domingo, 1 de janeiro de 2017

MENAGE COM MEU IRMÃO E MINHA IRMÃ

Corrigir voltar o primo

Essa historia que vou narrar agora aconteceu comigo, e com minha irmã antes e depois de termos nos casado, pra resumir, eu e minha irmã  fomos criadas dentro de uma educação bem rígida porque nossos pais eram crentes de uma religião bem rígidas, daquelas que não podem cortar cabelo, pintar unhas, nem usar calças compridas, mas como nem tudo pode ser controlado 100% nossos pais trabalhavam fora e por necessidade nos deixavam em casa, eramos crianças e meu irmão mais velho que na época tinha 13 anos já cuidava da gente, depois que a minha irmã cresceu ela que cuidava de mim e da casa, e minha irmã que na época tinha apenas 10 anos e assim foi que crescemos meio crianças com responsabilidades de adultos, mas não deixávamos de ser crianças,  e a gente sempre brincava com coleguinhas vizinhos, fomos crescendo e descobrindo o sexo pouco a pouco, era comum a gente brincar de esconde esconde e de papai mamãe, e sempre que a gente brincava de esconde esconde rolava aquelas sacanagens infantis e pré adolescente,  e nosso irmão mais velho á com 17 anos só estudava e ficava em casa a maior parte do tempo. e quando a Simone minha irmã foi pegando corpo, e começou a aparecer meus peitinhos, esse  irmão no auge da puberidade passou a interessar-se sexualmente pela Simone, eu era a mais nova mas sempre fomos muito ligadas porque a Simone era quem cuidava de mim por isso eu minha irmã tínhamos uma cumplicidade a toda prova, e esse nosso irmão mais velho no auge da puberdade, começou a interessar-se pela Simone, e induzia ela a deixar ele passar a mão nas tetinhas dela, e por baixo da saia tambem tocava em sua xoxotinha, o que era muito comum em nossas brincadeiras, principalmente ao brincarmos de esconde esconde com os primos  que moravam vizinhos de quintal, brincadeiras bem safadas, tipo papai mamãe eram nossas brincadeiras favoritas,

E nosso irmão que na época já tinha 20 anos na época sempre pegava a Simone  que tinha 14, lembro-me que certa vez eu peguei eles no flagra  na cama dos nossos pais, ele de calça abaixada com o pinto duro e a Simone fazendo um boquete nele, é claro que eles ficaram todo sem jeitos e  por eu ser mais nova eles convenceram-me a não dizer nada a ninguém, mas eu já tinha 12 anos e sabia bem o que acontecia ali apesar deles tentarem me convencer que era só uma brincadeira, mas eu já sabia que eles estavam realmente fazendo,  e foi desde essa época que nos tornamos cúmplices, desde esse incesto da minha irmã com o nosso irmão, que logo depois arranjou um serviço e não ficava mais com a gente em casa, mas mesmo assim por algumas outras vezes eu vi a Simone e o Beto nosso irmão em atitudes suspeitas,

Passaram-se bastante tempo até que um dia eu já mocinha a  Simone prestes a casar-se comentei com ela se ela não tinha medo de que o marido na primeira noite descobrisse que ela não era mais virgem, visto que fomos criadas dentro  das mais rígidas leis da igreja de nossos pais, mas ela respondeu que não tinha problema porque o Beto nunca tinha penetrado de fato, era apenas oral, eu duvidava mas ela me garantia que o que rolava entre eles era apenas esfregação e nada mais do que sexo oral, e por causa da educação religiosa ele não ia até o fim porque tinha medo

Quando a Simone completou 20 anos se casou, e continuou morando no mesmo terreno mesmo assim e não demorou muito eu também casei tive um filho, e morávamos todos no mesmo terreno embora em casas separadas, certa vez eu contei pra Simone que mesmo casada eu  tinha saído com o meu ex-namorado, ela me chamou de louca, mas como sempre ficou só entre nós,  alias a Simone depois que se casou mudou, ela não era que nem eu, meio doidinha, mas apesar desse deslize de adolescência ela sempre foi do tipo certinha, mas eu nunca fui, acho que por eu ser a destrambelhada não fiquei muito tempo casada justamente porque eu adorava uma balada e gostava muito de sexo e meu marido não, curtia balada, apesar de nos darmos bem na matéria sexo, por isso o meu casamento acabou com 3 anos de casada, eu fui viver minha vida 
Eu tenho certeza de que tanto ela como eu casamos mais para podermos sair de casa do que por convicção, porque eu já tinha tido alguns casos com namorados até casar-me com meu ex-marido, ao contrário da Lucia que tirando aquela aventura, continua com o mesmo homem com quem se casou-se e hoje tem dois filhos adolescentes, resumindo  eu sempre fui uma pessoa que gostei muito de sexo, provavelmente por ver e dar cobertura para minha irmã, acabei por me interessar e a gostar da coisa, e talvez por conta disso foi que acabei me separando do meu marido, logo nos primeiros anos de casada, quando conheci um vizinho que me fazia trepar pelas paredes ele também era casado e não foi uma vez só que trai meu marido com ele, e como eu disse sempre com a cumplicidade da  minha irmã porque ela sabia  apesar de falar pra ela que ia pagar conta ou coisa assim e ia ve-lo, até que um dia ela chegou em casa pra me visitar e me pegou com meu vizinho que estava lá, acabei por confessar, ela me chamou de louca mas me deu cobertura,  mas esse foi só um dos meus casos, e por isso resolvi  curtir minha liberdade .

Como sempre fomos cúmplices nas intimidades e entre uma conversa e outra a Simone me falou que o Beto  sabendo que o maridão dela não estava e que os filhos estavam na escola e de vez em quando ele passava lá pra matar a saudade, foi a minha vez de chama-la de louca, eu afinal já estava separada, mas ela continuava dizendo que não rolava nada, perguntei se o Beto não tentava algo com ela tipo oral como antes, mas ela negava, os anos se passaram e ela mudou-se pra outro município da região metropolitana de Sampa, e nunca mais me falou se o Beto continuava visitando-a

Mas eu sempre falava com o Beto e a Simone por telefone e pela  pela internet nas horas que coincidiam os três estarmos conectadas formamos um trio e entre irmãos a gente relembrava das loucuras cometidas quando adolescentes, e parece que gostar de sexo era mal de família porque descobri que meu irmão também não prestava quando se tratava de sexo, porque uma vez quando nos dois falávamos pela Web Cam,  e o assunto sexo era o tema da pauta, ele me falou que já tinha feito um menage junto com a esposa, apesar de eu ser irmã dele, eu  adorava essas conversas e joguinhos sexuais, principalmente quando  eu falava das minhas fantasia e ele das dele e era comum a gente
falar de sexo sem pudores  até que um dia meu irmão fez um pedido estranho ele me pediu pra mostrar um peitinho, estranhei por ele ser meu irmão na hora pensei que era brincadeira dele mas ele insistiu, e de tanto ele insistir eu pensei comigo o que que tem ele tá longe mesmo acabei cedendo e mostrando um dos meus peitinhos, ele pediu pra ver o outro também, depois os dois,  e essa brincadeira foi tomando dimensões maiores, em retribuição ele me mostrava seu pau, e eu fazendo um strip completo, isso se tornou comum entre a gente a ponto de me dizer que me desejava e que ainda ia me comer, eu ficava na minha achava que era por causa do tesão do momento depois passaria.

Fiquei ainda mais surpresa quando certa vez a gente naquela sacanagem de brincadeira  me disse que era um voyeur e gostava de ver as mulheres se despindo na web CAM, fiquei ainda mais surpresa quando me disse que conversava sempre com a Lucia pela CAM e que fazia o mesmo com a Simone, e que a Simone fazia Strip pra ele também  fiquei espantada porque a Simone era casada e na minha opinião não precisava se prestar a esse papel, mesmo sabendo daquele possível caso deles no passado não imaginei que ela se prestaria a fazer esse papel ainda mais se tratando do irmão, pensei comigo eu tudo bem porque eu era uma devassa mesmo mas ela era a certinha  meu irmão disse ainda que falava e fazia as mesmas coisas com ela, eu não acreditava nem desacreditava, afinal nesse mundo tudo é possivel, fiquei nessa duvida até que um dia a Simone  veio em casa me visitar e entre um assunto e outro acabamos por conversar sobre sexo e eu lhe falei o que eu e o Beto nosso irmão fazíamos pela WEB CAM, e lhe disse que o Beto tinha me dito que ela tb fazia o mesmo com ele perguntei se era verdade, ela negou como era de se esperar, mas eu insisti perguntando se  já tinha rolado  uma cantada por parte dele nesse sentido. ela respondeu que ja tinha sim sim por várias vezes, eu continuei insistindo até que ela acabou confessando que sim, que ela já tinha tirado a roupa pra ele, e numa tentativa de justificar disse, que fez porque afinal ele já tinha visto ela pelada várias vezes.

