado com o Guto e eu não tinha transado com o Pedro, como eu já sabia que  Guto queria ela por ser mais velha falei pro Pedro, vem... vamos fazer nós dois...o Guto adorou a historia, em pouco tempo estava uma suruba só ninguém era de ninguém.... metemos a vontade trocando de parceiros a toda hora.... até que o Pedro me colocou de 4 e apontou aquela vara avantajada pro centro do meu cuzinho e com jeitinho começou a enfiar.... só me lembro que foi uma orgia completa.... terminando aquela sessão fomos almoçar.... e depois nos despedimos...

Ao levar minha mãe de volta pra casa já se passavam das 4 horas.. e ela parece que tomando conta da situação do dia anterior e daquela manhã parece que a consciência começou a pesar... e falou filha que loucura voce me levou a fazer...., respondi mãe fica tranquila, faz de conta que nada aconteceu...., mas seu pai.... não deixei terminar e falei, meu pai??? Ele mereceu por ter te tratado como empregada esses anos todos, voce não fez nada mais que despertar..... pra vida....  ela então parece que resignada aceitou...

Depois desse acontecimento cada vez que eu chamo-a pra sair a primeira coisa que ela pergunta é... não vai aprontar de novo né..... 


quinta-feira, 10 de abril de 2014

A CRENTE DA SALA AO LADO, FELIZ E REALIZADA

Em 2010 vim trabalhar numa nova empresa, em fase de crescimento bastante razoável, Prestava serviços para uma grande multinacional e para os prestadores de serviço ficarem  próximos, ganhamos uma sala no primeiro andar, junto a outras 4 empresas também prestadoras enquanto a multinacional ficava no térreo.
Logo nos primeiros dias  vi que na sala ao lado numa outra prestadora de erviços trabalhava uma mulher muito bonita, olhos azuis e cabelos negros, pele bem branca, pernas grossas sempre cobertas por saias jeans abaixo do joelho.  Chamava-se Janete, encontrei ela algumas vezes no refeitório e  com o passar do tempo fizemos amizade e descobri que ela era evangélica, como já nos conhecíamos tomei a liberdade de convida-la para  almoçar fora, visto que percebi que me olhava diferente.

Como já tínhamos certa liberdade entre uma conversa e outra logo no primeiro almoço ela me perguntou de cara se eu traia minha esposa, eu respondi que se valesse a pena eu encarava, ela em seguida me pergunto e o que é valer a pena? Respondi na maior cara de pau, assim olha, se fosse uma mulher bonita e inteligente como você ai sim é o que eu digo que valeria a pena, notei que ela ficou meio envergonhada mas continuei e perguntei se ela  já havia traído seu marido também e ela me disse que não..  e completou que  tinha muito medo de ser descoberta, eu sem perder a deixa falei, então não é por falta de vontade e sim por medo né??!! Novamente ela se calou, mas percebi no ar que ela queria algo mais.


Apesar de trabalharmos em salas ao lado começamos a trocar mensagens via MSN e logo vi que ela tinha bastante curiosidade e um grande medo, mas que a vontade também era enorme, se eu mexesse com os pauzinhos  direitinho eu comeria aquela crentinha gostosinha, e comecei a provoca-la cada dia mais.... até que  certa vez  havia um treinamento e no andar superior, e deu certo de ficarmos sozinhos nos nossos  

escritórios, foi quando ela veio até minha sala, e não demorou muito começamos a nos beijar e ela percebeu e comentou sobre o volume sob a calça... no que eu de imediato abri a braguilha e tirei meu pau pra fora.. ela ficou ruborizada.. eu então falei vem.... ele titubeou mas logo se ajoelhou e abocanhou gostoso.. apesar de crente sabia chupar um pau bem gostoso.  Quase me fez gozar com o boquete e finalizou dizendo que gostava mas que o marido não deixava fazer, por achar imoral e contra os ensinamentos da igreja do qual ele frequentava, disse ainda que ela mesma sempre teve muita vontade de receber sexo oral, mas o marido também não fazia, levantei sua saia e tentei colocar a mão por dentro da sua calcinha mas  ela não deixou, e disse-me que  não acreditava no que acabara de fazer, então para provoca-la eu falei, tudo bem por hoje mas  amanhã pela manhã terá outro treinamento e ficaremos sozinhos aqui novamente, quero que venha com ela raspadinha pra eu chupar você como merece, ela voltou pra sala dela e falamos de sacanagens o resto do dia mas não passou disso, eu  fiquei ansioso e curioso para ver se ela tinha coragem de fazer o que lhe pedi e de trair o marido dela pela primeira vez comigo.

No dia seguinte cheguei as 08:30 e logo vi que ela havia chegado também.  Pontualmente as 09:00 logo começou a reunião de treinamento e ficamos sozinhos, cada um em sua sala, mandei uma mensagem no MSN perguntando e daí? Fez o que te pedi, vai vir mostrar pra mim??? Não demorou muito e ela entrou na minha sala.. notei que estava diferente ela usava uma saia mais leve que as normalmente usadas, uma saia que mostrava um pouco mais e  estava levemente maquiada mas estava bem  perfumada, ela mal entrou e já nos beijamos intensamente e enquanto a beijava levantei sua saia e já pus a mão dentro da sua calcinha... estava pegando fogo e ela já soltou um pequeno suspiro.  Coloquei ela sentada em minha mesa, próximo a beirada.. e sem cerimonia puxei sua calcinha e retirei-a pelos pés...

A visão realmente era tentadora. Uma buceta com lábios grandes, rosada, cheirosa e  úmida.  Fiz com que se deitasse na mesa, sentei-me na cadeira e comecei a chupar aquela buceta sem pudor algum, com voracidade.  Enfiava a lingua bem fundo e subia abrindo aqueles labios carnudos até chegar no grelo.
Em pouco tempo ela já gemia gostoso e tive que por a mão em sua boca para abafar os gemidos, mas continuei trabalhando gostoso com a boca e a lingua.  Senti seu corpo tremer no primeiro orgasmo.. continuei chupando e agora enfiava um dedo na buceta.. gozou rapidamente com isso.  Resolvi testar seus limites e alem do dedo na buceta enfiei outro dedo no cuzinho.  Se não fosse a mão tapando sua boca certamente as pessoas saberiam o que estava havendo, tamanho era o tesão demonstrado naquele momento.  Mais alguns poucos minutos e ela explodiu num orgasmo intenso, mordendo minha mão e se contorcendo inteira, fiz ela gozar mais uma vez lambendo sem pressa seu grelo, mas não foi tão intenso, nunca vi tanto desejo contido numa mulher só 

Ela se levantou .. estava descabelada mas com um sorriso gigante no rosto.  Disse que nunca havia sentido algo tão forte.  Lógico que a resposta imediata foi "você está apenas começando !".. ela sorriu mais uma vez e sem demora desabotoou minha calça, ajoelhou-se e desta vez não fez feio e chupou até que eu gozasse em sua boca.. engolindo até a ultima gota de porra e levantou-se e sem dizer nada foi pra sua sala.  Tive que ir até lá devolver-lhe a calcinha, aproveitei e falei sacanagem o que tá fazendo comigo, me ouriça e não deixa eu te comer, mas a chupada já valeu, ela me respondeu, calma tudo tem sua hora certa, é muito arriscado aqui no escritório.

Depois disso ela passou o dia trocando comigo  mensagens de sacanagens.. a fera havia sido acordada!  E ao fim do dia me disse que já não tinha mais medo e que queria comigo que o serviço fosse completo.
Mas não foi fácil um  encontro fora dali pois seu horário de almoço era apenas uma hora e não havia motel tão perto e formos deixando pra depois.  Até que ela conseguiu um atestado médico, era falso mas 
funcionou, então teríamos a manhã inteira para ficar juntos., finalmente marcamos o tão sonhado encontro, cheguei no local marcado com 15 minutos de antecedência e ela já estava lá.  Entrou no carro apressadamente como se estivesse se escondendo, chegamos no motel e eu escolhi uma suite que tinha uma cadeira erótica, visto que o plano era dar um banho de língua absurdo, pelo seu olhar de admiração vi que era a primeira vez nos seus 24 aninhos que estava em um motel!  Vim por tras e a abracei.. mordendo sua nuca e já abrindo os botoes da camisa que usava.. logo uma linda lingerie branca se mostrou, desabotoei sem pressa o sutiã e continuando a morder sua nuca, pescoço e ombros massageava os mamilos.. que estavam rigidos de tanto  tesão.   Ela mesmo desabotoou a saia e a deixou cair.  Usava uma calcinha bem menor do que eu esperava. Apenas dois fiozinhos do lado que se transformavam em um que sumia dentro da bunda... sem pestanejar puxei as alças arrebentando e arranquei sua calcinha como um troféu.  Ela deu um gritinho de espanto que logo se tornou em gemidos quando minha mão pousou sobre sua buceta.. pelo tato senti que novamente estava depilada no zero,  levei ela até a cadeira erótica, que parecia com aquelas de
ginecologista .. deitei e pus suas pernas nos apoios.. deixando pro alto e muito arreganhadas.  Sentei-me no banco e comecei a aplicar-lhe o castigo merecido, ela gozou cinco vezes na sequencia, sendo que o mais forte novamente foi com o dedo no cuzinho.  Desta vez vi o tamanho do tesão daquela mulher, ela não gemia baixinho e quando gozava eram verdadeiros gritos de prazer e tesão, resolvi melhorar a situação e saquei um penis artificial de 16cm, sai do banco e passei a chupar seus mamilos enquanto fodia sua buceta com o pau artificial.. novamente ela gritava a cada orgasmo gemendo alto finalmente disse o que queria ouvir :"Me come!  Me come!".  Sem tira-la da cadeira erotica apenas pus a camisinha e passei a foder aquela buceta estupidamente melada.   Seus gemidos aumentavam conforme os orgasmos chegavam.. parecia que sua fome nao tinha fim e por fim tirei ela da cadeira e a coloquei de quatro na cama e continuei fodendo a buceta e novamente ela goza pedindo mais.  Coloquei ela de lado e fodi forte.. dois orgasmos depois e ela querendo mais vi que teria que apelar. pus ela novamente de quatro e passei a foder sua buceta com o pau artificial, com o KY por perto ja
fui lambuzando seu cuzinho enquanto a fodia com o pau artificial, parei por um instante.. ela arfava de cansaço e tesão.. nossos corpos suados.  Usando o anel do penis artificial encaixei ele no meu pau... coloquei ele na buceta dela e meu pau tocou o cuzinho... ela não se mexeu e apenas gemeu.  Sem duvida alguma queria sentir meu pau no cuzinho, fui colocando devagarinho.. o cuzinho estava relaxado e apesar dos 18cm nada fino... ela o recebeu inteiro gemendo gostoso, comecei a copular devagar.. tirava só o suficiente para que os dois paus não saíssem de dentro e depois socava bem forte, nesta situação ela já não gemia.. soltava gritinhos de tesão e prazer..  que foram aumentando conforme as estocadas se sucediam, ela gritava :"Vou gozar.. vou gozar pelo cu... que delicia... come meu cu!"... e num grito de extase gozou forte.. dava pra sentir ela apertando o cuzinho enquanto as ondas de choque percorriam seu corpo, vi que era o momento e comecei a bombar mais rápido e forte... o orgasmo dela se prolongando.. os gritos de prazer também.  Não havia como segurar numa situação daquela e num urro gozei dentro daquele cuzinho gostoso e caimos prostrados na cama.  Fiquei uns cinco minutos ainda dentro dela até que a respiração voltasse ao normal.

