segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

COM O AMANTE DA AMIGA 10 ANOS MAIS NOVA

Essa é a historia de um triangulo sexual que vou passar a relatar, me desculpem os leitores não vou citar a minha cidade nem onde moro pra preservar-me porque eu sou casada e moro em uma pequena cidade do interior e não quero correr riscos  de alguém vir a ler esse relato e ligar os fatos e identificar-me como autora da história.

Eu me chamo Carmem, tenho 48 anos sou baixinha, coxas grossas, seios médios ainda firmes,  apesar da minha idade eu tenho uma boa aparência e segundo me dizem não aparento a idade que tenho, e   eu tenho uma amigona 10 anos mais nova que eu, que daquelas amigonas minha confidente, e eu dela,  nossa amizade começou faz muito tempo quando trabalhávamos juntas, e foi crescendo de forma que acabamos cúmplices, essa amiga chama-se Kelly, é casada como eu mas é bem mais ousada, em se tratando  de sexo ela até arrisca muito por ser casada, e gosta de sexo, e que eu sei ela já teve vários casos fora do casamento, ao contrário de mim, não sou nenhuma santa, também já tive um ou dois casinhos passageiros, mas sempre fui reservada pra não colocar em risco meu casamento.

A Kelly que era minha chefe no posto de saúde que a gente trabalhava, vivia  comentando  comigo que seu casamento já não ia tão bem, tinha entrado numa rotina e faltava, tempero faltava aquele algo mais, então por isso ela acabava tenso seus casos passageiros fora do casamento e sempre contava pra mim, até me incentivando eu também a ter um novo affair, mesmo porque em nossas intimidades e eu comentei um caso que eu tive logo depois que meu primeiro filho nasceu, mas  eu quero mesmo é comentar sobre uma passagem em especial que envolveu um triagulo amoroso, ela o amante dela e eu, pra começar quero dizer que ela tem 37 anos ou melhor tinha na epoca,  e estava de caso com um carinha 10 anos mais novo que ela, eu sabia e as vezes até dava cobertura pra ela sair com o rapaz chamado Alvaro que eu vim a conhecer depois, em nossas conversas ela me confidenciou que  o Alvaro era um amante sensacional, e falava muito bem dele na cama mas o que me chamou a atenção foi quando ela me contou que o Alvaro tinha um membro que era um verdadeiro pé de mesa, era enorme e gostoso segundo ela, e eu curiosa perguntei que tamanho era o membro dele, ela me respondeu que não sabia ao certo, mas era bem maior e mais grosso que o membro do marido dela, e em tom de gozação disse quase o dobro, pelo que eu duvidei, mas ela tirando sarro me disse que exagerou um pouco mas que era tão grosso que mesmo na xoxota ela sentia-se alargada quando ele enfiava, e quando ele bombava ela sentia bater forte no seu útero, é claro que na hora me senti curiosamente com inveja dela eu jamais tinha experimentado um membro avantajado e tinha até um fetiche com isso,

Certo dia ela me disse que tinha marcado um encontro com ele mas estava sem carro que tinha ficado com o marido e me pediu que eu a levasse até uma cidadezinha distante 15 km da nossa,  e para ter cobertura pediu-me para leva-la com o meu carro porque ela não queria dar bandeira  pegando um taxi, na nossa pequena cidade a maioria dos taxistas conheciam todo mundo e fomos até o local marcado chegamos ao local marcado o Alvaro que não tinha carro, que por sinal já estava lá na hora e local que marcamos que foi em uma lanchonete a beira da estrada para facilitar o encontro, quando olhei o Alvaro  eu comecei a observar atentamente  o rapaz, tinha em torno de 1,70, corpo bem definido, era um belo exemplar de homem, alto, devia ter mais ou menos 1,80 m corpo sarado, confesso que até fiquei com inveja da Kelly naquele momento,  porque depois dali eles iriam a um motel e eu ia ficar  sozinha, literalmente
segurando vela até ela me ligar para busca-la ja que eramos amigas pra qualquer hora, então ficamos ali por algum tempo fazendo um lanche  e batendo papo  até que  em determinado momento a Kelly foi ao banheiro me deixando sozinha com o Alvaro, que olhando pra mim com uma cara safada mandou um xaveco pra cima de mim dizendo, Carmem, voce sabia que é uma baixinha bem gostosinha, na hora tentei contornar a situação dizendo sossega o facho voce tá com a Kelly e a Kelly é minha amiga,  alem do que eu sou casada, mas ele não se deu por vencido e disse a Kelly também é casada eu não quero compromisso mesmo, gente só fica e depois cada um pro seu lado, e ovamente veio com o xaveco, eu gostei de voce a gente poderia se dar bem, percebi que ele tava era a fim de pegar nós duas, e ao ver a Kelly vindo em nossa direção ele ainda falou voce tem skype? Posso te adicionar etc e tal, logo a Kelly chegou e aquele papo ficou no ar.

Eu me senti lisonjeada por ele demonstrar interesse em mim, ele sabia que eu era casada e tinha quase 20 anos mais velha que ele mas mesmo assim tava a fim, ele tinha deixado bem claro que se eu desse uma brecha ele ia cair matando,  mas ele tinha idade pra ser meu filho,  pra resumir a história depois que lanchamos levei-os ao motel, fiquei toda envergonhada por ser duas mulheres e um homem, mas eu disse que eraq uma UBER, e tudo bem, deixei-os na garagem e  voltei para o posto de saúde que a gente trabalhava esperando a ligação dela, eu sabia que eles iam passar a tarde toda, e só em pensar nos dois, e na cantada que o Alvaro tinha me dado fiquei excitada, até então eu não tinha pensado numa possibilidade real dessa transa acontecer, mas a ideia me excitou durante aquela tarde toda até o momento que eu fui busca-la, e na volta ela veio falando maravilhas, que ele era bom de cama, que ele era bom de vara, que ele era isso, era aquilo, e fazia a maior propaganda.

Depois do expediente cheguei em casa antes do meu marido que normalmente chega uma hora mais tarde, e fui pesquisar o face dele, quando achei vi a foto dele tive a certeza de que era ele então deixei um recado assim como quem não quer nada, mas me identifiquei, e já no dia seguinte ele respondeu, e a partir dai começamos a trocar mensagens, trocamos até trocarmos o numero do telefone, as conversas que antes eram pelo skype passaram a ser por telefone, em todas as conversas ele ja vinha com o papo de que eu tinha chamado a atenção dele que ele me desejava e tentava me convencer a ir a um motel com ele, mas eu sempre hesitava, o motivo era simples, ele e a Kelly tinha um caso, a Kelly era minha amiga, eu era casada, morava numa cidade pequena se alguém me visse entrando no motel com ele meu casamento ja era, apesar dele e a Kelly ja terem um caso eu não me sentia culpada, mas em nossas conversas eu sempre lhe perguntava o que ele tinha visto em mim, afinal eu era mais velha com idade pra ser sua mãe, dai ele brincava, se fosse minha mãe eu cometeria um incesto, e completava alem disso não mais velha assim, adoro mulheres maduras, e dizia alem disso eu era  tão gostosa quando a Kelly, bem... dai pra gente marcar um encontro  demorou um tempinho até que meu marido foi viajar a trabalho, e marcamos para um sábado a tarde,, combinamos que  eu ia pegar ele no caminho porque eu ia com meu carro já que ele não tinha um.
Chegamos ao mesmo motel que eu tinha deixado eles quando fui levar a Kelly,  eu estava excitada e muito curiosa pra saber como era transar com um homem 20 e poucos anos mais novo que eu e de bônus com um membro bem dotado segundo a Kelly, e ele foi surpreendente, uma surpresa agradável eu sentir aquele homem jovem viril, de pau duro, grande grosso, me desejando,... começamos com preliminares que eu julguei não rolaria pela idade dele julguei inexperiente, mas ele foi gentil carinhoso, foi tirando minha roupa e eu a dele, até que ele me fez agachar para lhe fazer um boquete, e eu não me fiz de acanhada, me abaixei e coloquei aquele membro que mal cabia na na minha boca e comecei a passar a língua carinhosamente pela cabeça do seu membro, pela glande, deixei ele louquinho de tesão, tão louco que ele não resistiu me pegou no colo, ele alto e eu baixinha parecia um contraste quando ele  me conduziu até a cama, e me 
deitando veio por cima de mim, eu pensava comigo mesma que não ia aguentar aquela tora dele em mim, mas ele encaixou aquele membro duríssimo na minha xoxota, e foi enfiando aos poucos até que eu me acostumasse, ele sabia que tinha um membro grande e sabia ir com jeito,eu ja estava bem lubrificada, e ele foi aos poucos e enfiou até o fim sem deixar nada pra fora, eu sentia suas bolas baterem em minha coxa, e a cabeça do seu penis no fundo do utero, apesar de certo desconforto até me acostumar quando me acostumei era o climax, e ele continuava, bombando, bombando, cada vez mais forte, aquela vara grossa e enorme batia no fundo do meu utero, eu sentia um misto de desconforto e de dor, que foi logo tornando-se em prazer tal qual eu jamais tinha experimentado, ele bombava cada vez mais forte e dizia em meu ouvido baixinha voce é das boas, aguentando tudo sem reclamar, estranhei essa fala e perguntei, porque algumas mulheres reclamam? Ele confirmou que sim algumas sim.

Mal sabia eu que pior estava por vir porque ele começou a massagear com o dedo o meu cuzinho percebi logo que ele tinha intenções mais ousadas em relação a mim, não ia parar simplesmente no sexo convencional, ele queria mais, e não deu outra, depois dele ter me possuido pela frente me colocou de bruços, levantou meu bumbum e disse que ia comer meu cú, na hora eu recusei é claro dizendo-lhe que no cu nem pensar, mas não adiantou, mas ele recorreu a chantagem e
dise ou me dá o cú ou vou contar pra Kelly e não tem próxima, fiquei sem saber o que fazer, eu tinha adorado a transa com ele, estava satisfeitíssima, eu queria ter próximas vezes então não me restou outra opção senão deixa-lo, resignada falei que ele poderia desde que fosse com jeitinho e não fosse apressado, então me ajeitei, pedi pra ele que ficasse parado eu faria o movimento de forçar meu corpo contra o dele e assim eu controlaria a penetração,  ele concordou e ficou numa posição em cima de mim  apontou aquela cabeçorra para o centro do meu cu  encaixando-a bem no buraquinho mas não forçou, fui arrebitando minha bunda, forçando contra o pau dele, sempre me ajeitando para receber aquela tora e mesmo eu no controle eu não conseguia porque doía pra caramba, pra facilitar  fui rebolando, rebolando até que senti a cabeçorra passar pelo anel da esfincter, pensei em desistir mas ele não deixava, ele fazia movimentos bem de leve forçando um pouco mais e eu rebolando feito doida pra facilitar, isso durou alguns minutos apenas porque a certo  momento ele perdeu o controle segurou minha cintura e numa estocada forte enfiou o resto tudo duma só vez, o filha da puta arrancou duma só vez todas as pregas do meu cu, até sangrou, eu quase desmaiei de dor, vi estrelas, xinguei ele mas ele não tava nem ai, ele continuou segurando minha cintura e socando o pau com força, ainda me chamava de coroa safada, puta sem vergonha que agora estava metendo com  um pau de verdade e não com um pintinho que nem o do meu marido, o desgraçado era arrogante, mas eu estava me sujeitando a ser sodomizada por ele... eu estava sendo arregaçada, estuprada literalmente.