O assunto rendeu até que eu perguntei. Simone você teria coragem de transar com o Beto?, ela respondeu, credo Ana, !! Ele é irmão..., eu insisti e falei, isso é se já não transou né, percebi que ela ficou vermelha, e completei antes de tudo ele é homem mana, repeti a pergunta e então vc teria?? Ela ficou sem jeito e não sabia o que falar então falei, quem cala consente,e insistindo mais uma vez, teria Coragem? No que ela respondeu com outra pergunta pra mim, - E voce teria? Sem titubear eu falei que sim, só então que ela também disse que se ela não fosse casada e se ele não fosse irmão só pelo homem ela teria sim ,,  eu falei, antes de ser irmão ele é homem e todo homem é um predador, e completei, voce sabia que ele me disse que queria me comer? E a conversa continuou girando em torno do tema até que ela teve que ir embora pra sua casa, .
 Algum tempo depois enquanto eu e o Beto conversávamos pela WEB CAM, e como sempre acabava rolando uma sacanagenzinha o Beto como sempre falou que queria transar comigo, insistiu tanto então eu falei voce tá maluco, sou irmã, e completei pra voce bateu o coração tá valendo né, você quer transar com  todas, ele falou claro que quero sou insaciável, foi quando eu falei, comigo não vai conseguir nada porque não tenta com a Simone afinal vocês já tiveram um casinho né, ele respondeu a Simone eu já ando pegando faz tempo, eu quero é voce!!! chamei ele de mentiroso e disse que duvidava, disse ainda: ela veio aqui em casa semana passada e não me falou nada, ele respondeu e você acha que ela ia te falar uma coisa dessa, eu então quis saber dos detalhes, dai ele me contou que igual a nós dois ele sempre conversava com ela e tantas foram as vezes que ele cantou ela pelo computador, e ela desconversava mas nunca disse não foi então que ele resolveu ir visita-la numa tarde quando as filhas estariam na aula e o marido trabalhando, com o intuito de seduzi-la ele foi visita-la e conseguiu o seu objetivo,, bem curiosa eu perguntei então como foi?
Ele que gosta de contar suas aventuras, falou foi assim, tudo começou pela web cam, a coisa foi evoluindo, um dia eu cheguei lá ela tava sozinha tomamos um café, puxei a conversa como pela web cam, quando eu falei  que eu tava tarado por ela e queria transar com ela, a principio não concordou, mas depois de tudo que tinha rolado pela web cam eu não dei chance pra ela e  parti para o ataque, abracei-a por trás e fui logo beijando-lhe o pescoço enquanto mordiscava a orelha e  pegava nas suas tetas, aos poucos ela foi cedendo e quando ela deu por si eu  já tinha conduzido-a até o quarto, e dentro do quarto não tinha mais volta, dai rolou,
Na hora eu falei, que duvidava porque a Simone é casada e jamais transaria com você!!!
Mas ele sem pestanejar disse -  transou sim,  curiosa eu lhe perguntei.
-mas ela foi numa boa sem protestar
-Ah! No inicio ela até protestou, mas vc me conhece e sabe que sou insistente, dei em cima até conseguir
-E dai como foi que aconteceu, conte os detalhes
-Ah! A gente transou oras,
-Transou, mas como???Foi, papai mamãe só ou rolou algo mais
-Rolou algo mais e claro
-Que tipo?
-Bem!! Eu a deitei na cama, tirei sua saia, a calcinha e dei uma bela duma chupada
-Que mais? Ela te chupou
-Claro, até gozei na boca dela
-Hum delicia, Rolou mais alguma coisa.. conta.. conta vai
-O que vc quer saber, se rolou anal??? Claro que rolou
- E a Lucia gozou, ela gostou
- Acho que sim porque ficamos uma tarde toda transando...
Ficamos um bom tempo conversando sobre a transa dele com a Simone e a cada detalhe sórdido que ele me contava eu ficava ainda mais excitada, até que ele falou em tom de brincadeira que tava a fim mesmo era de me passar o rodo, eu tava tão excitada que naquela hora eu falei que daria pra ela ou pra quem tivesse perto de mim, pena que eu tava sozinha enquanto a agente conversava, ele me falou
-hoje tô sozinho posso ir até sua casa
-Mas voce tá tão longe, vai demorar
-Não tem problema de carro só  demoro uma meia hora uma hora no máximo,
-Tudo bem então, eu sempre to sozinha a tarde mesmo a gente toma um café juntos
-Vou adorar o seu café, e vou adorar tudo mais que vc vai me dar....
-O que é esse tudo mais???
-Ah!! voce vai descobrir...
Ele queria mesmo era me passar o rodo, mas  eu tava tão acesa na hora que acabei aceitando  a ideia de boa, sem pensar muito, alis se eu tivesse pensado bem não teria rolado.
Desligamos e eu fui tomar um banho porque estava toda melecada e fedia a sexo, ao sair do banho coloquei uma calcinha minuscula e vesti uma saia  até certo ponto provocante, e uma blusa de malha sem sutiã por baixo pensei comigo sutiã pra que se ele vai tirar mesmo, na verdade eu estava excitada com a ideia de transar com o irmã parecia algo proibido o que tornava ainda mais excitante.
Não demorou nem uma hora ele bateu na porta falei nossa mas que rápido foi quando ele falou que o transito estava tranquilo e ele aproveitou pra acelerar um pouco mais que de costume, tirei sarro dele pra que tanta pressa??
-Ora pra que, o que voce acha?
-Não tenho a menor ideia disse eu num sorriso safado
-Voce vai descobrir já já
E sem muitas cerimônias me abraçou e me beijou e disse
- Aninha, nossa conversa a pouco me deixou aceso, é por isso a minha pressa.. Mana hoje você vai entrar na minha vara
- Vou é!!  E se eu não deixar??
- Pelo estado que me deixou, melhor ve nem tentar resistir senão eu pego a força
- Não vai precisar não,
Depois não precisamos dizer mais nada, rolou beijos e mais beijos mão boba pra lá e pra cá, ele apertava minha bunda eu pegava em seu pau, em pouco tempo nossas roupas estavam esparramadas pelo chão ele me fez levantar os braços e arrancou  minha blusa, ao mesmo tempo que eu me livrava da minha saia, e ele da calça, até enfim ficarmos só com uma peça, eu de calcinha ele de cueca, ajoelhei-me e ao retirar sua cueca me surpreendi como tamanho da ferramenta dele não era tamanho extra GG como muitos gostam de exagerar no tamanho, mas era uma ferramenta respeitável, de forma que cai de boca, fazendo-lhe um boquete profissional, alias era essa  minha pratica favorita adorava mamar e fazer meu parceiro subir pelas paredes, em seguida ele me levou para a cama e tentou me penetrar, eu falei não não.. não sem antes vc me dar uma gostosa chupada, se quer comer vai ter que lamber antes... mas ele não tinha problemas em chupar tanto que me deu um trato especial no meu clítoris que é meu ponto "G"  eu gozei gostoso.
Eu tava mesmo precisando de um chá de piroca, e tava me fazendo muito bem, meu irmão me surpreendeu na cama, era um amante muito bom, tanto que se eu soubesse disso antes eu teria dado pra ele antes, porque ele me pegou de jeito, sem pressa enfiava e tirava a sua piroca em mim como se fosse um ritual me levando a loucura, não sei se pelo fato de ser um incesto isso me excitou muito mais do que todas as transas que eu já tivera, gozei varias vezes, gozei até pelo traseiro quando ele pegou por trás, confesso que não foi fácil aguentar passivamente aquela tora no meu traseiro, mas depois que meu cú se acostumou eu até curti e não foi difícil gozar, passamos a tarde juntos e a gente
transou de todas as formas possíveis e imagináveis, a certa altura eu não resisti e pra lhe provocar eu perguntei com a Simone foi tão bom quanto foi comigo? Acho que voce falou que pegou ela só pra me convencer a te dar, e sua conversa deu certo né, mas eu tenho duvida de que você realmente tenha transado com Simone, ainda mais ela sendo casada, mas ele todo confiante falou: isso é fácil, provar convida a Lucia pra vir na sua casa uma tarde dessas não fala nada pra ela só  me avisa  dai você vai ver se é verdade ou não, dai eu aproveito e já pego as duas juntas duma vez só e faço logo um menage com as duas
- E você daria conta das duas???
- Eu não blefo, se quiser ver vai ter que pagar pra ver,
- Voce tá é contando vantagem duvido muito
- Então é o seguinte, falou ele, semana que vem na quarta feira eu tenho a tarde livre eu venho tomar café com voce a tarde, vc chama ela e voce vai ver eu pegar ela na sua frente, alias vou pegar ela depois voce junto pra vc não achar que sou mentiroso
Essa proposta mexeu com minha libido, não sei porque mas o fato de saber que minha irmã que era a mais certinha das duas ter feito o mesmo que eu acabara de fazer me deixou acesa e querendo tirar aquela conversa a limpo.
Ele tinha me dito que na quarta ele viria, arranjei uma desculpa para que a Simone viesse sózinha sem que a filha que estudava de manhã não viesse junto com ela, e na Quarta Feira lá estava ela logo depois do almoço, por volta das 13.30, pensei comigo chamo ou não chamo o Beto, mas não foi preciso porque meia hora depois ele chegou, deu logo um beijo em minha boca e dirigiu-se a Simone que alem do beijo na boca pegou nas tetinhas dela, fazendo que ela ficasse toda envergonhada, achei que ia ter alguma preparação antes, mas com ele não tinha muita cerimônia e foi logo abraçando a Simone e beijando-a,  e passando a mão nas tetas e no corpo tudo ali na minha frente pra me provar que não tinha mentido, a Simone tentava se desgarrar del falando pra ele se comportar porque eu tava ali na frente vendo tudo mas ele falou fica fria mana, entre a Ana e eu também já rolou e  olhando pra mim falou, não é mesmo Ana?  Eu confirmei com a cabeça que sim, e mesmo assim a Simone não se soltava, então o Beto levantou o vestido dela e levou a mão na xoxotinha dela por cima da calcinha começou a massagear, até que finalmente enfiou a mão dentro da calcinha dela, eu ali só observando os dois, e o Beto todo arrogante olhando pra mim falou.. eu não te disse que era verdade!!!,
Vendo os dois ali minha calcinha molhou na hora, ainda mais quando ele fez a Simone se abaixar e chupar o pau dele, não resisti aproximei dos dois beijei-lhe a boca e dividi aquele pau do nosso irmão com a minha irmã, e fiquei ainda mais molhada quando ele a colocou deitada na cama, levantando a saia dela abriu suas pernas retirou sua calcinha e foi por cima dela pra lhe penetrar, ele estava adorando meter nela na minha frente, e eu querendo que ele terminasse logo com ela pra meter em mim, enquanto eu me tocava, ele bombava furiosamente na buceta da Simone que gemia baixinho, até ele gozar, não sei se ela gozou, mas deve ter gozado porque gemia e remexia enquanto ele a fodia,

Quando ele terminou com a Simone  ele quiz dar uma descansadinha mas eu alei, voce não é o bom na cama, vai ter que dar conta da irmanzinha caçula também, sem lhe dar chance de se refazer peguei na pica dele e comecei a masturbar-lhe, até deixa-la dura de novo, e
quando estava bem dura fiz ele ficar deitado com a pica pra cima e me ajeitei em cima dela, fazendo movimentos de sobe e desce naquela piroca gostosa do meu irmão, minha xoxota estava tão melecada que a pica dele entrou facilmente até o fundo, a Suzana do nosso lado estava de costas pra gente nem queria ver o que tava acontecendo., e quando terminamos  caímos os três na mesma cama ele parecia exausto, o que se seguiu depois que ele descansou  foi uma segunda sessão de suruba onde ele colocou  a Simone de bruços e facilmente a enrabou, e depois foi a minha vez dele enrabar, é claro que eu não queria ficar fora da festa, e depois dessa sessão eu fiz um café e tomamos juntos dando risadas do que tinha acontecido,

Meu irmão foi embora como ele estava de carro deu carona para a Simone, e no dia seguinte eu muito curiosa liguei pra Simone pra trocar ideias sobre o acontecido, foi quando eu descobri que a Simone de fato tinha casado virgem mas só na frente porque o Beto apesar de não ter tirado a virgindade dela pra que ela casasse virgem, sempre que pegava a Simone pegava por trás, por isso da tranquilidade que ela encarou a pica do nosso irmão sem ao menos reclamar.


