domingo, 3 de maio de 2015

SEXO ENTRE 2 IRMÃOS ADULTOS

Eu moro sozinha, sou independente e isso aconteceu a alguns anos e só agora tive coragem de relatar, isso depois de ler vários contos de incesto até ter coragem pra escrever, aconteceu  comigo e meu irmão mais velho , depois que ele se separou e veio morar comigo por uns dias. 

Todas as noites depois que eu chegava do serviço , tomava um banho e vestia algo que mei deixasse mais a vontade principalmente porque moro numa região quente, então eu costumava me enxugar e colocar uma camiseta ou baby doll e todas que eu tinha a maioria eram bem curtas que dava para ver partes do meu corpo quando eu fazia qualquer movimento mais brusco, mas eu não achava que tinha algum problema justo por ele ser meu irmão, então eu sempre preparava algo pra gente comer juntos sempre depois que ele chegava. 

Mas de vez em quando antes dele chegar em casa ele as vezes passava em um bar para tomar uma cervejinha e acabava trazendo algo para que a gente bebesse juntos e assim ficávamos conversando um pouco mais e era normal rolar conversas sobre sexo principalmente quando ele se referia a ex mulher dele ,por sermos irmãos eu achava normal qualquer tipo de assunto mesmo que fosse sexo. certo dia em um desses nossos papos de fim de noite ele confidenciou que desde que tinha se separado ele não tinha feito sexo, e que  estava sendo uma barra aguentar sem mulher, falou ainda que tinha que arrumar alguém urgentemente nem que fosse só pra se aliviar.

Tentei de certa forma consola-lo, eu disse-lhe que era passageiro e falei que logo ele arrumaria uma mulher e tudo se normalizaria de novo, quase sempre apos o jantar a gente ficava vendo  tv ate de madrugada na maioria  das vezes eu acabava dormindo ali mesmo no sofá e essa era a nossa rotina.

Certo dia muito cheguei muito cansada depois do tradicional banho e jantar reclamei que tava cansada e quando estávamos vendo tv ele começou a fazer uma massagem em meus pês e estando ainda com os  pês em seu colo acabei dormindo , como sempre minha roupa nera de fim de noite pós banho, uma camisolinha leve eu estava sem sutiã e com um decote generoso que deixava meus seios amostra e minha calcinha visível.

Meio que cochilando eu despertei e senti que ele com uma das mãos estava acariciando minhas pernas indo e vindo  ate chegar na minha por cima da calcinha, confesso que estava gostando daquela sacanagem inocente, fechei os olhos e continuei fingindo que estava dormindo pra continuar recebendo aquela massagem, não achava que ele iria muito alem das caricias afinal eramos irmãos e achei que ele nunca teria coragem de tentar algo comigo, mas ele  tirou seu cassete pra fora que por sinal já estava totalmente duro para fora  e começou a se masturbar, enquanto com uma das mãos ele abria minhas pernas e ficava alisando e brincando com minha bucetinha a outra ele se masturbava, isso me fez melar a calcinha, até ele gozar  em sua propria barriga apos ele gozar se levantou e foi se limpar e eu fiquei com muito tesão com aquilo.

Por causa disso antes de ir dormir acabei me masturbando lembrando do fato de meu irmão estar se masturbando enquanto alisava minha buceta  é claro que gozei muito gostosoooo , e depois disso fiquei pensando na possibilidade e no fundo eu já tinha certeza que teria a coragem de transar com ele mesmo sendo meu irmão, durante a semana fizemos de conta que nada tinha acontecido , mais eu percebia seus olhares de desejo, e pior que eu também estava morrendo de desejo, afinal eu também já fazia algum tempo que estava na seca, mas apesar de tudo nem eu nem ele tinha coragem pra tomar qualquer iniciativa mesmo porque no fundo tinha aquela coisa da moral, mas entre nós já rolava aquele joguinho de sedução sem que nenhum dos dois criasse coragem, eu tinha certeza que ele tambem teria coragem de consumar o fato comigo mas no fundo tinha certo respeito ou medo talvez de que eu o repreendesse.

Até que num  fim de semana , e não me aguentava mais de tesão , e resolvi tomar a iniciativa com isso e acabar com esse jogo de sedução que rolava entre a gente , como eu chegava mais cedo tomei meu banho, vesti uma camisola branca bem transparente e uma calcinha branquinha bem minuscula que  ia deixa-lo louco, quando ele chegou da rua foi direto pra cozinha comer algo e nem me viu deitada no sofá depois de comer algo foi tomar um banho, e veio até o sofá  que eu estava , a luz estava apagada ele nem notou com que roupa eu estava, foi quando que eu disse que eu tinha locado um filme para que a gente vesse juntos ele topou na hora, me levantei fui até o DVD fiquei bem na frente da TV de forma quele visualizava a silhueta do meu corpo só nesta hora foi que ele pode observar melhor e me ver com aquela camisola percebi que seu olhar era só desejo me inclinei bem na sua frente me insinuando toda para colocar o filme e voltei para o sofá,  deixei ele olhar o quanto quisesse mas mesmo assim ele continuou na dele.
Eu propositalmente tinha escolhido um filme sensual em que rolava sexo entre uma garota e seu padastro era um incesto velado percebi que ele ficou com seu cassete duro mas tentava a todo custo se controlar e disfarçar só que ele não conseguiu segurar-se e e me disse mana to subindo nas paredes de tanto tesão, eu toda dissimulada falei não diga, me conta porque? Ele respondeu vou ser sincero é  por causa do filme, mas principalmente por minha causa e acrescentou voce está uma delicia com   com essa camisola quase transaparente deixando eu ver tudo, sou seu irmão mas antes de tudo sou homem.

Mesmo eu estando com a calcinha toda melecada me fiz  de desentendida falei-lhe que não era normal ele sentir-se assim pois eramos irmãos, e ele falou que sabia disso , mais eu era uma tentação e a tentação maior era ele estar ali comigo  praticamente nua , que se fosse outra ele já teria atacado, dei uma leve rizada e disse que não estava nua e sim de camisola.
E ele me disse : camisola que te deixa com tudo a mostra , eu  to vendo os biquinhos do seus seios até o negro dos seus pentelhos, na hora fiz um charminho e  coloquei a mão na frente e dizendo que ia trocar, quando ele me segurou pela cintura , e me disse que não precisava pediu que eu continuasse com a camisola porque  estava muito bem em mim e pediu que ficasse por um momento só parada em sua frente para ele admirar, claro que eu o obedeci.

Ele perdeu o medo e foi até ousado quando me disse que  eu estava uma delicia ,muito gostosa e que tava  louco de vontade de me comer mesmo sendo irmã, falei-lhe não podemos seria incesto e ele disse que  nem ligava porque ninguém ia saber mesmo falou que tínhamos era que experimentar como seria fazer sexo entre dois irmãos adultos, ele disse isso porque quando eramos pré adolescentes a gente já tinha feito sexo nas coxas uma ocasião,  eu não esbocei nenhuma reação e fiquei ali parada em sua frente , finalmente ele começou a alizar minhas pernas eu estava adorando aquilo e acabei facilitando e cedendo
suas vontades ,  ele foi subindo sua mão e pouco a pouco foi me acariciando tirando minha calcinha , ele começou a alizar minha bunda , e me dava apertões e me puxava em sua direção e dava beijinhos e mordidinhas nela que me fez arrepiar todinha ele  me abraçou por traz , e eu senti que seu cassete estava totalmente duro me roçando a bunda, pronto para usar ele todinho em mim, eu rebolava de leve facilitando seu intento e eu ia esfregando meu corpo no dele , e ele foi logo tirando seu cassete para fora e colocando as minhas mãos sobre ele , não resisti só tocar ele comecei a masturbar ele ,e ele me abaixou em sua frente e enfiou ele se cassete todinho em minha boca.e puxava meus cabelos inclinando minha cabeça para traz , de uma forma que eu sentia seu cassete estava no fundo da minha garganta quase me fazendo vomitar , eu tentava empurrar meu irmão pra traz  mais ele segurava minha cabeça contra seu pinto  com toda sua força, e no fundo eu estava adorando seu tratada como uma puta por ele eu o chupava e mordiscava seu cacete que o deixava louco.