Aos poucos aquela dor intensa que se transformou numa dor gostosa, que me fez gozar, aquele garoto era um amante excepcional, nossa história durou mais alguns encontros, sempre que meu marido viajava eu ligava pra ele e se ele tivesse disponivel a gente ia pra um motel..., minha amiga nunca soube nada, pelo menos eu acho que não soube, se ele nunca disse eu tb não..  e meu marido sempre que ia comer meu cu, o pau dele entrava com tanta facilidade que eu tinha até medo que ele desconfiasse de alguma coisa.




contoseroticossensuais.blogspot.com.br

RELIGIOSA E CASADA e CARENTE



conto erotico heterosexual masculino

Tenho 45 anos sou meio grisalho sou separado a alguns anos e desde de então namoro uma aqui outra ali mas ainda não achei outra com quem eu me dispusesse a juntar os trapos novamente. Recentemente comecei a trabalhar em uma nova empresa e fui conhecendo as pessoas aos poucos.
De todos os funcionários e funcionárias tinha uma mulher que trabalhava no setor de RH, ela era magra aparentava seus 35 anos me chamou a atenção.... ela se chamava Marta era esbelta tinha um corpo bem feito os labios finos o que me chamava a atenção era que sempre que eu a via ela estava de saia ou vestido bem simples abaixo do joelho sempre da mesma forma e em cores mais escuras ou , ela vestia-se tipicamente como uma crente, tinha os cabelos longos ela tinha um charme discreto, de vez em quando eu comentava algo com os amigos e os amigos me dizia que essa tal mulher era casada e muito religiosa até agora ninguém chegava perto a não ser por serviço porque ela não dava chance de ninguem ficar de papo furado com ela.

Decidi que ia fazer amizade com ela e com o passar do tempo eu aos poucos fui me aproximando acabei por fazer amizade com ela e conquistando sua confiança, eu era sempre sendo solicito quando pedia ajuda profissional principalmente por trabalharmos em salas proximas, até então na hora do almoço ela sempre sentava-se sozinha no refeitorio mas um dia eu resolvi me aproximar me sentei e perguntei se podia ela disse sim, depois ainda perguntei porque ela sempre ficava sozinha, ela em poucas palavras disse que preferia assim, perguntei se podia continuar ali se não estva a incomodando ela disse que tudo bem, talvez por eu ser bem mais velho inspirava confiança.

Nos dias seguintes eu sempre procurava sentar-me na mesma mesa então foi ai que acabei me tornando um dos melhores amigo dela na empresa e com o tempo eu percebia que semblante dela mudava quando me via, a principio ela ficava meio que sem graça mas como o passar do tempo começamos a ficar cada vez mais amigos , tinha vezes que todos saiam do refeitório e as vezes ficava só a gente e continuávamos a conversar ali,ela perguntou sobre minha vida porque eu me separara e ainda não tinha arranjado outra pessoa etc e tal, e eu sobre a vida dela ele me falou que foi criada na igreja desde menina pela mãe que fora educada nos mais rigidos preceitos, que casara virgem etc e tal e assim íamos ficando cada dia mais intimos e amigos....

Ela acabou tendo uma confiança tal em mim que as vezes falavamos abertamente sobre sexo, eu sempre que tinha chance a provocava elogiava ela dizendo que era era uma mulher muito atraente, a unica coisa que eu achava era que ela poderia cuidar um pouco mais da aparencia, cortando um pouco as pontas dos cabelos dela que eram bonitos e precisava serem melhores cuidados, e tambem quando ao se vestir, ela tinha um corpo esbelto, qualquer roupa lhe cairía muito bem sugeri que ela colocasse um vestido mais ousado mais florido porque os que ela usava pareciam muito tristes por serem tons pasteis, normalmente escuros, enfim, eu dava conselhos a respeito da aparencia dela e ela de certa forma até gostava, tanto que a partir de um tempinho depois notei que ela começou a trocar o guarda roupa, mas ainda faltava ela dar um trato no cabelo.

E em nossas conversas sempre que surgia uma oportunidade quando falavamos em sexo, uma vez eu disse que gostava de mulher que depilava-se todinha inclusive lá embaixo, então eu a provocava e dizia, vc é crente vc não pode né, e dava risadas...no que uma vez ela me falou vc acha que por ser crente sou diferente? Eu curto sexo da mesma forma que qualquer outra pessoa, apenas não gosto ficar comentando sem precisão.. isso acabou acendendo uma chama de desejo dentro de mim, desejo por aquela mulher que todos achavam a mulher proibida.... ela continuou meio que num desabafo, se bem que nessa area em casa não se tem muitas opções.... eu perguntei porque???? Ela na hora desconversou eu tentei insistir mas ela se calou, fiquei na minha.

Um certo dia eu reparei que ela estava meio chateada e perguntei o porque da sua tristeza e ela me disse tinha discutido com o marido...... eu tentei saber o motivo de sua briga mais ela me disse apenas que era coisa de casal e não poderia me explicar o motivo ...eu a respeitando também não insisti... cada dia mais eu nutria um desejo por ela ....a partir daquele dia sempre que a via eu perguntava como estava a relação com o marido e ela desconversava dizia que seria melhor não tocar no assunto mas como aquilo provavelmente a afligia e as mulheres ,por mais que tentem não consegue guardar por muito tempo algo que a aflige...então um certo dia ela depois de eu novamente perguntar me falou...

Se você quer mesmo saber uma hora eu te conto ...eu disse se você quiser falar eu to aqui e te empresto o ombro, mais se isso te incomodo não precisa falar,então ela disse não sei porque mas eu confio em você , sei que você é um cara que sempre me respeitou e não vai comentar por ai meus problemas.....como é normal nessa hora fiquei muito curioso e perguntei ...então Marta me conta o porque do que te aflige algum problema com seu marido?....... ?Ela não falou nada só disse que tinha que voltar a trabalhar então eu falei a tarde podemos conversar se quizer ela não falou nem que sim nem que não e saiu.

A tarde ao termino do expediente notei que Marta ainda não tinha saido então fui até a cozinha ela estava arrumando as ultimas coisas pra sair, ela sempre aia um pouco mais tarde e nesse dia de proposito dei um jeito de ficar uns 15 minutos alem do expediente estava curioso qual seria o segredo dela, ela indagou-me vc ainda não foi embora? Respondi que tinha ficado porque tava curioso daquele assunto que ficou pendente no almoço,ela falou deixa pra lá, no que ela olhou o relogio e disse puxa vida perdi horario do meu onibus, então eu prontamente ofereci a ela uma carona ela recusou disse que não poderia aceitar como iria explicar em casa chegar com um desconhecido, eu falei então te levo até o terminal de onibus assim não tem problema ela acabou aceitando.

         Durante o trajeto que eu fiz havia muito engarrafamenteo principalmente porque tinha chovido durante a tarde acho que todo mundo saiu de carro, mas no fundo eu tava sem pressa e pensava bendito engarafamento calculei que levariamos pelo menos meia hora pra chegar, novamente insisti então pra ela falar, ela relutava eu continuei a insistir. é tão grave assim?

Em virtude da minha insistencia ela acabou concordando. Ela olhou pra mim e então me disse ..olha eu confio muito em você mais por tudo que lhe é mais sagrado prometa não comentar, principalmente porque sou crente imagine o que os outros vão pensar, jamais me abri com ninguem nem com amigas a respeito desse assunto, eu falei tudo bem pode confiar em mim...

Ela deu um suspiro olhou pra mim e disse ... você sabe que meu marido é muito tradicional, pra ele a mulher tem que cuidar da casa do marido e ter filhos só pra isso que a mulher serve, , carinho é pouco ou quase nada, voce sabe, aquele café com leite

          Interrompi e perguntei carinho como, vc se refere ao dia a dia ou na hora do sexo? Ela falou carinho de forma geral e na hora do sexo tambem, como voce sabe somos crentes a igreja tem varios tabus mas eu sou uma mulher instruida,apesar dessa minha aparencia simples. naturalmente vejo a internet, leio revistas, até vejo em filmes, falou envergonhada, outro dia fui na casa duma amiga estavamos as duas sozinhas e ela disse que tinha locado um filme pornô pra ela e o marido assistir disse que é para apimentar a relação, e elá ela sabendo que eu era crente colocou só pra me provocar acabei assistindo, a questão é que tenho certas curiosidades sobre sexo como qualquer mulher ativa, só que meu marido não gosta nem que eu comente talvez devido a religião e a forma em que foi criado e ou talvez ele mesmo nem saiba como se faz ... se na hora eu sugiro a ele certas coisas ele fala que isso é errado e que é coisa de mulher vulgar e coisas assim entende..... e falando isso ficou meio que envergonhada e disse, puxa, que loucura eu falando esse assunto com voce...

Respondi concordando e ainda comentei, Marta é normal isso que vc sente essa curiosidade essa vontade somos humanos carne, desejos, e eu acho que entre marido e mulher não deveria ter essas frescuras, é por isso que tantos casamentos acabam entrando na rotina e o sexo é algo maravilhoso, e completei eu quando era casado nesse item minha mulher não pode reclamar eu era muito criativo e carinhoso, só nos separamos por incompatibilidade de genios, e continuei, pode ficar tranquila o que conversarmos aqui morre aqui, fica apenas entre nós, e me fiz de bobo e falei ... seja mais clara Marta voce pode falar abertamente já que começamos.

Então ela meio sem graça falou....sabe aquela coisa trivial todo dia a mesma coisa, arroz com feijão de todo dia, sexo papai e mamãe sempre da mesma forma sem nenhuma novidade ou variação enjoa, ele nem siquer beija mais na boca, não toca mais meu corpo, quando chega a noite na hora de dormir a gente transa sem nenhuma cerimonia ou preliminares, meu marido jamais me levou a um motel, nem quando eramos casados de novo, ou mesmo algum dia fez oral nem que fosse uma unica vez, mas ele aceita que eu faça, mas fica ali paradão é como fazer amor com um boneco.

E continuou, eu sou uma mulher curiosa e quando escuto as outras mulheres aqui na empresa falando que seus maridos chupam ela e outras até comentam que transam anal lá no fundo eu fico curiosa ... em casa então quando peço pro meu marido pra gente variar experimentar coisas novas ele me reprime e me chama de pecadora ,que eu estou com pensamento de mulher vulgar e me deixa muito triste....... eu acabo ficando na minha pra não discutirmos, entre outras coisas é mais ou menos isso o motivo pelo qual discutimos as vezes....

Eu então disse a ela bom Marta você não é uma mulher vulgar não você é uma mulher igual as outras que tem mesmos desejos e seu marido é um tapado pois se vc fosse minha mulher ja teria tido tudo com certeza eu teria satisfeito voce plenamente em todos os sentidos que me falou, ela deu um sorriso e disse pois é mais não sou né fazer oque? Como tinhamos chegado ao terminal que ela pegava onibus ela abriu a porta antes de sair completamente eu falei, a gente volta a conversar outra hora.

Isso não me saiu da cabeça...jamais esperava que aquela mulher séria acima de qualquer suspeita na empresa e ainda religiosa estivesse louca pra sair da rotina e o tapado do seu marido não deixava...... tantos homens querendo uma mulher fogosa, cumplice na cama, e esse tal tinha e não dava valor.