.

SWING COM UM CASAL DE NEGROS


Toda aventura sexual normalmente começa em casa, na hora do rala e rola, com  fantasias sexuais normalmente parte do homem porque a mulher é bem mais reservada que o homem, porem com a insistencia fantasiosa do homem a mulher acaba aceitando a fantasia dele e acaba adotando essa fantasia.

Eu sempre gostei de sexo em todas as suas mvariações, e meu marido era uma pessoa bem criativa na hora do rala e rola, e não sei porque a maioria dos homens na hora do sexo na cama vem com aquela fantasia, amor, voce já imaginou um negão forte, gostoso, pauzudo te comendo!! Sei disso porque já conversei com algumas amigas sobre esse assunto e elas também disseram que os maridos delas já fantasiaram sobre o assunto, e eram mais ou menos iguais as fantasias dos homens.

E em casa era assim, por anos a fio, na hora que a gente ia transar lá vinha meu marido, Amor... fala pra mim, voce não gostaria de experimentar o pau de um negão?, Em outras ocasiões a fantasia dele era troca de casais, e ele sempre na mesma linha, o marido do casal sempre era um negão pauzudo, e essa fantasia rolou por anos mas da fantasia a realização é complicado, acredito que de todos os homens que tem fantasia 99% não teriam coragem de ralizar, alem do que mesmo que tenham coragem ainda depende da mulher também topar e acabam ficando apenas nas fantasias.

E de tanto meu marido insistir nessa fantasia acabei ficando com essa idéia na cabeça, por várias ocasiões eu já me imaginei transando com um negro, mas nunca pensei a sério em realizar tal fantasia isso até conhecer um casal de baianos quando a gente viajou para Trancoso na Bahia, uma praia paradisiaca, e quando saimos em viagem não tinhamos a intenção de qualquer tipo de aventura era apenas uma viagem de turismo mas o inesperado acontece quando a gente menos imagina.

E foi assim, por ocasião das férias escolares, todos os anos nossos dois filhosadolescentes gostam de passar uma temporada na chacara dos avós paternos peto de Petropolis, e no ultimo ano resolvemos aproveitar esse período que os garotos ficavam nos avós e resolvemos tirar uma semana de férias pra nós só os dois sozinhos, nos preparamos para a viagem com antecedencia pretendiamos ir de carro sem pressa, parando pelo caminho quando quisesse, então deixamos nossos filhos nos avós e pegamos estrada logo cedo, no primeiro dia saimos por volta das 6 da manhã do Rio, e por volta das 13 hs já estavamos passando por Vitoria-ES, resolvemnos conhecer Vila Velha,  que tem a fama de ter as areias com propriedades medicinais, aproveitamos para almoçar e visitar alguns pontos turisticos, mas não ficamos muito tempo, por volta das 15,00 pegamos a estrada de novo e por volta das 23 horas já tinhamos chegado a Porto Seguro, já era tarde resolvemos pegar um hotel Pousada, e foi nesse hotel que conhecemos a Evelin e o Jason, um casal de negros na faixa dos 40 anos lindos na minha opinião, ela uma mulata tipo destaque de escola de samba devia ter uns 39 anos e ele um Negro alto  1.80m mais ou menos, cabelos raspados, e dono de um porte fisico invejavel, e aparentava uns 45 anos, eram mais velhos um pouco que a gente que eu tinha 34 e meu marido 36,

Resumindo, nos conhecemos na portaria quando fomos nos registrar, e na manhã seguinte na hora do café da manhã deu certo de encontra-los de novo que nos convidaram a tomar café com eles na mesma mesa, claro que aceitamos, afinal estavamos fazendo amizade logo de chegada isso era legal, descobrimos que eles eram de Vitoria da Conquista e conheciam bem a região por irem sempre, e  por conta disto se propuseram a nos dar todas as dicas, resumindo acabamos nos enturmando e passando o dia juntos, desde a hora do café da manhã até o anoitecer na pousada novamente, foi um primeiro dia maravilhoso, durante aquele dia percebi que o Jason discretamente me olhava o tempo todo, principalmente quando a gente foi a praia, eu sou branquinha, e usei um biquini azul forte que se destacou sobre a minha pele, e a noite depois do jantar eles convidaram a gente pra irmos a uma balada numa dessas boatinhas dançantes,e lá fomos nós 4, naquela noite e dançamos muito até de madrugada, na maior parte do tempo dancei com o Jason que discretamente me cantava o tempo todo, dizendo que eu era bonita, que meu marido era sortudo e coisas assim, e o meu marido dançava com a Evelin mulher do Jason, e parece que estavam se dando muito bem.

E na volta da boate o Jason e a Evelin nos sugeriu que fossemos para trancoso porque lá era mais sossegado e muito mais bonito, e a sugestão foi aceita, no dia seguinte levantamos cedo, nós 4 tomamos café e la fomos para Trancoso que fica cerca de 20 minutos de distancia,chegando lá pegamos outra pousada, dessa vez uma pousada bem simples com pequenos apartamentos e chales individuais, preferimos o chalé por ser maior e ter mais privacidade, e realmente ali era um pedaço do paraiso, passeamos e bebemos muitas cervejas durante o dia, e ao final da tarde encontramos um quiosque aconchegante com mesas e bancos rusticos embaixo de várias palmeiras que nos proporcionava uma sombra bem gostosa, e não longe da nossa mesa havia algumas redes estendidas provavelmente para os fregueses usarem, e passamos a beber cerveja e alguns drinks junto com porções de camarão e outros tipos de fruto do mar o resto da tarde toda até depois de ter anoitecido, e meu marido apesar de meio alto ficava secando o corpo da Evelin uma mulata com todas as qualidades da raça, e eu que não sou boba nem nada tambem admirava mesmo que discretamente o corpo sarado do Jason, um negão de tirar o chapeu, tenho certeza que se du der mole ele créu,  como diz a musica da Alcione, pude observar que por baixo da sunga havia um membro admiravel pelo tamanho do volume,

Apesar dessa atração, eu e meu marido jamais haviamos feito um swing, menage ou algo parecido, e eu nunca havia tido outro caso com alguem que não fosse meu marido mas tudo é questão de oportunidade, meu marido já estava bem grogue e deitou numa das redes e caiu no sono, tentamos fazer ele acordar pra ir pros nossos aposentos mas estava dificil, o dono do quiosque vendo aquela dificuldade falou que a gente podia deixar ele ali mesmo, que muita gente aproveitava pra dormir ali nas redes por causa do calor.

O Jason e a Evelin olhando no relogio e vendo que não passava das 21 hs, falou ainda é cedo, sair pra balada não vai dar mesmo que tal a gente assistir um filme no chalé, achei boa a ideia, deixamos o Fabio meu marido deitado ali mesmo orientando o dono do quiosque que se ele acordasse dissesse que a gente tinha ido para o chalé, nessa pousada tinha TV a cabo com todos os canais começamos a passear pelos canais a procura de um bom filme, nos ajeitamos na cama os tres deitados confotavelmente, o Jason pegou o Controle e começou  a procurar, quando depois de passarmos por quase todos os canais caiu em um canal privê, onde justametne tinha um negão encaçapando uma branquela, como a gente estava um pouco altos caimos na risada ao ver a cena, ele fez menção de mudar de canal, mas eu e a Evelin falamos pode deixar,

O negão do filme  tinha uma piroca enorme, e quando penetrava na branquela a cena proxima parecia que a xoxota da loira estava toda esticada, eu comentei, acho que isso é montagem porque ela não ia aguentar uma piroca desse tamanho e completei se é que existe alguem que tenha uma piroca assim, a Evelin vendo minha incredulidade falou, Sandrinha querida não sei o resto mas posso garantir que o Jason tem uma boa ferramente e na maior cara de pau perguntou que tamanho é a ferramenta do seu marido? Respondi que a ferramenta do meu marido não era nem pequena nem grande, era padrão uns 15 cms eu acho, nunca medi apenas senti, a Evelim numa risada  debochada falou pra mim é pequeno se comparada a do Jason, e ainda falou quer ver???

Mesmo estando meio bebada, fiquei sem graça na hora, mas a Evelim que tava mais bebada que eu falou Amor, mostra pra Sandrinha o que é um cacete de respeito, mostra, claro que aquela conversa me deixou muito excitada, mas mesmo excitada eu estava morta de vergonha, ainda mais quando o Jason que estava deitado ao lado sacou a rola pra fora e  falou pode tocar se quiser, a Evelim tinha razão, o pau do meu marido era um carro popular se comparado ao pau do Jason quer era um carro de luxo, e a Evelim falou viku só!! Isso que é um pau de verdade não concorda, e a melhor parte é que ele é todinho meu, mas posso dividir com voce.. que tal?

Sem que eu dissesse nada ela se virou pra  mim e soltou a parte de cima do meu biquini, começou a me alisar, a passar a mão em meus peitos enquanto o Jason ao lado segurava aquela rola enorme na mão apontada para o teto fazendo movimentos de vai e vem, expondo a cabeçorra quando arregaçava a pele da glande, e a Evelim falou baixinho no meu ouvido, o Jason gostou de voce Sandra, e continuava a passar a mão nos meus peitos, dizia que peitinho gostoso voce tem, e o Jason com aquela vara enorme na mão só massageando e ela ficando cada vez mais dura e maior, só observando a Evelim me tocar, e em determinado momento ela começou a passar a lingua em meu corpo, subiu pelo meu pescoço até beijar a minha boca, o Jason observava tudo, a Evelim me dizia se prepara porque daqui a pouco aquele pauzão vai te comer, a menso que voce não queira
Eu estava me sentindo como uma vagabunda naquele momento mas minha xoxota estava encharcada e desejando, e quando eu fechava os olhos ficava só imaginava se eu ia aguentar, a Evelin se ajoelhou na cama e lambeu minha boceta, até então eu jamais tinha imaginado algo assim, enquanto aquela mulata lambia minha xoxota o Jason, aquele negro maravilhoso ajoelhou do lado do meu rosto e apontou aquela piroca para a minha boca fazendo-me mamar nele, para me ajeitar melhor eu levantei minha cabeça, apoiado no cotovelo e passei a chupar, o Jason egurou forte na minha cabeça e puxava minha cabeça com força contra o seu pau, até que a Evelim tirou o pau do Jasom que estava na minha boca começou a chupa-lo mas não sem antes mandar-me lamber a buceta dela, até então eu jamais havia feito algo semelhante, mas meu tesão era tanto que não achei ruim mesmo sentindo aquele caldinho acido que escorria pela xoxota dela, e ela gemia alto.