E, seguida ele  me colocou de ladinho no sofá , com a bunda empurrada contra seu corpo eu já estava sem calcinha eu já não estava aguentando mais aquilo e pedi que ele metesse logo pois eu já estava quase gozando , e queria gozar com seu cassete  dentro de mim e ele obedeceu foi logo metendo tudo pra dentro sem dó , e me fodendo todinha exatamente como eu desejava, e como  uma gulosa pedia mais e mais , e ele metia muito gostoso , e me tratava como uma vagabunda o que me fez gozar feito uma louca   e eu olhava para sua cara e perguntava se ele estava gostando da sua irmã como sua puta  ele me respondeu que estava adorando meter em mim , que não sabia o quanto eu era gostosa e quando eu podia ser safada na cama porque  sempre me achou  muito certinha em todos os sentidos.
Eu lhe respondi pois é quem vê cara não vê coração  eu sempre tive que ser certinha porque pois nossos pais eram muito rigidos , aquela conversa o deixou tarado e apos ele me comer do jeito que bem quis, então ele falou irmãzona já que estamos fodendo vamos fazer tudo que temos direito que tal voce me dar esse cuzinho que tá piscando louco pra levar minha vara, que voce acha??? Eu fiz um denguinho mas tava muito a fim de prolongar o maximo aquele momento deixei ele me enrabar, mas pedi pra ele deitar de costas e sentei em cima, apontei a vara dele pro meu cuzinho e fui abaixcando devagarinho até que entrou dudo, confesso que foi a melhor foda que eu já tive na minha vida, nunca gozei tanto

depois ficamos uns minutos deitado no sofá ainda pelados , ate que fomos tomar banho juntos e depois dormi , mais dessa vez não em cama separada mais sim na mesma como se focemos marido e mulher , e durante o período que ele ficou em minha casa ,dormíamos juntos e todas as noite ficávamos loucos para chegar logo em casa para que saciar nossas vontades, nunca imaginei que fosse tão gostoso transar com o irmão.



.                                                                                                                .

MINHA ESPOSA EXIBICIONISTA,

Eu e minha mulher temos uma vida sexual bem ativa, a gente gosta de variedades, modéstia a parte minha mulher apesar dos 35 anos de idade é do tipo gostosona, tudo em cima, e quando coloca uma roupa de ginastica e vai pra academia  homens babam por ela, e vou confessar isso me excita, excita a ideia de saber que todos os homens desejam comer minha mulher só que no fim quem realmente come ela sou eu, resumindo a Jandira minha mulher é morena  morena e tem um um corpo muito bem definido, e eu sempre gostei de ve-la provocar os homens, com suas minissaias, principalmente quando assenta e  e cruza as pernas, aquele belo par de coxas a mostra, aposto que muitas punhetas foram tocadas em homenagem a essas coxas, e eu sempre gostei de ve-la se exibindo e ela sabe disso porque eu já lhe falei, e ela se exibe sempre que tem oportunidade só pra provocar os homens e me provocar um pouquinho também.

.Esse exibicionismo dela vem desde a época de namoro e depois que casamos, eu a incentivei ainda mais  a se exibir principalmente pros meus amigos, e isso sempre me deixou muito exitado e a noite a gente dava cada trepada fenomenal, até que um dia resolvi convidar um amigo para vir em nossa casa e previamente combinei com a Jandira minha esposa a se exibir e provocar esse amigo e quando ele chegou, eu o fiz entrar e depois fiquei na cozinha, disfarçando na porta da geladeira escolhendo uma cervejinha quando a Jandira entrou  só de camiseta e calcinha preta fio dental conforme nos já tínhamos combinado, quando ela entrou e meu amigo a  viu daquele jeito, ficou paralisado e meio que assustado, ficou parado olhando por um tempo,ela a cumprimentou e  deu um beijinho em seu rosto e aproveitou pra dar um abraço bem apertado de forma que os corpos se uniram, eu falei lá da cozinha que ia ao banheiro me aliviar das cervejas com isso deixando os dois ali sozinhos, a Jandira e o Everton que  era o nome do amigo, mas fiquei escondido a espreita só pra ver o desenrolar, quando vi que  ele a olhou de cima em baixo e exclamou, você é muito gostosa, vi quando a Jandira o abraçou de novo, e falou-lhe  você acha mesmo que eu estou gostosa? ele  disse eu acho sim você está muito sexi e pra dizer a verdade to com a maior vontade de te comer todinha principalmente  essa bundinha gostosa, vi quando ela virou  a bundinha pra ele e disse então tá  quando que você quiser,  nisso ele apertou a bunda dela com as duas mãos e deu um beijo no pescoço.

Eles ajuntaram as cadeiras que estavam e volta da mesa e assentaram, nos sentamos nas cadeiras ali em volta da mesa, eu que estava escondido vim e assentei também  ao lado e animados começamos a tomar umas cervejas  por debaixo da mesa o Everton começou a alisar suas pernas, chegando até a calcinha, eu fazia de conta que não estava vendo, depois de umas três ou quatro cervejas, os convidei para ir pra sala, Fui  na frente e o Everton atrasou um pouco,  puxou ela pela mão, até o corredor e começou a  abraça-la e a passar amão pelo seu corpo, percebi que ele colocou a mão, dentro da calcinha e chupou os seios, nisso a Jandira se soltou dele e provocando-o veio até a sala onde eu estava logo depois ele veio a traz  e Quando  chegou na sala, ele já tinha sacado tudo o que ia rolar dali pra frente, falou, meu amigo, sua esposa é e esta muito gostosa, pede pra ela tirar essa camiseta, que a calcinha depois eu mesmo tiro, eu já estava com muito tesão  falei tira você mesmo quero ver,
O Everton se aproximou dela  tirou-lhe a  minha camiseta deixando os seios a mostra, tirou-lhe também a calcinha e deitou a no tapete e começou a tirar a calcinha com os dentes, tirou até os pés, depois ele veio subindo, passando a mão e beijando as coxas, quando chegou na boceta ele começou a chupar com toda a força, depois de faze-la gozar em sua boca, ele tirou toda a sua roupa e fizeram um sessenta e nove, a Jandira gozou na sua boca Eu que não me aquentava mais de tesão acabei gozando tocando uma punheta só de ver o Everton chupando a boceta da Jandira, depois ele a fez sentar em cima do seu cacete que se encaixou direitinho a seguir sem dó  socou forte o cacete na  boceta dela que estava encharcada de gozo, e depois de um bom tempo socando na  boceta, ele tirou o cacete da boceta e começou a socar no cu, eu estava babando de tanto tesão, de ver  o cacete do Everton dentro do  cu da Jandira,  enquanto ele
socava o cacete no u cu, eu tirei  o cacete  pra fora e coloquei na boca da minha esposa pra chupar gostoso enquanto literalmente eu tomava no cu com um cacete fodendo meu cu, outro cacete fodendo minha boca, não teve outro jeito se não gozasse os três juntos depois fomos os três tomar banho juntos, e o Everton foi embora mas eu a levei pra cama para foder de novo, dessa vez sozinho com as lembranças, queria foder a boceta e o cu, com muito mais tesão.

Eu gosto de ver minha esposa provocando o tesão nos homens, ela pode dar pra quem quiser desde que seja na minha frente.



.                                                                                                                                                                .

sábado, 2 de maio de 2015

TRAI MEU MARIDO COM DOIS, MEU PRIMEIRO MENAGE

Meu nome é Joana,  38 anos, casada,  2 filhos adolescentes. sou alta tenho 1.79, loira, olhos claros, cabelos lisos e compridos pouco acima da cintura, seios fartos porem firmes coxas grossas e quadris largos e bumbum bem redondos,  como tudo na vida depois da primeira vez vem outras vezes. e hoje em dia adoro um sexo ocasional, e é deste tipo de sexo que vou falar quando pela primeira vez decidi uma aventura fora do casamento.
.
Numa tarde de verão em pleno dezembro, inicio das férias escolares meus filhos tinham ido passar um fim de semana na casa dos avós e o marido viajando a trabalho, eu estava   em casa sem nada para fazer, não sei se por causa do calor ou de carência mesmo  comecei a sentir uma enorme necessidade enorme de sexo, normalmente essa vontade era saciada pelo marido, mas como não tinha, o meu marido por perto decidi me distrair um pouco indo ao shopping, tomei um banho porque o calor era insuportável, e mesmo debaixo do chuveiro aquele desejo de sexo não passava, acabei por me masturbar enquanto a água escorria por meu corpo mas o tesão aumentou mais ainda.

Vesti um vestido de lycra  não muito curto mas com um decote generoso, uma calcinha minuscula e nem coloquei sutiã e com isso deixava uma porção generosa a mostra, e pelo vestido ser de lycra era impossível não perceber os bicos dos meus seios salientes, calcei uma sandália de salto alto, percebi que os homens só de olharem pra mim os olhos saltavam de tesão, com isso eu me sentia poderosa ao ser comida por todos aqueles olhos, já estava com a xoxota quente latejando de tesão e  úmida e quente, eu imaginava chegar em casa pra me aliviar com o marido mas... lembrei-me que ele estava viajando em certo momento eu percebi que estava a ser seguida de perto por 2 jovens que aparentavam terem no máximo 22 anos, um negro alto, forte e outro moreno claro também , bastante delicioso, resolvi entrar numa  loja de sapatos, para ter a certeza de que eles estavam me seguindo, eles ficaram do lado de fora olhando pela vitrine mas sempre me observando.
Pensei comigo que esses dois jovenzinhos quer com uma mulher muito mais velha? Eles continuaram olhando a vitrine como se estivessem interessados em sapatos, mas o interesse deles realmente era eu, para os provoca-los sentei-me numa poltrona que ficava de frente para eles e pedi pra vendedora me mostrar alguns pares de sandália, comecei a experimentar umas sandálias, e de cada vez que experimentava abria um pouco as minhas pernas, para que eles vissem a minha calcinha, ou baixava-me de forma a mostrar meus seios fartos, percebi que ao verem isto, seus olhos saltavam, assim como um volume crescia dentro da calça dos dois, os seus paus se mostravam inquietos. em dado momento ,me levantei e virei de costas para a porta, ao experimentar as sandálias e me baixei para fechar a fivela, e ao me abaixar mostrava parcialmente minhas coxas e provavelmente parte da calcinha também, ao me abaixar acabei mostrando quase tudo porque o vestido de lycra se erguia conforme me abaixava, isso os deixou malucos, mas ficaram na deles, quando eu sai da loja me dirigi a prala de alimentação, eles me seguiram a certa distancia mas não me perderam de vista, pedi um suco de laranja assentei-me em uma das mesas não demorou muito para que eles criassem coragem e se aproximassem, e sentaram-se perto de mim, como se já fossem velhos amigos e se apresentaram. O moreno escuro chamava-se  João tinha 21 anos e o moreno mais claro era  Miguel com 22.eram bem cordiais.