A partir desse dia ela ficou bem mais a vontade comigo....... a semana passou-se tranquilamente se nenhuma novidade ela não comentou mais, só que eu sempre que podia eu aproveitava e insistia em saber se a sua rotina já tinha mudado a respeito dela e do marido... ela sempre suspirava e acabava dizendo que era impossivel de ele realizar.......então um dia não aguentei e disse sabe Marta, voce é uma mulher muito atraente, seu marido é um bobo não dá valor ao que tem, e falei na lata... quer saber duma coisa eu adoraria realizar seus desejos e ela falou você esta louco...sou casada respeito meu marido.... jamais faria algo que colocasse a familia em risco na hora retruquei eu tambem não e esse seria um segredo só nosso o que os olhos não veem o coração não sente, ela esbravejou e saiu da minha presença então eu pensei ..agora é que ela não vai querer mais nem olhar pra minha cara...

Mais no dia seguinte .na hora do almoço la estava ela e eu sentei junto a ela como sempre fazia.....pedi desculpas pela ousadia da proposta de realizar os desejos etc e tal ela então ela ficou quieta e durante o almoço ela não falou mais nada só bem no finzinho do almoço ela me disse...sabe essa noite nem dormi direito andei pensando no que você me falou e na verdade não parei de pensar durante a noite toda......e resolvi uma coisa.... (silencio) ela pensou um pouco e falou vc vai ter que me prometer até me jurar que não vai contar pra ninguém sobre o que vou te falar... na hora eu achei que ela tava me fazendo prometer que não contaria o que conversamos nos dias anteriores, eu falei claro.. prometo pode ficar tranquila, o que conversamos está guardado a 7 chaves é nosso segredo.

Ela então fez uma pausa e um silencio de ualguns minutos e novamente falou, não era sobre isso que eu me referia, perguntei então sobre o que era, ela falou era sobre o que voc eme falou ontem em realizar os meus desejos...eu to pensando em topar o que vc sugeriu ... mas com uma condição, seria apenas uma vez e nunca mais ela disse que não podia nem queria ter um amante.

           Não preciso nem dizer que meu pau na hora levantou ..quando levantei pra sair do refeitório ela até percebeu tentei disfarçar mas olhou fixamente no volume da minha calça e olhou nos meus olhos e sorriu dessa vez meio maliciosamente ...eu não acreditava que aquela linda mulher casada e crente logo estaria em meus braços, ou melhor na minha cama, estariamos fazendo amor, eu poderia ter qualquer mulher que quizesse afinal tenho um cargo de relevancia, tenho boa aparencia e estou livre pra qualquer aventura, mas aquela mulher negra, crente era meu fetiche

Passou-se o resto da semana continuamos nossa rotina almoçavamos juntos e eu acabava não me contendo e perguntava a ela quando ela queria realizar a fantasia dela, ela respondia calma na primeira oportunidade a gente combina, nitidamente estavamos os dois ansiosos e nervosos a cada dia que se passava então chegou o grande dia em que ela falou pode ser pra essa semana, acabamos marcados para o sabado seguinte e ela disse que falaria para o marido que iria trabalhar..... as vezes ela e outra amiga da sessão trabalhava mesmo no sábado pra colocar em dia algumas coisas.

          Quando chegou o dia ...peguei ela no lugar marcado e fomos pro motel...durante o trajeto ela ficou calada como quem tava fazendo a coisa mais proibida do mundo, e nitidamente sentindo-se culpada porque ela falou varias vezes em que estava fazendo loucura que era errado ate na hora de entrar ela queria desistir mais eu falei vc teve coragem de vir, mentiu pro seu marido dizendo que ia trabalhar, me deixou tarado por voce e quando entrou no meu carro sabia que iamos a um motel e agora quer desistir ah!! não!! nem pensar, agora é tarde se vc quizer desistir agora aqui vai pegar mal e se fizer escandalo aqui na frente do motel vai ser pior não acha? Então ela concordou.

             Quando entramos foi que percebi que ela tava lindamente provocante com uma saia jeans abaixo dos joelhos , estava bem justa isso realçava suas curvase e destacava sua bunda, as nadegas sobressaiam-se foi nesse momento que eu ércebi que era ela era uma delicia e estva com uma blusinha leve de verão que realçava os bicos dos seus seios maravilhosos e deliciosos....que quase queriam furar a blusa de tão durinhosa que estavam, quando entramos no quarto com aquela mulher que até então eu não tinha tocado ainda eu não resisti e beijei aquela mulher proibida e tão desejada no começo ficou meio que travada e com certo receio mais aos poucos foi se soltando e entrando no clima... eu a beijava, seus labios, seu pescoço, enquanto eu a beijava soltava os botões da sua blusa, ela me abraçou e retribui o beijos, soltei o ziper sa sua saia e senti que ela caiu aos seus pés retirei toda a sua roupa quando percebemos estavamos os dois nus... deitei ela na cama e fiquei olhando aquele corpo lindo seminu, ajoelhei aos seus pés em torno da cama e finalmente retirei a calcinha, percebi que ela pra me agradar tinha depilado a virilha deixando apenas um chumaço de pentelho não resisti desabotoei o soutiem e chupei seus seios deliciosamente ela ´só gemia e murmurava palavras incompreensiveis,....quando cheguei na sua buceta ela tremia de emoção pela situação e tava toda molhada de tanto tesão ela abriu bem as pernas e eu dei uma especial atenção com a lingua tal era o tesão dela que não demorou muito então ela gozou na minha boca...


Depois de ter dado especial atenção com minha lingua a sua bucetinha gostosa, sedenta de sexo, sentei na cama e falei, Marta agora é sua vez de retribuir e apontei para o me pau, então foi a vez dela se ajoelhar em torno da cama e começou a acariciar meu membro, colocou todo em sua boca e chupou bem forte quase mordendo, por ser uma região sensivel eu precisei dar umas dicas pra ela, falei querida essa região é sensivel então, vc tem que chupar só com os labios afastando os dentes pra não machucar, ela entendeu direitinho, e começou a fazer.. depois falei pra ela, a região mais sensivel é a glande passe a lingua e ela o fez, chupavaa cabeça de leve isso me levava a loucura, depois de um tempo pedi pra ela fazer movimentos de vai e vem com a boca pra eu gozar tambem, ela começou o vai e vem... isso durou até que eu gozasse ainda dentro da sua boca, como ela nunca tinha feito isso não estava preparada e quase engasgou saia uns filetes em seus labios ela pegou a toalha e limpou-se.

Apos essa sessão de caricias orais, deitei-me ao seu lado comeceu a beijar-lhe os seios e a masturbar-lhe, sentia a buceta dela toda encharcada... molhadinha molhadinha, ela estava num tesão como nunca tinha estado antes, então coloquei-me sobre seu corpo posicionei meu pau na porta da sua gruta e enfiei tudo duma só vez,,, só senti ela estremecer um pouco e gemer, depois que penenetrei bem gostoso em meio aos movimentos fortes de vai e vem e ela dizia ai Carlos nunca senti isso antes, não para continua nesse momento me faz tudo como se fosse sua mulher, e me faz completa e não demorou muito e ela gozou novamente..... apos esse primeiro ato fomos relaxar na banheira de hidro

          quando estavamos recuperados  eu falei então voce quer que eu faça em voce tudo como se fosse minha mulher ela respondeu que sim..... falei então vamos agora tentar na bundinha  então ela falou anal eu nunca fiz mas se voce for carinhoso como tem sido até agora vamos tentar e se colocou de 4 como ela tinha visto no filme pornô, mas eu falei pra ela Marta assim não, é muito desconfortavel pra voce e pra mim ela perguntou então como devo fazer, eu a conduzi, coloquei ela de bruços coloquei dois travesseiros em baixo do quadril dela lubrifiquei bem e falei agora relaxe porque vou colocar a cabeça primeiro e quando entrar vai doer um pouco mas vc logo se acostuma, então ela pediu pra eu ir de vagar porque ela nunca tinha feito assim eu era o primeiro a desbravar aquele terreno ainda virgem ela me disse que era uma fantasia dela tambem e queria muito realizar daquele jeito.

Quando finalmente passou a cabeça ela já rebolava e dizia tá doendo vá devagar mas não para....então coloquei ainda mais meu pau dentro seu cuzinho e fui empurrando bem de vagar e ela se mexia tentando achar uma posição mais confortavel e eu fui bem de vagar quando doía eu parava ate que o meu pau entrou tudo e ela já tinha acostumado com ele lá dentro ela começou a rebolar num frenesi que eu não imaginei ser possivel quando falei pra ela que iria gozar ela disse ainda não segura mais um pouco.... até que gozamos juntos.

Então esmoreci um pouco meu pau amoleceu fomos pra banheira de hidromassagem e depois de algum tempo dando uma descansada ela falou essa vai ser nossa primeira e unica vez no que eu retruquei então vamos aproveitar bastante, dizendo isso fiz ela pegar  meu pau quando ela começou  a brincar novamente ele foi endurecendo aos poucos e novamente ela falou não sei quando vou ter isso de novo e dizendo isso abocanhou meu pau que tava meio mole ainda até ele endurecer por completo de novo e continuou punhetanto com a boca e com as mãos até que eu gozasse de novo sem tirar a boca, dessa vez meu esperma estava em bem menor quantiade mas ela acabou engolindo meio que enojada mas não jogou fora ....então tomamos um banho maravilhoso e fomos embora.......
            Continuamos na empresa como se nada tivesse acontecido entre nós, só tocavamos ao assunto quando estavamos sózinhos quando eu falava que estava com vontade de repetir mas  ela sempre me lembrava... que eu tinha concordado em que seria uma só vez, dizia ainda foi muito bom pra mim, mas  não vai se repetir, algumas semanas depois ela pediu a conta da empresa e nunca mais nos vimos mais foi a melhor foda proibida que já dei....