Ficamos ali sem palavras.. apenas recostados um no outro uns bons minutos... até que ela resolveu tomar banho, deixei ela sozinha um bom tempo até que ela me chamou.  Tomamos um banho muito demorado, nos alisando e beijando embaixo da ducha até que ela se ajoelhou e começou um boquete.  Demorou um
pouco mas meu pau deu sinal de vida novamente e ela pediu para transar ali mesmo. Fui buscar mais camisinha e a encostei na parede e comecei  a foder sua buceta por tras... mordia seu pescoço e apertava seus seios e ela gemia gostoso.. gozou... pediu por mais.. continuei bombando forte e ela goza novamente apertando as pernas... pediu pra eu gozar nela.  Tirei o pau da buceta e novamente apontei no cuzinho.. ela encostou o rosto na parede para apoiar e com as mãos abriu mais a bunda.  Numa só estocada firme penetrei o cuzinho e desta vez ela já gritou de tesão... empurrou o corpo mais pra tras e arreganhou a bunda.. a cena de ver meu pau fodendo aquele cu excitava demais.  Cansei um pouco mas consegui o intento de fazê-la gozar mais uma vez com o pau no cu.

Terminamos o banho e fomos pra cama descansar.... a hora voava e já não tínhamos tanto tempo.
Nos vestimos e fomos pro trabalho, a tarde ela mandou um email dizendo que havia tido mais prazer comigo em uma manhã do que em toda a vida que havia vivido.  Que não imaginava que sexo podia ser tão bom e que não havia tabus e sim preconceito por parte do marido dela.  Combinamos de ter outros encontros, e foi assim por um bom tempo.. até que a empresa que ela travalhava parou de prestar serviços a multi que contratava todos nós e aos poucos fomos perdendo o contato

domingo, 6 de abril de 2014

A CASADA DA FILIAL INTERIOR


Quero compartilhar uma agradável experiência que tive. Sou casado bem casado com uma mulher linda e carinhosa, mas como todo homem tem instinto de caçador comigo não foi diferente, eu trabalho numa grande empresa estabelecida no interior do estado com muitos funcionários na área de produção, mas  eu trabalhava na área burocrática, e comigo trabalhava  uma garota, com seus 30 e poucos anos casada também , a Ana muito linda, uma gata, loira, altura 1,72, que na época usava umas mini saias de arrasar, exibindo um par de pernas roliças do tipo de fazer qualquer homem babar,  o único defeito dela era que  defeito, era que era casada e com filhos pequenos, passamos 4 anos juntos trabalhando na mesma seção, ela se tornou mais madura deixou de usar aquelas mini saias provocante e passou a vestir-se mais sobriamente, acho que por exigência do cargo que ela ocupava, pois fora promovida e eu sempre a desejei mas ela se mantinha na linha e não dava muita brecha, alem do que eu e ela eramos casados e frequentemente tinha confraternizações na empresa com funcionários onde iam o marido dela e minha mulher então não era muito prudente um envolvimento entre funcionários, mesmo porque em cidade pequena todo mundo sabe de todo mundo e todo mundo se conhece alem de que o marido a levava todos os dias até a porta do trabalho


Diante daquilo tudo a gente até perde o interesse, tipo assim, deixa para lá, a mulher é casada, mãe de filhos, é melhor ficar distante. Mas não adianta, quando a mulher é bonita a gente olha mesmo, mesmo que muito discretamente, mas por sermos amigos sempre trocávamos e mail eu a elogiava... ela contava coisas por e-mail apesar da gente estar próximos de escrivaninha, parece que era mais gostoso a partir de um momento percebi que ela tinha um olhar diferente, mas não levei muito em conta achei normal coisa de colegas, até que num dia estou chegando e o marido dela estava deixando-a  no escritório, passei por ele e cumprimentei e também entro atras da Ana nesse dia ela estava com uma saia longa, que lhe caia muito bem marcando seu lindo corpo, não pude deixar de perceber o contorno de uma calcinha pequena, subi a escada atras dela sem deixar de olhar aquela bunda maravilhosa, imaginando como seria a calcinha, e mais ainda,  como ela ficaria só de calcinha... quando chegamos  lá em cima que ela  vira-se para me falar algo, deu para ver que usava uma blusa de malha e estava sem sutiã que deixava transparecer  os bicos dos seios que estavam duros,vacho que por conta do frio aqui do sul. Aqui tudo aquilo ficou me

 batendo, isto é, aconteceu aqui que se chama de desejo, e que minguem consegue controlar. Ai comecei a cuidar mais da moça, e não tive mais dúvida que aqueles olhares dela tinham mais alguma coisa. Todo dia mandava um e-mail dizendo alguma coisa light, pois estava tateando, tinha receito de cometer alguma gafe, o que poderia estragar aquela relação de amizade gostosa que tínhamos, Num certo dia recebi uma proposta pra assumir um cargo na capital ganhando bem mais. Nem pensei muito, aceitei, quando voltei da diretoria comuniquei ao pessoal que estava saindo da filial, etc. e tal. voltei  para minha mesa, liguei o computador e comecei a ler os emails, e eis que tinha uma mensagem dela dizendo: "que pena que vais embora, será que vais sentir saudades de mim?". Minha nossa eu não sabia bem o que fazer, pensei se não rolou nada até agora, não vai rolar mesmo, deve ter sido apenas uma demonstração de carinho com um colega  já que vou embora .

Em seguida me transferi com minha família toda para a  capital, e a nossa  troca de emails continuou, e passamos a nos ligar. Como  eu e ela tínhamos sala privativas, tínhamos liberdade de falar ao telefone e o que nunca fizemos quando estávamos próximos começamos a fazer agora, parece que a distancia nos encorajava a ser mais ousados,  não raras as vezes ei a elogiava, dizendo que ela era muito sensual, e que quando trabalhava no interior sempre a desejei, falei  do dia que fiquei doido com os biquinhos durinhos dela, e ela parece gostava da conversa, gostava de sentir-se desejada, mas sempre se esquivava, e com nossos frequentes contatos a intimidade ia aumentando. Certo dia falei que minha fantasia sexual era transar com ela, pra minha surpresa ela me disse que ficou toda arrepiada, aproveitei então e eu disse que só de falar destas coisas com ela eu ficava excitado, quando a conversa chegava a esse ponto ela chegava a mudar o tom de voz lá do outro lado da linha tentando desconversar e mostrar a mulher séria que ela era ou que deveria ser, mas um dia  na cara dura perguntei se ela não ficava exitada também com nossas conversas ao telefone, ela relutou um pouco mas disse que sim, então perguntei se ela costumava ficar molhadinha, ela disse acho que sim, ainda no clima insisti, e agora você tá molhada? Ela meio sem jeito falou, acho que tô.... então eu disse  eu disse põe o dedo  pra confirmar se você realmente tá molhadinha, isto tudo por telefone. 
Para minha surpresa ela disse para esperar um pouco que iria passar 

a chave na porta, para evitar ser surpreendida por alguém que pudesse entrar de repente, foi um intervalo bem pequeno mas parecia uma eternidade, quando ela voltou ao telefone me disse que tinha posto o dedo dentro e estava toda melecada e me falou, ... pois só tu mesmo para me convencer a  fazer isto e riu, na minha sala privativa eu estava me masturbando por cima da calça, e confesso que gozei na cueca com aquela situação e logo desligamos, mas nos falávamos sempre até que um dia eu disse a ela, que quando ela viesse à capital, poderíamos almoçar ou jantar  juntos, e quem sabe ... deixei no ar o resto da frase, foi quando  ela me passou o celular particular, só pediu que eu não ligasse fora do horário comercial porque ela estaria em casa e ficaria complicado, e eu nunca liguei para o celular dela porque tínhamos o telefone da empresa a nossa disposição . 