Devido a eu estar super excitada com a possibilidade que se apresentava a minha frente continuei a conversa, a dada altura, o João começou a dizer-me que eu era  linda que estava muito  sexy e que tinha um corpo de despertar o tesão a qualquer homem, e atrevidamente por debaixo da mesa foi passando a perna em minha perna, isso me provocava arrepios, ele sentindo isso saiu da cadeira de frente e assentou na cadeira do lado e quando colocou colocando a sua mão na minha perna, eu eu fui ao delirio senti um calor imenso... pudera, eu estava com muito tesão e  já não conseguia mais disfarçar, mas mesmo assim  disse-lhe  para parar, pois era casada e tudo que podiamos ali era conversar.

Mas o Miguel olhando dentro dos meus olhos falou na maior cara de pau, madame, sabemos o que voce quer, e o que voce quer está te querendo também, bem guardado dentro das nossas calças, e falando assim pegou minha mão e puxou para o seu colo pousando-a em cima da sua pica dura de tão excitada, na hora fiquei sem folego, acabei por apertar um pouquinho ele então deu uma risada bem sacana e falou madame voce não quer conversar não putinha, voce tá louquinha pra levar as nossas picas bem forte nessa buceta e no cú. Ao ouvir aquilo, percebi que tinha ido um pouco longe demais com aqueles garotos, comecei então a desconversar, e a tentar ir embora. Quando Miguel me viu levantar, puxou-me docemente para a cadeira, e chegou-se perto da minha cara e disse, – Não é verdade putinha, não queres os nossos paus? Pela primeira vez alguém me chamava de putinha, e na realidade o que eu estava fazendo era coisa de puta, a forma como estava vestida e sendo casada, a maneira que os provoquei, o que seria, se não isso?

Então os garotos vendo a minha excitação, juntaram as cadeiras à minha, um de cada lado, e levemente e disfarçadamente, começaram a passar as mãos nas minhas coxas, huuummm que bom, estava doida de prazer, sentia a minha xana encharcada, a minha vontade era saltar-lhes em cima e transar ali mesmo, e ao o me verem ofegando, Miguel meteu a mão no meio das minhas pernas, e subiu até à minha xana, e vendo-a toda molhada,  disse, – Isso , hummm, estás toda molhada, prontinha pra ser comida, e começou a masturbar-me por cima da minha calcinha, com movimentos circulares no meu clitóris. Eu soltei um grito silencioso, com medo por estarmo sem lugar público  levantei-me e fui em direção ao estacionamento pra pegar meu carro, não precisei dizer-lhes anda pra me acompanharem porque mesmo que eu dissesse pra não irem eles provavelmente iriam da mesma forma, em vez de pegar escada rolante peguei o elevador s dois entraram juntos, só estava nós tres no elevador enquanto descia ao estacionamento no subsolo, eles me pegaram e apalparam meus seios, minha xana se meu vestido não fosse de lycra provavelmente ficaria todo amassado.

No trajeto senti as pernas tremer não sei se de prazer ou por causa da adrenalina pelo medo pois no fundo eu sabia que tinha ido longe demais, só que não havia volta, meu medo era de que fossem marginais, a gente ouve muitas historias assim, mas mesmo assim fomos em direção ao carro, confesso que era aquilo mesmo isso que eu queria naquele dia, mas  por um lado, mas estava com certo receio pois nunca tinha traído o meu marido, muito menos com dois homens.

Ao chegar ao carro, abri a porta e o Miguel colocou a mão na minha xana e disse: "queremos comer você agora! Aqui mesmo!  Entra que vamos te levar ao paraíso". foi então que eu aí deixei-me levar e entrei, e pensei: que se lixe, ninguém vai saber mesmo! Eles entraram eu falei aqui no estacionamento não é muito perigoso, vamos pra outro lugar, saímos da cidade e fomos  até  um Motel retirado da cidade, afinal eu não podia ser vista entrando em um motel ainda mais com dois homens,  pelo caminho, o Miguel  ao meu lado e o João, atrás de mim, iam-me apalpando e masturbando, o assento do carro estava todo encharcado com os meus líquidos, e dentro do carro
estava um cheiro forte de sexo, chegados ao motel, pegamos uma suite e mal entramos  fiquei no meio deles na cama, eles puseram os paus de fora, e comecei a chupá-los. Que paus enormes e grossos ambos  tinham, pensei comigo ganhei a sorte grande, enquanto eu  chupava um, o outro me chupava a xana e metia os dedos e assim sucessivamente eu estava em êxtase total, nunca havia tido 2 homens só para mim e nunca imaginei transar com dois homens ao mesmo tempo, mas eu estava adorando. A certa altura, o João que tinha um pau de cavalo, pegou-me pela cintura, retirou meu  vestido e me enfiou pau enorme, que entrou em mim rapidamente, pois eu já estava tão molhada! Ele começou a me
comer com força, como se fosse a última mulher na terra. Eu após a terceira gozada, já só se ouvia os meus gemidos e o chocar das minhas gozadas. Que pau tão duro e grande, sentia-me a ser fodida como nunca, o meu corpo tremia todo, que foda maravilhosa! Acho que perdi a consciência por alguns momentos. O Miguel logo, me puxou para ele e me colocou de 4 no  e começou num entra e sai frenético! Era um sonho tornado realidade, nunca havia sido comida assim, nem nunca me tinha gozado tantas vezes. Assim ficamos numa foda altamente frenética por uma boa hora. Eu gemendo e eles revezando a minha xana! A minha buceta já estava toda aberta. O Miguel, o mais safado, a dada altura disse que queria comer o meu cuzinho. Eu disse que não, pois nunca tinha dado para ninguém ainda mais pra ele que tina um pau enorme então ele disse para relaxar porque como eu estava tão molhada e extasiada, não iria doer nada, e que ele não iria me judiar o João que tinha um pau menor iria me comer o cu, e o João enterrou bem devagar o seu pau enorme no meu cuzinho,
. Que delírio!!! Não doeu nada! Aliás, depois quando o Miguel tambem quis me comer por tras, acabei deixando, quando começaram os dois começaram a me comer acho que me veio não sei bem por onde, mas foi uma sensação fantástica! Assim ficamos mais uma meia hora, eles me comendo forte e me chamando de puta.. vaca! Eu nunca tinha tido nada assim, mas foi fantástico, adorei, e eles no fim vieram-se os dois para a minha boca, onde eu engoli tudo sem nenhum pudor e voltamos a foder mais uma meia hora em dupla penetração, e desta vez vieram-se para a minha cara e tetass. Foi a minha primeira vez em tudo, jamais tinha feito sexo selvagem assim, fui arromabada, maltratada judiada mas adorei, agora, desde então procuro constantemente novos limites pra uma boa foda, meu marido nem imagina dessa vida dupla que levo espero que nunca descubra senão meu casamento vai pro ares, porem eu tomo todo cuidado.





.................................

NA MINHA PRIMEIRA TRAIÇÃO TRANSEI COM UM TOTAL DESCONHECIDO

A primeira vez que traí meu marido, realmente uma loucura, porque foi a única vez que eu transei com um cara totalmente desconhecido e isso acho que nunca mais farei essa loucura , eu tive muita sorte porque ele era o legal,tanto que acabamos por nos encontramos mais algumas vezes. 