conto erotico heterosexual masculino





by   http://contoseroticossensuais.blogspot.com/

A MULHER PLUS SIZE DO PASTOR

Por ocasião de uma confraternização na empresa onde eu trabalhava era uma evento de fim de ano, íamos entrar em férias coletivas então alugaram uma chácara de eventos com capacidade para mais d 1000 pessoas, mas a empresa que eu trabalhava tinha só umas 250 pessoas das quais a maioria eu nem conhecia, e por ocasião dessa confraternização conheci uma mulher na faixa dos seus 35 anos que veio acompanhar uma das funcionárias da empresa que eu trabalhava, nessa época  eu estava sozinho porque tinha me separado da minha esposa fazia um bom tempo, e confesso que estava a caça de uma mulher naquele evento, então comecei a conversar com a Lourdes,  que me atraiu na hora, ela era uma morena gordinha tipo plus size do tipo gostosa, coxas grossas e um bumbum tentador, normalmente as gordinhas tem esse quesito avantajado, ja de cara nos demos bem e houve uma afinidade, logo de cara notei que ela era casada pela larga aliança em suas mãos, a amiga dela tinha se afastado deixando-nos conversando sozinhos, a partir daquele contato resolvi tentar algo mais com a Lourdes mesmo sabendo que ela era casada, e durante o dia todo sempre que eu podia procurava estar perto dela,  já lá quase no fim do dia estávamos bem mais íntimos,  e deu certo de a conversa pender para relacionamentos onde a certa altura eu falei que tinha preferencia por mulheres mais cheinhas, claro lançando um verde pra cima dela e completei que gordinhas de vestidos ou saia sempre me atraiam ai ela que naquela ocasião estava de calça comprida falou, sabe Douglas hoje estou usando calças compridas por causa do lugar que estamos, mas no meu dia a dia eu uso saia ou vestido, não pérdi tempo e falei então voce deve ficar uma delicia, ela sorriu e completou eu uso saia principalmente quando vou a igreja, dai que descobri que ela era evangélica, e aproveitou pra me convidar pra ir na igreja dela, na hora foi como jogar um balde de agua fria em mim que estava interessado em algo mais quente com ela, por dois motivos, por ser casada o que não era muito problema porque ja tive vários casos com mulheres casadas mas por ela ser crente meu desafio seria muito maior, ao fim do dia quando nos despedimos ela aproveitou para reiterar o convite para eu ir visitar a igreja dela,
Então em um determinado domingo eu convidei minha mãe pra eu não ir sozinho, na verdade nem sei porque eu fui, eu acho que estava era atraído pela Lourdes mas ela era casada quando chegamos ja se ouvia os cânticos logo na entrada, porque o culto ja tinha começado e os cânticos estavam animados,  e eis que eu vejo a Lourdes com microfone na mão dirigindo os cânticos que durou uns 15 minutos, e depois que os cânticos pararam ela subiu ao palco e assentou-se entre meio homens e mulheres que la estavam assentados numas cadeiras que haviam atras do pastor que falava, e eu fiquei o tempo todo olhando fixamente para  ela  até que ela percebeu minha presença e  meus olhares em um sorriso bem discreto me retribuiu os olhares, e para minha surpresa a minha amiga gordinha era a mulher do pastor, fiquei só observando aquelas pernas roliças, a saia um pouco acima do joelho mas quando ela sentava subia ainda mais deixando uma boa porção de pernas a mostra, enfim após o termino dos trabalhos ela veio ao meu encontro, apresentei minha mãe e depois  ficamos conversando um pouco onde ela me falou de alguns assuntos da igreja, e comentou que eles faziam trabalhos voluntários especificou os tipos de trabalho tipo levar sopa quetne aos moradores de rua uma vez por semana, tinha oficina de musica, oficina de informática para jovens e adultos e que tudo era trabalho voluntário, inclusive insinuou se eu não me encaixaria em alguma oficina, ainda completou vem Douglas, é só uma vez por semana, então eu falei que musica eu não entendo nada, trabalho de rua levar sopão para os mendigos ou ajudar na informatica eu até poderia, foi quando ela toda eufórica me incentivou eu acabei aceitando o desafio.
Mas o meu desafio mesmo era bem maior, aquela mulher me atraia mas ela era mulher do pastor, enfim, poderia ser uma oportunidade mesmo que remota, e não sei se era impressão minha mas ela era toda atenciosa e não parava de sorrir pra mim, quando falei que aceitava o desafio ela me falou que me ligaria para combinar e explicar melhor como funcionava a coisa. 
Não achei que ela já me ligaria tão logo, mas já na segunda feira na hora do almoço meu celular toca, era a Lourdes dizendo que tinha adorado de eu ter ido visita-los, e como eu tinha dito que aceitaria ajudar eles perguntou se eu estaria disponível já na sexta feira próxima quando eles iriam numa Kombi levar sopão aos Moradores de Rua, e perguntou se poderia contar comigo, na hora eu respondi que ela poderia contar sim, na sexta ou qualquer dia que ela quisesse, do outro lado da linha ela deu uma risada e respondeu que me aguardaria na igreja mesmo as 8 horas da noite de onde eles sairiam na sexta.

Quando lá cheguei e toquei o interfone  ela mesma abriu a porta e me atendeu, nos cumprimentamos e lhe dei um beijinho bem próximo aos lábios propositalmente, observei-a de cima abaixo e vi que estava vestida num vestido preto, salto alto, cabelos negros longos sedosos e brilhantes, estava linda, pediu para que eu subisse, ela foi na frente, quando ela chegou  ao topo da escada tive uma visão maravilhosa das suas coxas,  ali entendi o porquê de gostar tanto de mulheres cheinhas,  sem duvida  são lindas, e normalmente as gordinhas são bem mais alto astral que as outras mulheres, a Lourdes não era diferente. na minha opinião com o passar da idade ficam cada vez mais atraentes

Não demorou muito saímos uma turma, mas ela assentou-se do meu lado onde eu novamente fiquei o tempo todo olhando para aquele par de pernas roliças que a saia escondia só a metade das coxas quando ela estava sentada, até que chegamos ao ponto onde eles costumavam fazer a caridade, então eles armaram uma mesa na frente da porta lateral, colocaram dois caldeirões enormes em cima dela e os moradores de rua em fila iam um a um sendo servidos até que finalmente acabou tudo, mas ninguem ficou sem ser servido, na verdade a maioria até repetiram. 

Voltamos ainda não eram nem 10 da noite, a maioria do pessoal foram embora, perguntei do marido dela porque ele não tinha vindo com a gente, ela respondeu que ele tinha outras atividades e ficamos ali conversando um bom tempo, nem preciso dizer que eu estava o tempo todo observando o como eu achava-a  gostosa com uma bunda deliciosamente em destaque que devido ao pano leve do vestido até  dava pra ver suas celulites, eu muito excitado a essa altura meu pau queria pular fora da cueca, tive que disfarçar, já que estávamos ali  ela queria aproveitar para mostrar a sala dela, sentamos num sofá de espera que lá havia e ela sentou-se do meu lado com a desculpa de me mostrar as atividades manuais que ela ministrava a uma turma, e começou a me mostrar algumas pinturas em pano de prato que as senhoras da igreja pintavam a mão, eram sem duvida um belo trabalho, estávamos tão próximos que nossas pernas se tocaram várias vezes,  e em uma dessas ela entusiasmada com a apresentação colocou a mão sobre meu joelho, mas retirou logo assim que  ela percebeu  que não parava de olhar para seus peitos mas levantei a cabeça desviando meu olhar e percebi que ela me olhava com interesse também, eu estava até pensando coisas quando ela me chama a atenção para o horario, já passavam das 11 da noite, pedi desculpas e fui pra casa, ofereci-lhe uma carona mas ela disse que o marido sempre vinha busca-la por volta das 11,30 que ela iria esperar ali mesmo.
E essa foi nossa rotina por semanas, eu vinha participava da ação voluntária porque eu sabia que ao fim a gente ficava batendo papo e eu claro na esperança de algo mais e  cada vez que a gente ficava sozinho eu louco de desejo por ela mas não tinha coragem de insinuar qualquer coisa alem da amizade afinal ela era mulher do pastor, eu a julgava uma mulher intocável, mas mesmo assim eu até pensava em passar uma cantada nela mas na hora "H" eu desistia  eu até tinha até perdido as esperanças até que numa determinada noite as atividades terminaram uma meia hora mais cedo e  voltamos p´ra igreja, logo os demais irmãos foram embora como sempre eles faziam ficamos apenas eu e a Lourdes conversando no escritório dela sentados no mesmo sofazinho como sempre  ela me mostrava as atividades da semana, mas no clima que estava ja era impossível disfarçar, eu coloquei meu braço por cima do seu ombro e ela com a mão postada em minha coxa deu um aperto suave e demorado e eu que todas as semanas saia dali com o pau duro percebi que era um sinal verde para que eu avançasse  pra cima da mulher do pastor,  estávamos sozinhos no escritório, sabiamos que o Pastor só chegaria as 23.30  tinhamos tempo e por não haver mais atividades e todo mundo ja ter ido embora ja não tinha mais risco de alguem nos flagrar, acho que por isso ela acabou cedendo ao meu assédio.
E  nos beijamos pela primeira vez, hormônios a flor da pele como dois adolescentes e enquanto nos beijávamos minhas mãos ja corriam por todo seu corpo,  até onde eu conseguia alcançar, e ela que já estava com a mão nas minhas coxas deslizou até meu pau segurado-o por cima da calça alisando-o numa especie de massagem mesmo por cima da
calça, a esta altura eu ja tinha enfiado minha mão por baixo da blusa e enquanto eu beijava  seu pescoço apertava aqueles maravilhosos seios que pareciam dois grandes melões, foi então que ela enfiou a mão por dentro da minha calça e da cueca, tocando meu pau com aquelas mãos macias, e eu tenho experiencia com mulheres gordinhas  e posso garantir é que toda mulher fofinha  e bem mais carinhosa que qualquer outra e sem duvida muito mais quentes, não demorou muito para que eu baixasse minha calça até uma altura pouco abaixo do joelho e ela num estado de euforia me acariciava, passando a mão em minhas coxas, meu pau, nossas caricias foram ficando cada vez mais quente até que tirei um de seus peitos pra fora e pude me deliciar, com um mamilo maravilhoso, bicos grandes e duros pela excitação, lambi, e chupei seus peitos um após o outro.
Eu a essa altura ja estava nu, ela ainda continuava parcialmente vestida porque eu ja tinha tirado a blusa dela, continuei ali sentado no sofá ela começou a beijar meu  torax, foi descendo beijando e me arrepiei todo quando ela chegou ao meu cacete que estava duro que nem pedra, segurando com uma mão colocou a boca e foi enfiando meu cacete boca adentro parecia que queria engolir meu cacete, e começou a punetar com a mão e com a boca em movimentos de vai e vem, a mão segurava a base enquanto a boca com os lavios encaixados na cabeça fazia me sentir subindo pelas paredes. meu pau ficou todo inteiro dentro de sua boca, eu sentia sua garganta, nossa como chupava gostoso a mulher do pastor,  e agora aquela mulher tava me chupando ate as bolas quase me fazendo gozar, do meu cacete saia um fino filete de liquido que ela fez questão se molhar os seus labios com ele para depois me beijar fazendo-me sentir meu próprio gosto.
Virei-a de costas, tirei seu vestido, nessa altura já tinha tirado seu sutiã, deixando ela só de calcinha o que me deixou com mais tesão ainda, fiz ela se ajoelhar e e inclinar deixando assim aquele rabo enorme a minha disposição, me posicionei atrás da aquela gostosa bunda, tirei sua calcinha onde visualizei uma boceta carnuda maravilhosa, eu nem acreditava na visão que eu estava tendo, a boceta da mulher do pastor que eu desejei desde o primeiro momento que a vi agora estava a minha disposição, não demorei e cai de boca naquela boceta que estava toda molhada,  eu chupava seu grelinho, eu enfiava minha cara e a minha lingua na boceta dela, e que boceta, que apesar de ter labios volumosos  era bem fechadinha  que senti quando enfiei meu dedo e tentei enfiar o outro, era apertada, ela gemia e aranhava me todo, ela se transformou em outra dando lugar a uma devassa, me chamava de filho da puta, e falava  me chupa seu cachorro, eu socando meus dedos dentro dela enquanto chupava, ate ela dar um gemido mais forte quase um grito  e desfalecer tremula,  senti o seu mel escorrer nos meus dedos e um forte um cheiro de sexo. 
Ainda dei mais umas lambidas na sua boceta com ela ainda ajoelhada, a seguir levantei e arrebitei sua bunda pro meu lado,  pincelei meu pau na entrada se seu cuzinho mas ainda soquei minha rola bem devagar na sua boceta, eu queria sentir sua boceta engolindo toda minha rola, e minha rola entrou de uma forma tão gostoso que ate me arrepiou, soquei até o fundo sem dificuldades porque ela estava toda molhada e lubrificada,  eu socava e seu mel escorria por suas pernas e pelas minhas também deixando-nos lambuzados, o que a principio foi  bem devagar logo foi  aumentando o ritmo junto com os gemidos dela. enquanto eu socava segurava em sua cintura e dava alguns tapinhas em sua bundona  e socava com toda força na sua boceta fazendo até certo barulho de schlok sclok , soquei ate ela gozar!.
Eu não podia acreditar, minhas fantasias estavam sendo realizadas eu estava comendo a gordinha dos meus sonhos, pra completar era crente e mulher de pastor, eu não poderia querer um motivo melhor pra gozar, e naquela posição tentei comer o seu cuzinho mas ela me disse que ja faltava só 15 minutos pras 23.30 e não queria arriscar mais, pediu-me que eu fosse embora antes que o marido dela chegasse, e para não correr mesmo nenhum risco eu fui, mas não sem a esperança de pegar ela de novo em um lugar mais reservado onde eu comeria aquela bundona que me deixava tarado. 