Passaram se meses até que certo dia ela me liga e assim fazendo um charminho ela me falou... adivinha quem vai ter que ir pra capital .... quae estourei de emoção, e falei não vai me dizer que é você???  Ela respondeu eu mesma..... disse teria que vir a sede resolver uns problemas , na hora falei o almoço ainda tá de pé!!! , ela disse que almoço não iria dar porque tava compromissada mas que topava um jantar... mas me pediu discrição, não queria que outros funcionários nos visse isso poderia suscitar comentários...  mas disse estar com receio de sermos visto, mas confirmou. Eu disse que iria escolher uma restaurante discreto, longe do escritório. combinei de pegá-la no hotel que estava hospedada e no horário marcado eu estava, eu não podia chegar na recepção ela não queria como ela estava demorando  resolvi telefonar e ela falou que tinha se atrasado mas que já estava vindo. não demorou muito vi um táxi parar na frente do hotel e desce aquele monumento de mulher ela entrou no hotel e 15 minutos depois já tinha trocado de roupa e descido, ela veio ao meu encontro estava linda dentro de um taileur parecia uma executiva, ela entrou no meu carro nos cumprimentamos como velhos amigos então me pergunta se eu já sabia qual restaurante iríamos, e reforçou que tinha medo de servos vistos juntos. Eu disse que tinha escolhido um bem agradável na hora pensei  ir a um motel e jantarmos lá, mas não quis ser afobado vai que eu tivesse interpretado mal e ela me desse um fora eu queria dar um bote certeiro, e fomos jantar.... era um lugar
pouco iluminado pegamos uma mesa longe, pedi uma jarra de vinho tinto suave, jantamos e conversamos bastante, relembramos nossos telefonemas, as sacanagens e tudo.... ao terminar o jantar paguei a conta, entramos no carro minha vontade era sair dali ir direto a um motel com ela, mas perguntei como quem não quer nada,já jantamos e agora que vamos fazer... ela me respondeu você não tem que chegar cedo em casa?? Eu disse que já tinha arranjado uma desculpa pra chegar mais tarde, e novamente perguntei o que quer fazer agora, ela então respondeu.. deixo a sua escolha, hoje estou em suas mãos... entendi que isso era um sinal pra eu tomar a iniciativa.

 Depois disso coloquei o carro em movimento, e me dirigi ao motel que eu já tinha em mente,  fui sem dizer nada a ela , cheguei e já fui entrando na recepção com o carro ela me olhou com uma cara de safada, eu falei-lhe não vai me dizer que você não esperava por isso, ela respondeu, é esse era um risco que eu corria, mas quem tá na chuva.....  e calou-se confirmando que eu tinha tomado a decisão certa... pequei a chave da suite e entrei, ela ficou no carro, sai e baixei a porta da garagem da suite só então ela desceu, abri a porta do apartamento para ela que entrou, depois fechei a porta e chave. Ela ficou parada na minha frente, e fez um gesto com a cabeça, e falou você não presta.... e balançou a cabeça tipo assim ... o que estou fazendo aqui. abracei-a pela cintura e puxei para mim, dei um leve beijo na boca,  para logo depois nos beijarmos longamente. com o corpo dela contra o meu, e acariciando a bunda dela. Ficamos um pouco assim tinha muito desejo no ar. Fui levando para a cama e lá ficamos nos beijando e eu tocando todo o corpo dela. comecei tirar a blusa dela e ela facilitou, ficando de saia e um sutiã preto, continuei beijando-a e fui abrindo o fecho da saia dela, e comecei a tirar, tirei tudo deixando-a só de calcinha e sutiã, 

Eu mão acreditava que estava com aquele mulherão que eu desejei por anos a fio, só de sutiã e calcinha na minha frente, deitei-a na cama e eu beijava todo o seu corpo, num ritual baixei a primeira alça do sutiã, até aparecer o bico do seio, cai de boca, lambia, chupava, mamava. Tirei totalmente  o sutiã deixando livre um par de seios médios e bem durinhos, fui beijando todo o corpo e descendo, comecei a beijar a xoxota ainda sob a calcinha, enquanto fui poucos e sem nenhuma pressa puxando a lateral da calcinha, eu eu sentia que ela levantava o corpo para facilitar que maravilha, apareceu uma linda buceta bem rosada, lábios grandes , com uns poucos pelinhos loirinhos, só me restava  dar umas elas  lambidas naquela xota., para em seguida beijá-la na boca para ela sentir o gostinho dela mesma, pedi que ela virasse de barriga para baixo e comecei a beijar a nuca, pescoço, fui descendo pela espinha, chegando a bunda, que cobri de beijos e mordidinhas carinhosas. enquanto minha não acariciava o clitóris, a xota estava toda molhada então molhava o dedo dentro da xotinha e voltava a acariciar o clitóris, eu sentia a respiração dela cada vez mais ofegante. 

Nem me lembro de como tirei minha propria roupa mas me lembro de  que estávamos os dois pelados nos esfregando. Fiquei sobre ela brincando com  a cabeça de meu pau nos biquinhos dos seis dela, depois passa meu pau pelo rosto dela, como uma forma de carinho. Voltei a me deitar sobre ela beijando quando ela começou a mover o corpo, de forma a me acomodar melhor sobre ela, foi abrindo as pernas, como se dizendo estou pronta, pode entrar então coloquei a cabeça do pau na entrada da buceta, e sem pressa eu 
a penetrei,  sentido o prazer de cada centímetro dela... lentamente como se pedindo permissão para penetrá-la totalmente, permissão essa que já estava dada então  lentamente fui enfiando até entrar tudo, até o fim. Sempre beijando-a, comecei um leve vai e vem, por estava experimentado aquele corpo pela primeira vez. mas ela ainda  estava um pouco tímida,  passiva deixando-se  ser possuída por mim, deixando eu tomar as rédeas da situação  alternei entre um vai e vem mais forte, com uma mas lento, em minutos ela se soltou mais e começou a curtir retorcendo-se e gemendo até explodir numa num gozada gostosa pra ela e pra mim também porque senti a contração dos seus lábios vaginais em torno do meu pau. a partir dai ela se soltou e ficou mais participativa,  como se nos conhecemos na cama a  muito, muito mais tempo, embora fosse nossa primeira vez.

Botei de novo e novamente ela gozou, então a vagina dela começou a se contrair gostoso e eu fiquei mexendo bem lento, e aquela vagina sugando meu pau, gozei um monte maravilha, depois dessa primeira sessão Enchemos a hidro e ficamos lá curtindo a dois de uma forma muito deliciosa  tomamos um banho e voltamos para cama. Para compensar a foda maravilhosa que acabara de dar comecei uma chupada na xota dela, lambendo os lábios internos, colocando a língua dentro da xota, sugando o clitóris, dando lambidas, e ela gozou novamente, eu agarrava ela pelas pernas, e ela urrava de prazer, eu continuava a chupá-la até que ela não aguentava mais de tanta tesão e pedia para eu parar porque estava com muita  sensibilidade depois de ter gozado, mas eu de sacanagem não parava, e a segurava  não deixava ela escapar, e ela gozando tendo múltiplos orgasmos  Ana estava ofegante, coração disparado,  

achei que ela iria ter uma ataque mesmo......  fomos tomar uma cerveja na hidro para que ela se recuperasse ficamos nos beijando na banheira de hidro, , nos acariciando mutuamente. Puxei -a para cima de mim, ela colocou o meu pau dentro da bucetinha dela, tentei penetra-la mas tive certa dificuldade porque a água da hidro tinha tirado toda a lubrificação dela e minha, mas com jeitinho acabei conseguindo  e ficamos assim conversando e bebendo lembrando do tempo que a gene trabalhava junto, falei pra ela que sempre a achei muito gostosa mas ela nunca deu brecha nesses anos todos.. não resisti a curiosidade e perguntei porque ela tinha resolvido sair comigo, ela me respondeu que  primeiro por causa dos nossos telefonemas e provocações, segundo porque ela ficou sabendo que o marido tinha saído com outra também e resolveu que se ele tinha saído ela também podia.. agradeci  aos deuses do sexo, então comecei a provoca-la mais ainda  Logo eu senti a vagina dela se contraindo novamente.