Estando eu de quatro com a bunda pra cima, o Jason não resistiu, veio por trás e cravou aquela rola na minha xoxota, eu estava tão lubrificada que ele não teve muitas dificuldades na penetração, eu sentia aquela piroca enorme ir entrando aos poucos, realmetne eu não nestava acostumada com um tamanho GG, parecia que eu tava tendo outro filho, só que de fora pra dentro, mas o ser humano se adapta fácil e em pouco tempo minha buceta que estava que nem a da atriz do filme toda esticada, já não me incomodava mais, e eu tava curtindo, quando ele dava uma ou outra estocada mais forte me incomodava quando aquela vara batia lá no fundo do meu utero e eu urrava mas aguentei firme toda aquela tortura deliciosa,
Depois ele deitou-se na cama e mandou-me que eu me sentasse por cima numa cavalgada, eu gostei dessa sugestão porque assim eu podia controlar e sentir menos desconforto, eu não sei o tamanho do pau do Jason, mas eu acho que dava uns 25 Cm, porque por mais que ele tentasse não eu não cnseguia agasalhar ele todo dentro da minha xoxota, comecei a me soltar mais, enquanto a Evelim ao lado dizia, vai meu nego, mete a rola toda nessa branquela, mostra pra ela o que é ser metida por um homem de verdade, ela pareci que sse deliciava ao ver a cena do marido dela me comendo, passamos a revesar naquela pica porque a Evelim as vezes pedia pro marido meter nela, e logo depois ela mandava o Jasom parar tirar o pau e colocar na minha boca pra eu sentir o gosto da sua buceta também, metemos um monte até que aquele negro com o pau enorme cansou de comer a buceta das duas e quiz comer meu cuzinho que era apertado porque eu raramente dava para meu marido porque sempre doia e eu não gosto de sentir dor, tanto é que ele até que tentou, mas apesar de eu estar adorando ser fodida por aquela vara refuguei quando ele tentou comer meu cu, não chegou nem a por a cabeça porque não entrou.

Estando nós em plena atividade eis que a porta se abre, era meu marido, que nos pegou em pleno ato sexual, com o negão dentro de mim, quando ele viu a cena quase morri de vergonha, mas ele pra minha surpresa falou, eu sabia que voce não iria resistir a um negão...., também quero entrar na festa, dizendo isso agarrou a Evelim que estava pelada tascou um beijo, em poucos instantes os dois estavam transando, o Fabio a colocou de quatro e comeu o cu dela, mas tenho certeza de que o pau do meu marido nem fez cocegas na Evelim, porque quem tinha um pau daquele tamanho o pau do meu marido era apenas um aperitivo diante do prato principal.

Ficamos ali naquela pousada mais três  dias, e foram dias memoráveis, todas as noites rolava o swing, e o Negão do Jason todos os dias tentou comer meu cu, eu até deixava tentar mas sempre ficava só na ralação porque eu nunca deixei ele enfiar nem a cabeça, eu refugava sempre, até que no ultimo dia acho que o Jason sabendo que era ultimo dia resolveu comer meu cu meio na marra, porque na hora em que ele falou se podia brincar no meu cu como nos dias anteriores eu deixei, e como nos dias
anteriores ele lubrificou bem meu cuzinho e falou Sandrinha hoje bem que voce poderia deixar eu enfiar um pouco mais né, falei voce sabe que não dá, vc tem uma vara muito grossa, mas ele como nos dias anteriores me colocou na posição lubrificou bem, se posicionou por trás e falou Sandrinha vou tentar só a cabeça tá, falei não, ele dengoso falou só a cabeça deixa vai, esse foi o meu erro porque acabei concordando em ele colocar só a cabeça, porque quando ele forçou a cabeça que passou pelo primeiro anel do meu cu, eu vi estrelas, doeu pra cacete, pedi pra ele parar, mas ele tava louco, segurou minhas ancas e sem dó deu uma estocada forte que me rasgou ao meio, com lagrimas escorrendo nos olhos gritei seu filha da puta eu falei que não, tentei me desvencilhar dele mas ele segurando-me forte bombou dentro de minha bundinha até gozar, meu marido que também estava comendo o cuzinho da Evelin, ao ouvir meu grito olhou pro lado achando graça, provavelmente el pensou que era de prazer, mas era de dor mesmo, o desgraçado me arrombou, e quando tirou o pau de dentro senti um filete escorrendo pelas minhas pernas, era sangue, eu tinha sido estuprada, o pior é que eu tinha deixado ele colocar só a cabeça, mas cabeça de pica não tem ombro e o desgraçado enfiou tudo na hora do tesão.

Voltamos pra casa no dia seguinte com o rabo ardendo, mal podia sentar-me, precisei comprar uma pomada na farmácia, foi a realização de uma fantasia, mas confesso que se eu repetir essa experiencia com alguem bem dotado não vou deixar nem chegar perto do meu cuzinho.  

MEU CUZINHO VIRGEM, PAGANDO UMA APOSTA

Relutei muito para ter coragem de relatar o que vou contar hoje aqui para vocês, pra começar quero deixar claro que todos que visitam os tais sites de contos eróticos é porque são pessoas que gostam de sexo em todas as suas formas, e eu mesmo sendo mulher sempre gostei de um sexo bem feito com direito a todas as preliminares, e até certo romantismo, não sou nenhuma santinha eu gosto mesmo de sexo, e eu com meu marido nos damos bem, só que eu nunca gostei de sexo anal, oral eu fazia sempre para o meu marido e sempre fiz com antigos namorados, eu até deixo meu marido pincelar a cabeça da pica no meu cuzinho, mas na hora em que ele tenta botar pra dentro eu refugo sempre, não porque eu seja contra, mas porque dói muito, não sei como certas mulheres fazem anal normalmente e não sente dor, mas no meu caso eu sempre senti muita dor.

Como eu falei não sou nenhuma santa, já tive alguns casos antes de casar, hoje sou casada a l2 anos tenho um filho de 9 e depois de 12 anos de casada  aconteceu uma vez de eu ter tido um caso com um colega de trabalho chamado Mauro, foi numa festa de confraternização de fim de ano, pra resumir a história esse colega  sempre me rodeou e assediava-me discretamente mas sem nunca forçar a barra, ele quem nem mineirinho foi comendo pelas beiras quando eu vi já estava envolvida com ele, e antes deste acontecimento que vou relatar a gente já tinha saído umas duas vezes, o problema de sair uma vez com alguém, mesmo que  na cabeça da gente seja apenas uma experiencia é que sempre acontece duas, três ou mais, e como Mauro aconteceu  duas vezes, e nas duas vezes que me ele levou ao motel tentou me possuir por trás, mas eu como já havia feito com meu marido refuguei e não deixei ele penetrar-me por trás, só por muita insistência dele eu deixei  ele só brincar, mas na hora em que eu sentia que ele tentava forçar um pouco mais eu caia fora,...-  não sei porque todos homens são tarados por transar por trás com a mulher, e depois da ultima vez que saímos eu decidi não a sair mais com o Mauro e falei isso pra ele, eu achava muito arriscado pelo fato de eu ser casada e ele também, cidade pequena qualquer hora alguém poderia nos ver juntos, entrando ou saindo de um motel a casa ia cair e eu não tava a fim disso, eu estava satisfeita com meu casamento apesar de tudo, mas o Mauro não desistia de tentar me convencer a sair com ele de novo.

Então por ocasião desta festa de confraternização de fim de ano, todo ano a empresa dava um jantar para os funcionários que normalmente é em algum restaurante mais afastados da cidade, talvez por causa da disponibilidade, do preço sei lá,,,, e nesse ano meu marido me levou até o local, mas ele era avesso a participar dessas festas que alem do jantar tinha outras atividades, resumindo, quando chegamos lá ele me deixou na portaria, falei que se eu arranjasse uma carona eu ligava pra ele, senão ele iria me buscar, combinamos e ele foi embora, logo que entrei fiquei a procurar uma amiga chamada Silvia mas não achei-a, perguntei ao Mauro se ele tinha visto ela, foi quando ele me falou que a Silvia não viria a tal confraternização, mas ela tinha me dito e garantido que viria, e ficamos nesta discussão eu dizendo que ela viria, mesmo porque eu tinha falado com ela no dia anterior e tava tudo certo, e o Mauro dizia que ela não viria perguntei como ele tinha essa certeza ela não falou disse apenas que ele tinha suas fontes de informação, mas eu continuei insistindo que ela viria porque tinha falado com ela, então o Mauro me desafiou, vamos fazer uma apostinha então, na minha certeza e topei e perguntei, mas qual seria a aposta, então o Mauro me falou assim, Olha Vera, se voce ganhar eu desisto de tentar
te convencer a sair comigo de novo, prometo nunca mais tocar no assunto, dai eu perguntei e se voce ganhar o que vai querer em troca? E ele calmamente me disse eu vou querer te levar ao Motel novamente e dessa vez voce me deixa eu comer sua bundinha, que tal!!!, Na hora eu gelei, se eu perdesse alem de ter que dar pra ele de novo eu teria que dar minha bundinha virgem, mas ainda era cedo e o pessoal ainda estava chegando, visto que a Silvia tinha me garantido que viria eu acabei topando a aposta com uma condição, que era se ele ganhasse eu topava os termos dele mas seria uma ultima vez e não haveria outra, e se eu ganhasse que ele parasse de uma vez por todas de tentar me fazer trair meu marido novamente, ele falou tudo bem, mas se eu ganhar eu quero que pague a aposta ainda hoje.