MEU CUNHADO ARMOU PRA ME CHANTAGEAR

Essa minha historia rolou com um cunhado meu, casado com minha irmã, esse cunhado era do tipo muito safado e eu sinceramente não sabia porque minha irmã ainda estava com aquele cafajeste, mas cada um sabe o que quer da vida, esse cunhado vivia me rodeando, me fazendo gracinhas mas eu não dava gancho pra ele continuar, enfim esse era meu cunhado, mulherengo as pampas.

Um dia peguei minha irmã de jeito e contei pra ela  que o Marcio, marido dela vivia me cantando, mas minha irmã era cega e justificava dizendo que era brincadeira dele, que essa intimidade era por causa de sermos parentes, esse era o jeitão debochado dele, mas não era não, porque muitas vezes o Marcio meu cunhado veio por traz me encochando eu só não falava pro meu marido com medo do que pudesse acontecer afinal não sei qual seria a reação do meu marido, eu preferia evitar porque eu sempre dava um jeito de me sair bem de qualquer situação mais constrangedora.

E foi assim por muito tempo, cada vez que o Marcio tinha chance de ficar um pouco só que fosse comigo ele já vinha me dizendo que eu era gostosa, que eu era bonita, que eu era um tesão, e que se eu algum dia quisesse sentir um macho de verdade que ele comeria de graça sem cobrar nada, eu tinha o maior ódio  desse jeito dele de tratar as mulheres como objeto sexual, e cada vez que eu tentava colocar juízo na cabeça da minha irmã ela acabava dizendo que era implicação minha com o Marcio, 

Minha irmã morava do outro lado da cidade, eles moravam junto com minha mãe, mesmo terreno então a gente se via bem pouco, na maioria das vezes só nos favamos por telefone mesmo, uma tarde depois de mandar meu filho para a escola eu ir visitar minha mãe e minha irmã, fui sem avisar, peguei o ônibus, o metro outro ônibus até chegar lá, era  bem longe mesmo, quando cheguei lá minha irmã tinha saído com minha mãe, só estava meu cunhado e um amigo que eu não conhecia, segundo meu cunhado elas não deveriam demorar, eu decidi ir embora, mas meu cunhado me convenceu a ficar dizendo que me daria uma carona de carro pra eu voltar caso elas demorassem, então eu fiquei, meu cunhado e o amigo não paravam de beber, o amigo visivelmente pra la de bagdá enquanto eu esperava ele me ofereceu e  eu até tomei umas duas latinhas de cerveja mas acho que eles me deram uma das cervejas batizadas, porque depois de toma-la comecei a sentir eufórica, parecia que eu estava bêbada, mas com duas ou três  latinhas de cerveja  nunca foram suficientes para me deixar assim, mesmo meio grogue percebi que meu cunhado e o amigo meio bêbados olhavam pra mim e não paravam de rir.

eu me sentindo meio sonolenta inclinei-me no sofá e cochilei, e depois quando acordei eu estava semi nua despiram minha saia e só de calcinha e blusa que estava  aberta mostrando meus seios se não bastasse o amigo do meu cunhado deitado ao meu lado abraçado em mim com uma mão nos meus seios, com o susto recobrei a razão na hora, dei a maior bronca no Marcio, nem dei tempo dele se explicar, peguei minha saia que estava no chão jogada ao lado vesti e ajeitei minha roupa e sai de volta pra casa, nem fiz questão de esperar a carona nem minha mãe nem nada, sai dali envergonhada sem saber o que fazer, e mal chegando em casa já toca meu celular, era o Marcio como eu tava puta da cara com o que ele tinha me feito já atendi dando bronca, dizendo que eu iria contar pra mulher dele e principalmente para o meu marido,  mas ele na hora falou calma cunhadinha, voce vai contar o que? E continuou, pode contar o que quiser, mas eu tenho boas fotos de voce e do Max meu amigo, só de voces dois pelados e abraçados no sofá, frisando só de vocês dois, em momento nenhum eu apareço nas fotos o que voce vai fazer, vai provar o que, como vai justificar,  vai dizer que eu forcei, na hora eu xinguei ele de todos os nomes, falei que ele era sujo, que ele e o amigo tramaram, que o que eles fizeram foi um estupro, ele eu uma risada dizendo que ele só tinha tirado uma casquinha em cima e mim, porque o amigo tava bêbado que nem um gambá nem que quisesse conseguiria levantar o pau pra poder transar comigo,  e completou que ele  ao contrário queria me comer de todo jeito, eu falei e vc não fez? Ele respondeu que não, que só tinha pegado nos meus peitinhos e colocado seu pau nas minhas coxas porque comigo dormindo seria muito dificil ainda mais que ele estava meio bebado, e completou que ele queria mesmo era me pegar sóbrio, nós dois sobrios, respondi voce está louco Marcio, no que ele retrucou louco de tesão por voce cunhada.

Perguntei Marcio o que vc quer de mim, por favor, quase implorando, mas ele foi inflexível dizendo, vo te mandar algo pelo whatts app depois vc apaga, e na hora o whatts deu um sinal, fui ver ele tinha me mandado duas fotos bem comprometedoras, falei pra ele deletar aquilo, mas ele disse que pra deletar ele tinha um preço, como e eu não soubesse peguntei qual era, e ele disse, meu preço é uma transa com voce consciente...,  pode ser de dia, uma tarde, uma noite ,,, vc entendeu né..., dai ele disse, por enquanto pode ficar tranquila vai tomar um banho outra hora gente conversa.... e desligou;

Fui tomar meu banho pensando na canalhice que ele tinha me feito, pensando em como eu poderia sair dessa sem respingar na minha familia, mas como eu explicaria tais fotos!!! Passaram-se algumas semanas sem que eu conseguisse pensar em algo acabei até esquecendo dele porque depois daquele dia ele não mais me procurou nem mandou recados pelo whatts app achei até que ele tinha desistido dessa chantagem, mas num belo dia ele manda um recadinho pelo whatts dizendo que naquela semana ele teria a tarde de quinta feira livre, e como ele sabia que eu ficava sozinha todas as tardes ele iria na minha casa, na hora gelei porque eu sabia o que ele queria comigo, e  lhe falei que ele estava louco, porque na minha casa de jeito nenhum, mas ele não perdeu o rebolado e disse então tá, depois que voce mandar o moleque pra escola, eu te pego na sua casa  e a gente vai pra um lugar mais reservado referindo-se a um motel, eu não tinha escolha, seria melhor assim afinal se alguém me visse saindo em outro carro que não o meu, ele era meu cunhado seria facil pra mim justificar, ele ainda falou-me pra eu levasse  na bolsa uma lingerie vermelha porque ele tinha fetiche por lingeries vermelha, achando melhor não contraria-lo escolhi um conjunto vermelho que eu tenho pra ocasiões especiais com meu marido, teria que servir.

 Na noite de quarta pra quinta feira nem dormi direito pensando no dia seguinte, e quando acordei na manhã de  quinta feira já acordei apreensiva, eu estava sendo chantageada, concordando com algo que eu jamais tinha feito e nem faria em condições normais apenas para evitar um escândalo maior, mesmo eu tendo sido vitima de uma armação afinal como justificar aquelas fotos?   ,, por via das dúvidas coloquei o tal conjunto vermelho na bolsa, armei um plano pra não transar com ele, minha intenção era fazer ele apagar aquilo do celular antes que  um mal maior acontecesse, e quando ele apagasse na minha frente, sem as fotos pra me chantagear eu me recusaria a ir em frente.

Apesar de eu estar me sentindo como uma ovelha rumo ao abatedouro resolvi que eu ia com jeitinho tentar seduzir o Marcio ainda dentro do carro para conseguir fazer ele apagar antes da gente chegar ao motel, e por volta das 13 horas ele parou o carro na frente do portão, eu já estava pronta a sua espera, quando ele me viu me elogiou porque eu estava de vestido e salto alto, entrei no carro ele colocou-o em movimento e eu perguntei onde ele ia me levar, ele falou que ia a um motel, decidida a fazer meu jogo depois de algumas quadras eu inclinei-me sob seu ombro pousei minha mão em sua coxa de forma que roçava levemente seu penis duro e falei que já que ele ia me levar a um motel então eu tinha uma unica condição, eu queria que fosse uma suite de luxo com direito a tudo, afinal eu merecia, perguntei se ele topava essa minha condição ele concordou então comecei um denguinho ele até comentou que eu estava estranha dizendo que primeiro eu não queria de jeito nenhum e agora eu  estava até lhe fazendo carinho, respondi que já que eu estava sendo obrigada pela sua chantagem então o melhor a fazer seria eu aproveitar a ocasião, e completei mas se voce não quer fico imóvel, até a gente chegar no motel transamos e vc me traz pra casa e fim de papo, mas ele todo cheio de si falou que eu não parasse, sugeri a ele que levasse-me a um motel bem afastado da cidade porque eu não queria correr riscos de alguem nos ver, com isso eu teria mais tempo para as preliminares mas na verdade era mtudo meu plano.

Durante o trajeto eu comecei a massagear seu penis por cima da calça, ele tentou me beijar mas eu falei pra ele prestar atenção na estrada, ele pediu pra que eu abrisse a braguilha dele e o masturbasse, mesmo não querendo eu fiz, afinal era só uma masturbação, mas ele excitado me pediu que eu o abocanhasse enquanto ele dirigia, pensei comigo puta que pariu o safado vai desconfiar se eu não fizer,  eu tive que fazer o boquete pra ganhar a confiança dele, mas falei pra ele não gozar na minha boca pra não nos lambuzarmos e sujar as roupas, pedi que guardasse pra gozar dentro do motel, faltando alguns kilometros pra chegar ao avistar uma estradinha secundária falei pra ele entrar ali um pouco pra que eu pudesse fazer melhor o boquete, foi a minha vez de dizer que era meu fetiche.

Ele parou reclinou um pouco o banco e eu comecei a masturba-lo lentamente na intenção de deixa-lo louco de tesão, fiz um boquete caprichado e aproveitei para impor algumas condições, a primeira era que ele jamais contasse aquilo pra alguém, a segunda era que ele teria que usar camisinha e a terceira e mais importante era apagar todas as fotos minha do celular dele, senão nada feito, enquanto eu o masturbava, chupava e lambia a glande dele ele concordou com tudo, falei então deleta agora, como ele não fez, então peguei o celular, mas ele não queria me dar a senha de desbloqueio, chateada tirei a mão de pênis dele, fiz menção de descer do carro, ele disse porque eu queria tanto que ele apagasse, disse-lhe que era porque senão ele iria usar as mesmas fotos para me chantagear outras vezes, então se não fosse assim não teria nem aquela vez, ele então fez o desenho de desbloqueio e me deu o celular, fui na galeria de fotos e comecei a procurar as minhas fotos e fui deletando uma a uma, me espantei a quantidade de fotos que ele tinha de mulheres nuas eu em posições comprometedoras, imaginei que ele chantageava todas elas, enfim deletei todas as fotos que tinha lá, quando fiz isso, parei de masturba-lo, e me achando vitoriosa falei pra ele em tom desafiador, agora que voce não tem mais as fotos não tem mais poder sobre mim, acabou a chantagem meu caro, ainda não vai ser dessa vez que voce vai me comer.