Eu com o pau dentro daquela buceta linda que parecia um vulcão ativo. que mulher maravilhosa, alem de linda era simpática e bem humorada, e o principal solta na cama. saímos da hidro e fomos pra cama, agarrados e  já estávamos novamente num gostoso papai x mamãe...........quando terminei  pedi para ela  

virar de barriga para baixo, ela me olhou receosa sem saber o que eu ia fazer, mas para ganhar sua confiança fui por cima dela, mas botei na xotinha e fiquei bombando, enquanto masturbava o clitóris dela, com isso ela ficou bem soltinha, quando percebi que ela estava bem relaxada  tirei o pau da xota e coloquei na porta do  cuzinho dela,  a princípio ela ficou apreensiva, mas como estava no clima disse-me tá então pode colocar, mas tenha cuidado, vai devagar. com meu dedo enfiei na xota e com seus próprios líquidos a lubrifiquei, lambuzei bem o cuzinho dela, meu pau já estava todo lubrificado com minha saliva mesmo  encostei a cabeça e fui forçando devagarinho, que baita tesão, a cabeça entrou mas não forcei,  fiquei parado um pouco até ela se acostumar, fiquei curtido os seus movimentos de contração apertando a cabeça aos poucos fui enterrando até o fim, numa sensação muito gostosa de estar invadindo aquela rabo que eu tanto tinha desejado. Quanto entrou tudo fiquei parado, curtido cada movimento dela, que estava ofegante ela pediu para eu acariciar o clitóris dela enquanto eu a penetrava, comecei a acarícia-lo e ela virou uma verdadeira pita, empurrava a bunda contra meu pau, ficou enlouquecida e eu comecei a bombar forte e ela gostava mais ainda, foi uma foda fenomenal, ela gozou duas vezes até que eu não resisti mais, gozei dentro do rabo dela. 

Fomos tomar banho novamente. Eu ainda consegui ficar de pau duro, na banheira ela, já completamente solta veio novamente e sentou no meu pau, e ficamos ali tomando cerveja, eu propositalmente derramava cerveja nos seios dela e lambia. Mas a brincadeira já tinha durado umas quatro horas e tá na hora dela ir, nos vestimos, nos beijamos ainda no motel e deixei-a na rodoviária. No outro dia ela mandou um email dizendo: "gostei de tudo, e na proxima vez que eu for a capital vamos repetir tudo de novo....

sábado, 29 de março de 2014

SEDUZINDO IRMÃO GÊMEO DO MARIDO

Eu sempre fui uma mulher que gostava de sexo nas suas mais variadas formas, ainda pré adolescente na época de escola eu já era curiosa sobre sexo, beijava os meninos, etc.. depois já no segundo grau tive minha primeira experiencia sexual, pra ser sincera eu beijei muito e aproveitei bastante até eu casar então comecei a cumprir o meu papel de mulher casada, e meu conto começa quando conheci meu marido, 26 anos e sou casada há 4 anos mas já estou junto com meu atual marido a mais de 6  anos e meu marido é gêmeo idêntico do meu cunhado e desde pequeno a mãe deles acostumava vestir eles iguais, mesmo corte de cabelo e  quando namorávamos eles mesmo uma vez fizeram uma brincadeira de meu cunhado se passar pelo até então meu namorado só pra ver se eu conseguia identificar, as vezes eu mesma até ficava em duvida por serem tão parecidos, vozes iguais tudo idêntico, claro que com o passar do tempo eu já não tinha dificuldades em identifica-los.

O Meu marido e o irmão eram tão unidos que até abriram uma pequena empresa de tecnologia de informática porque os dois eram formados em computação, eles desenvolviam programas para empresas, e também sites para a internet.

O tempo passou eu casei-me, fui morar ao lado dos meus sogros, tive um filho, minha vida corria tudo normal mas de uma hora pra outra me sentir  atraída pelo meu cunhado, a ponto de ter sonhos e fantasias, resumindo acabei tendo uma verdadeira tara por ele e o pior de tudo que eu gosto destas fantasias, e desta especie de tara, então pensei... porque a mulher não pode tomar a iniciativa também?
Resumindo, mesmo eu sendo casada, discretamente já fiz de tudo pra provoca-lo e tentar pelo menos ficar uma vez que fosse com ele, mais ele e a família do meu marido são muito conservadores e unidos e na visão deles cunhadas pra ele é como se fosse homem, 
As vezes eu até acho que ele se sente alguma atração pelo olhar, mais ao mesmo tempo acho que é coisa da minha cabeça e eu é que tô fantasiando pelo fato de eu é que quero ter uma noite com ele, eu já tentei repelir esse pensamento, até me distanciei dele afinal sou casada e ele é meu cunhado mas... passa um tempo e depois voltava tudo esse meu desejo e eu decidi correr todos os riscos e sentir a sua pegada, faltava apenas a ocasião propicia para a coisa acontecer.

Apesar da resistência dele eu sabia que era questão de tempo para que acontecesse de eu realizar minhas fantasias, por mais que eu quisesse eu não podia simplesmente chegar nele e dizer... Charles eu quero sentir sua pegada, eu quero dar pra você, era preciso a combinação de vários fatores, era preciso que eu e ele estivéssemos sozinhos em um local que não oferecesse riscos a nenhum dos dois porque ele também já tinha se casado recentemente estava praticamente em lua de mel ainda.

Demorou um tempo mas finalmente aconteceu desta ocasião propicia acontecer, eu estava em casa numa tarde, meu filho estava na escolinha como todos os dias, eu estava sozinha em casa, lavando a calçada, vestia apenas um shortinho curto, chinelos de dedo, e um camisão branco amarrado na cintura deixando minha barriga e o umbigo a mostra e eu não usava sutiã, quando o Charles chegou disse que precisava de uns arquivos  que ele tinha deixado num pen-drive que  meu marido havia trazido pra casa e esquecido de levar, pensei comigo, essa é a chance, estamos sozinhos se não for hoje não vai ser nunca, então convidei-o a entrar, e fui procurar no quarto, achei vários pen-drivers na gaveta não sabia qual era, aproveitei abri dois botões da blusa, chamei-o Charles vem cá ver qual é o que voce quer.... ele então entrou em nosso quarto ao me ver deu uma secada nos meus peitos que estavam quase a mostra, assentou-se na banqueta pegou o not e começou a procurar os arquivos, me debrucei sobre ele e de maneira dengosa falei... então Charles.. voce me acha uma mulher bonita? Ele surpreso balbuciou.. sim... Voce me acha uma mulher gostosa??? Novamente ele sem jeito disse... sim acho... aproveitei e provoquei mais ainda...  meus peitinhos.. vc gosta?? Pode pegar neles se quiser.. como ele não tomava a iniciativa, eu peguei em sua mão e levei até dentro da minha blusa, ele discretamente começou a massagear... como ele ainda estava muito tímido e muito devagar, olhei bem pra ele e alei falei bobinho estamos só nós dois aqui sozinhos.
Abaixei e beijei sua boca , a principio ele relutava, mas não resistiu muito tempo e nossas bocas estavam coladas... comecei a tirar sua camisa ele já não resistia mais levei minha mão e massageei  seu pau por cima da calça, que por sinal estava duríssimo, abri sua braguilha, ele ainda sentado na banqueta ajoelhei-me na frente e abri o cinto e sua braguilha, comecei a fazer um boquete tenho certeza que em sua mente ele poderia até pensar que estava errado mas eu caprichei porque eu desejava aquele homem fazia muito tempo e agora era a minha vez de satisfazer minhas fantasias, comecei a chupar e a provocar ele de forma que e a gente só
não transaria ali naquele dia se ele fosse gay e isso eu sei que ele não era porque seu pau estava e continuava duríssimo dentro da minha boca, e pra provoca-lo mais ainda  tirei meus peitos pra fora da blusa coloquei o pau dele entre meus peitos e fiz uma espanhola começando um movimento de vai e vem com o pau dele preso entre meus peitos ao mesmo tempo que eu chupava a cabeça quando a cabeça do pau se aproximava da minha boca... meu cunhado estava muito excitado, muito mesmo, eu podia sentir isso pulsando entre meus peitos e na minha boca, nesse momento ele já tinha se entregue ao prazer, entrega total, eu finalmente tinha conseguido seduzir meu cunhado recém casado, eu tinha conseguido meu intento que era realizar a fantasia de transar com o irmão gêmeo do meu marido, então pude testar o poder de sedução de uma mulher quando quer um homem não resiste a
ela e foi o que eu fiz, provoquei-o de tal maneira que ele não resistiu, e logo depois de eu dar aquela mamada bem gostosa fomos pra cama para terminar o que começamos,, me joguei na cama  e o chamei, e nesse momento já não passava mais na cabeça dele me resistir... veio pra cima de mim com uma voracidade como um leão depois de abater sua presa, tirou meu shorts e minha calcinha juntos,  eu levantei meu quadril para facilitar a sua ação e se jogou sobre mim com a espada em riste pronta para me penetrar, e na hora que o membro dele entrou eu fui ao êxtase, a adrenalina tomou conta do meu corpo, aquela sensação de prazer e de adrenalina pelo proibido me deixava ainda mais excitada que eu naquela hora nem pensava no marido nem no filho que estava na escola... eu estava curtindo plenamente aquele ritual de acasalamento onde ele furiosamente bombava dentro de mim, até
finalmente eu sentir ele gozando, ele gozou gostoso, foi quando eu lhe falei... Charles... voce me come por traz?? Ele assim surpreso me perguntou por traz? No cú? eu confirmei sim, eu gosto me come por traz.. come... ele então não pensou duas vezes.. apontou aquela vara pro centro do meu anus... e sem muita cerimônia socou pra dentro...  e novamente em movimentos furiosos começou a bombar..... eu gozei... duas vezes... pela frente e por traz ... foi adrenalina pura.... .... finalmente desfalecemos um do lado do outro..... ele olhand pro relogio disse-me que teria que ir já estava atrazado.... pegou o pen drive e foi..