O Mauro estava tão autoconfiante que eu ate desconfiei que ele sabia de algo que eu desconhecia, mas enfim era aguardar pra ver, a festa estava marcada pra começar as 19 horas no restaurante, deu  20 horas e nada 21 Hs nada da Silvia, quando deu 22 horas todo mundo já havia jantado e alguns já havia até ido embora foi quando me dei conta de que eu tinha perdido a aposta, durante todo esse tempo o Mauro não tocou no assunto mas quando o pessoal já estavam se retirando  ele veio até a mim e falou, parece que ganhei a aposta né Verinha, já não havia mais jeito, resignada não me restava mais opção, falei pra ele mas Mauro está muito tarde pra gente ir a qualquer lugar, me referindo a um motel é claro, mas ele foi inflexível e disse o combinado era hoje lembra-se, e disse ainda o jantar está no fim se a gente sair ninguém vai perceber nada, eu saio primeiro te espero no estacionamento, e assim foi ele se despediu da turma, enquanto ele se despedia eu falei na frente de todos Mauro voce me dá uma carona pra casa? Ele entendeu que eu estava justificando na frente de todos a minha saída também, me despedi e saímos juntos quando a gente estava no carro olhei para o relógio já passavam das 22.30 falei novamente Mauro está muito tarde, eu pago essa maldita aposta outro dia preciso ir pra casa, meu marido e filhos me esperam, ele então falou liga pro seu marido e diz que vai atrasar um pouco, nesses jantares é comum o pessoal ir até mais, e completou, deixe no viva voz pra eu escutar, então eu sem muitas opções liguei para o meu marido e falei -
- Amor vou me atrasar um pouco tá, mas não se preocupe já arranjei carona pra voltar
- Meu marido concordou então o Mauro mais que de´pressa dirigiu-se ao motel mais próximo e dessa vez contra a minha vontade, nas outras vezes fui seduzida, convencida sei lá, mas eu fui por minha vontade própria, dessa vez eu tava indo pagar uma aposta que eu perdera.

Enquanto nos dirigíamos ao motel o Mauro com a mão direita massageava a minha coxa, e mesmo por cima da calça ele massageava minha xoxota, até que ele mandou reclinar o banco e abrir a mão do meu Jeans para ele colocar a mão por dentro, obedeci e ele foi o caminho todo me tocando intimamente, masturbando meu clítoris, eu não tinha como negar, ele sabia como fazer e estava me proporcionando bastante prazer, eu estava melecada por baixo até que ele mandou eu tirar a calça totalmente ficar nua por baixo falei que não era loucura, mas ele falou a gente vai entrar direto no Motel que que tem, e na portaria voce joga a roupa por cima da perna, eu quero que voce entre no quarto nua, e excitada  acabei fazendo, na portaria eu tentei colocar a roupa por cima mas ele falou que não que queria que a atendente na portaria me visse assim, protestei mas ele foi enfático dizendo que em moteis elas já estavam acostumadas, acabei cedendo.

Entramos na garagem, ele desceu primeiro fechou o portão atrás do nosso carro, depois veio abriu a porta me pegou pela mão fazendo-me descer do carro e acompanhou até o quarto, mal entramos no quarto ele me abraçou por trás e começou a beijar meu pescoço enquanto massageava meus peitos, estava gostoso não nego, e já que eu estava ali com ele resolvi que o melhor a fazer era não fazer nada e curtir aquele momento a sós com meu amante, um mante muito bom por sinal, era carinhoso e sabia como dar prazer a uma mulher e não dispensava as preliminares, tudo que uma mulher gosta de ter num homem, e foi justamente por causa desse seu jeito sedutor e compreensivo que ele conseguiu me levar a trair meu marido, e eu tinha a consciência disso, enquanto ele me abraçava por trás eu podia sentir o volume de seu membro roçando minhas nádegas nuas, ele alternava entre apalpar meus seios carinhosamente e com a outra mão masturbava-me habilmente e falava, Vera, hoje voce vai me dar teu cuzinho pra eu comer, voce nem imagina minha excitação, sabendo que dessa vez eu não escaparia de tal penetração falei pra ele que sim, que ele finalmente ia me possuir por frente e por trás, mas que ele teria que ter muito jeitinho e carinho porque eu jamais tinha dado meu traseiro a alguém, e ele ficava mais excitado como se tivesse tirando a virgindade de uma donzela e dizia,
- Vou ser o primeiro a desbravar esse território??
- Claro que sim, acha que eu to mentindo?
- Não querida, não acho, é que estou tão excitado e voce tem uma bundinha tão gostosa.
- Mas lembre-se que tem que ser carinhoso senão apesar da aposta eu não deixo ir até o fim.

Resumindo,ele estava tão excitado que começou a rodear minha bunda logo de inicio, ele me deitou na cama e veio por traz de mim de conchinha, começou a pincelar o pau na minha bunda sem no entanto forçar a penetração,  ao mesmo tempo me masturbava, aquela brincadeira estava me excitando demais, num misto de prazer e pavor, prazer porque ele sabia como encontrar o ponto G, e pavor só imaginando a hora em que ele ia colocar pra dentro do meu cuzinho virgem, aquele pau duro que nem aço, eu estava quase gozando, mas ele percebia e aliviava as caricias não me deixando gozar, ele sabia que se eu gozasse provavelmente na hora "H" euacabaria desistindo.
Depois de mais de meia hora de intensas caricias ele finalmente tomou posição de que iria me penetrar, colocou-me deitada de bruços, pediu que eu arrebitasse bem a bunda e relaxasse para que não doesse muito, segurou-me pelo quadril e me levantou um pouquinho deixando-me numa posição debruçada sobre a cama e com a bunda arrebitada pra ele e o resto do meu corpo apoiado sobre a cama, e foi até um pequeno armario onde havia produtos eroticos, pegou uma embalagem de gel e passou a lubrificar bem meu anus, não poupou gel e já foi enfiando um dedo no meu anus fazendo movimentos de vai e vem, depois circulares, descobri depois que esse exercicio era pra lacear meu buraco anal antes dele tentar a penetração, quand eu já estava acostumada com o dedo dele dentro de mim, ele introduziu mais um deso, senti desconforto, e ele ficou nesse movimento por uns 5 minutos até que ele veio por trás e abriu minhas pernas, se posicionou entre elas e apontou a cabeça do seu mastro na porta do meu anus até então virgem, sem opções deixei que ele iniciasse o meu suplicio, e quando senti a cabeça passar pelo esfincter do meu anus, senti uma dor enorme, tentei desistir mas já era tarde, ele parecia ensandecido porque segurou-me forte enquanto me penetrava sem me dar chance alguma de fugir daquele momento, o unico atenuante para aliviar a dor era que ele me masturbava enquanto me penetrava proporcionando-me um misto de dor e prazer, a minha adrenalina estava a mil, não demorou muito senti ele gozar, e quando ele gozou pedi que retirasse seu pau do meu cuzinho porque estava doendo, ele então cavalheirescamente retirou de dentro, senti um alivio enorme, na verdade não sei como essas mulheres relatam que o sexo anal é prazeroso, pra mim foi muito dolorido.

Depois dele me possuir por trás, me possuiu pela frente também, ele parecia insaciável porque apesar dele já beirar os 40 anos conseguia dar duas ou tres no mesmo dia, o que foi ruim mesmo é que perdendo a aposta eu dei uma brecha para que ele continuasse me assediando e não eve jeito, tivemos que sair mais algumas vezes apesar de no fundo que não querer mais só que sempre que eu dizia que não queria ele vinha com uma chantagem branca pra cima de mim.

COMENDO A MULHER DO AMIGO

Eu trabalho em uma empresa na área administrativa a 3 anos no mesmo setor, e junto comigo trabalha o Allan, um amigo muito chegado, temos mais ou menos a mesma idade na faixa dos trinta e poucos anos, e ambos somos casados, e nas horas vagas, normalmente em fins de expediente num happy hour, temos uma cumplicidade  total e temos liberdade para falarmos de  assuntos mais íntimos, tipo relacionamento sexual com nossas esposas, que também são amigas e provavelmente também conversam coisas intimas que nem nós por sermos das mesma idade e ambos não termos filhos ainda, a gente sempre sai todos juntos pras mais diversas baladas, vamos para a praia e juntos alugamos casa e rachamos as despesas, tudo tudo, e num desses verões que a gente foi pra praia, alugamos uma casa bem confortável com piscina e a noite a gente queria sair pra fazer algo diferente, resolvemos sair pra dançar, e fomos a uma dessas baladas que existem em temporada, que tocam todo tipo de musica, e chegando lá pegamos uma mesa, tava tocando musica gauchesca, como não sou muito chegado a esse tipo de musica e pelo jeito nem o Allan, ficamos na nossa bebericando, mas quando tocou uma musica mais suave que dava pra dançar colado, a gente foi pra pista, trocamos as esposas pra dançar, claro que sem maldade nenhuma no inicio, mas o fato é que comecei a sentir um tesão pela  Meg. mulher do meu amigo, na verdade chamava-se Margarete, mas apelidada carinhosamente de MEG, então com umas bebidas quase fazendo efeito na cabeça e a proximidade do corpo dela ao meu me deixou excitado.
O porque dessa minha excitação provavelmente porque a Meg é um exemplar de mulher do tipo que a gente baba, morena bonita, corpo bem delineado e dona de uma linda bunda, que muito me excita. alias sempre me excitou, porque em todos os lugares que a gente vai não tem um homem que não repare no bumbum  que ela tem, enfim, estávamos dançando e eu até mudei meu jeito de dançar com ela, ao invés de coladinho me afastei um pouco,  ele percebendo meu tesão deu uma risadinha marota e falou, parece que acordei seu piu piu, eu todo sem graça pedi desculpas, tentei me justificar mas ela com um sorriso bem sacana me falou não tem problema, toda mulher gosta de ser desejada, e continuamos a dançar,  só que a partir dali eu já não me afastava, deixei rolar, e a dançar bem coladinhos e passando discretamente minha mão pelas suas costas, e claro com meu pau querendo sair da calça roçando o tempo todo  em suas coxas.

Quando paramos de dançar e fomos a mesa durante nossas conversas ela comentou na frente do marido e da minha mulher que na hora da dança eu "tenho uma boa pegada", que eu danço de um jeito bem ativo, etc e tal. e minha mulher levou esse comentário como um comentário a mais dentro muitos que a gente já estava acostumado, e quando ela falou isso me excitou ainda mais, mas fiquei na minha, só que se eu tivesse a chance eu com certeza traçaria a Meg sendo casado ou não ytal era meu tesão por ela.logo depois de outra rodada de musicas que não nos interessava rolou as musicar que a gente gostava e lá fomos nós pra pista de novo e dessa vez fui mais atrevido e deixei minha mão que passeava pelas costas dela pousar em cima da sua bunda, e a Meg não dizia nada,  eu até sentia a pele dela por baixo do vestido dela de tecido bem fino que mais parecia um véu do que um tecido de fato, sentia até a as curvaturas da sua calcinha por baixo do vestido, e ela não dizia nada, até que  me atrevi a percorrer o caminho da calcinha dela sob o tecido fino, e ela com o rosto colado ao meu quase em meu ombro de olhos fechados, eu louco de tesão quando nos afastamos um pouco dos olhares dos nossos cônjuges, tentei  tentei beijá-la mas rapidamente, mas ela recuou, e fez menção de parar, mas eu lhe pedi desculpas e a gente continuou até o fim da musica. senti o coração dela disparar mas no fim tudo ficou por isso mesmo. 