Pra resumir, moramos a menos de 100 Kms da praia, de carro é uma hora, e tudo aconteceu porque meu marido não me levou pra curtir uma balada com amigos, já tínhamos combinado a tempos de curtir uma balada especial  que seria num sábado a noite na casa de praia de um amigo nosso,  ele tinha programado um luau  para a lua cheia e convidou todos os amigos incluindo a meu marido e eu, esperamos ansiosamente até que finalmente chegou o dia, me preparei toda, tomei um banho coloquei um vestido de verão bem leve próprio para uma noite de verão, íamos  curtirmos juntos aquela,  como era folga do meu marido, este dia já era especial, deixei minha filha na minha sogra, assim que cheguei em casa, fui no salão pra ficar bem arrumada, uma gata pro meu marido.
Logo depois do almoço meu marido disse que ia jogar baralho com amigos durante a tarde, mas chegaria a tempo pra gente ir, passei a tarde toda ansiosa e aproximava das 6 hs da tarde e nada do meu marido ligar, anoiteceu e nada do meu marido chegar ou mesmo ligar, o Luau estava marcado pra começar as 23 hs e ainda tínhamos uma hora de viagem até a praia, eu já estava louca da vida, já era quase dez horas da noite quando ele chegou da rua, chegou bêbado que nem um gambá, nem me preocupei em examiná-lo ou ver se ele estava cheirando álcool ou mulher mesmo, estava visível em seu estado, mas mesmo assim falei vai tomar um banho pra agente vai sair, eu já tô pronta e eu dirijo vc está em péssimo estado pra dirigir, .eu fiquei muito puta da cara quando ele veio com a história de que estava muito cansado e não ia sair,só ia tomar banho e dormir aí  discutimos feio, até que ele falou “ah, vc não entendeu que eu não quero sair hoje, que chata que vc é, ele não imagina a besteira que ele falou, ele apertou um gatilho que não podia mais parar.

Ainda com muita raiva falei-lhe, olha se vc não quer ir eu vou sozinha, não passei a tarde toda me arrumando  pra ficar  em casa como babá de marido bêbado! Eu queria aproveitar e me divertir junto com o meu marido… isso é crime por um acaso?” e ele me respondeu: “ah vai pode ir, faz o que vc quiser eu vou dormir!Cansei de tanto blábláblá na minha cabeça…eu respondi eu vou mesmo porque vai ser muito chato nenhum de nós dois deixar de ir na festa do Rodrigo, discutimos e já era 23 hs e eu ainda estava em casa, ele resmungou “ah  pode ir, fazer o que vc quiser eu vou dormir ” Não sei o que passou na cabeça dele qdo eu saí e bati a porta, embora eu dirigisse bem eu ainda não tinha carteira de habilitação na época, peguei o carro e sai em direção ao litoral .  Mas quando eu estava chegando lá eu me dei conta de que não tinha a mínima idéia do que fazer, eu uma mulher casada saindo assim sozinha pra balada, se pelo menos tivesse uma amiga para me fazer companhia.” Mas quando eu me lembrei das doces palavras do meu marido..eu fiquei ainda mais decidida a ir em frente.
Cheguei até o local onde o Rodrigo tinha programado o Luau, era a beira da praia numa lanchonete dessas que ficam a noite toda aberta, toda a turma estava lá o som estava alto a cerveja rolava solta era mais de meia noite e uma boa parte do pessoal já estava meio alto, eu vi todos dançando logo que cheguei me colocaram um colar de flores para eu entrar no clima o Rogério veio me receber, perguntou do Rodrigo, eu contei meio por cima o que aconteceu, ele então me falou que eu tava certa em vir mesmo que sozinha, e fui me enturmando, por volta das 2 da madrugada o clima começou a esquentar os casais começaram a se afastar percebi vários casaizinhos no escurinho se amassando outros transando mesmo que discretamente afastados mas eu que estava sozinha estava a observar tudo ao redor.

Eu estava meio deslocada ali, uma mulher casada que estava ali mais por raiva do que por convicção, todo mundo estava acompanhado só eu não, então estando eu distraída vi dois homens saindo da  lanchonete, vindo em minha direção eu não os conhecia mas como todos ali eram amigos do Rogério fiquei na minha quando chegaram mais perto  o rapaz mais alto abriu um sorriso pra mim e disse que uma princesa está fazendo sozinha desacompanhada?? Dei uma risada sem graça e não falei nada mas ele insistiu e saiu com essa: ” Deus foi tão bom comigo que manda colocou  morena dessa em  meu caminho" ….” Eu sorri meio sem graça e agradeci o elogio, ele continuou o galanteio eu falei que estava na hora e era melhor eu  voltar pra casa,  então ele respondeu: “não entendo uma morena linda como vc em pleno madrugada de sábado numa festa gostosa como essa querendo ir pra casa…mas vamos fazer o seguinte, toma uma cerveja comigo que eu chamo um táxi pra vc, agradeci e disse que estava de carro então ele insistiu mas a cerveja pode tomar não pode?

Eu aceitei, a cerveja ele foi buscar duas latinhas que por sinal estava geladíssima e a noite bem quente, desceu muito bem, enquanto andávamos a beira da praia sob a luz do luar ele então se apresentou e disse que era médico residente que a família dele tinha outros médicos  e que estava ali perto mesmo na casa do tio dele que também era médico,.continuamos andando e tomando aquela cerveja bem gelada, enquanto caminhávamos falei que era casada ele me perguntou do marido eu contei assim meio por cima ele então me disse que era muita coincidência  porque ele b estava chateado por  haver discutido discutido com a namorada e por isso ela tinha viajado sem se despedir, eu o achei muito simpático mas disse-lhe que ja estava na hora de eu subir a serra e ir pra casa, ele então ” a não, não vou deixar vc ir embora, se uma morena como você atravessa o meu caminho não posso deixa-la ir…. ah!! não vai não o seu marido não merece que vc volte tão cedo pra casa, vamos lá na minha casa agente toma outra  resto da cerveja porque essa  já tá esquentando e eu aproveito e  faço alguma coisa pra gente comer e depois eu juro que te deixo ir, ou melhor eu te levo pra casa…pode confiar em mim.

Chegamos e ele me disse não se preocupe estou sozinho aqui em casa, quando ele falou que estava sozinho já na hora percebi que a intenção dele era transar comigo, mas eu nem me importei com o fato eu sabia onde a noite terminaria, meu marido estava merecendo, lembrei-me das palavras dele que dizendo “ah  pode ir, fazer o que vc quiser eu vou dormir ” e eu estava li justamente fazendo o que eu queria o que eu desejasse. Quando aceitei ir na casa do desconhecido eu já sabia o que ia acontecer e fui decidida para o que viesse, chegando lá achei que ele ia me atacar imediatamente arrancar minha roupa e iríamos fazer muito sexo, mas não foi assim.

Ele todo atencioso pegou outra cerveja na geladeira, pegou bacon na geladeira fatiou fritou, depois quebrou dois ovos e fez uma omelete e me falou que por causa da hora acha que eu devia estar com fome porque ele tava, comemo a omelete com bacon e cerveja, ao terminar ele colocou os pratos de lado e aproximou-se de mim e me deu o primeiro beijo que foi completamente correspondido, nem preciso dizer que em pucos minutos já estávamos sem roupa e no maior dos amassos, os nossos corpos transpiravam desejo, eu estava decidida a ter prazer mesmo que não fosse com o marido, estava decidida a ter muito prazer, ainda mais que o meu parceiro era um jovem de uns 25 a 26 anos recém formado eu já tinha 35 anos mas não aparentava a idade que tinha, meu ilustre desconhecido até aquele momento eu não tinha perguntado o seu nome nem ele o meu quando ele perguntou meu nome eu falei, vamos deixar como está sem nomes sem números OK? Vai ser essa vez mas sem vínculos posteriores,  ele concordou é claro ele queria muito transar comigo tanto quanto eu queria que ele me possuísse como um macho jovem, saudável e com os hormônios a flor da pele.

Eu resolvi que seria a melhor das amantes em pouco tempo estávamos os dois pelados, ele deitado na cama eu passei a fazer um boquete daqueles de ar inveja a qualquer profissional do ramo, primeiro eu enfiei todo aquele cacete na minha boca, engoli totalmente aquela piroca, para depois retirar bem devagarinho de dentro da minha boca, e passei a chupar somente a cabeça, eu senti ele se contorcer todo de prazer, fiquei nesse ritual até que ele gozar ainda dentro da minha boca, eu não engoli totalmente sua porra ainda com um restinho da porra dele dentro da boca eu o beijei pra ele sentir o seu sabor, a ´principio notei que ele ficou com um pouco de nojo mas depois ele entrou no clima e nos beijamos de língua ferozmente.
Não demorou muito pra estarmos na cama nos enrolando aos beijos e abraços, ele tocava-me intimamente, masturbando meu clítoris me levando a loucura do prazer, ate que finalmente ele me penetrou gloriosamente com aquele mastro que estava duro que nem uma pedra, bombando furiosamente me fazendo gozar várias vezes, até que finalmente ele também gozou, tendo gozado duas vezes ele ainda não estava satisfeito virou-me de costas pra ele e procurou meu cuzinho enfiando um dedo, sentina hora o que ele queria,
apesar de eu não gostar muito de sexo anal porque doía demais todas as vezes que eu tentei fazer com meu marido, mas pensei comigo que se foda o mundo, que se foda meu marido que não quis, chutei o balde e deixei que ele me enrabasse, a principio doeu pra caramba, mas em pouco tempo meu corpo já estava acostumada com ot amanho da piroca dele e eu até curti, enquanto ele enrabava-me eu me masturbava tanto que até gozei com o pau dele dentro do meu cuzinho.