Fiquei ali sozinha tentando entender a minha tara pelo meu cunhado porque teoricamente era eu transando com o clone do meu marido sem nada de especial ou espetacular... era apenas uma fantasia... e foi melhor do que as nossas transas conjugais não por ele ter pau maior ou coisa assim, mas pela adrenalina do proibido...  depois dessa vez não transamos mais, e nenhum de nós dois jamais tocou no assunto novamente.... com o passar do tempo foi até esquecido... 

sexta-feira, 21 de março de 2014

COMO FIZ PRA MINHA MULHER PARTICIPAR DUMA TROCA DE CASAIS


 
Acho que a maioria dos homens tem certas fantasias, menage é uma delas com certeza, menage a três, pode ser duas mulheres e um homem, ou dois homem e uma mulher e no meu caso minha mulher nunca aceitou a ideia de menage swing ou coisa do gênero, apesar de eu sempre a provoca-la na hora do sexo, ela não falava nada, minha mulher era daquelas que sexo entrava muda e saia calada, com ela era, nada de gemidos, ou palavrões ou expressões qualquer... isso ficava por minha conta, eu sempre falava, xingava, provocava mas ela nada de entrar no clima, isso durou uns 15 anos de casado só na fantasia, nossos dois filhos já eram adolescentes....
Eu falava pra ela, que qualquer dia eu ia arranjar um jeito de colocar um terceiro participante na nossa transa, eu sempre falava que adoraria comer uma das amigas dela, era um fetiche meu, ela não me reprovava quando eu falava assim mas nunca também entrou no clima, as vezes eu falava que então eu ia arranjar um amigo pra participar com a gente, como ela achava que era só fantasia minha da hora do sexo ela nunca acreditava, como eu a achava muito insensível na cama resolvi apimentar nossa relação... resolvi aprontar uma para ela primeiro combinei com um amigo de confiança, mas que não frequentava nossa casa ela não conhecia, era um amigo do trabalho, a gente conversava sobre fantasias, perguntei pra ele se a mulher dela participava das fantasias dele, ele me disse que a mulher dele até participava, mas que ele nunca teve coragem de falar seriamente com ela sobre fantasias, menage swing etc...então eu falei mas se fosse por voce, voce teria coragem de fazer um swing se a sua mulher concordasse, ele disse que sim, eu falei que a minha jamais concordaria mas que eu tava com uma ideia pra faze-la participar.

Foi quando eu fiz uma pergunta, que voce acha da minha mulher, ele me falou que achava ela gostosinha, o que não era mentira, minha mulher émorena clara, tem 1.55 baixinha, mas tem coxas grossas e um seio bem perfeitinho, apesar de ser um pouco acima do peso, quando coloca uma roupa mais sensual fica bem gostosa, e a mulher do Fabricio meu amigo tb não era de se jogar fora... ao contrário da minha mulher tinha 1,75 era bem mais alta, era esbelta cinturinha marcante, estava quase sempre de jeans o que exaltava suas curvas, resolvi fazer uma proposta o Fabricio, falei voce topa a gente fazer um swing.. ele respondeu mas como elas não vão topar, e se elas não toparem, foi quando eu falei a minha ideia.

Façamos o seguinte, a gente cria um clima por um tempo, na hora do sexo a gente reforça fantasia da troca de casais,  isso vai fazer elas pelo menos pensarem na ideia dai a gente vai forçando ao barra dizendo que já tem o casal pra ir até o fim etc e tal..... depois desse clima criado  vamos leva-las a um motel, pegar quartos proximos um do outro, estando lá a gente  coloca venda nelas, faz elas deitarem na cama pra esperar, dá uma desculpa qualquer mas insiste que elas não podem se mover e quando elas estiverem num clima a gente combina um sinal e troca de quarto, daí é só deixar a coisa acontecer... .. o Fabricio pensou um pouco mas gostou da ideia então começamos a colocar em pratica, todas as vezes que eu ia transar com a Cleuza minha mulher eu sussurrava em seus ouvidos, amor... to muito a fim da gente sair da rotina ... já ouviu falar em troca de casais né... que vc acha da gente um dia realizar essa fantasia? Ela não falava nada, mas de tanto eu falar um dia ela me perguntou, supondo que eu aceitasse como seria, quem que casal onde.. essas perguntas, então eu tentava explicar... não sei amor... mas isso a gente arranja... onde... pode ser motel.. enfim eu tentava criar um cenário.... mas sempre que eu tentava dar o xeque mate perguntando se ela topava ela ficava brava e dizia que eu era doente onde já se viu... eu querer que ela transasse com outro.... mas eu não desistia da ideia.

Conversei com o Fabricio, a mulher dele era mais receptiva que a minha, tambem não concordava prontamente mas... ele via uma pequena possibilidade, e ele dizia que se ela o fizesse seria por ele... e não por ela mesma... enfim... então depois de alguns meses amaciando resolvemos colocar em pratica a ideia, ... num fim de semana.. descobrimos que alguns motéis tem suítes conjugadas que se comunicam entre si por uma porta disfarçada com espelhos justamente pra não ser percebida na penumbra, fizemos a reserva antecipada num motel, pedimos quartos colados, fui pra casa falei pra Cleuza colocar uma roupa bem bonita que iriamos jantar fora.... durante o jantar eu perguntei se ela queria ir a um motel comigo, claro que ela disse sim... eu fui o tempo todo a provocando de todas as formas... na verdade eu não sabia qual seria a reação dela quando ela descobrisse... ms quando ela descobrisse já seria tarde pra voltar atras, entramos no motel...  como eu já tinha combinado os horários com o Fabrício tipo horario de entrada, horario que faríamos a troca... enfim... tudo cronometrado como se fosse uma operação militar, qualquer coisa fora do combinado iria estragar tudo, combinamos ainda que não iriamos fazer nem tentar fazer anal com as nossas esposas porque a minha mulher não concordaria de jeito nenhum, e ele me disse que a Dora também não enfim seria melhor assim.

Dentro do quarto, comecei a beijar.... abraçar minha mulher... excitado pela ideia de comer a Dora, mulher do Fabrício, dei uma trepada bem gostosa com a Cleuza... tenho certeza que o Fabrício também fez igual...até que chegou a hora, exatamente as 23 horas seria a hora da troca de quartos, então depois de uma foda bem gostosa que eu tinha dado a gente foi tomar banho..... quando voltamos pra cama. começamos um
joguinho sensual, faltavam 10 minutos, então eu coloquei a venda na Cleuza comecei a acariciar o corpo dela peguei um gelo do frigobar, comecei a passar bem de leve... nos seios.... na barriga.... na xoxota... fiquei ali naquele ritual sempre olhando no relógio.... faltavam então poucos segundos falei.... me espera.. tenho uma surpresa pra você... mas não tire a venda.... antes de sair me certifiquei que a venda estivesse bem presa e que ela não estivesse vendo nada...... aumentei o som pra abafar o ruido da porta se abrindo, então como combinado o Fabrício entrou no meu quarto... e eu rapidamente fui pro quarto dele... naquele momento eu não pensava que o Fabrício iria comer  a minha mulher, eu pensava que eu ia comer a mulher dele isso me excitava, entrei no quarto e vi a Dora... deitada.. nua... pentelhos raspados quase tudo.. deixando apenas aquele bigodinho....., assentei-me ao lado da cama ela quiz dizer alguma coisa, eu não falei nada apenas coloquei o dedo na boca dela e fiz um ruido de shiiiiiiiiiii, como quem manda não falar nada.. comecei a acariciar os seus seios... a lamber..... não beijei a sua boca pra ela não desconfiar que não era o seu marido, continuei as caricias.... coloquei o dedo na xoxota toda melada.. a Dora estava excitada... eu também... não demorou muito pra que eu estivesse em 
cima dela... metendo como um adolescente naquela gostosa  percebi que ela tentou tirar a venda mas eu não deixei... depois de gozar... eu a peguei pela mão conduzindo até a porta que dividia as suites... abri e passei para o lado onde estava o Fabricio ainda em cima da Cleuza, metendo minha mulher embaixo dele submissa como sempre, vi quando ele gozou... olhei pra ele e fiz sinal pra ele vir tirar a venda da mulher dele que eu ia fazer o mesmo com a minha, nos posicionamos, e num sinal combinado tiramos a venda. delas...

Elas meio que sem entender nada falaram o que é isso... foi quando a gente falou, isso é um swing... que fantasiamos na hora do rala e rola...... minha mulher falou imediatamente.. eu não vou participar disso eu não vou transar com um desconhecido... a Dora um pouco mais receptiva não falou nada, foi quando demos uma risada e falamos já transaram.... a Cleuza quase teve um troço... voltamos pra quase quase que brigados, mas eu sabia que ela seria amansada com bastante carinho e me dediquei ao máximo pra compensa-la....  até hoje estou tentando convence-la a repetir e dessa vez a gente fazer um swing sem vendas, mas ela é irredutível e disse que só participou daquele porque.... foi enganada e não sabia senão nem aquele ela teria participado... ..  Bem tem mulheres que são frias por natureza infelizmente a minha é assim..... por isso... desisti de qualquer coisa diferente com ela mas não desisti de minhas fantasias, arranjei outra parceira....  e minha mulher não precisa saber ....