Mas ele deu uma gargalhada bem debochada e foi a hora dele me desafiar dizendo-me voce achou mesmo que eu não iria fazer uma cópia cunhadinha, porque vc acha que eu deixei vc apagar?? Pra seu governo tem uma cópia bem guardadinha e não está em casa nem no computador viu, eu guardo tudo num e-mail que eu criei pra não deixar rastros..... e vai ser dessa vez sim, vai ser dessa vez e de quantas outras eu quiser, eu ainda estupefata, tinha sido derrotada em meu plano, ele colocou o carro em movimento e nem foi até o motel que eu tinha sugerido, parou no primeiro motel de segunda categoria que encontrou e entramos, eu o tempo toda cabisbaixa  não me restava mais nada a não ser ceder aos desejos do meu cunhado.

Depois dessa atitude minha, acho que deixei meu cunhado bravo porque mal entramos no quarto ele já veio pra cima de mim como um louco, tirando minha roupa me beijando sem qualquer preparação ou preocupação em me agradar, depois de tirar toda minha roupa me jogou na cama e veio por cima de mim, chupando meus seios, mamando forte e até dentadas mais fortes ele deu,  quando eu preocupada com o desfecho da coisa pedi pra ele ir com calma porque estava me machucando, ele me respondeu que eu era uma vadia e me tratar como tal, sem e preocupar em colocar a camisinha ele abriu minhas pernas e socou seu pau pra dentro da minha xoxota sem dó eu que nem estava lubrificada ainda senti certo desconforto na verdade senti um pouco de dor e ardencia, ele começou a bombar furiosamente até gozar sem se importar comigo, e eu era um simples objeto do seu prazer naquele momento, depois de me possuir pela frente me colocou de quatro sobrea cama e veio por
cima colocando o seu membro na entrada do meu anus e novamente forçou a entrada sem lubrificação sem nada, me senti sodomizada e estuprada naquele momento, ele não teve dó, não sei se ele gozou ou não tamanha era a dor, e só quando ele finalmente tirou seu membro de dentro da minha bunda foi que eu me toquei que ele na pressa de me possuir não usou camisinha, fiquei desesperada, eu não podia engravidar de jeito nenhum, meu marido era vasectomizado, bateu um desespero coloquei a mão no rosto fiquei pensando no que fazer e me lembrei da pilula do dia seguinte, decidi que ao sair dali tomaria a pilula.

Fui tomar um banho pra me limpar do sêmen dele que ainda escorria pelas minhas pernas, ele quis ir junto mas eu muito brava disse que queria tomar banho sozinha... ao sair do banheiro eu já tinha colocado minha roupa e pedi que ele me levasse embora mas ele me cobrou dizendo se eu tinha esquecido do pedido dele, falei qual, ele.. Ligerie vermelha ou se esqueceu, novamente eu estava acuada, peguei minha bolsa e disse que ia no banheiro colocar mas ele disse que queria que eu colocasse ali mesmo na sua frente, e aproveitava pra lhe fazer um strip tease,  ligou o som ambiente numa musica suave e falou agora voce vai se despir devagarinho pra mim e foi dando as instruções, levanta um pouco a saia, coloque o pé em cima da cadeira. agora abra a blusa, retire lentamente a
 blusa, agora retire e jogue o sutiã pra mim!!!, Jogue pra mim, agora a saia, jogue pra mim, agora a calcinha, fique só de sandália, agora coloque o vermelho, feche os olhos e vire de costa pra mim, quando fechei os olhos e virei-me de costas, ele se levantou da cama e veio até mim, dessa vez carinhoso abraçou-me por trás, beijando meu pescoço, senti até um arrepio, ele foi descendo a mão em meus seios, minha barriga, enfiou a mão dentro da minha calcinha e pressionou meu clítoris me proporcionando um prazer gostoso, eu estava tensa mas  ao mesmo tempo excitada, ele sussurrou em meus ouvidos dizendo que tinha sido bruto na primeira vez e que queria redimir-se,

Me deitou na cama, abriu minhas pernas, ajoelhou-se e começou a lamber meu clítoris, me deixando excitada numa mistura de tesão e tensão e eu tremia toda, apesar de cafajeste ele sabia como deixar uma mulher excitada quando ele queria, ele chupava-me gostoso desa vez eu não estava sentindo dor só prazer, ele ficou um bom tempo me proporcionando prazer oral, até que eu gozei na boca dele, ele percebeu e me disse cunhada era isso que eu queria, eu queria te proporcionar prazer desde o inicio, e dessa vez eu quis que voce gozasse, em seguida ele posicionou o corpo para me penetrar pela frente, e dessa vez eu lucida pedi pra ele colocar camisinha porque não queria dar sopa pro azar, expliquei a razão,  meio a contragosto ele colocou e veio por cima de mim, e dessa vez ele penetrou quase que num ritual, colocando aos poucos e tirando, colocado tirando, até que não aguentando mais deu uma estocada bem forte e dessa vez eu até pude sentir algum prazer mesmo com todos os meus bloqueios mentais, ele em movimentos ritmados socava e puxava, socava e puxava, enquanto ele me penetrava aquele cafajeste deu lugar a um homem até bem carinhoso, olhando em meus olhos quase que pedindo desculpas me dizia que eu era uma mulher atraentemente linda, e gostosa, que meu marido tinha a sorte de me ter quando quisesse, etc e desa vez parecia outro homem me enchendo de elogios confesso que se não fosse pelo constrangimento de estar sendo chantageada eu até me sentiria lisongeada com tantos elogios.

Ele definitivamente tinha se tornado em outra pessoa, nem parecia mais aquele cafajeste que estava me chantageando, dessa vez ele estava fazendo tudo pra que eu tivesse prazer, e continuava com o seu membro dentro da minha xoxota, , em movimentos ritmados, enquanto beijava e chupava meus seios, eu estava excitada a ponto de gozar de novo, ele percebendo isso tirou de dentro e falou, cunhada agora eu quero comer seu cuzinho de novo, eu protestei porque ainda estava dolorido mas ele falou que dessa vez seria diferente, que ele iria com jeitinho e carinho, eu disse não mas não adiantou porque ele me colocou de novo na posição de bruços, dessa
vez levantou meus quadril colocou um travesseiro embaixo, posicionou a cabeça do seu membro e foi empurrando devagar, quando eu gemia de dor ele parava e foi assim até que ele tinha enfiado totalmente dentro de mim, e começou a bombar pausadamente enquanto com uma mão masturbava-me massageando meu clitóris, confesso que aquela situação diferente num misto de tesão, medo e ódio eu fiquei excitada e acabei gozando de novo, ele percebeu por causa das minhas contrações, e falou eu sabia que a cunhada não era fria, enquanto bombava mais forte até ele gozar também,

Quando olhei no relógio vi que já era quase 6 horas pedi pra ele me levar de volta, durante a volta eu estava furiosa comigo mesma por ter tido dois orgasmos, não que eu seja uma mulher fria, mas furiosa devido a condição em que eu tive esse orgasmo, quase obrigada, eu estava decidida a contar o que ele tinha feito comigo, pelo menos pra minha irmã, como se fazendo isso aliviasse um ´pouco a minha crise de consciência.

CRENTE CASADA E A IRMÃ DELA



Então minha historia começa quando conheci a Simone na época 39 anos, foi num site o Cyberjogos, eu gostava de de palavras cruzadas e ela também, enquanto jogávamos a gente conversava, e ela me disse que era crente, perguntei qual ela disse que era da Congregação Cristã, eu já conhecia essa igreja porque eu também venho de uma formação evangélica nessa igreja dela  as mulheres não podem usar calça comprida, não podem cortar o cabelo, é claro que devido a eu ter essa formação evangélica  houve uma afinidade desde o inicio e tínhamos bastante afinidade nos assuntos acabamos nos tornando bons amigos e conversávamos bastante e foi normal falarmos sobre intimidades de casais já que eu e ela eramos casados, trocávamos ideia sobre o que fazer o não fazer entre 4 paredes sobre o que a gente gostava mas que os nossos cônjuges não fazia  por serem crentes, algumas fantasias até que acabamos achando muitas afinidades pessoais, e por isso acabou rolando uma atração que eu diria até sexual entre a gente.

Não morávamos na mesma cidade, u morava numa cidade não muito distante, e sempre insisti pra gente se conhecer pessoalmente mas ela sempre se recusava até que  um dia  ela falou porque tinha medo e comentou sobre uma irmã dela mais nova que tinha saído com um cara que conheceu na internet a uns dois anos atrás e o marido descobriu e acabou se separando dela e por isso ela tinha medo de sair do virtual mesmo que pra conhecer, e eu dizia pra ela comigo não corre esse risco porque eu também era casado e não queria colocar em risco meu casamento da mesma forma que ela, mas ela sempre fazendo jogo duro.

    Nossas conversas eram diariamente sobre todo tipo de assunto  e ela sempre falava da irmã que ia sempre aos fins de semana visita-la, acabei descobrindo que essa irmã era do tipo que gostava de uma aventura, a Simone me contou que a Paula irmã dela ainda casada de novo, com filho pequeno ja tinha saído como vizinho mas o marido nunca descobriu, descobri que a Simone e a Paula eram muito ligadas desde a infância já que elas foram adotadas por uma familia e os laços de sangue sempre as uniram, eram confidentes e uma sempre encobriu a outra em tudo, desde os namorados já que eram crente e os pais adotivos eram rígidos e em nossas conversas ela me confidenciou um segredo de adolescência delas, segredo esse que eu fiquei surpreso porque até então a Simone não tinha dito nada que fosse contra a religião dela, ela me disse que desde o tempo de meninas elas guardavam  segredos uma da outra, tipo de namorados da irmã e a irmã de namorados dela, foi então que eu fiquei curioso e comecei a apertar e a Simone acabou confessando que quando tinha uns 12 pra 13 anos tinha se envolvido com um irmão de criação 10 anos mais  velho que ela, e ela quase que numa necessidade de desabafar continuou dizendo que devido os pais trabalharem fora e por ela ficar sozinha em casa  foi que acabou se envolvendo com 


ela esse sentimento dela por ele foi crescendo porque ela era uma pré adolescente boba por isso acabou se envolvendo com tal irmão de criação e enquanto ela mesmo nessa idade ja tinha sonhos românticos o irmão dela só queria mesmo era se aproveitar do corpo juvenil dela, e sempre que eles se encontravam sózinhos la vinha o tal irmão abraça-la beija-la e logo enfiava a mão na calcinha para tocar-lhe o sexo, isso era comum até que certo dia ela estava sozinha em casa aos amassos com ele, e a Paulinha chegou e pegou os dois quase nús na cama nos maiores amassos mas como a Paulinha era bem mais nova eles o irmão mais velho conseguiu  o silencio dela dando dinheiro pra ela comprar doces e assim conseguiram convence-la a não dizer nada a ninguém, e a partir dai que começou essa cumplicidade com a irmã.