A gente fodeu a madrugada toda, já quase amanhecia quando eu me despedi do meu jovem amante, peguei meu carro subi a serra, cheguei em casa meu marido roncava como um porco, tomei meu banho e fui dormir satisfeita e com a sensação do dever cumprido, olhei pro meu marido ainda com raiva e pensei comigo, esse corno não sabia com quem tava mexendo quando me provocou, na manhã seguinte quando meu marido acordou, já curado da bebedeira, tomou um banho, perguntou como tinha sido a festa, eu disse que tava boa, ele me pediu desculpas pela noite passada eu falei que tudo bem, mas... mal sabia ele que eu tinha transado com um total desconhecido na noite anterior.




..............................................................



..

sexta-feira, 1 de maio de 2015

O SAFADO DO MEU SOGRO

Meu sogro é o tipo do homem safado, sempre foi namorador, coitada da minha sogra vivia reclamando do meu sogro, ela sabia ou desconfiava das puladas de cerca dele, apesar dele ser um cinquentão era vaidoso e se vestia bem, se cuidava, ele gostava de motos potentes, tanto que ele possuía uma Harley Davidson e vivia viajando, minha sogra era do tipo caseira e ficava sempre em casa.

Eu era casado com o Fabio filho dele e não tínhamos filhos ainda embora já estivéssemos casados a uns 8 anos, o meu marido trabalhava em uma empresa de software e a empresa onde ele trabalhava desenvolvia sistemas para vários outras empresas e meu marido sempre viajava e ficava no mínimo dois dias, mas tinha vez que ficava até uma semana fora, e por escolha do meu próprio marido a gente morava no mesmo condomínio fechado que meus sogros embora em casas diferentes, e por isso estávamos sempre em contato eu e meus sogros, e com isso meu marido ficava mais tranquilo quanto as viagens que ele fazia.

Eu sabia desse lado pegador do meu sogro, apesar de eu notar que meu sogro me dirigia olhares um tanto quanto suspeitos de vez em quando eu jamais imaginei que ele olharia com olhos de desejo pra mim, afinal eu era mulher do filho dele, mas eu estava enganada, e tudo aconteceu assim: era um feriado prolongado de carnaval, eu e meu marido tínhamos planejado da gente fazer um passeio justamente porque não curtimos muito essa historia de baile de carnaval e preferimos sair do barulho e do fervo natural desses dias, normalmente a gente ia em algum desses retiros promovidos por várias igrejas, e como a gente ia as vezes numa sempre eramos convidados.

Mas no carnaval de 2013, justamente nos feriados meu marido foi requisitado pra implantar um sistema numa empresa, eles queriam que fosse justamente num feriadão pra não terem que parar uma linha de produção e atrapalhar, fiquei eu na mão então eu não fui, fiquei com meus sogros,  na sexta feira de carnaval convidamos uns amigos e ficamos jogando baralho até altas horas, mas logo perto da meia noite minha sogra saiu disse que tava cansada que ia dormir, ficamos apenas eu meu sogro e um casal de amigos, jogávamos enquanto  tomávamos caipirinha, eu não sou de beber mas fui na onda, lá pelas tantas a conversa desandou pro lado de sexo, nossos amigos insinuaram que meu marido o Fabio estava de boa no carnaval leve e solto em uma cidade grande que oportunidades não lhe faltariam, meu sogro safado botou mais pimenta na conversa dizendo que o filho tinha puxado o pai etc e tal, por volta das 3 da madrugada nossos amigos se foram, e meu sogro meio alto falava-me Laurinha, meu filho é um sortudo, vc é um mulherão, se fosse eu não te deixava solta assim os gaviões podem atacar... eu desconversei e fomos dormir.

No sábado levantamos tarde almoçamos e o dia transcorreu normalmente,e na tarde meu sogro convidou eu e minha sogra para irmos até até a cidade de Antonina que é perto pra assistirmos o Carnaval de lá, não é aquele carnaval luxuoso mas Antonina tem um Carnaval de rua muito animado,  eu topei na hora tava a fim de sair fazer alguma coisa  mas minha sogra não quis ir alegando que não gostava muito de carnaval, meu sogro olhou pra mim e me perguntou mas  vc quer ir? Eu confirmei que sim, ele falou então já que a Maria (minha sogra) não vai vamos de moto, eu adorei a ideia porque eu gosto de sentir o vento no rosto, alem do que estava muito calor, coloquei então um Jeans e uma camiseta, pegamos dois capacetes e caímos na estrada, durante os primeiros trechos da viagem eu me sentindo meio insegura
abracei a cintura do meu sogro, e percebi que ele estava gostando do meu contato,  como era cedo ainda e o sol brilhava forte descemos a estrada da Graciosa, uma estrada centenária turística com vários recantos gostoso da gente parar e dar uma curtida, e paramos logo no primeiro mirante, e ficamos observando a serra do mar, percebi ele discretamente se aproximar de mim, colocar a mão em minha cintura dizendo que estava cuidando porque eu tava muito na beirada, claro que era pretexto para tocar em mim, mesmo porque ele  não tirou em momento algum, depois de alguns minutos ali olhando a natureza, seguimos viagem ate o próximo recanto da cascata, resolvemos então subir até o topo pelas pedras como várias pessoas já estavam fazendo, e durante o trajeto da subida novamente meu sogro todo cheio de atenção, me segurava as mãos ajudava a subir colocava a mão em minha cintura puxava contra si, enfim era a gentileza ao mesmo tempo em que eu sentia um desejo incontido em seu olhar, mas eu inocentemente não me dava conta que aquela gentileza toda era na verdade um assédio velado, preparação do terreno para o que viria a noite, e por fim paramos no ultimo recanto esse era bem maior havia várias trilhas mato adentro, muito gostosas de se andar por seu frescor natural, pegamos uma trilha e fomos quase até o fim, tinha um pequeno riacho atravessamos subimos um pouco o morro e acabou a trilha assentamos em uma pedra pra descansar um pouco nesse momento novamente meu sogro colocou seu braço em volta da minha cintura e reclinou sua cabeça em meu ombro dizendo estar cansado que queria um ombro amigo, como já estava escurecendo voltamos até o estacionamento pegamos a moto e seguimos viagem até Antonina, chegamos lá por volta das 19 hs ainda era cedo e o carnaval de rua iria começar bem mais tarde, resolvemos comer uns frutos do mar até que a festa começasse.

Por volta das 9 hs da noite começou, primeiro o desfile como cidade pequena o desfile é bem rápido depois do desfile começou o carnaval de rua propriamente dito, corria muita alegria, levei muita passadas de mão, mas era normal para o dia e para a ocasião então eu não podia reclamar afinal eu estava ali pra me divertir e o seu João meu sogro não saia de perto de mim, ele já tinha bebido todas, eu bebi um pouco estava meio alta mas ainda estava lucida e enquanto pulávamos carnaval ele me abraçava e meio bêbado me falava Lu vc é muito gostosa sabia, qualquer homem adoraria transar com você, inclusive eu, ele estava me cantando abertamente só que eu não liguei por julgar que ele estivesse falando aquilo por estar bêbado, afinal eu era nora, a festa de rua terminou por volta da 1 da manhã, ele falou-me Lu, vamos embora, eu falei não seu João no seu estado não pode pilotar, peguei a chave dele e aconselhei pegarmos um hotel, de tão bêbado que estava nem a moto ele conseguia equilibrar, então deixamos estacionada e pegamos um táxi, por ser carnaval os hoteis estavam todos lotados, perguntei ao motorista de taxi se ele sabia onde a gente poderia arranjar um lugar ele respondeu que só em Morretes distante uns 30 Kms ou então em um Motel, eu escolhi o motel porque a moto tinha ficado estacionada e seria mais fácil na manhã seguinte.

Do jeito que entrou caiu na cama desmaiado, então retirei a suas botas, retirei sua jaqueta e calça de couro pra ele descansar melhor, ele ficou só de cuecas e camiseta estando nós dois ali sozinhos comecei a olhar com mais atenção, apesar dele ser um cinquentão estava bem em forma pra idade, em minha cabeça veio-me pensamentos libidinosos fiquei imaginando como seria transar com o sogro, depois disso tomei um banho e fiquei apenas de calcinha e sutiã e  uma camiseta por cima porque é bem  mais confortável assim e me deitei ao  lado p-orque no motel l só tinha uma cama por apto, pensei comigo bêbado do jeito que está eu vou acordar mais cedo e me visto, ele nem vai perceber, durante o resto da noite por várias vezes ele colocou o braço por cima de mim, as vezes até percebi um movimento como se tivesse me acariciando, achei que fosse impressão minha, mas em determinado momento senti ele  encaixar seu corpo em meu corpo e  um troço duro se encostar em mim, comecei a sentir que ele fazia movimentos bem sutis de vai e vem, e sua mão descansava em minha cintura.