quarta-feira, 19 de março de 2014

TROCA TROCA DE SOGROS

Sou  casada e meu marido chamado Robson  é um homem maravilhoso , temos uma vida bem confortável de classe média alta, mesmo porque sou psicologa e tenho um consultório particular onde procuro resolver os problemas de tantas pessoas e jamais imaginaria que eu acabaria resolvendo tambem um problema com meu sogro, eu  conheci meu marido na faculdade quando ele estudava odontologia, moramos na região serrana do RJ, e pra ilustrar a história vou me chamar Pietra, tenho 36 anos , 1,70,  cabelos castanhos  molhos castanhos amendoados e um  corpo bem delineado mas em suma é  igual da maioria das mulheres brasileiras,  quando vou na praia uso biquíni e noto que faço sucesso entre os homens mas não me acho um mulherão, meu marido o Robson já do tipo alto, forte , 41 anos mas já tem cabelos grisalhos e na cama é muito sacana e sempre muito criativo, porque na hora do rala e rola,  tem sempre alguma fantasia a propor , e em entre quatro paredes eu sempre aceito, alem daquelas normais de sexo oral sexo anal e alguns fetiches,  a fantasia mais freqüente que ele sempre propõe e a de me ver  trepando com outro homem,  as vezes ele até me incentiva a fazer isso mesmo ele não estando presente, , porem somente no campo da fantasia, pois nos sempre tivemos medo de realiza-las , talvez por nunca encontrar uma pessoa de extrema confiança, mas  sempre que saímos e avistamos algum homem interessante, trocamos ideias como se fosse realizar ali com ele, as vezes pintava algum coroa bem mais velho com idade pra ser nossos pais então ele me provocava e com esse voce iria?? Eu pra provoca-lo mais ainda dizia porque não!! Ele retrucava e vc teria coragem, ei o provocava mais ainda e dizia esses devem ter mais experiencia, e se não der no coro aposto que tem muito a mostrar com a lingua,   na maioria das vezes  quando chegamos em casa ele começa a criar situações com aquele  homem desconhecido , e começamos a sacanagem , com ele assumindo o papel do outro e ate mesmo o papel de corno , com isto sempre gozamos intensamente.
Para que entendam melhor, meu irmão mais velho é casado com a irmã do Robson, alias eu conheci o Robson justamente por causa do meu irmão depois que eles se casaram minha cunhada fazia o maior fervo pra que eu namorasse meu marido e acabou dando certo, eu e minha cunhada sempre fomos cúmplices, ela é um pouco mais velha que eu mas partilhamos de pensamentos iguais, até parece que somos irmãs de tanto que somos ligadas e antenadas uma com a outra, somos mais cúmplice que vocês podem imaginar , eu comento tudo o que acontece comigo inclusive intimidades, cantadas que levamos na rua ou no trabalho  e vice e versa , comentamos ate a loucuras sexuais que cometemos com nossos maridos ,foi  ela que me ensinou e incentivou a dar a bunda e ter prazer , pelo que ela confidenciava ela e meu irmão também eram muito criativos e aventureiros, ela me falou que uma vez dentro do cinema junto com meu irmão , certa vez foram assistir um filme pornô e com a cumplicidade dele quando um estranho se aproximou e assentou-se do lado deles  ela incentivada por meu irmão começou a masturbar disfarçadamente o ilustre desconhecido , ela me disse que o Laertes meu irmão  ficou com muito tesão mas não transaram, então nos duas sabíamos que os nossos maridos eram liberais e achávamos que tanto o Robson como o Laertes aceitariam de boa  a ideia da gente envolver-se sexualmente com outro que não fossem eles, ou sejam de certa forma  aceitariam outros homens em nossas camas, e pra dizer a verdade tanto eu como a Maria já tínhamos discutido a possibilidade de realizar, talvez não tivéssemos realizado ainda por medo e porque não tínhamos encontrado algum homem de plena confiança para realizarmos as nossas fantasiosas , provavelmente nós 4 e não fossemos irmão já teria rolado um swing.
Coincidentemente fomos morar no mesmo prédio e deu certo de comprar um apto no mesmo andar, o que nos deixava muito próximas, meu pai que era viúvo veio morar com a gente porque nosso apto era bem amplo e para não deixarmos morando sozinho achamos melhor ele morar com a gente, ate ai nada de mais, e meu sogro que também era viúvo veio morar com eles isso facilitava porque os dois tinham acesso aos dois aptos e podiam curtir os netos  eu acho que por ambos ficarem viúvos muito recentes sentiram a falta da minha mãe e minha sogra e  entraram em depressão meu pais um pouco mais meu sogro nem tanto, e eu como a psicóloga da família tentei fazer com que eles superassem esta fase, mas não estava dando certo  sugeri que frequentassem um grupo da terceira idade, só que terceira idade pra eles eram pessoas com mais de 70 eles ainda estavam naquela fase dos 60 que nem eram velhos demais nem novos por isso não gostaram da ideia, sugeri que eles tentassem então frequentar esses bailes e bailões e assim encontrar alguma companheira,  sugeri até irem a uma boate pegar uma mulher de vez em quando pra tirar o atraso, achei que  esta era causa de suas depressões , os dois recusaram a ideia dizendo que o que eu tinha na cabeça, nenhuma outra mulher substituiria a suas esposas , falei-lhes não precisa ser pra casar, só pra ficar que tem demais? nós duas começamos a tentar convencer a eles terem uma experiencia sexual com outras mulheres, mas eles saíram bem bravos comigo, então resolvi não insistir mais, deixei as coisas esfriarem um pouco.

 Mas depois de  alguns dias comecei a perceber que  meu pai andava um pouco  mais animado, as vezes entrava no banheiro e se demorava, comentei isso a minha cunhada , e ela me disse que ultimamente ele sempre se oferecia para cuidar dos netos, ficava um tempão na casa deles ela achava isso normal por causa dos netos e por mais de uma vez  ela o pegou espiando-a  depois de sair do banho só de calcinha estava passando seus cremes no corpo, e disse ainda que quando ele percebeu que
que ela o viu ele saiu rapidamente como se tivesse passado ali por acaso, foi quando eu disse-lhe que no mesmo horário ele chegou em casa apressadamente e se trancou no banheiro por um longo tempo , isso nos deixou intrigadas mas de certa forma felizes porque ele estava sentido novamente desejo por uma mulher, o único problema é que esta mulher era sua nora, falei pra minha cunhada que isso me dava raiva por ser meu pai, mas ao mesmo tempo dava  tesão, e ela achou melhor antes de tomarmos qualquer atitude seria melhor observarmos mais dias ate temos certeza, mas depois disso ele nunca mais rodeou a Maria, acho que ficou muito envergonhado só que meu pai voltou a ficar jururu e depressivo e o meu sogro pra variar lhe fazia companhia nessa depressão, minha cunhada e eu acabamos por ficar com pena deles, foi quando minha cunhada me propôs que a gente fizesse uma especie de teste com eles e coloca-los a prova dai a  gente resolveu armar novas situações, combinamos de provoca-los um pouco só pra ver se eles saiam daquela depressão, minha cunhada me propôs que a gente os provocasse veladamente quando estivéssemos a sós, eu falei provoca-los como ela então me explicou, ora a gente se troca quando eles estiverem em casa deixa a porta semi aberta, toma banho e sai de toalha e coisas assim só pra ver a reação deles, eu falei olha Maria de repente a coisa pode sair do controle, mas ela toda eufórica falou dá nada... vc topa, se você topar eu topo tb... e assim acabei topando.

Nas semanas a seguir, meu pai continuava frequentando a casa da Maria, e o Seu Pedro meu sogro e dava um jeito de fazer ele ficar mais na minha casa, estava sempre pedindo algum tipo de favor... então eu colocava roupas bem provocantes e sempre que podia deixava ele ver um pouco mais do que devia, por exemplo eu sem sutiã e me abaixava de forma que ele podia ver os meus biquinhos, não rara as vezes vi ele de pau duro, ele tentava disfarçar mas...  então eu e a Maria minha cunhada nos reuníamos pra contar uma pra outra das peripécias, é claro que a gente ria muito ao mesmo tempo que ficávamos satisfeitas por eles estarem se interessando sexualmente por outras mulheres, embora essas mulheres fosse de certa forma proibidas...  mas sempre que a gente incentivava nossos pais a tentarem procurar outras mulheres eles se recusavam, parece que por causa das nossas provocações eles estavam desejando de fato eram nós duas.. 

Um dia conversando minha cunhada relatou que meu pai já não se preocupava em espiar escondido e ela falou-me que ela fazia que não percebia, e completou seu pai tá é louquinho pra meter comigo, dai eu falei acho que o seu também pra meter comigo,   então minha cunhada falou assim na seca, você seria capaz de dar pro meu pai??? Isso me pegou de surpresa o meu sogro não era um velho acabado, apesar dos seus 60 e poucos ainda mantinha uma certa elegância masculina, e meu pai também mas ....  ela notando que eu fiquei sem palavras ela falou... Ah seria por uma boa causa oras... então quando me recuperei eu perguntei também e você daria pro meu pai??? Ela riu e disse-me. não falei é por uma boa causa.. então entendi nas entrelinhas que ela tava com alguma ideia na cabeça, então dei corda e perguntei no que tá pensando, ela maluquice da minha cabeça, mas eu observo que meu pai embora não fale nada ele te come com os olhos e seu pai a mim também, por isso da pergunta.
Ela tinha razão eu já tinha percebido que em certos momentos meu sogro também me espiava quando eu trocava de roupa ou coisa assim, e aquela pergunta me deixou pensativa, será que eu teria coragem de transar com o meu sogro, mesmo que fosse para tira-lo daquele estado depressivo, e por mais liberal que fossemos, eu era psicologa mas isto ia alem da psicologia...  então eu devolvi a pergunta e você Maria... em contrapartida transaria com meu pai... a resposta dela me surpreendeu mais ainda quando ela disse... acho que sim e completou na verdade eu me excito quando percebo que ele me espia, meu pai e meu sogro já tinham se aposentado então os dois passava o dia todo entre o meu apto e o apto da Maria mas eu não via como poderia acontecer já que as crianças sempre estavam por lá exceto as tardes quando iam a escola.