       Eu não resisti e perguntei, ela pegou voces transando? Ela respondeu não, mas é como se fosse, eu novamente perguntei como se fosse??? Como??? Não entendi?? Ela então explicou que por ela ser de menor e virgem o meio irmão que era de maior tinha receios principalmente para não ter problemas familiares, então só rolavam beijos e sexo oral, mas ele quase sempre simulava a relação colocando a cabeça na porta sem penetração e por fim  gozava nas coxas,  curioso eu ainda perguntei mas só isso nada mais até que ela confessou que o irmão dela gostava que ela lhe fizesse sexo oral e em vez de penetrar na frente para não deflorar, ele convenceu ela a dar atrás e assim ela não perderia a virginidade essa confissão me surpreendeu, mas já estavamos tão intimos que até que foi normal , dai pra frente então começamos a trocar confidencias descobri que a irmã dela era mais ousada e mais louquinha eu diria, isso  porque a Simone me contava aos poucos as aventuras da irmã coisa que só ela e a irmã sabiam, e agora eu, provavelmente a irmã tb sabia mais coisas da Simone que ela propria não tinha me contado., as duas tinham um pacto de silencio do tipo vc não conta pra ninguem do que eu faço que nbem eu do que voce faz.


 Meu tesão por ela já era muito grande, mas Simone sempre esquivando-se, numa dessas nossas conversas, e numa investida minha, ela me disse que não iria porque é muito perigoso, eu falei perigoso porque?? Ela completou, perigoso a gente se ver, alguém nos ver, marido perceber e completou, e o perigo maior a carne que é fraca você sabe né,.... quando ela falou assim percebi que se eu conseguisse convence-la  a me encontrar ela já estava preparado psicologicamente para algo mais que um sorvete, eu falei não tenha medo se vc não quiser ir sozinha leve a irmã e ainda brinquei com ela assim voce não corre risco de ceder as tentações da carne , mas na verdade eu estava querendo que ela fosse sozinha justamente por causa da tentação da carne, ou seja eu iria tenta-la.. então depois de eu muito insistir ela acabou cedendo ao encontro, só que eu teria que ir até a cidade e pega-la perto da casa da irmã dela porque ela teria que deixar as duas filhas lá, eu ainda brinquei voce não vai levar a irmã?? Vai correr o risco de me encontrar sozinha, mas ela falou é só um sorvete que que tem, eu fiquei quieto eu não quiz encompridar o assunto pra não assusta-la, só que eu queria mais que um simples encontro, ela poderia ir na inocência mas eu tava cheio de segundas intenções.

    Tudo combinado então eu fui peguei-a no lugar marcado,  como eu não conhecia nada lá, pesquisei pela internet alguns moteis pra opção caso eu achasse uma brecha, mas de inicio fomos a um shoping na praça de alimentação, tomamos um lanche, passeamos por dentro vendo lojas, entrei em uma loja e lhe comprei um presente, ao sairmos da loja peguei em sua mão, achei que ela iria tirar mas não, ela deixou, isso me encorajou a colocar a mão no ombro, ela ficou sem jeito mas não retirou, sugeri irmos para o carro e passear um pouco, ela perguntou onde, eu falei vamos sem rumo por ai, mas na verdade eu já tinha programado previamente no meu GPS e era endereço de um motel, quando chegamos na entrada perto da portaria ela quase teve um troço, tentou desistir disse-me que nunca tinha ido a um, falei então vai ser a primeira vez porque voce não vai querer escândalo né,e te prometo não faremos nada que vc não queira ou não permita, ela tihnha sido  pega de surpresa e sem reação eu pedi uma suite
        Entramos, ela estava travada, coloquei o carro na garagem fechei o portão da garagem, abri a porta do quarto, quase que tive que puxar ela pra dentro, e chegando lá dentro não foi facil, tive que ter muito jogo e cintura pra convence-la a ficar relaxada, assentamos a beira da cama eu passava a mão em seus cabelos longos tentando acalma-la, peguei um refrigerante no frigo bar, conversamos uma boa meia hora até que eu resolvi deita-la na cama, ela então não protestou, deitei-me ao seu lado e pacientemente comecei a acariciar o seu corpo, depois de uma meia hora de caricinhos no rosto no cabelo, nos ombros tudo ainda por cima da roupa então eu enfiei a mão embaixo da sua blusa a procura dos seios,  ela meio que tentou impedir-me mas eu falei pra ela relaxa são só carinhos, ela estava super tensa, comecei a acariciar seus mamilos sem pressa, para depois começar a retirar sua blusa, ela tentou me impedir de novo, mas agora já  sem muita convicção, aproveitei da situação, voltei a acariciar os seios, senti que ela aos poucos ia gostando da minha caricia, fui tornando-me cada vez mais ousado desabotoei todos os botões da blusa, comecei beijando-lhe o pescoço, depois desci para os seios, chupei demoradamente, beijei sua barriga, fui vencendo aos poucos as suas defesas, retirei a sua blusa e o seu sutiã deixando aqueles seios rosados totalmente a mostra, seus biquinhos estavam durinhos ela estava excitada, não sei pela situação das minhas caricias ou porque o medo dela fazia que a adrenalina estivesse alta. Logo depois dessas caricias enfiei a mão por dentro da calcinha e comecei a lhe masturbar, quando tentei retirar a sua saia junto com a calcinha,  ela protestou, tentou segurar mas eu era mais forte e retirei assim mesmo meio que na marra, ela estava bem tensa, então resolvi ir devagar, tirei uma venda que eu tinha trazido e falei pra ela que iria vendar os seus olhos ela perguntou porque, então eu com jeitinho convenci ela que era apenas uma brincadeira.
Depois de venda-la  deitei-a na cama  deslumbrei-me com a sensualidade dela, aquele cabelão comprido a deixava bem sexi, comecei a acariciar, e a beijar o seu corpo todo, ela ficava passiva, e eu tava de pau duro e queria come-la a qualquer custo, mas fui devagar provocando a imaginação dela já que estava com os olhos vendados, peguei um cubo de gelo no frigobar comecei a passar pelo seu corpo ela se arrepiava todinha, que a essa altura já estava totalmente nua  ali na minha frente, aproveitando que ela ainda estava vendada, me afastei um pouco peguei meu celular que estava no bolso da calça e tirei algumas fotos dela naquela posição, ela nem percebeu, e depois eu me, posicionei-me em cima dela na posição papai mamãe mas ela não abria as pernas, tentei abrir, mas quanto mais eu tentava mais ela fechava, ela dizia que não podia porque era contra a religião dela, e que ela tinha os seus limites que era não transar com outro homem que não fosse seu marido, ela disse que até as caricias ela não achava certo mas deixou, só que a penetração seria o pecado muito grande e ela não podia ceder, comecei então a colocar o meu pau entre as coxas dela, fiquei nessa felação na tentativa que ela abrisse voluntáriamente as pernas mas nada, novamente prevaleceu a minha força fisica porque eu tive que abrir as pernas dela meio que a força como meu pau já estava posicionado e ela estava toda molhada, tanto que quando abri as pernas dela entrou facil, mas ela não facilitou manteve as pernas travadas mas parece que isso me dava mais tesão, tanto que gozei meio que dentro dela meio que nas coxas mas foi excitante e gostoso, como eu já tinha gozado resolvi acalmar um pouco e tentar mais tarde de novo.

Deitamos lado a lado ela se cobriu pra não deixar seu corpo nu a minha vista, até dei risada dessa atitude afinal eu acabara de te-la conhecida literalmente no sentido bíblico da coisa,  mas eu estava satisfeito se ela não liberasse mais pelo menos eu já tinha comido aquela bucetinha crente,.....  ela foi tomar banho logo depois eu fui atraz comecei a acaricia-la com sabonete, quando saimos perto da cama ela se enxugou começou a colocar a roupa foi quando eu a peguei pela cintura e caimos na cama,  logo depois eu  comecei a acariciar de novo aquele corpinho, primeiro discretamente comecei pela barriga pelos seios, logo depois fui mais ousado, comecei a masturbar ela de novo queria deixa-la excitada, e consegui, falei ao seu ouvido baixinho, Sol eu quero voce de novo só que dessa vez eu quero que vc se entregue por completo, vamos fazer um amor bem gostoso, e dizendo assim me posicionei em cima dela, apesar dela tentar fechar as pernas eu falei pra que isso, já transamos uma vez... então ela afrouxou a guarda e eu consegui pela primeira vez penetra-la sem resistencia ou dificuldade, gozei gostoso e ela tambem porque senti ela estremecer  nos meus braços, me lembrei da conversa que a irmã dela pegou ela que tava fazendo anal com o outro fiquei tarado, coloquei a de quatro, lubrifiquei bem aquela bundinha, mesmo sob protestos enfiei minha vara e gozei gostoso......  depois de transarmos gostoso colocamos as roupas e antes de irmos eu mostrei as fotos dela no celular ela ficou vermelha, pediu e implorou que eu apagasse, eu disse que apagaria simulei que tinha apagado e isso a fez ficar mais tranquila.

Nos aprontamos e saimos, já era meio tarde e eu a levei até onde eu havia pegado ela, voltei pra minha cidade achei que nunca mais ela quereria falar comigo mas enganei-me continuamos mais amigos que antes, em nossas conversas ela falou que a irmã tambem tinha conhecido um cara na internet etc e tal, foi então que eu perguntei, vc falou pra ela sobre nós? A SOL respondeu que sim, eu ainda perguntei mas vc falou o que fomos a um motel? Ela falou que sim? E sua irmã que falou, ela disse nada oras, eu falei que a gente só tinha se acariciado mas não transado, no que eu dei uma risada e falei, tá certo , só se ela for ingenua demais pra acreditar, mas continuei a conversa, me conta do cara ue ela conheceu? Então ela me contou os detalhes e eu falei, oras sua irmã não tinha se acertado com o marido? ela respondeu que sim tinha, e eu falei mas se ela acertou com o marido porque saiu com o cara que conheceu, então ela me respondeu assim, minha irmã é meio louquinha mesmo ...eu comecei a fazer mais perguntas sobre a irmã dela e a acumular informações, na minhamente eu já planejava fazer com que a SOLANGE me apresentasse a irmã e comecei a arquitetar um plano, eu tinh aque convencer a SOL a sair de novo comigo, embora eu já tivesse tentado ela se recusava, dizia que o que tinha acontecido foi uma fraqueza que ela tinha seus limites e que ela já havia ultrapassado todos quando saiu comigo, dessa vez fui eu quem implorei, disse pra ela que não se preocupasse que seria uma ultima vez e que seria só um encontro que ela não precisava ter medo, ela então me disse que tudo bem mas que não seria mais que meia hora porque ela não poderia ficar muito tempo fora de casa por causa que ela teria que deixar as filhas com a cunhada etc e tal, se eu concordasse tudo bem senão não daria, eu falei então uma hora tá?

Então dessa vez pra não perder muito tempo eu a peguei mais perto da sua casa ela achava que iriamos a algum lugar pra conversar mas eu dessa vez já tinha pesquisado um motel bem proximo fui direto pro motel ela protestou esperneou mas não adiantou, entramos eu a sentei na cama sentei-me ao seu  lado e fui diretametne aos amassos achei que nessa seguna vez fosse mais facil e tentei novamente come-la, mas ela se fechou como a vez anterior ela fez o maior jogo duro mas como da vez aneterior eu era mais forte e consegui o meu intento....., depois de termos transado eu falei que na proxima queria ela e a irmã ela me chamou de louco eu falei sou sim, louco e tarado por voces duas, e mostrei as fotos que eu tinha tirado na vez anterior, ela surpesa me falou mas vc disse que tinha deletado tudo eu acreditei, e falei mas como vc ve não deletei, ela ficou vermelha, e disse o que vc quer com isso, eu falei quero voces duas,  não importa como mas eu quero, Sol me falou voce é louco, ela falou mas vc nem a conhece, eu falei coñheço de voce falar dela, e me deixou com tesão por voces duas, ela falou que não faria isso, eu então sorri e disse, que vc faria se eu colocasse suas fotos nuas na cama dum motel na internet?  Ela falou vc não faria isso, eu respondi não aposte nisso, ela ainda perguntou voce quer fazer com nós duas ao mesmo tempo ela se vendo acuada me falou, depois voce promete que eu concordar voce apaga as fotos eu concordei, ela então perguntou mas como fariamos?