Eu estava constrangida mas achei que era por ele estar bêbado e na manhã seguinte ele nem se lembraria e se ele se lembrasse eu desmentiria, acabei deixando pra ver onde ia dar
aquilo, ele continuou aquele movimento bem sutil com os seus dedos acariciando discretamente minha barriga, estava gostoso aquilo tanto que acabei apagando provavelmente por causa da bebida ter me deixado relaxada, quando acordei de manhã ele estava tomando banho e eu sem a calcinha e senti minha bunda toda lambuzada da porra dele, o safado do meu sogro tinha me comido enquanto eu dormia, na hora fiquei sem chão, apavorei-me com a situação, imaginei que não corria riscos porque ele estava tão bêbado mas em enganei porque ele era bem mais resistente a bebida que eu que tinha bebido quase nada ou estava fingindo com o objetivo de me comer, eu já sabia dessa reputação dele que não perdoava nem a filha se tivesse chance imagine eu sendo nora se eu escaparia se ele tivesse chance ele armou tudo direitinho e eu dei essa chance pra ele estando nós dois seminus no mesmo quarto.

Enquanto ele tomava o seu banho eu procurei minha calcinha mas não achei nem a calcinha nem o resto da minha roupa, foi então que eu fui até o banheiro e perguntei o que o Sr. fez enquanto eu dormia seu João, ele respondeu nada demais Lu, só aliviei meu tesão, eu falei mas seu João, o Sr. Não podia não tá certo já imaginou se eu engravido, ele respondeu não se preocupe filha, eu gozei  foi na bundinha não se preocupe, alem do mais eu fiz  vasectomia isso de certa forma me deixou mais aliviada mas não menos envergonhada, ele falou sua roupa eu guardei no armário, ele estava saindo do banho e me falou, olha já to saindo se vc quiser tomar um banho pode aproveitar, como eu estava toda lambuzada e precisava mesmo de um banho, peguei uma toalha  e fui tomar meu banho.
Enquanto eu me ensaboava e me lavava ele entrou novamente no banheiro e vindo por traz de mim falou deixa eu esfregar suas costas, eu nem olhei pra traz e imediatamente respondi que não ele foi insistente apesar das minhas negativas ele pegou o sabonete e começou a passar em minhas costas, no fundo eu estava ficando excitada, ainda mais quando ele começou a ensaboar debaixo das minhas axilas e tocava de leve nas laterais dos meus seios, aquilo foi me deixando cada vez mais acesa, quando ele finalmente tocou nos bicos dos meus seios ele
pode perceber  que estavam durinhos e excitados, ele sem falar nada continuou aquela massagem passando as pontas dos dedos em torno como eu já não reclamava mais ele continuou me abraçou forte por traz e se encaixou em mim pude sentir o seu pau duro, o safado do meu sogro nem tinha colocado roupas ainda, então encaixou seu pau entre as minhas nádegas, roçando minha bunda e tentando colocar na minha buceta, eu instintivamente fechei as pernas pra dificultar, mas ele era insistente, fechou a água do chuveiro e me conduziu até a cama.

Quando ele me deitou na cama eu falei
- Não Seu João, o Sr. não pode por favor
- Ah Lu...  eu já te comi enquanto dormia mas ainda não estou satisfeito
- Por favor Seu João, por favor não !!!
Ele não se deu por vencido abriu as minhas pernas ajoelhou-se a borda da cama e começou a lambar minha buceta, ele lambia tão gostoso que mesmo moralmente eu me recusando internamente eu estava adorando, eu dizia que não ele não dava a minima e continuava lambendo e me chupando, eu não aguentei e gozei na boca dele, ele então sentiu meus líquidos invadirem sua boca e falou.. eu sabia... eu sabia que faria você gozar..  naquele momento eu estava entre a razão e a emoção,  a razão me dizia que teria que parar, a emoção me dizia pra continuar, por fim venceu a emoção e me deixei ser  conduzida pelo sogrão que estava me dando muito mais prazer do que o seu filho jamais tinha me dado, ele sabia como chupar e fazer gozar estava tão gostoso aquela chupada que me entreguei, eu sabia que o próximo passo era ele transar comigo.
Não demorou muito ele veio por cima de mim como um caçador abatendo sua presa, eu era a presa, e me penetrou de uma forma tão viril pra idade dele que me surpreendeu, até parecia que ele não se cansava tal era a volúpia, ele bombava forte e ritmada, bombadas cada vez mais rápida e eu sentia aquela piroca dentro de mim, não era nada de anormal nem tão grande assim, mas estava gostoso acho que pela situação pelo gosto do  proibido meu sogro estava me possuindo, eu acho que o safado do meu sogro armou tudo pra conseguir me comer, e o pior é que ele conseguiu, em condições normais eu jamais transaria com ele, não por ele ser mais velho porque ele até que é um coroa enxuto, mas pelo fato de eu ser casada, nunca tinha traído meu marido com nenhum outro homem e a primeira vez acabou sendo exatamente com o pai dele, e também jamais transaria com ele pelo fato dele ser meu sogro.





......................................................................

JAPINHA CASADA

Sou casada há 8 anos mais ou menos , sou uma mulher de estatura pequena pelo fato de ser  descendente de orientais, tenho 1.53 e 48 kilos, cabelos bem negros e um pouco acima da cintura, por ser mestiça eu tenho uma beleza misturada com a ocidental então devido a isso não são raras as vezes que me elogiam  e cantadas sempre acontecem , e resumindo meu marido sempre foi o único homem da  minha vida isso até  um ano e pouco atrás, 

Foi   quando Consegui um emprego por indicação de uma amiga que sabia que eu estava precisando, e sabia que eu tinha certa experiência como recepcionista , surgiu uma vaga para o cargo e por ela conhecer o proprietário  nem precisei fazer aquelas entrevistas e testes peculiares, entrei por indicação, fui contratada para ser  recepcionista e secretária , o proprietário o Sr. Alberto desde o inicio eu notei  que ele me olhava com olhares mais penetrantes de um jeito malicioso, achei que era coisa da minha imaginação, mas ele era super atencioso, acabamos desenvolvendo uma certa amizade,  e em momentos que a gente não tinha muito o que fazer acabávamos por ficar conversando, principalmente porque a minha mesa dava para a porta do escritório dele que nunca ficava fechada a não ser quando recebia algum cliente.

Certa vez em uma de nossas conversas falávamos de namoros, casamento  e traição até que em certa altura ele assim do nada me perguntou  o que eu achava dele, respondi que era uma pessoa legal e integra, e que o achava  inteligente mesmo conhecendo-o há pouco tempo ., então ele insistiu, Flavinha eu quero uma opinião sua feminina, mas quero que seja sincera, o que você acha de mim como homem  mesmo sendo cinquentão?, Eu nunca tinha parada pra pensar sob esse prisma, mas  ele era charmoso e bonito apesar dos seus quase 50 anos , diante do meu silencio momentâneo , então ele novamente  me falou "Desculpe-me ,mas a minha curiosidade é se se eu ainda sou um homem atraente na visão feminina , pelo que respondi ." Com todo respeito Sr. Alberto  eu particularmente acho o senhor um homem atraente ." Ele abriu um sorriso e me pediu sinceridade e respondi mais uma vez que estava sendo sincera.

Pra minha surpresa ele me veio com uma pergunta  Flavia eu sei que você é casada  "Sem querer ofende-la mas você já saiu com outro mesmo estando casada ? " Fiquei sem chão e um tanto constrangida com a pergunta mas respondi. "Nunca,  meu marido é o único homem com quem me relacionei em toda minha vida . " Ele surpreso disse : "Nossa! É sério mesmo ? Ele foi o primeiro e único até hoje ? Balancei a cabeça positivamente, ele veio com outra pergunta responda então, você já teve vontade ou a fantasia de sair com outro?  Fui pega de surpresa e respondi que nunca tinha pensado nisso, diante da insistência dele eu disse que achava normal que alguma mulher tivesse essa fantasia mas não era meu caso.

A conversa ficou por ai, mas sempre que ele tinha chance voltava a tocar no assunto de fantasias e voltava a me perguntar o que eu achava dele como homem, e eu respondia sempre a mesma coisa, eu já nem estranhava mais, mas a cada dia ele ia se aproximando e era o mimo em pessoa pra mim, a minha amiga até me alertou dizendo que o meu patrão estava a fim de mim, eu falei imagina ele é casado eu também sou, mas ela falou Flavia ele quer você como mulher, eu me fazia de desentendida, e a minha amiga falou abre os olhos ele quer te comer. eu respondi imagina é o jeitão dele.

E nossas conversas que já eram rotineiras, quando entravamos na área sexual ele sempre me perguntava o que eu achava que as mulheres preferiam na hora do sexo, um membro maior que os normais ou um membro mais grosso que os normais, na nossa intimidade eu já falava que na minha opinião um mais grosso daria mais prazer que um muito grande, e assim o tempo passou sem que ele nunca tivesse me passado uma cantada ou coisa assim,  e eu achava mesmo que era só papo de amigos, eu já não o chamava se Sr. Alberto, já chamava de Alberto porque ele pediu assim, e ele me chamava de Flavinha.