Ela então me falou.. você que é psicologa já tentou de tudo e não deu certo, que tal um meio não convencional, nossos maridos são liberais mas não precisam ficar sabendo, é só provocar um pouco mais e deixar rolar, vc topa, respondi tá se vc quer ir em frente nessa loucura, bem vamos ver no que vai dar, mas que é loucura isso é, então ela continuou vamos ter que provoca-los cada vez mais quando estivermos a sós com eles e  começou a falar, as tardes são os melhores horários porque as crianças vão pra escola e a gente fica sozinhas com eles...  enfim parece que ela já tinha tudo planejado, confesso que ao mesmo tempo que a ideia me excitava eu ficava ainda com mais medo de levar a cabo aquela maluquice....

Semanas se seguiram, meu pai ajudar a Maria e meu sogro me ajudar parece que virou rotina, e quando ele estava  as tardes eu colocava roupas bem provocantes, shorts curtos usava vestidos acima do joelho daqueles que quando a gente se abaixa mostra parcialmente e as vezes eu na desculpa de limpar em cima dos armários eu colocava uma escada de alumínio fingia estar com medo e pedia pra ele segurar propositalmente pra ver minhas coxas e calcinha deixa-lo excitado, eu e minha cunhada trocávamos ideia sobre o progresso das provocações, e quando conversávamos sobre as provocações e as reações deles eu ficava excitada com a ideia de transar com o sogro, já não me parecia mais um tabú, minha cunhada me falava que ela também se excitava quando o provocava.

Percebemos que eles até saíram daquela depressão, estavam bem mais animados, só nos faltava um detalhe de como fazer acontecer, nem eu nem minha cunhada podíamos simplesmente convida-los, mas teria que ser por iniciativa de um deles, e por mais que eles quisessem eramos noras acho que eles nos respeitavam por isso não tinha coragem, minha cunhada me falou então, olha Pietra, vai ter que ser na casa de praia, porque dentro do apto fica difícil armar uma situação, como sempre concordei.

Como quase todos os fins  de semana íamos para nossa casa de praia  achamos que lá seria o lugar ideal para que ela pudesse provocar meu pai e eu como psicologa aproveitaria a chance de avaliar a sua reação, então logo que chegamos lá já começamos a preparar o ambiente, na primeira tarde fomos todos a praia e ela colocou um biquini bem munusculo tipo fio dental que mostrava quase tudo e eu também coloquei um biquini tipo asa Delta e  fomos todos pra praia, mas  meu sogro resolveu ficar em casa casa alegando que estava muito cansado, chegando lá,
estendemos a esteira dissemos que íamos pegar um bronze meu irmão e meu cunhado levaram as crianças para a aguá e ficaram brincando por lá,  estávamos  deitadas meu pai que não  foi tomar banho ficou perto da gente quando Maria minha cunhada me pediu para passar bronzeador nas costas dela eu já sabendo da armação falei que tava com querendo pegar bronze tambem, ela então pediu pro meu pai que começou imediatamente primeiro pelas costas, minha cunhada pediu para que ele abrisse a alça do biquini pra não ficar marcas, disfarçadamente eu olhava e via que meu pai ficou excitado, ele passou por toda a costa e as nadegas tambem, ao fim da tarde voltamos pra casa, jantamos e todos fomos dormir, antes de dormir eu conversei com minha cunhada enquanto lavávamos a louça da janta, e falei pra ela que quando meu pai estava perto dela ele ficava excitado.

No dia seguinte todos dormimos até umas 11 hs, quando acordamos o sol estava bem quente, tomamos o café, pedimos aos nossos pais que fosse ao mercado comprar uns itens que faltava assim eles não iriam a praia e voltariam em seguid aporque o mercado é perto, e convencemos nossos maridos a levarem as crianças, ainda frisamos  que eles nem tivessem pressa, poderiam levar as crianças na sorveteria enfim....  demos um jeito que nossos maridos levassem as crianças para a praia sob a desculpa de que iríamos preparar um almoço iriamos assar uma carne, cozinhar batatas fazer maionese e que iria demorar um tempão  eles foram tão logo eles foram  nos duas começamos a arquitetar o que faríamos , minha cunhada , sugeriu para que eu desse um jeito de levar  o meu sogro e o distraísse no quarto  no andar superior enquanto ela pediria ao meu pai fazer como no dia anterior e lhe passasse o protetor solar ela colocou então o mesmo biquíni pequeno e provocante e eu também coloquei o meu, com tudo certo para a executar do plano o plano , eles chegaram do supermercado, minha cunhada pediu ao meu pai que a ajudasse na piscina e eu chamei meus sogro para o quarto alegando necessitar de ajuda na arrumação dos armários , e lá chegando já fui solicitando uma series de serviços para ele não se aperceber do estava por ocorrer no quintal da casa me posicionei bem próxima a  janela de onde poderia observar eles só de imaginar já estava excitada, mas no meu intimo eu não achava  que minha cunhada teria mesmo a coragem de dar pro meu pai, mas continuei observando e vi quando minha cunhada chamou meu pai e com um jeito bem sensual pediu a ele passar o protetor na suas costas, deitou-se e 
desamarrou a parte superior do biquíni , e relaxou esperando as mãos de meu pai iniciar a aplicação , ele demostrou uma inquietude inicial , logo percebi que ele embora lutasse contra ele estava sentindo tesão pela sua nora, meu sogro que não é bobo nem nada via a cena e disfarçava, nesse meio tempo meu sogro saiu do quarto dizendo que ia ao  banheiro, e eu fiquei ali observando, quando ela começou a receber massagem nas costas e sabendo das possíveis fantasias que ele estava tendo , com ela começou a dar sinais de excitação , vi quando ela disfarçadamente iniciou uma series de movimentos com as pernas fechando e comprimido a boceta tentando disfarçar o tesão,  mas meu pai acho que já desconfiando das intenções dela, ele não parava  chegou nas nádegas   e  em movimento continuados massageava, esses toque ficaram mais constantes e fortes , percebi que  ela começou a perder o 

controle fiquei paralisada pelo que eu estava imaginando que ia acontecer, também perdi o controle a ponto de esquecer do meu sogro, fiquei excitada, comecei a sentir um formigamento na minha boceta a ponto de molhar o biquini,  eu estava  interessada no que acontecia no quintal, esqueci completamente meu sogro, vi que de repente minha cunhada , virou-se e pediu para que meu pai passasse o protetor em sua barriga,  a parte superior do biquíni que estava desamarrado propositalmente caiu para o lado deixando a mostra os seus seios, o volume sob a bermuda de meu pai era visível, sua respiração ficou ofegante, com os seios descoberto minha cunhada falou pode passar bronzeador ai tb pra não deixar nenhuma marquinha e pegou na mão de meu pai e conduziu ate eles, cujo os bico já estavam duros, e apertando-a, sobre eles  deixou que meu pai sentisse visse o estado de desejo e tesão ele a levara, claro que a essa altura ele já imaginava que aquela mulher estava a sua disposição , 

 foi ela que novamente tomou a iniciativa e começou a massagear  seu cacete sobre a bermuda , foi ai que ele finalmente perdeu o controle e iniciou com uma chupada nos seios , de maneira devoradora , e ela por sua vez gemia cada vez mais alto e tirando o pau dele para fora e iniciou uma suave punheta, ele já tinha tomado coragem e foi descendo a mão ate a sua boceta afastando para o lado a calcinha começou a masturba-la tambem, que naquele momento já estava toda molhada e lubrificada, ele começou a chupar ela começou a se contorcer toda e a gozar de uma maneira bem selvagem , ele então se posicionou entre as sua pernas e antes de se arrepender do que estava fazendo a penetrou de uma maneira firme e em uma única estocada o seu membro duro a preenchia toda e eles começaram a meter ali mesmo e intensamente.

 Eu até esqueci da presença do meu sogro porque o tesão tomou conta de mim ao ver meu pai transando com minha cunhada,  comecei a me masturbar , enfiei minha mão por dentro da calcinha  do biquíni e comecei a me acariciar observando  a cena lá embaixo a beira da piscina  eu intensificava mais ainda a minha masturbação ,  meus dedos trabalhavam furiosamente, com um dedo eu me masturbava e o outro enfiava simultaneamente, quando percebi que eu estava com um tesão enorme vendo a cena onde a minha cunhada corneava meu irmão com o seu próprio pai, talera minha excitação que nem percebi meu sogro bem atras de mim, e num sorriso bem maroto 

falou tá gostando do que tá vendo la embaixo,  então vamos fazer igual e sem cerimônia começou a se esfregar na minha bunda e eu senti seu pau bem duro ,de tesão por mim, pela cena ou pelos dois sei lá, ele sem perder tempo abaixou a parte inferior do meu biquíni e meteu sua mão na minha boceta e continuou o que eu havia parado, baixou a calça e enfiou o pau nas minhas coxas roçando a minha boceta, soltei um gemido profundo e intenso de satisfação, isso deixou claro que  da minha parte ele não teria nenhuma resistência.