Aquele fim de semana passou tão rapidamente, mas não rolava nada, voltamos a trabalhar normalmente quando pra minha surpresa num  de nossos encontros de fins de tarde quando conversávamos sobre fantasias o Allan me falou que uma de suas  fantasias seria presenciar sua mulher trepar com outro homem, para mim essa fantasia era um pouco fora da minha realidade porque apear de achar excitante falei pra ele que comigo não rolaria, eu não conseguiria ver minha mulher transando com outro cara na minha frente, ele então explicou, que é isso cara é só uma fantasia, só sexo, o amor mesmo é o que a gente sente no dia a dia por isso estamos casados o resto é sexo somente sexo no que eu respondi eu não daria minha mulher assim por mais amigo que fosse, e completei sorrindo como numa gozação, eu  não tenho nada contra a pegar a mulher de amigo,  a mulher do amigo eu traçaria numa boa, e nossas conversar de´pois desse dia da praia sempre girava em torno desse assunto, menage a três, até que eu falei Allan, isso é apenas fantasia, na hora de rolar mesmo duvido que voce aceitasse e deixasse a Meg trepar com outro, mas ele insistia dizendo que era só sexo por sexo etc e tal..
Passaram-se algumas semanas, era num sábado o Allan perguntou se eu podia ajuda-lo numa mudança que ele queria fazer na casa dele e precisava de um braço forte, e na maior boa vontade eu me dispus a ajudá-lo não era a primeira vez que ele me pedia pra ajudar nisso ou naquilo, e depois a gente sempre tomava uma cerveja ao final, mas as vezes minha mulher ia junto, por isso e eu nem imaginava que ali tinha coisa, no sábado  eu costumo dormir até tarde e por volta das 10 horas da manhã eu liguei pra ele dizendo que tava indo, ele disse que quando eu chegasse ele não estaria porque saiu pra resolver uns problemas não sabia que horas ia voltar, mas que a Meg estava em casa e me receberia, quando cheguei,  toquei o interfone e fui atendido, a Meg abriu o portão pelo interfone de dentro de casa mesmo, eu entrei, bati na porta, ela gritou la de dentro, pode entrar tá aberta, entrei, fechei a porta por traz de mim e quando a vi tive uma agradável e excitante surpresa, ela estava vestida apenas com uma camisa que mal cobria a calcinha, e ao olhar em seus seios percebi que estava sem sutiã, porque os biquinhos de seus seios pareciam querer furar a malha, durinhos de tesão.

Imediatamente meu pau atendendo aos estímulos do meu cérebro, ficou duro, a Meg  eu sabia que era muito  gostosa, mas ao ver naqueles trajes tive a certeza de que era mais gostosa ainda,eu mal acreditava no que meus olhos estavam vendo, seria meu dia de sorte ou seria apenas coincidência aqueles trajes por ela estar em casa e por ainda ser cedo ela poderia ter recém saído da cama que como por ser sábado dormira até mais tarde, eu realmente não acreditava no que eu estava vendo, mil pensamentos surgiram em meu cérebro, seria aquele meu dia de sorte? porque ela estava vestida assim? Por que isso? Por que aquilo?
Ela disse-me pra assentar no sofá da sala, e ela sentou na minha frente, quando ela sentou a camiseta subiu deixando  à mostra suas  coxas lindamente sedutoras, e quando ela cruzava ou descruzava as pernas deixava a mostra sua calcinha, branquinha de rendas, perguntei-lhe então o que o Allan queria que eu fizesse pra ir adiantando, mas ela falou que era melhor esperar o Allan, levantou-se foi até o som, colocou uma musica depois foi até a geladeira para pegar duas cervejas, disse que era pra tomarmos enquanto ouvíamos a musica, percebi que havia algo a mais no ar num clima explicito de sedução, ela levantou-se se dirigindo até o som dizendo que ia colocar uma musica mais de acordo com o clima e curvou-se de costas para mim manuseando os botões proporcionando-me um visual do seu traseiro fenomenal, que ao abaixar deixou a mostra a sua calcinha enfiada no rego dividindo sua bunda ao meio.

Nesse momento mil pensamentos fervilhavam na  minha mente, ela claramente estava me dando mole, mas eu ainda receoso pensava no Allan, meu amigo,  mas eu já tivera mil fantasias imaginando aquela gostosa mulher do meu amigo, eu estava tão excitado que meu pau atingiu um alto grau de ereção, que foi ao climax quando ela assentou-se ao meu lado e sem dizer nada começou a desabotoar a minha camisa, seus dedos tocavam sutilmente meu peito numa explicita provocação, não teve como eu me conter pensei em partir para o ataque, mas ainda fiquei com medo de abordá-la diretamente,, eu estava na casa do meu amigo

Ela percebeu o meu estado, e a minha relutância encostou sua boca em meu ouvido, deu uma lambida e falou... 
- Eu imagino que voce me queira, acertei...
- Confirmei  que sim, que a desejava,
- Eu também desejo o mesmo e quero se voce me quiser!
Eu estava pasmo, ela que estava tomando a iniciativa e eu ali como um babaca, mas rapidamente puxei-a  puxei-a para junto a mim e nossas bocas se uniram num tesão incontrolável. estávamos ambos excitados, de tão excitado que eu tava nem me passou pela cabeça que aquilo tudo era  algo armado, nossas línguas se entrelaçavam freneticamente, nossas bocas buscavam espaços por nossos rostos e pescoços, e nossas mãos trabalhavam exaustivamente no corpo um do outro,  alimentando cada vez mais nossos incontroláveis desejos.
Louco de tesão, comecei a retirar a camiseta dela até que acabei por tirá-la totalmente deixando-a vestida apenas com aquela pequenina calcinha. Os bicos de seus seios já estavam literalmente duros e aumentados, clamando por serem sugados com muito tesão.
Ela disse, vou te confessar uma coisa eu tô assim desde que o meu marido deixou eu fazer com você, fiquei espantado pela concordância do Allan, mas ele mesmo já havia me dito que gostaria de ver outro homem fodendo a mulher dele então fui em frente e comecei a chupar aqueles peitinhos perfeitos, e a mordiscar os biquinhos,  proporcionando àquela mulher gemidos e suspiros de prazer.

E muito bom chupar  tetas diferentes da esposa da gente,  eu pensava já muito excitada, ela se livrou do meu abraço e beijado meu peito foi  descendo lentamente até minha cintura, onde  começou a desafivelar meu cinto e baixou minhas calças junto com a cueca, liberando meu pau que estava duríssimo e começou um delicioso boquete, e de uma só vez quase engoliu-o todo e começou a chupar como uma profissional,  fazendo movimentos circulares com a língua em volta da glande já inchada e brilhante de tanto tesão que eu estava, e por um longo tempo ela me proposrionou um prazer gostoso com aquele boquete e quando não aguentava mais, ei fiz com que ela  apoiasse as mãos no sofá e ficasse de quatro e fui retirando sua calcinha, ´para lhe dar um trato naquela gruta toda melecada com minha língua, ela foi as alturas principalmente quando eu alternava entre a buceta e o cuzinho até que eu não resisti de tanto tesão enfiei meu pau naquela buceta melecada, o cheiro se sexo exalava pelo ambiente todo, quando falei que ei queria enfiar no seu cuzinho ela prontamente permitiu e fez um comentário que até gostava porque o seu marido tambem gostava de começar por ali.


Que loucura eu ia comer aquele cuzinho, ela era dona de um rabo exuberante, nem me lembro de quantas fezes eu fiz sexo com minha mulher fantasiando estar comendo aquela bunda da Meg, e agora estava ali a minha disposição, fui logo deslizando meu pau  por entre aquelas nádegas já lambuzadas pelos seus liquidos, para ajudar lubrifiquei ainda mais com minha saliva e fui introduzindo bem devagar porque ela tinha pedido que eu inicialmente o fizesse assim pra não machucar, e meu pau foi entrando lentamente naquele cuzinho quente e apertadinho.que bunda tinha aquela mulher! Até hoje não acredito que tenha comido  aquele cuzinho! ela tinha uma bunda perfeita em todos os sentidos, parecia até essas que a gente ve nas revistas, mas sem fotoshop, e a  safada nem fez cara feia quando eu não resistindo mais dei uma estocada mais forte enfiando todo meu pau naquele buraco quase virgem, ela aceitou numa boa! Ela sabia o que estava fazendo, porque rebolava pra facilitar que meu pau entrasse ainda mais, eu estava nas nuvens porque com a minha mulher apesar de eu já ter tentado ela jamais permitiu que eu a comesse assim, a bunda da Meg parecia um vulcão de quente, ela  mexia com muito jeito percebi  que ela devia fazer  direto com o marido! Sorte minha!  até que soltou um longo gemido seguido de um delirante grito de prazer.

No mesmo momento acelerei meus movimentos e gozei também, e  juntos já trêmulos e exaustos ao me ajeitar na cama olhei para o lado, vi meu amigo Allan diante da gente encostado na parede  nu e massageando seu  cacete, numa punheta alucinante, a Meg que já sabia que ele estaria por ali desde o inicio. Eu que estava surpreso deles terem a coragem de realmente realizar aquela fantasia que o Allan por várias vezes tinha confidenciado a mim em conversas, eu  dei um sorriso meio sem graça para o Allan que veio  até nós dois, a Meg levantou-se e foi ao seu encontro e deu um beijo  quando eu a ouvi dizendo:
- Era assim que você queria me ver, querido?
Ele não respondeu, mas  a pegou com uma volúpia e beijou sua boca na hora, percebi que eles estavam bem a vontade com a situação.  