Até que certa vez ele me falou Flavinha, na semana que vem eu preciso fechar um contrato importante em Florianópolis, vou ficar dois ou três dias e precisava que você me acompanhasse, será que seu marido deixaria você ir? Na hora eu fiquei interessada porque me disseram que Florianópolis era muito bonita, alem de útil eu iria fazer um turismo de graça com tudo pago, quando fui conversar com meu marido ele não gostou muito da ideia de eu viajar sozinha com meu patrão, mas eu falei-lhe que o patrão era um homem muito mais velho e que me considerava como filha, acabei  por convence-lo mesmo que meio a contragosto.

O meu chefe então mandou-me marcar duas passagens aéreas, reservar carro, hotel etc... tarefas tipicas de secretária mesmo, e na semana seguinte pegamos o avião em Cumbica as 9 da manhã logo as 10 já estávamos no destino, pegamos o carro que havia reservado, fomos em direção do centro quando chegamos já era perto das 11 hs ainda era muito cedo pra fazer o check in do hotel e também para almoçarmos, então resolvemos matar o tempo passeando na Av. Beira mar porque a reunião era as 2.30 da tarde, paramos algum tempo num desses estacionamentos existentes ali, caminhamos um pouco recebendo a brisa do mar no rosto ele jeitosamente colocou a mão em minha cintura fiquei sem jeito de repreende-lo, como ele era como um pai pra mim acabei deixando, depois nos assentamos em um banco e olhávamos os barcos até que deu a hora do almoço fomos a um restaurante e comemos camarão e frutos do mar, depois fizemos check in no hotel , e quando chegou a hora fomos a tal reunião que durou até o fim da tarde.

Ao terminar a reunião cansados fomos ao hotel, onde tomei um belo e refrescante banho, coloquei um vestido bem verão porque estava quente, e me preparava para o jantar quando desci o saguão do hotel o Alberto já me esperava que ao me ver rasgou elogios a mim, que eu estava simplesmente linda dentro daquele vestido, e fomos ao restaurante jantar, por volta das 9 horas da noite já tínhamos terminado o jantar  e o Alberto sempre um perfeito cavalheiro me convidou pra gente conhecer a ilha, me disse que ligasse para o meu marido para dizer que estava tudo bem, depois que fiz isso paramos em alguns barzinhos, ele pediu bebida para nós dois, eu disse que não gostava de beber, ele me convenceu a tomar um martini então que era bem fraco e adocicado, apesar de eu não estar acostumada a beber, acompanhei em algumas doses de martini e ele pediu caipirinha, ele me ofereceu e convenceu-me a experimentar, experimentei e não achei tão forte acabei por beber mais que devia.

Por volta da meia noite voltamos ao hotel, ao subirmos ainda no elevador ele se encostou em mim, colocou o braço em meu ombro abraçou-me discretamente, não o afastei achei normal um gesto de carinho na minha opinião, chegamos ao meu quarto ele pediu se podia entrar um pouco, falei-lhe porque? Ele ah por nada era só porque tava com vontade de conhecer meu quarto, eu meio que sem jeito deixei-o entrar esse foi o meu erro, começamos a conversar e ele conduziu a conversa pra sexo, e assim na maior cara de pau falou Flavinha eu sei que você só teve seu marido mas quais as minhas chances com você hoje? Fiquei sem saber o que fazer, lhe respondi que nenhuma, falei que ele estava meio bêbado que deveria ir pro seu quarto ele insistiu mas diante da minha negativa ele falou que ia ao banheiro se aliviar.
Eu tinha ligado a TV e estava deitada na cama, quando ele saiu olhei pra ele ele estava nu da cintura pra baixo levei um susto e tanto, assentei-me na beira da cama e ele sorrindo olhou pra mim e disse  "O que você acha que pode acontecer agora ? "Levei um susto e tanto ele estava nú da cintura pra baixo e apontou pra mim um membro totalmente duro era bem comprido alem de grosso e me perguntou "Então Flavinha que me diz ? Acha que isto aqui (apontando o pênis), acha que é motivo suficiente pra voce cometer seu primeiro adultério ? " Eu gaguejando disse : "Alberto,  por favor, está me deixando constrangida ? " E ele : "Constrangida ou com Tesão? " Por favor Alberto,  pare com isso mas ele veio em minha direção  pedi que não fizesse aquilo mas parece que ele se excitava mais ainda, tentei levantar-me e sair do quarto mas ele agarrou-me pela cintura e me deitou na cama e fortemente me segurou apesar dos meus protestos ele habilmente levantou minha saia e arrancou minha calcinha ele abriu minhas pernas e começou a me chupar, o que a principio eu achava asqueroso foi se tornando prazeroso, comecei a ceder depois que ele chupou minha menina ele abriu minha bundinha e foi passando a língua  no meu cuzinho, ah foi tudo que ele precisava pra me deixar mole e entregue, era muito sensível e gostoso era diferente mesmo por ser outro homem me fazendo um carinho que eu jamais experimentara, tentei disfarçar mas foi inevitável que ele percebesse que tinha achado meu ponto fraco ele lambia com gosto toda a extensão da desde a  minha bunda até a minha bucetinha, depois de lamber  me penetrou dois dedos numa gostosa masturbação, e o vai-e-vem dos dedos em minha xana e a língua quente e molhada lambendo  meu cú me dominaram completamente.

Ele percebeu que já tinha me dominado   porque eu arrebitava a bundinha rebolando para facilitar totalmente encharcada, ele chupou gostoso até que  ele se levantou: "Sua vez agora Japinha ! me chupa gostoso engole tudo ! " Fiz o que ele me ordenou e meio sem jeito agarrei com as duas mãos porque uma só  mal conseguia envolver todo aquele pinto e abocanhei a cabeça . Tamanha grossura me permitia apenas ficar brincando na glande eu lambia o pau dele da base até a ponta fiquei ali uns 10 minutos até ele me levantar e me arrancar o resto da minha roupa ele tirou a camisa também porque da cintura pra baixo já estava nu.
Estando eu ainda deitada ele veio por sobre mim abriu minhas pernas e apontou aquela vara enorme pra minha menina, lubrificada do jeito que eu estava achei que ia aguentar sem muito esforço, mas me enganei, porque eu sendo de estatura pequena tinha a bucetinha apertadinha que foi arregaçada por aquela piroca quando entrou, doeu um pouco, foi meio desconfortável mas logo me acostumei e estava curtindo sentir aquela vara grossa dentro de mim, eu estava sendo massacrada, de uma forma muito gostosa, aquela vara do meu chefe me consumia de prazer num entra e sai continuo, não demorou muito pra eu gozar e ele também, terminamos a noite juntos no dia seguinte teríamos que voltar pra nossa cidade, então meu chefe me propôs que ficássemos mais um dia falei-lhe que só tinha trazido roupa pra um dia e já estávamos a dois fora, ele então me falou não se preocupe vamos comprar roupas pra vc se vc aceitar ficar mais um dia... ainda retruquei mas meu marido, avisei pra ele que ia chegar hoje, meu chefe me falou, não tem problemas a gente fala que o compromisso durou mais que o esperado etc e tal de tanto insistir acabei aceitando.

No dia seguinte não havia nenhum compromisso então dormimos até mais tarde, levantamos pr volta das 9 pra aproveitar o café da manhã horário que o hotel fechava a cozinha, tomamos o café e fomos passear, caminhar na Av. beira mar, depois fomos ao shopping fazer compras ele não economizou, comprou-me um belo vestido, e principalmente roupas intimas foi ele quem escolheu uma lingerie, bem sensual olhando pra mim deu uma risadinha e falou, quero que vc use pra mim hoje, eu sabia que o fato de eu ter aceitado ficar mais um dia implicava no fato de que ele queria transar comigo de novo, e ao ficar eu tinha concordado com os termos.

Marcamos a passagem para o dia seguinte e a tarde passeamos muito, meu chefe era um doce de pessoa, me tratava com um mimo que nunca fui tratada, estava me sentindo uma princesa, a noite fomos jantar, passamos em frente a um motel então falei ao Sr Alberto que nunca tinha entrado em um, ele respondeu-me então vou te levar pra conhecer, depois do jantar ele então dirigiu até o motel em que tínhamos passado e pediu uma suite, entramos, ele pediu um vinho e duas taças tomamos, foi então que ele me pediu para que colocasse a lingerie que ele tinha comprado durante nosso passeio no shopping, me dirigi até o banheiro despi-me da minha roupa e coloquei a lingerie e sai do banheiro, ele deu um assovio de elogio e me disse que eu estava muito gostosa, e que eu não me arrependeria de ter ficado.






.......................................

quinta-feira, 23 de abril de 2015

MEU CHEFE ME PAGOU PRA TRANSAR COM 2 AMIGOS

Sou mulata,  cabelos encaracolados tipico da raça, mas cuido muito bem deles, alias sou obrigada senão vira um emaranhado só, tenho um corpo bem delineado tenho 26 anos, e o que aconteceu comigo foi assim.