Ele se sentido dono da situação, vendo que meu pai já estava comendo a sua  filha,  super excitado  começou a masturbar-me mais forte enquanto seu pau encaixado na minha boceta, e eu  gemia, extravasando todo tesão em mim vendo aquela cena lá embaixo, estava tudo dando certo, eles tomaram a iniciativa, aproveitei ao máximo aquela situação , ele me virou de frente chupou meus seios com delicadeza sem igual , senti 

muito prazer  ele então  me pediu para chupa-lo , que fiz de imediato sem lembrar-me de que ele era meu sogro , comecei a chupar aquele pau  o tesão foi ficando cada vez maior , enquanto a gente estava naquele idílio fui lembrando as conversa que eu tivera com a minha sogra enquanto ela era viva, e ela muitas vezes reclamava discretamente da  sua vida sexual , quando eu tirava sarro dela dizendo que o meu sogro deveria ser um leão na cama ela dizia que era somente papai e mamãe e olha lá ele  nunca aceitou chupar ou ser chupada na vida, enquanto eu lembrava minha chupada foi ficando mais intensa e com muita vontade de fazer ele gozar ma minha boca , chupei aquele membro como nunca fizera com meus namorados e mesmo com o meu marido , chupei o saco , a cabeça , enfiava tudo na boca , passava a língua , ate sentir que ele iria gozar , ai eu coloquei-o na boca , e iniciei uma punheta fantástica , ate ele gozar na minha boca, ele ficou impressionado por eu deixar ele gozar na minha boca, senti satisfação em seu sorriso, não demorou muito seu pau estava duro  novamente , eu cai de boca chupando-o, ele vendo que eu não estava arrependida do 

ato que praticamos, me colocou de quatro e me penetrou  senti toda a sua tora enterrada na minha boceta ele não teve dificuldades, porque eu já estava toda lubrificada de tesão, bombou por uns de dez minutos , e eu tendo um gozo atras do outro , já estava totalmente entregue tanto que quando ele tirou  da boceta e colocou-o na entrada do meu anus , eu não ofereci resistência nenhuma, pelo contrário comecei rebolar e a forcar a bunda contra o membro dele, sempre  rebolando para facilitar a penetração, o que não foi dificil eu já estava acostumada a dar a bunda para o meu marido pelo menos uma vez por semana e quando ele enfiou tudo, comecei a fazer movimentos de contração, a morder o seu pau com o meu Cu , Que delicia sentir outro membro dentro de mim.

Ele bombeava violentamente meu rabo e eu submissa a tudo, eu já tinha até me esquecido da cunhada e meu pai, quando de repente eles entram no quarto justamente no momento eu que eu estava sendo enrabada, minha cunhada e meu pai , vendo aquele quadro eu de quatro sendo enrabada pelo próprio sogro , meu sogro provavelmente surpreso pela situação parou os movimentos, eu sabendo que de certa forma aquilo era previsto  de acontecer, então falei para o meu sogro que não parasse porque a Maria e meu pai já tinham transado também e eles não nos censurariam com certeza falei então o que demais poderia acontecer... falei que eu queria que ele continuasse pra gente gozar na frente deles, 

Minha cunhada vendo a cena, não se contentou em apenas ver puxou meu pai pra perto de mim , e começou a provoca-lo... tá vendo .... , o pau dele entrado e saindo do rabo , da Pietra, a  boceta melada , e num clima de cumplicidade e tesão , nos encorajando a continua a nossa cópula , foi ela que novamente tomou a iniciativa abaixou a calcinha do biquíni até o joelho e ficou de quatro bem ao lado e mandou meu pai a enrabasse, claro que naquele clima meu pai nem titubeou, abaixou a bermuda tirou o pau pra fora e  apontou pro cuzinho dela e enfiou, minha cunhada até deu um gritinho de dor porque meu pai eufórico pela situação nem lubrificou direito,  estávamos os 4 num mesmo ambiente transando sogros e noras, virou uma pequena suruba, e logo estávamos sendo enrabadas pelo nossos sogros , a visão do meu pai enrabando a minha cunhada ao mesmo tempo que ele assistia um velho enrabando a sua querida filhinha , era demais , gozamos intensamente , por varias vezes , tomei varia vezes, na boceta, no Cu e na boca , sempre com meu pai do lado fodendo a filha do meu macho , isso durou aproximadamente por meia hora, até cairmos exaustos... todos nus , recuperarmos da foda , e conversarmos sobre o ocorrido , foi quando eles nos disseram que não teriam coragem de transarem com outra mulheres , mas nos duas tínhamos seduzidos a cometerem aquele pecado, disseram ainda que já desconfiavam da nossa intenção por causa das provocações quase explicitas nas semanas e meses anteriores, e disseram ainda que os dois já haviam trocado ideia de que nos comeriam se houvesse chance tal era o desejo deles, passado essa tarde  combinamos que seria só aquela vez e de guardar segredo e passamos o final de semana comportados e felizes 

Nas semanas seguintes transcorreram normalmente, já não havia mais aquela provocação de antes em relação a eles,  mas mesmo que eu tentasse não tinha como esquecer  aquele sábado parecia loucura mas... aquele dia tinha feito muito bem aos nossos pais, mas também marcou  nos duas, comentei com minha cunhada que eu no fundo estava com vontade de repetir, descobri que  ela também estava com  vontade de repetir a nossa aventura extraconjugal, a desculpa perfeita era pra manter a melhora  de nossos pais, e ela me disse ainda que depois daquele dia já tinha pego o pai se masturbando em seu quarto, eu por minha vez tb desconfiava do meu pai mesmo porque ele se trancava no quarto e lá ficava, imagino que eles se masturbavam revivendo nossa trepada a 4.

Era comum os dois ficarem no mesmo quarto seja na casa dela ou na minha casa, os dois eram muito amigos e tinha coisas em comum, agora mais em comum que antes afinal eles tinham transado com as noras embora isso fosse segredo,  o fato deles serem de nossa extrema confiança , nos encorajou a tomar a decisão de cometer essa loucura pelo menos mais uma vez, nisso tanto eu como minha cunhada concordamos , naquela mesma tarde ficamos espiando,  esperamos eles irem para o quarto de meu sogro , ouvimos quando eles começaram a relembrar a trepada parece que esse era o assunto preferido, ficamos durante meia hora mais ou menos decidindo se entravamos ou não, mas foi difícil resistir a tentação falei pra ela que minha boceta estava encharcada e o tesão subia pelo corpo , comentei o que sentia e ela confessou-me que também esta louca de tesão, falei-lhe vamos então, ela concordou, começamos a nos despir ali mesmo no corredor mesmo ficamos só de 

calcinha, e quando estávamos só de calcinha,  entramos no quarto para surpresa deles quando nos viram só de calcinhas , seios com os bicos extremamente duros de tesão , seus membros endureceram na hora, ficaram rígidos, eles perceberam nossa intenção, falamos sentem-se na cama os dois então juntas nos ajoelhamos e iniciamos uma longa de demorada chupeta ,ate que eles gozassem em  nossas bocas , depois disso foi pau em todos os nossos buracos, chupadas fenomenais, os dois todo feliz da vida, porque meu sogro me comeu de todas as formas acho que nem meu sogro nem meu pai nunca tinha feito com a minha mãe e ex sogra nem a metade que fez com a gente, depois de termos fodido até eles cansarem, resolvemos provocar mais ainda olhei para minha cúmplice, sorri e parti para cima dela , começamos a nos acariciar nos esfregamos , beijei-a na boca, chupei os seus seios e ela fazia o mesmo comigo ate chegar na  boceta, iniciamos um 69 que foi incrível , ate por que mulher com mulher era nossa primeira vez .Após algum tempo nessa chupacão , nossos sogros começaram a dar sinal de vida novamente, então começaram a nos penetrar alternadamente na boceta e no cu , isso tudo só aumentava o meu tesão , quando de repente no meio dessa fodessão toda , meu pai tentou meter na boceta de minha cunhada enquanto eu a chupava , e tentou meter com violência naquela boceta faminta de pau, errou e acabou enfiando  na minha boca , assustada parei momentaneamente  os movimentos , vendo aquele pau ali não me fiz de rogada enfiei na boca e senti  o pau dele pulsando dentro da boca , eu sempre tive a fantasia que era ser enrabada por um e chupar o pau de outro homem ao mesmo tempo, esqueci que era o pau do meu pai e iniciei uma das minhas melhores chupadas da minha vida 

continuamos a foda , sendo eu enrabada pelo meu sogro   chupando o meu pai eu alcancei o maior gozo que tivera ate ali, depois  por cumplicidade troquei a posição com minha cunhada, extrapolamos todos os limites porque ate dupla penetração com eles nos fizemos o incesto estava completo, exaustos de trepar a tarde toda , fizemos um pacto de segredo e de cumplicidade, normalmente uma vez por semana quando eles ficavam mais ouriçados já sabíamos o que eles queriam, quando eles tomavam banho colocavam perfumes durante a tarde era como se fosse um lembrete.

Não sei o porque, mas é sempre excitante, talvez porque é proibido... verdadeiramente o limite entre o moral e imoral foi rompido por nós duas, porque cada vez que íamos transar eles adoravam fazer dupla penetração, eu acabava sendo penetrada por meu pai e minha cunhada pelo pai dela....era inevitável...
 e que apartir dali seriamos amantes sem limites , porem isso aconteceria somente uma vez por semana , lógico que eles concordaram , isso aconteceu em janeiro de 2001, e ate hoje trepamos semanalmente , e quando uma de nos não pede participar a outra da conta dos dois sem qualquer problema , se alguma mulher tiver algo semelhante e quiser me enviar e-mals , ficarei feliz em manter contado e trocar experiências.