Ele tentou pegar ela pra come-la mas  ela num claro jogo de sedução afastou o marido um pouco de nós fez ele assentar num sofá de canto  e com a voz meio embargada pelo  tesão ela falou
- Era assim que voce queria me ver então agora vai só olhar a gente transar!
Eu não entendi o que rolava na intimidade deles,então ela se pôs de quatro no centro da sala e ficou de frente para ele e falou, vem... vem me comer na frente do meu marido, abaixei-me junto dela e  agora de joelhos atrás da gata segurei suas ancas e enfiei na buceta dela bem forte, e continuei com estocadas ritmadas e cada vez mais forte, ela se contorcia  e dizia as coisas mais absurdas para o Allan, ela dizia que ia ser a puta comigo para ele ver, já que ele queria isso ia ser a melhor das putas, que ele queria que ela fosse e eu ficava de pau mais duro ainda de estar ouvindo aquilo tudo, até que meu amigo Allan se aproximou e deu o pau para ela chupar. ela ali de quatro chupava o pau do marido enquanto eu a fodia por tras.   

Eu fiquei imaginando que eles já deviam ter feito aquilo antes,  ou então provavelmente  ele a tinha desafiado ela a fazer aquilo, pela conversa deles eu deduzi isso, o fato é que eu meti muito naquele dia  até sentir meu pau doer de tanto meter,  e la no  fundo. Eu continuava sem acreditar que ela era uma vadia daquele jeito! até que ela falou, fode minha bunda de novo para o corno ver sua puta total, caralho, era muita putaria, eu nem em minhas mais ousadas fantasias imaginei algo assim, ela olhou para trás e sorriu para mim e ver-me fodendo seu ânus, falou descaradamente, tá gostando?
- Tá gostando de  comer minha bunda?  Aproveita bem! Aproveita!
E eu aproveitei, atolei meu pau naquele cu que já estava acostumado com  meu pau que não era tão pequeno, e ela agasalhava facilmente, quando ela dizia isso eu quase gozava dentro do rabo dela! Era muita safadeza! Enquanto o Allan sentado como um corno obediente observava tudo massageado seu pau, e as vezes dando pra ela chupar. 

Quando eu gozei ela parece que ela também gozou porque, ela começou a contrair e dilatar o ânus ao pressionando  meu cacete de um jeito que eu nunca vi na minha vida! O esfíncter "mordia" meu pau e eu sentia o cuzinho todo dela amassando e mascando  minha  pica dentro da bundinha dela!

Foi uma foda maravilhosa, depois de fodermos bastante e de todas as maneiras possíveis o Allan me falou assim, pra essa festa ficar melhor faltou apenas a Sara (minha esposa) participar, percebi que o Allan tinha uma queda pela minha Mulher, mas mesmo que eu topasse a Sara jamais iria concordar eu a conheço ela é muito careta, mas sinceramente eu mesmo não sei se toparia numa boa ver minha mulher dando pra outro, mesmo eu estando comendo a mulher desse outro.

Quando terminamos eu me lavei, coloquei minha roupa e fui embora, é claro que não tinha nenhuma mudança pra ser feito na casa deles, tudo aquilo não passou de uma armação pra um menage a três, o que eu não imaginava mesmo é que o meu amigo tivesse a coragem de uma aventura destas apesar de ele sempre citar em nossas conversas essa fantasia 
.
.
.

O EMPREGADO DO MEU MARIDO ME CHANTAGEOU


Meu nome é Dayane , tenho 29 anos, sou casada há 08 anos com um empresário de São Paulo. Tenho 1, 65m de altura, cabelos pretos e longos, olhos azuis, 59 kg. Considero meu corpo bonito, na verdade os homens sempre reparam em mim, principalmente quando uso decote. Meus seios não são grandes mas de médios para grandes, e também tenho um quadril bastante elogiado. 



Meu marido Sergio, como eu disse, é um empresário em São Paulo, dono de uma empresa de importação e exportação e tem um empregado encarregado da parte burocrtica chama-se Paulo. Eles são amigos ha uns 10 anos mas trabalha lá a apenas 6 anos.

Quando eu ia na empresa sempre reparei no jeito que Paulo me olhava, assim, fixando seu olhar em mim, em meu corpo. Cheguei muitas vezes até a ficar constrangida com isso. Mas meu marido nunca percebeu nada.

Paulo era um homem alto, cerca de 1,75m, um porte fisico avantajado, diria meio gordo, usava cavanhaque e cabelo curto... mas uma pessoa que cuidava bem da aparencia prncipalmente porque lidava com clientes do Brasil todo , mas eu nunca reparei nele com olhares mais atentos, sempre o tratava formalmente. eu só tinha olhos para o meu marido.


Sempre que tinha oportunidade Paulo a me elogiava, dizendo como estava bonita naquele dia, que meu vestido era sensual, que ficava muito bem em mim, etc. sempre jogava um verde. Eu discretamente agradecia mas nunca dei corda para suas investidas.

                  Um dia, estávamos num churrasco em nosso sitio, e ali na piscina, eu e várias outras pessoas estávamos ali tomando banho de sol, de biquíni, quando Paulo veio e sentou perto de mim, dizendo que nunca havia me visto de biquini e nunca havia reparado como eu ela bonita e bem feita de corpo, isso dizia “com todo respeito”, minha pele era linda... Eu sorri discretamente entãoe ele pegou o protetor solar que estava a meu lado e se ofereceu para passar em minhas costas, devido à intensidade do sol, mesmo sem eu autorizar ele começou a derramar em minhas costas e a passar,  fiquei sem graça na hora pensei em recusar mas ele foi insistente, e ele continuou a massagear minhas costas, suas mãos esfregavam minha pele de uma maneira ávida... atrevidamente desamarrou o top do meu biquíni e continuou passando o creme nas minhas costas, descendo a mão, chegando a tocar em minhas nádegas... nesse momento, mais do que depressa agradeci e disse que estava ótimo. Eu não sentia nada por ele, nem admiração, na verdade eu detestava seu modo de agir.

Ainda nesse mesmo dia final da tarde, sai um pouco da casa pra andar um pouco pelo  local, e Sergio tinha ficado dormindo por causa do que tinha bebido e do  calor todos estavam em estado de torpor sai um pouco afastado, e quando estava distraida encostada num tronco de arvore observando os passaros. Paulo aproxiou-se furtivamente... chegou perto de mim e  declarou que me desejava não sabia se era paixão ou tesão e que se sentia culpado por aquele sentimento mas que ele não podia mais se conter e dizendo essas coisas foi se achegando, segurando minha cintura, me puxou para junto dele, me fazendo sentir o enorme volume que se alojava dentro de seu calção tentou me beijar mas eu esquivei...confesso que fiquei espantada com sua ousadia afinal era empregado do meu marido...

           Quando tentou me beijar novamente me desvencilhei dele e saí dali rapidamente, dizendo que infelizmente não poderia acontecer nada entre porque amava Sergio, eu iria esquecer aquele episodio mas  ele deveria se controlar mais, senão eu teria que contar pro Sergio e isso poderia acarretar muitos problemas! Sugeri que aquilo não se reptisse.

Mesmo depois desse episodio, toda vez que me via, Paulo me dirigia olhares devoradores, me dizia como eu era linda que tinha muitas fantasias comigo. , que seu desejo já estava deixando ele louco. Eu saia da conversa, e o evitava ficar com ele sempre que possivel, mas às vezes era inevitável.

Um dia cheguei ao escritório e ele estava só... entrei e ele me ofereceu um suco. Sentei, e justo nesse dia estava com uma saia mais curta acima do joelho de forma que ao sentar ela se encolhia mais e mostrava minhas coxas notei que ele descaradamente olhava pra minhas pernas quando eu as cruzei ...ele sentou-se ao meu lado, passou o braço por trás de minha cabeça, e começou a elogiar-me e dizia ...que ele perdia o controle quando eu estava perto, e tentou tocar disfarçadamente nas minhas coxas ... logo levantei, dizendo que iria embora...
              Paulo sempre cada vez mais com suas investidas...uma vez me ligou me convidando para almoçar com ele, porque o Sergio tinha ido viajar e que podiamos ir um cinema, para passarmos a tarde num parque, mas eu , jamais aceitei...inclusive uma vez ele ficou furioso quando apareceu la em casa em uma tarde, e eu não abri a porta, dizendo que Sergio não estava.

De certa forma me excitava saber que aquele homem tinha muito tesão por mim e que faria qualquer loucura pra ter um momento de amor comigo, mas era só pensamentos que vinham e rapiadamente eu os tirava da minha cabeça

Quando me encontrava, Paulo me despia com seu olhar e seus olhos denunciavam as travessuras que queria fazer comigo... eu procurava não corresponder, mas não podia deixar de sentir calafrios imaginando o tesão daquele homem...

Uma certa ocasião Sergio precisava de um documento qualquer que estava em casa e não podia vir então Paulo foi quem veio, alias depois eu soube que ele se oferecera, claro que Sergio nunca desconfiou das inestidas de Paulo porque eu não tinha contado justamente porque eu achava que conseguiria contornar a situação com certa habilidade.

Nesse dia eu estava me arrumando pra sair queria ir ao shoping para fazer compras quando Paulo tocou o interfone, abri o portão eletronico ele entrou, eu estava esperando na porta com o tal documento justamente para ele não ter que entrar, ele pegou o tal documento e pediu pra usar o banheiro depois fui saber que era pretexto pra ele entrar.

Então percebi que Paulo ao entrar tinha trancando a porta com a chave, perguntei o que significava aquilo, porque ele tinha trancado a porta... mas ele, olhando com aquele olhar bem sacana e arrogante, me encarou... e com um riso de satisfação no rosto sentou-se no meu sofá . Começou, descaradamente a contar o que descobrira a respeito de Sergio, e que não concordava com o que ele estava fazendo, e que estava pensando em fazer contato com alguns amigos na polícia para dar um flagrante em meu marido, daí ele perderia tudo na empresa, inclusive talvez teriamos que vender nossa casa pra pagar advogados etc..., e ficaríamos na miséria, fora o fato de Sergio ser preso!

Então eu perguntei a ele se ele teria coragem de fazer aquilo com um amigo que conhecia a mais de 10 anos que confiou nele dando acesso a todas as papeladas etc e ta., e eu sabia que Paulo tinha vários parentes na polícia, inclusive um primo com quem ele tinha muita amizade. Foi quando ele disse, alisando meu cabelo, que só dependeria de mim!