Trabalho em uma grande empresa,  representamos uma multinacional e sempre vem algum pessoal dos escritórios em Londres, normalmente eles vem para dar curso de atualização dos produtos e equipamentos que revendemos, e ficam aqui por uma semana ou mais.

Mas vou começar do inicio,  a trabalhar nessa empresa como assistente administrativo, logo fui promovida a auxiliar do chefe, uma especie de secretária sem escritório porque eu era o faz tudo, organizava as agendas, por eu falar o idioma inglês, eu sempre estava ao lado do meu chefe nas videos conferencias, e por eu ser solteira era sempre requisitada a fazer cursos de atualizações oferecidos pela empresa, e na maioria das vezes meu chefe que se chamava Edson também ia fazer o mesmo curso e com isso ficávamos no mesmo hotel, ele tinha 40 anos já e era casado mas com nossa proximidade tanto na empresa como nas viagens em nossos cursos desenvolvemos uma relação extra trabalho, e a primeira vez que transamos foi justamente no hotel em um desses cursos, em nosso escritório eramos sempre muito cuidadosos mesmo porque ele era casado e a politica da empresa também não admitia relacionamentos nem namoros se isso acontecesse um dos envolvidos tinham que pedir demissão para que os dois não fossem demitidos

Em face disto eramos bem discretos, e meu chefe sabia que eu gostava de comprar roupas novas e joias pra mim estar sempre chique, o problema era que eu sempre andava com a grana contada até que um dia vieram dois representantes do escritório em Londres, dois gringos que vou chamar de Mr. Smith e Mr. Charles, e como sempre iriam ficar uma semana,  nas vésperas deles irem embora numa sexta feira depois do expediente eu e o Edson e eles fomos todos ao barzinho do Hotel que eles estavam para  um Happy Hour  para comemorar a semana, depois de alguns drinques para minha surpresa o Edson me chamou a um canto e me fez uma proposta indecente...., ele me falou que os dois Ingleses ficaram fascinado com minha beleza,  por eu ser mulata e mestiça, acho que na Inglaterra não tem muitas então o Edson me falou que queriam transar com uma mulata e gostaram de mim, na hora eu fiquei furiosa, me virei pra ir embora mas fui segura pelo braço e o Edson me falou Calma Bia, não precisa ficar tão furiosa, espera eu terminar, acalmei um pouco e ouvi, o Edson me falou que eles estavam dispostos a gastar uma boa grana  para realizar essa fantasia, eu falei-lhe então leve eles a uma boate vai arranjar negras pra escolher, ele respondeu mas nenhuma tão bonita como você, por isso eles a querem, como eu tinha algumas dividas pensei um pouco na proposta mas não estava disposta aceitar.

Recusei terminantemente apesar de eu estar precisando da grana, voltamos até a mesa novamente, eu ia pegar minha bolsa pra ir embora quando o Allan, um os Ingleses falou  two thousand euros(dois mil euros), na hora parei era uma importância considerável, mas eu não era prostituta, em todo caso para que eles desistissem respondi if two thousand euros for each I accept (se dois mil euros para cada Aceito), pensei que iam recusar o valor era muito alto, girava em torno de 13 mil reais, mas para minha segunda surpresa da noite eles disseram "OK", na hora gelei, achei que não iriam aceitar e agora, eu já tinha falado a bobagem, o Edson então começou a colocar mais lenha na fogueira e disse não vai roer a corda agora ou vai, já estávamos meio altos por causa dos drinques pensei comigo essa grana vai me fazer um bem danado, falei então pro Edson que toparia mas com duas condições, primeiro que o Edson meu chefe jamais contaria a ninguem essa aventura, e em segundo que eles teriam que pagar adiantado senão nada feito, achei também que eles não teriam essa grana no bolso, mas para minha surpresa eles vieram preparados pra me comer mesmo gastando uma grana alta, não tinha mais jeito, subimos então até o quarto deles, eu nem imaginava como seria mas sabia que teria que transar com os dois, e la fui eu pro sacrifício.

Subimos então os três para o apto do hotel em que eles estavam hospedados, entramos, eu estava me sentindo uma prostituta de luxo, eles abriram uma garrafa  uisque pegaram gelo no
frigobar, cada um pegou uma dose e me ofereceram uma dose tambem, eu não bebia bebida forte ou destilada, então me recusei, eles já estavam meio alto pediram pra que eu fizesse um strep tease, eu queria terminar logo com aquilo então comecei a tirar lentamente a roupa, eu não tinha muito jeito em tirar a roupa mas em pouco tempo eu estava só de calcinha sutiã e salto alto, e vi os olhos deles brilharem ao verem meu corpo de negra, bem feito, pele lisinha ali na frente deles só de lingerie prestes a ser sodomizada por dois tarados ingleses, mas o que eu poderia fazer, eu tinha aceitado fazer parte daquela orgia, alem do que eu estava sendo muito bem paga, pensei comigo, já que tenho que participar disso vou tentar tirar o máximo de prazer, alem do que eu já tinha fantasiado em minhas fantasias mais secretas um dia transar com dois ao mesmo tempo e era chegada a hora de experimentar, então os dois começaram a me alisar, passar a mão em minha pele lisinha, e diziam Wonderful... enfiaram a mão por dentro do meu sutiã eu que tinha os seios volumosos eles pareciam duas crianças no parque de diversão, abaixaram a calça e me ofereceram dois pintos pra eu chupar simultaneamente, eu não os decepcionei, chupei um por vez alternando a cada um até que finalmente eles me deitaram na cama, e vi os dois tirarem par ou impar pra ver quem seria o primeiro a me comer, ganhou o Charles que por sinal era o mais novo e mais bonito dos dois ele veio pra cima de mim, debruçou o peso do seu corpo em cima do meu corpo e mandou ver, enfiou o seu pau que tava duro, senti um desconforto não por ele estar me penetrando mas pelo peso que ele soltou em cima de mim, eu estava torcendo pra que ele gozasse logo e saisse de cima, dito e feito apos algumas bombadas fortes ele gozou e saiu de cima, eu nem tive prazer algum
Era a vez então do Sr Smith esse não foi tão apressado, primeiro veio até mim acariciou meu corpo, meus seios, beijou meu pescoço, ele era mais experiente e sabia como agradar uma mulher pensei comigo, o prazer que não tive com o Charles vou ter com o Smith eu tinha certeza que teria pelo modo que ele começou sem pressa, então tocou meu grelo suavemente fazendo massagens de forma que eu já estava toda molhada deitei-me abri as pernas oferecendo-me para que ele viesse e me possuísse, mas ele deitou ao meu lado e me acariciando puxou pra cima de si, fazendo me cavalgar em sua piroca posicionei-me de forma a encaixar aquela piroca em minha menina e sutilmente fui deixando entrar, soltando meu corpo de leve até que encaixou tudo até o fim, e comecei a fazer movimentos de vai e vem, eu tinha até me esquecido do meu chefe o Edson que só observava de lado e tocava uma punheta excitada mais ainda vendo ele tocar uma punheta me esforcei ainda mais em ter prazer naquela foda, e o Smith sabia como fazer uma mulher gozar, enfiava aos poucos torturando eu rebolava gostoso naquele pau duro que alem da grana estava me dando muito prazer, comecei a rebolar cada vez mais em cima dele o Smith gemia de prazer eu também sabia como fazer um homem ter prazer.

O problema foi quando os dois confabularam entre si, olharam diretamente pra minha bunda vieram e começaram a alisar então eu entendi que eles queria comer minha bunda, não que eu nunca tivesse feito sexo anal, mas eu não tava muito a fim de dar a bunda pra eles mas eles foram incisivos me colocaram de bruços na cama, e vieram pra cima de mim, eu reclamei, falei-lhes em inglês, esperem, primeiro precisam lubrificar senão machuca, eles não tinham nenhum tipo de lubrificante, então eu fui até a minha bolsa peguei um dos meus cremes íntimos que eu levava comigo e fiz eles usarem como lubrificante, eles ficaram todos satisfeitos primeiro veio o mais apressado do Charles, se colocou em cima de mim e sem muita cerimonia enfiou toda aquela tora pra dentro tive que cerrar os dentes e aguentar a dor, e novamente não gozei com ele, até que chegou o Smith que como  um perfeito amante veio sem pressa, embora meu rabo já estivesse laceado porque tinha levado vara do Charles, mas o Smith mesmo por ser mais velho era mais paciente e esse sim me fez gozar porque alem dele me enrabar beijava minha nuca, e me masturbava o clítoris.

Depois da gente transar, pedi para o Edson me levar pra casa que eu precisava de um banho e de uma roupa limpa, afinal eles já tinha conseguido o que queriam e tinha caído na cama exaustos, nos despedimos e nunca mais nos vimos porque no dia seguinte eles pegaram o avião e voltaram pra Londres, e nunca mais nos falamos nem por telefone.
.