Eu então lhe falei, voce não disse que ela é louquinha e que adora viver perigosamente, vc me disse que são intimas e e que vc conta todos seus segredo a pra ela, inclusive que saiu comigo, e ela conta tambem das aventuras dela, então quando conversarem voce voce diz a ela que leu num site de contos eroticos uma aventura que o cara saiu com duas irmãs ao mesmo tempo e ve o que ela diz, dcepois voce vai fazendo a  cabeça dela aos poucos diz que no fundo tem essa fantasia etc e tal, fui dando todas as dicas pra ela, e ela e um dia voce combina com ela de sair vão a um shoping ou coisa assim não diz nada a ela que eu vou então eu apareço voce me apresenta e deixa o resto comigo.. ela ainda perguntou, mas se minha irmã não concordar eu respondi, se ela não concordar tudo bem mas deixa comigo.

Ficamos meses então planejando e a cada semana que passava meu tesão aumentava, eu perguntava pra ela se ela tinha falado com a irmã, ela respondeu que mais ou menos, que tinha tocado no assunto mais profundamente eu comecei a cobrar, então depois e uns dois meses ela disse que a coisa estava arranjada para o fim da semana ela iria levar com a irmã no shoping sob a alegação de ela ajudar a escolher um vestido, e falou só que ela não sabe nada, e ainda me perguntou, como voce vai fazer.... eu respondi deixa comigo voce só me apoia no que eu vou fazer, ela perguntou o que eu faria eu respondi não sei ainda, mas conforme os acontecimentos eu iria fazendo meus planos.

Chegou sexta feira, elas foram ao shoping, eu com a maior cara de pau  apareci na frente delas, visitamos algumas lojas, fomos numa dessas lojas que as roupas estão todas nas girafas a disposição do cliente pra experimentar, a Sol experimentou um e eu falei que a irmã dela que chamava-se Suzana para experimentar um tambem ela disse que não tinha trazido dinheiro que adiantava experimentar, eu falei oras, experimente não custa nada, insisti tanto que ela acabou experimentando eu ajudei a escolher era um vestido bem leve de verão que caiu bem no corpo da Suzana, mesmo porque ela tinha um corpo bem esguio, e era baixinha por isso não foi dificil escolher um que lhe caisse bem, quando ela saiu eu pergun tei, voce gostou? Ela disse que sim mas..... eu disse-lhe nada de mas, o vestido é seu eu pago, (a Simone já tinha me dito que a irmã gosta de receber presentes), ela aceitou então eu falei pra combinar com o vestido vamos escolher uma lingerie, chegamnos na seção de lingeries eu ajudei a escolher uma tipo macaquinho baby doll  uma para a Simone na cor preta e outra para a Suzana na cor vermelha, eram dois corpetes rendados e calcinha acompanhando o conjunto, como lingerie não pode experimentar, depois de sair da loja eu falei vou querer ver como ficou, a Suzana assustada falou como??? Eu desconversei e dei uma risada safada e completei quando se quer se dá um jeito, aqui não pode, na casa de uma de voces não dá né, então vamos a algum lugar reservado, ela começou a perguntar onde eu desconversei, saimos da loja fomos até a praça de alimentação onde tomamos um lanche.

Já eram quase 3 da tarde e eu estava doido pra sair dali logo e colocar meu plano em ação eu já tinha em mente sair dali direto para o mesmo motel que eu já conhecia e não estva longe, foi quando eu sugeri pra elas que saissemos dali e fossemos passear um pouco, a Suzana perguntou onde, eu respondi que era surpresa, a Simone já imaginava que eu iria fazer algo, pegamos o carro e saimos, eu andei uns  minutos elas não sabiam o que eu faria, fui até o motel, a Suzana achou estranho a Suzana falou vc tá malucoooooo, eu falei sou meio maluco sim, alem do mais o que que tem???  Mas a Simone ajudou-me a convencer dizendo que eu já tinha dito pra ela que levaria ali  para experimentar a lingerie que não tinha falado antes pra ela não ficar nervosa, eu falei aina, o que que tem, só vamos entrar, e não vai acontecer nada que voces não queiram que aconteça, mas eu sabia que a Suzana sabia que eu já tinha vindo ao motel com a Simone por fim depois de muita insistencia da minha parte com o apoio da irmã, ela aceitou.

Entramos na portaria, estacionei o carro fechei a garagem, entramos no quarto e a Suzana ao ver a cama e os espelhos ficou meio que deslumbrada... não falei que queria ver voces experimentar o presente!! Então aqui é o lugar... então  eu decidi investir na Suzana já que com a Simone eu já tinha transado antes e eu não teria dificuldades quando eu quizesse, então pra acalmar a ansiedade  das daus peguei um refrigerante no frigo bar, asentamos os tres na cama conversamos um pouco, logo eu falei então vamos ver??? Quem vai ser a primeira?? Como as duas estavam indecisas falei Simone como voce eu já conheço a mais tempo vai

voce primeiro... ela entrou no banheiro 5 minutos depois saiu, mas ainda estava vestida.. eu falei e a lingerie? Ela respondeu tá por baixo, eu falei e como vou ver?, Retire o vestido pra eu ver, ela meio que envergonhada levantou o vestido e retirou por cima da cabeça, foi quando eu vi aquele corpinho dentro da lingerie preta, ela estava deslumbrante fiquei de pau duro na hora, minha vontade era de atacar, beijar, morder possuir, estava tarado de vontade ams tinha que me conter porque a proxima seria a Suzana se eu começasse a abraçar e abeijar a Simone a Suzana poderia provavelmente desistir da ideia, pedi que ela desfilasse um pouco pra mim, ela sentia-se até vaidosa em saber que tinha um homem ali na sua frente desejando, um dia ela me confidenciou que gostava de ser desejada, então depois de algum

    tempo falei agora quero ver a Suzana, a Simone falou então vou colocar a roupa novamente, eu falei nada disso, fica ai daqui a pouco eu quero ver as duas juntos, então ela deitou-se na cama e puxou um lençol por cima, foi a vez da Suzana então entrar no banheiro pra se trocar eu lhe falei nem adianta colocar o vestido viu, ela não falou nada e logo depois ao sair eu pude então vislumbrar o corpo da Suzana, ambas tinham uns corpos bem feitos apesar de ambas já terem tido filhos mas continuavam com barriga tanquinho,e um par de belas  coxas brancas por baixo da saia.. fiquei deslumbrado com a visão, de pau duro na hora e pensei comigo mesmo eu vou comer essa Suzana de qualquer  jeito fiquei imaginando como eu chegaria nela então ela desfilava e mostrava como ficou o presente em seu corpo, depois ela quiz voltar pro banheiro se trocar eu falei deita na cama com a sua irmã quero ver as duas juntas ela meio que acanhada foi e se deitou eu puxei o lençol que lhe cobria então pude vislumbrar as duas juntas, peguei meu celular e tirei foto das duas assim depois me deitei-entre elas e comecei a acariciar a Simone que estava sem jeito porque tava com a irmã do lado mas mesmo assim comecei apegar em seus peitinhos, virei para o lado e tentei pegar nos peitinhos da Suzana que se fechou com quem queria impedir então eu falei... voce sabe que eu já transei com a Simone né.... ela disse que sabia sim, então eu completei, e voce imagina que eu vou transar com voce agora né, ela ficou sem jeito não disse nada e eu comecei a acariciar, e falei alias eu vou transar com as duas juntas, a suzana quiz reclamar então eu falei, a simone contou pra voce das fotos que eu tirei dela pelada? Ela disse sim.. e hoje voce viu que eu tirei fotos suas tambem né? Eu falei voce não quer que eu mostre as fotos pra alguem da familia né, ela ficou quieta como se resignada a aceitar o destino, não dissemos mais nenhuma palavra, foi então que eu beijei o corpo da Suzana, começando pelo pescoço, depois tirei a parte de cima do baby doll dela e beijei seus seios, quando beijei seus seios senti que ela estremecer, senti que aos poucos ela tambem estava começando a curtir aquele momento.

        Não demorou muito e eu já estava de boca na sua bucetinha, ranquinha, pequena e depilada, apesar dela ser crente a bucetinha era depilada com apenas um chumaço de pelos ali, o que facilitou pra eu dar uma bela chupada, ela estremecia , a simone ficou ao lado só observando, eu olhei de relance pra ela e falei, logo vai chegar sua vez e continuei dando um trato na Suzana, que a essa altura do campeonato já havia entregue-se aquele momento lascivo, minha intenção era deixa-la bem a vontade pra que ela não resistisse quando eu fosse penetrar na sua gruta, e deixei mesmo tanto que me coloquei em cima dela na posição papai mamãe, coloquei a cabeça do pau na entrada da sua buceta ela não esboçou nenhuma resistencia, foi quando enfiei gostoso até o fundo, eu quase gozei de tão excitado que eu estava, mas me controlei porque eu ainda tinha uma maratona pela frente, me esforcei pra que ela gozasse antes de mim, comecei a bombar lentamente e a passar a cabeça do meu pau em seu clitoris numa masturbação com a propria cabeça do meu pau, ela ficava louca e gemia de prazer, gastamos um bom tempo juntos até que senti que ela gozou porque estremeceu e começou aquele movimento vaginal de piscar apertar o meu pau, então não resisti e gozei tambem.

Mas eu continuava de pau duro então olhei pra Simone, não dise nada apenas a abracei, e comecei a dedicar-lhe os mesmos carinhos que antes tinha dado a irmã dela, comecei pelo pescoço, dei uma chupada de leve ele pediu pra não deixar marcas por causa do marido o que ela ia dizer em casa, quando ela falou em marido parece que meu tesão ficou mais forte ainda, meu pau que já tava duro ficou mais duro ainda, beijei a barriga, comecei a chupar a buceta então brinquei e aqui posso deixar marcas porque o marido não vai perceber né, ele não falou nada, como eu tava de pau duro então enfiei naquela buceta gostosa duma só vez, bombei como um desesperado, forte e gostoso, até que gozamos quase juntos ela gozou primeiro e logo depois eu gozei.

então deitamos os tres juntos na cama e exaustos tiramos um cochilo, quando as duas levantaram, olharam pro  relogio e disseram-me vamos, voce nos leva onde nos pegou porque o horario tá avançado, nos trocamos então e eu as levei, chegando lá elas me fizeram prometer que eu deletaria as fotos, eu então falei que não, se eu deletasse nunca mais poderia ter as duas, elas praticametne imploraram disseram-me que eu deletasse que aquelas fotos não poderiam de maneira nenhuma aparecer, elas tinham medo que eu postasse na internet, eu prometi que não na internet eu nunca faria isso elas poderiam ficar tranquilas, mas que eu iria querer ve-las mais vezes isso eu ia, foi quando elas falaram, isso até pode desde que seja escondido e ninguem nos veja, moral da historia, cada vez que eu to a fim eu ligo ou mando e-mail, e já sai com cada uma das duas individualmente depois disso, mesmo porque sair com as duas duma vez só no motel eles ficam só observando querem cobrar a mais, e é melhor dá uma bem dado com uma de cada vez...

POSTAGEM MAIS VISITADAS