Fiquei estupefata ..lógico que sabia a que ele queria...nessa altura sua mão já deslizava pelas minhas coxas...eu estava parada, dura, sem saber o que fazer naquele momento...num dilema se cedesse estaria traindo o Sergio e se não cedesse seria a ruína,... suas mãos passaram para o interior de minhas coxas, e começou a dizer coisas em meu ouvido... que eu era a mulher mais linda que ele conhecera, que seu desejo era imenso, que queria muito me ter nos seus braços... mesmo que para isso fosse preciso chantagem.
         meu coração acelerou, ele então começou a beijar meu ouvido, pescoço, logo estava  acariciando minha coxa, eu tentei resistir, mas ele disse que seria inútil resistir, ou eu dava pra ele  ou poderia ser a ruína de tudo inclusive meu casamento! Louca de raiva sentia sua língua na minha orelha, seus lábios a lambendo os meus lóbulos  e sua mão já tocando minha virilha...praticamente ordenou que eu abrisse um pouco as pernas, e eu timidamente comecei a abrir... só que estranhamente eu estava ficando excitada... com aquela situação... sua boca a essa altura chupava minha nuca, sua língua corria pela minha pele, sentia sua respiração ofegante forte... falou então que queria ir pra cama... sentei-me na beira da cama ele começou um ritual primeiro tirou minha sandália...começou a massagear meu pé a beijar minhas coxas já que eu estava de vestido e isso facilitava muito...., voltou beijando toda extensão da minha perna chegando aos pés passava sua língua pelos dedos, pela sola...eu me arrepiava toda, eu estava odiando aquela situação de quase escrava mas confesso estava excitada!

Senti que minha minha calcinha começou a ficar molhada, mas procurava não demonstrar, apesar de minha respiração já estar arfante... ele então começou a beijar meu tornozelo, a batata de minha perna...depois da outra, sua língua subiu pelo joelho...beijava minhas coxas...senti tesão e nojo ao mesmo tempo, quanto mais cafajeste ele se demonstrava, mais excitada eu ficava... podia ver seu pau duro sob a calça social... ajoelhou-se então em minha frente e começou a beijar minha boca... sua língua sugava a minha, e eu, por impulso mesmo sem querer estava deixando minha lingua na língua dele... ele mandou-me acariciar sua nuca enquanto eu o beijava.. passivamente .obedeci.
        Cada vez mais molhada eu ficava diante daquela situação... ele acariciava meus seios sobre o vestido, e meus mamilos endureceram de tesão na mesma hora... sua mão então passou a percorrer minhas costas...sua língua meu pescoço... aquela saliva na minha pele, aquela língua me tocando me dava aversão e tesão ao mesmo tempo... eu não queria que parasse por nada, mas não deixava que percebesse... ele então desabotoou meu vestido, e me despiu dele, me deixando só de calcinha que ele arrancou rasgando-a ...eu estava ali sua escrava e  meus seios o excitavam muito... ele então começou a beijar meus ombros, meu pescoço, desceu para meu colo... sua mão bolinava minha coxa, passou para a virilha... e quando sentiu minha bocetinha enxarcada, olhou meus olhos e deu um sorriso super sacana...eu o olhei e disse que ele era um desgraçado!

Ele então colocou a mão por dentro de minha calcinha e começou a acariciar meu clitóris...não agüentava de tesão, comecei a ter secreção... minha respiração estava irregular...o canalha começou a beijar ou contorno dos meus seios, sua língua na minha pele me deixava louca... na hora eu queria era que chupasse meus mamilos... e ele chegou lá... enquanto chupava meus mamilos acariciava minha xana ainda sem retirar totalmente a calcinha.... até que o canalha colocou o dedo dentro de mim e começou a me bolinar... eu mantinha minhas pernas quase fechadas, mas doida pra abrir mais mas não podia dar bandeira, então eleordenou que eu abrisse mais pra facilitar... e eu ainda  na cama ele levantou minhas pernas e retirou totalmente a minha calcinha , e enfiou-me  o dedo ainda mais começou a me bolinar por dentro, enquanto chupava meus seios... eu comecei a chorar baixinho um choro de revolta por estar sendo obrigada mas na verdade eu extava super excitada, comecei a a chama-lo de desgraçado de canalha, dizendo que eu o odiava por aquilo, e ele ria aquele sorriso safado, e me dizia, vc vai é gozar n meu dedo... o desgraçado me masturbou de uma forma tão intensa que e eu gozei e foi gostoso.
          Ele então se despiu arregaçou o pau na minha frente e eu vi o quanto aquele pau era enorme, ele me ordenou que eu o chupasse e batesse uma punheta pra ele...e eu segurei aquele membro enorme, duro, quente... ao mesmo tempo que eu estva odiando aquilo tambem me deixava em êxtase... e eu odiava tanto aquela sensação que saiam lágrimas de meus olhos... mas eu decidi já que não tinha jeito então o melhor era tentar curtir, então eu com as mãos segurava na base e com a boca chupava a glande, nesse movimento constante de vai e vem o desgraçado numa dessas vezes segurou minha cabeça e meus cabelos e enfiou toda aquela tora na minha boca quase engasguei que até dei uma mordida e ele reclamou... quando retirou da minha boca sua cabeça estava vermelha, enorme, inchada... ele colocou novamente e disse vá com calma e seja carinhosa enquanto isso ele acariciava meus seios... eu passava minha língua pela cabeça, depois pela extensão daquela enorme pica... punhetava, e colocava em minha boca....chupava, lambia, e olhava pra ele séria...e ele olhava pra mim e sorria, dizendo que sabia que eu estava gostando...e o pior de tudo é que aquele canalha estava certo...

Ele então me mandou deitar na cama, ele gostava de ver que eu estava sob seu dominio, mandou que abrisse as pernas e começou a beijar minha coxa, virilha, até chegar em minha bocetinha... sentia sua língua em meu clitóris, em movimentos rotatórios, de baixo para cima, numa pressão alucinante... eu me contorcia na boca daquele verme, ele chupava muito bem, o desgraçado, sacana, enfiava o dedo dentro de mim e brincava com ele la dentro, ele sabia me deixar doida... eu engolia  meus gemidos pra não gemer como uma puta! Passou então a dedilhar meu cliltóris e a lamber a entradinha da xaninha... nossa, aquela língua entrava e saia de dentro de mim, e aquele dedo judiava de minhas sensações... que tesão...gozei mais uma vez, chamando ele de desgraçado...ele olhou pra mim e disse que me faria gozar muito mais... colocou seu membro entre meus seios e curtiu que o deixou maluco...quase ele goza...

Resolveu então brincar com seu membro na minha xaninha, passando a cabecinha em toda sua estensão... colocando a cabeça na entrada mas não penetrava eu ficava pensando quando ele ia entrar com tudo, eu estava ficando doida...expelia muitoliquido que ele notou... e ele se deleitava com meu tesão... e dizia a toda hora que sabia que eu iria adorar... começou então a enfiar devagarinho aquele cacete dentro me mim....senti sua cabeça invadindo minhas entranhas, aquele pau enorme e quente entrando pelas paredes da minha vagina e atingindo até o fundo do meu útero...soltei um gemido de tesão que não tinha como deixar de escapar... aquele caralho dentro de mim começou a se movimentar...sentia as veias sobressaindo, ele pulsando em mim... aquela cabeça parecia que crescia e diminuía me deixando maluca... ele beijava minha boca, meu pescoço, meus seios...aquele macho em cima de mim, forte...me subjugando e me possuindo de uma maneira muito doida... gozei mais uma vez...

      Ele então me colocou de quatro... eu disse anal nem pensar , mas ele disse fica tranquiloa apenas fique de 4, novamente aquela verga me penetrou e começou a invadir minhas entranhas... entrava e saia me fazendo delirar... ele acariciava meus seios, beijava minha nuca...me segurava pelo cabelo... e eu arfava, gemia, grunhia como uma femea no cio... rebolava naquele cacete duro, ia pra frente e pra trás, e delirava enquanto ele dizia: vai , rebola hoje vc é minha putinha..
Finalmente ele deitou na cama e mandou eu sentar sobre ele...eu resisti, mas ele me colocou por cima, e me fez sentar naquele cacete...eu cavalgava sobre ele, alicinadamente...de baixo pra cima, de cima pra baixo...de trás pra frente, de frente pra trás...rebolava...suas mãos nos meus seios... depois começou a colocar as mãos em minha bunda... chupando meus seios... eu estava maluca...principalmente quando o safado colocou a pontinha do dedo no meu cuzinho... ele brincava com o dedo ali...e eu doida...até gozar pela terceira vez...ele então viu que eu gozei e enfiou ainda mais fundo o dedo ... ele estava fazendo isso pra eu ir acostumando com a penetração anal

Quando ele me colocou de quatro novamente falou eu vou comer esse cú gostoso, eu protestei de novo ele disse fica fria vc é minha putinha  eu quero não preciso te lembrar que to no comando né, e cuspindo no pau lubrificou bem com saliva e colocou a cabeça no meu cuzinho...eu pedia que não fizesse aquilo implorava era muito grande, mas ele praticamente ordenava que eu desse o rabo pra ele...ele logo começou a enfiar primeiro a cabeça logo colocou tudo...eu mexia pra frente e pra trás... aquele pau enorme entrava e saia da minha bunda....apesar da dor eu sentia o calor do seu caralho e isso me excitava muito... e ele percebia e zombava de mim, dizendo pra quem não queria nada eu estava acabando com ele e curtindo bastante. me acabando nele tambem... então começou a bombar mais forte e mais rapido gozei pela quarta vez... já não agüentava mais...ele então colocou seu pau entre meus seios e começou com movimentos entre eles...mais intensos...mais... o caralho latejava, ficou enorme... quente...eu estava doida...até que ele tirou e gozou todo aquele leite quente e consistente nos meus peitos... aquele líquido na minha pele, na pele dos meus peitos,... na verdade eu nunca tinha atingido tantos orgasmos com meu marido..era um, no máximo dois orgasmos...
       Quando terminamos pedi que saísse de meu quarto e da minha casa, porque ele já tivera o que queria e que não se repetiria...ele saiu satisfeito, rindo como uma criança que ganha brinquedo novo..tomei um banho e me vesti ... e passei a tarde toda pensando no que tinha acontecido.. a noite quando meu marido chegou nem sequer desconfiava do que acontecera.... na mesma semana Paulo sumiu, não o vi mais... meu marido me contou que ele tinha uma proposta de emprego em outro estado e pediu demissão. que era coisa que ele já vinha negociando essa contratação, então logo pensei o desgraçado aproveitou da situação que não tinha nada perder pra me seduzir e conseguir o que queria que era transar comigo, mas confesso que até hoje, nunca mais senti o que senti com ele... 






by   http://contoseroticossensuais.blogspot.com/